Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O adeus de Miguel Albuquerque

Rui Gomes, em 18.11.20

img_920x519$2020_11_18_16_51_29_1780533.jpg

Miguel Albuquerque, até recente director geral das modalidades, confirmou a sua saída do Sporting Clube de Portugal ao fim de 20 anos.

Um homem que defendeu sempre os superiores interesses do Clube com muita devoção e competência, cuja saída, lamentamos, se fica a dever a problemas do foro pessoal.

Comunicado de Miguel Albuquerque

Obrigado Sporting Clube de Portugal, foi uma honra servir-te!

Chega hoje ao fim a minha ligação ao Sporting Clube de Portugal.

Foram 20 anos percorridos com o orgulho, honra e privilégio de servir o Clube do meu coração, e que possibilitou tornar-me um dos dirigentes mais titulados da sua história, algo que nunca vou conseguir retribuir.

Foi um muito longo caminho, trilhado numa estrada sinuosa, entre muitas dificuldades, com centenas de treinadores, atletas, colaboradores, dirigentes e presidentes - crescendo e aprendendo com todos.

Passei por todas as etapas de crescimento no dirigismo, sempre focado no trabalho, na exigência, na cultura de vitória e na defesa intransigente do Sporting Clube de Portugal.

Tive a oportunidade de ocupar vários cargos nestas duas décadas, que me permitiram servir cada vez melhor o Clube que amo: primeiro no Futsal, onde entrei em Agosto de 2000 como Colaborador Técnico e de onde saí em 2018 como Director do Departamento, e nestes dois últimos anos como Director Geral das Modalidades.

Em todos os passos que dei, com paciência e determinação, sempre me guiei pelo trabalho e por um constante sentimento de responsabilidade. Foi com esse desígnio que tracei um objectivo que me foi "obcecando" ao longo dos anos: fazer do Sporting Clube de Portugal a maior potência nacional de Futsal e, num segundo passo, Campeão Europeu.

Prometi aos Sportinguistas que esse dia iria chegar!... Consegui juntar uma equipa de trabalho que me ajudou bastante a cumprir a minha promessa. Essa mesma equipa foi preponderante na conquista dos títulos europeus de Hóquei em Patins, Atletismo, Judo e Goalball seguindo o desígnio de José Alvalade, que desejava que o Sporting fosse um "um grande Clube, tão Grande como os Maiores da Europa", .

Ao longo destes 20 anos travei muitas batalhas; a verdade é que o fiz sempre na defesa do nosso Clube, exigindo todo o respeito, inabalável e inquestionável, pelo Sporting Clube de Portugal, nunca me refugiando ou escondendo, porque é isso que o Sporting Clube de Portugal merece: a defesa intransigente – e permanente – do Clube!

Lutei sempre por um Sporting Clube de Portugal melhor e muito mais forte, com voz, com exigência e rigor nas suas modalidades.

Fi-lo até ao último dia e isso nunca ninguém irá conseguir apagar.

Quis o destino que um episódio estritamente da minha vida pessoal, – que não minimizo e jamais esquecerei -, com mais de três anos e do qual não me orgulho, tenha sido trazido de novo à praça pública. Um episódio que ‘renasceu’, um ano e meio depois de totalmente encerrado, "como se tivesse sido ontem", expondo a minha vida privada, servindo de mote para o fim de uma relação longa e vitoriosa.

Na memória ficam as amizades, algumas (poucas) para a vida; as derrotas, que me fizeram crescer e ter cada vez mais força mesmo quando ninguém acreditava; as conquistas, que rapidamente aprendi que são efémeras e que as devemos saborear – pois nunca sabemos quando teremos a próxima.

A partir de hoje sou apenas mais um sócio, dentro de uma família com mais de 3,5 milhões de "Leões".

Estarei sempre inteiramente disponível para ajudar o Sporting Clube de Portugal... porque nunca conseguirei retribuir ao Clube tudo o que o Clube me deu.

Hoje saio do Sporting Clube de Portugal, mas o Sporting Clube de Portugal jamais sairá de mim.

Obrigado Sporting Clube de Portugal, foi uma honra servir-te durante 20 anos!

Miguel Albuquerque

publicado às 20:30

img_920x518$2018_08_27_23_14_59_1440753.jpg

O Sporting CP anunciou que suspendeu o contrato de Miguel Albuquerque com efeitos imediatos. A decisão surge depois de o Correio da Manhã ter anunciado que o director-geral das modalidades do Clube, foi condenado a pena de prisão, suspensa, por violência doméstica.

