Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



img_476x268$2020_02_11_13_03_23_1662622.jpg

Subscrevo, na íntegra, a recém-decisão da Mesa da Assembleia Geral do Sporting CP de indeferir o requerimento para a realização de uma sessão extraordinária, que tinha como ponto único a revogação, com justa causa, do mandato dos titulares dos órgãos sociais do Clube.

Já tive ocasião de aqui referir as minhas razões para a não realização da AG e não vale a pena reiterar as mesmas nesta ocasião.

A explicação de Rogério Alves, presidente da MAG, está disponível aqui.

Eis o comunicado oficial da MAG:

2020-02-11 (1).png

publicado às 14:53

img_920x518$2018_02_25_17_01_22_1369362.jpg

A Mesa da Assembleia Geral do Sporting esteve esta terça-feira reunida para apreciar a resposta ao requerimento apresentado pelo movimento 'Dar Futuro ao Sporting' e adiou a divulgação do despacho para o próximo dia 11.

Durante várias horas, o Órgão liderado por Rogério Alves esteve a debater os argumentos apresentados pelo referido movimento, cujos porta-vozes são António Delgado e Carlos Mourinha, que visa a convocatória de uma Assembleia Geral Extraordinária para se votar a destituição dos actuais Órgaõs Sociais.

publicado às 06:01

 

image.jpg

 

Num email enviado aos sócios, o Sporting divulgou quatro documentos, entre os quais os comunicados da Mesa da Assembleia Geral e do Conselho Directivo de segunda-feira à noite, assim como a Convocatória para a Assembleia Geral Extraordinária (AGE) assinada por Jaime Marta Soares e com a data de 28 de Maio.

 

A Assembleia Geral, marcada para sábado, dia 23 de Junho, às 14h00, tem apenas dois pontos na Ordem de Trabalhos:

 

O primeiro diz respeito à Assembleia requerida pela Direcção, a 16 de Maio, e servirá para "Análise da situação do Clube e prestação de esclarecimentos aos sócios."

 

O segundo ponto diz respeito ao anúncio de Jaime Marta Soares, a 24 de Maio, ou seja, a deliberação sobre a "revogação colectiva, com justa causa", dos mandatos de Bruno de Carvalho e restantes elementos da Direção. Em nenhuma parte da convocatória é referido um eventual pedido dos sócios para a realização desta AG, nomeadamente na recolha de assinaturas, pelo que MAG assume a iniciativa da realização da mesma.

 

O outro documento que MAG fez distribuir aos sócios diz respeito à logística da própria Assembleia que o Conselho Directivo reclama ser ilegal - "pedido de apoio logístico ao Sporting para a organização de uma AG que, por ser ilegal, não se pode realizar".

 

No documento revelado e assinado por Jaime Marta Soares, este solicita, de forma oficial, ao Conselho Directivo, que assegure todas as condições para a realização da mesma, nomeadamente a reserva da Altice Arena, mobilização dos funcionários, contratação da Universidade do Minho para a votação em urna e apresentação de um Plano de Segurança.

 

No corpo do email a MAG faz questão ainda de referir que o Conselho Directivo pediu que fosse informado sobre a data para as eleições dos orgãos que estão demissionários - Mesa da Assembleia Geral e Conselho Fiscal e Disciplinar - e que está ainda pedida uma outra AG Ordinária, que deverá realizar-se até 15 de Junho, para aprovação do Orçamento.

 

publicado às 18:00

O vergonhoso estado do Sporting

Rui Gomes, em 29.05.18

 

sporting_lisbon_logo_88270.jpg

 

O presidente da Mesa da Assembleia Geral demissionária, Jaime Marta Soares, anunciou a criação de uma Comissão de Fiscalização para "exercer transitoriamente as funções que cabem ao Conselho Fiscal e Disciplinar", também ele demissionário.

 

Eis a transcrição do documento na íntegra:

 

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral, bem como todos os membros demissionários da Mesa da Assembleia Geral, informam os Sócios do Sporting Clube de Portugal nos seguintes termos:

 

1. Ao abrigo, nos termos e para os efeitos do disposto no n.º 1 do artigo 41.º dos Estatutos do Sporting Clube de Portugal, o Presidente da Mesa da Assembleia Geral irá designar uma Comissão de Fiscalização para exercer transitoriamente as funções que cabem ao Conselho Fiscal e Disciplinar.

 

2. As eleições para os Órgãos Sociais do Sporting Clube de Portugal terão lugar nos termos e prazos estatutários.

 

Lisboa, 28 de Maio de 2018

 

img_818x455$2017_09_01_19_19_14_663775.jpg

 

"Quando os sportinguistas quiserem que saia do clube, basta que recolham as assinaturas necessárias e não terão de pagar qualquer custo pela assembleia-geral. Aí, se a vontade da maioria for a minha saída, acatarei no momento." (12 de Dezembro de 2017)

 

O que resta do Conselho Directivo reagiu com um extenso comunicado, através do qual, entre outras coisas, acusa Jaime Marta Soares de estar a tentar um "assalto ao poder":

 

"O Conselho Directivo do Sporting Clube de Portugal foi, uma vez mais, surpreendido com nova tentativa de assalto ao poder no Clube por parte do Presidente da Mesa da Assembleia Geral quando, na noite de hoje, emitiu um comunicado, e enviou o mesmo para os serviços do Clube (juntamente com o pedido de apoio técnico para a marcação da AG extraordinária) anunciando que vai nomear uma Comissão de Fiscalização para substituir o Conselho Fiscal e Disciplinar demissionário, ao abrigo do nº 1 do Artigo 41 dos Estatutos do Sporting CP.

 

Antes de mais convém ler o conteúdo do artigo em causa:


Artigo 41, nº 1 - Se se verificar causa de cessação de mandato da totalidade dos membros do Conselho Directivo ou do Conselho Fiscal e Disciplinar ou se, convocadas eleições para qualquer daqueles órgãos, não houver candidaturas, pode, no primeiro caso, e deve, no segundo, o Presidente da Assembleia Geral designar uma comissão de gestão ou uma comissão de fiscalização, ou ambas, compostas por número ímpar de sócios efectivos com cinco anos de inscrição ininterrupta no Clube, para exercerem as funções que cabem respectivamente ao Conselho Directivo e ao Conselho Fiscal e Disciplinar, e que terão a competência de um ou de outro, conforme for o caso".

 

Parece-nos evidente que não se verifica nenhuma das premissas para invocar este artigo, porque: continuam em funções Bruno de Carvalho, Carlos Vieira, Rui Caeiro, José Quintela, Luís Gestas, Luís Roque e Alexandre Godinho, no Conselho Directivo; continua em funções, pelo menos, Fernando Carvalho, membro do Conselho Fiscal e Disciplinar que não renunciou, além de um membro suplente deste órgão, Tito Carvalho, que, até à data não foi chamado a efectividade de funções; existe uma lista candidata, e já com as assinaturas recolhidas, à Mesa da Assembleia Geral; existe uma lista candidata, e já com as assinaturas recolhidas, ao Conselho Fiscal e Disciplinar. É inequívoco que não pode ser nomeada qualquer comissão de gestão. É inequívoco que não pode ser nomeada qualquer comissão de fiscalização, uma vez que não se verifica nenhum pressuposto legal ou estatutário alegado pela MAG.

 

O que pretende o Presidente da MAG são três coisas:

 

1 - Que esta comissão conseguisse fazer o que ele próprio não conseguiu, ou seja, afastar um, dois ou a totalidade dos membros do Conselho Directivo em funções, para que caia esse órgão;

 

2 - Para se cair no número 2 do artigo 41, o qual confere a essa comissão de fiscalização o prazo de seis meses para a convocação de eleições;

 

3 - Encontrar mecanismos manipuladores que levem à queda dos membros do Conselho Directivo através de processos disciplinares, ficando a actual MAG a gerir o clube com uma comissão de gestão e uma comissão de fiscalização, que, repetimos, ser um golpe palaciano de assalto ao poder.