Comunicado

"O Sporting Clube de Portugal vem por este meio comunicar que em virtude das notícias hoje vindas a público sobre o Director-Geral das Modalidades, Miguel Albuquerque, o seu contrato de trabalho encontra-se suspenso com efeitos imediatos".

Queremos crer que o Conselho Directivo tenha confirmado a condenação e não reagido apenas pelas notícias do acima referido jornal.

Isto não obstante, lamentamos imenso a ocorrência, tanto pelos problemas pessoais de Miguel Albuquerque como pela enorme perda de um muito competente dirigente, a quem as modalidades leoninas devem muito do seu sucesso.

publicado às 14:00

6a30025e-0a2c-4d67-aad9-cab57b038e47.jpeg

Em jogo da 17.ª jornada do Campeonato Nacional de hóquei em patins, o Sporting foi a casa do FC Porto perder por 6-0 na noite desta quarta-feira. Num duelo em que tudo correu mal, os leões registaram uma exibição que deixa muito a desejar.

Continua uma disputa renhida no topo da classificação com o Benfica agora a liderar com 43 pontos, seguido pelo Sporting com 40, FC Porto 39, Oliveirense 38 e o OC Barcelos com 37.

No rescaldo desta derrota, Miguel Albuquerque, director das Modalidades, teve isto para dizer:

“O que aconteceu aqui hoje nada tem a ver com o Sporting Clube de Portugal. Devemos todos ter a consciência disso. Principalmente quem hoje entrou dentro de campo com a camisola do Sporting CP vestida. Não honraram os nossos valores, nem a nossa história!

Temos de perceber, de uma vez por todas, que o título europeu conquistado na época passada foi muito importante, sem dúvida, mas já está no Museu há muito tempo. Faz parte do passado!!

Uma equipa com esta qualidade individual e com o investimento que esta modalidade tem, não pode, em menos de uma semana, ser eliminado da Liga Europeia e perder um jogo importante, como o de hoje, nas contas do título com resultados humilhantes! O Sporting CP e os Sportinguistas não merecem!

Esta equipa tem qualidade mais do que suficiente e todas as condições para continuar na luta pelo título nacional. Espero sinceramente que já no próximo encontro se lembrem do símbolo que têm ao peito, do que ele representa, e que, sobretudo alguns jogadores, controlem as suas atitudes dentro de campo.

Isto é o Sporting Clube de Portugal. Quem não entender isto, não pode estar aqui!”

publicado às 03:19

Miguel-Albuquerque-says-Sporting-wins-lead-to-fairNo rescaldo da final da Taça da Liga de futsal, Miguel Albuquerque - director geral das modalidades do Sporting - deu os parabéns ao adversário, mas criticou a actuação do árbitro da partida:

"Foi um grande jogo de futsal com a incerteza no marcador até ao fim. Parabéns ao SL Benfica porque conseguiu aproveitar melhor os erros do Sporting CP. Tinha dito que seria um jogo equilibrado e decidido em pormenores e assim foi mesmo. O Sporting esteve a um nível muito elevado e poderia ter vencido este encontro, mas há coisas que continuam a ser estranhas e a fugir ao nosso controlo.

Sporting e Benfica são as equipas que habitualmente chegam às finais e junta-se a eles um dos árbitros que está sempre nas grandes decisões. Hoje aconteceu aquilo que já tinha acontecido na fase regular do campeonato, na Luz, em que o nosso adversário, apesar de ter cinco faltas, nunca cometeu a sexta. É algo que é estranho, não é possível estar tantos minutos sem cometer a sexta falta e o que aconteceu neste jogo foi, mais uma vez, flagrante.

12_26.jpg

Há duas faltas claras sobre Cardinal e não percebo como não foi marcada a sexta, sendo que um dos intervenientes é sempre o mesmo. É inadmissível haver um árbitro que tem um processo disciplinar, que mentiu no relatório de um jogo de futebol de praia do Sporting e continua a arbitrar sistematicamente jogos do Clube verde e branco, esse é o prémio que ele recebe.

Podem considerar que falamos quando perdemos mas não é isso, falamos quando temos razões para isso. Não é admissível que esse senhor continue a arbitrar jogos do Sporting CP. Não é possível que a FPF continue a nomear para estes jogos esse senhor e escolha como cronometrista um árbitro internacional com uma qualidade enorme. Ainda assim, foi um grande jogo de futsal, parabéns ao SL Benfica. Perdemos por culpa própria e por erros próprios, mas não desvalorizem esta equipa que já ganhou