 

O Presidente da MAG desmentiu que fosse sua intenção nomear uma comissão de gestão. A bem da verdade e da transparência vamos aqui divulgar desde já o que só esperávamos denunciar nas sessões de esclarecimento, nas quais apenas os sócios podem entrar: era tão verdade que queria nomear na passada semana uma comissão de gestão que convidou Luís Gestas, convite esse extensível ao Luís Roque, ambos actuais membros do Conselho Directivo, e a uma terceira pessoa à escolha deles, para fazerem parte dessa mesma comissão desde que pedissem a renúncia do CD.

 

Mais, na noite de ontem o Presidente da MAG informou o Gabinete Jurídico do Sporting Clube de Portugal que nunca chegou a renunciar ao mandato e como tal se encontrava na plenitude das suas funções. Como todos sabemos, entre os dias 16 e 17 de Maio foi noticiado em todos os órgãos de Comunicação Social do país que a Mesa da Assembleia Geral do Sporting CP tinha renunciado em bloco ao seu mandato. Até hoje, o Presidente da MAG nunca o desmentiu. Pelo que, de acordo com o artigo 46 n° 2 dos estatutos, tem que convocar de imediato uma AG eleitoral para a MAG e o CFD, para que as eleições para estes dois órgãos decorram até ao dia 2 de Julho [n.d.r.: dia 1 de Julho].

 

Por outro lado, o Presidente da MAG solicitou ontem apoio técnico ao clube para a realização da Assembleia Geral Extraordinária. Sobre este assunto, queremos desde já alertar que o expediente que está a ser utilizado pelo Presidente da MAG é o de fingir que não está demissionário, para tentar pedir uma AG destituitiva que não seja a que deriva da alínea C (associados), mas sim de algo que fosse de iniciativa dele próprio. Sendo que, estando ou não demissionária, a MAG não o pode fazer. Assim, os serviços do Sporting CP prestarão o apoio técnico quando forem verificados os pressupostos legais para a realização da AG; quando forem verificadas as assinaturas que constam no requerimento e que nunca foram mostradas; quando for efectuado o depósito em conta, por parte dos requerentes, para garantir os custos dessa mesma AG.

 

Ontem foi dito na sessão de esclarecimento e acabou por ser tornado público, seja por "toupeiras" enviadas pelo Presidente da MAG seja por outras pessoas que transmitiram informações à Comunicação Social, que mais uma vez estamos nós a trabalhar com os bancos e com a CMVM para não parar os processos de empréstimo obrigacionista e para não parar a escritura jurídica de reestruturação financeira, e vem, uma vez mais de forma irresponsável e ilegal, a MAG tentar colocar tudo isto em causa, por uma obsessão de ataque ao poder no Sporting Clube de Portugal.

 

Fernando Correia
Porta-voz do presidente do Conselho Diretivo do Sporting Clube de Portugal 

 

publicado às 05:31

 

Jaime-Marta-Soares.jpg

 

A Mesa da Assembleia Geral do Sporting emitiu esta sexta-feira um comunicado em que lamenta o facto de na reunião da véspera o Conselho Directivo, liderado por Bruno de Carvalho, ter rejeitado todas as propostas que lhe foram apresentadas, nomeadamente a realização de eleições a 2 de Setembro.

 

Ainda lamenta que os membros da Mesa, assim como os do Conselho Fiscal e Discplinar, tenham sido sujeitos a ameaças, no ambiente deveras intimidatório da reunião.

 

Eis o comunicado da Mesa da Assembleia Geral:

 

1) Para a Mesa da Assembleia Geral é inequívoca a situação de profunda instabilidade e crescente divisão que atingiu o Clube e a necessidade de, o mais rapidamente possível, repor a normalidade e a coesão do mesmo, e considera também que apenas os Sócios têm plena legitimidade para apurar a responsabilidade por esta situação e determinar a solução mais adequada para os destinos do Clube. 

2) A Mesa da Assembleia Geral não pode de modo algum ignorar os inúmeros pedidos de sócios, correspondentes a milhares de votos, para a realização de uma Assembleia Geral Extraordinária para destituição do Conselho Directivo. 

3) Importa assinalar que a Mesa da Assembleia Geral apresentou ao Conselho Directivo uma solução que teria permitido a sua continuidade em funções até novas eleições, a realizar na data de 2 de Setembro de 2018, solução que teria evitado qualquer hiato na gestão do Clube e mais teria contribuído para limitar os danos resultantes da situação de instabilidade criada nos últimos meses. 

4) A Mesa da Assembleia Geral constatou a insistente rejeição por parte do Conselho Directivo dessa solução, o que obriga à realização de uma Assembleia Geral Extraordinária visando a destituição dos membros do Conselho Directivo. Esta é a solução que mais respeita a vontade dos Sócios e mais rapidamente pode reestabelecer a normalidade no e do Clube, à luz do comportamento do Conselho Directivo e a sua reiterada oposição a qualquer outra das alternativas sugeridas pela Mesa da Assembleia Geral. 

5) A Mesa da Assembleia Geral lamenta profundamente o comportamento do Conselho Directivo, incluindo a tentativa de obrigar os membros dos outros Órgãos Sociais a assinar uma suposta acta da reunião anterior (21 de Maio), sem qualquer correspondência com o que ocorreu no decurso da mesma.

 

A Mesa da Assembleia Geral lamenta também profundamente as ameaças e o ambiente intimidatório criado a que foram sujeitos os seus membros e os membros do Conselho Fiscal e Disciplinar nas próprias instalações do Clube. Estes factos são inaceitáveis e não correspondem à História do Sporting Clube de Portugal.

 

A Mesa da Assembleia Geral continuará sempre a agir no sentido de respeitar essa mesma História e promover a união entre todos os verdadeiros Sportinguistas. 

6) A Mesa da Assembleia Geral reitera a todos os Sócios que continuará a agir em prol dos superiores interesses do Clube, sempre com toda a independência e imune a qualquer tipo de pressão. 

Lisboa, 25 de Maio de 2018 

A Mesa da Assembleia Geral

 

publicado às 06:22

Afinal não é só fumo...

Rui Gomes, em 14.06.15

 

77028.jpg

 

O novo "quasi oficioso" porta-voz do Sporting reporta este domingo que a mais recente onda de indignação contra Godinho Lopes - com petições e afins - não é nada de novo, dado que o Conselho Fiscal e Disciplinar analisa deste Outubro um requerimento com 100 assinaturas que visa a expulsão do ex-presidente do Sporting, assim como de Luís Duque, Nobre Guedes e Carlos Freitas.

 

O presidente deste órgão social - Bacelar Gouveia - recusou comentar o assunto, mas o PMAG, Jaime Marta Soares, teve isto para dizer:

Esse processo está no âmbito do CDF, que é quem tem competência para o analisar, portanto está em segredo de justiça. Só me pronunciarei se e quando chegar à Mesa da Assembleia Geral.

 

Luís Pires, antigo membro do Conselho Leonino e um dos promotores do requerimento de expulsão dos acima referidos, afirma que o assunto ganha redobrada actualidade pelas circunstâncias em torno do caso "Doyen":

A Doyen é um pretexto para atingir a actual direcção, porque provocou uma auditoria e, caso existam indícios criminais, irá remetê-los para o Ministério Público.

 

Se a memória não me falha, alguém fez recentemente um apelo a união no universo leonino. É por de mais evidente que está à vista !??

 

 

Nota: Aviso, desde já, para não haver surpresas: o sistema de moderação deste post não será actividado, salvo surgir a necessidade pelos comentários com linguagem imprópria. Estes serão todo editados.

 

publicado às 05:46

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds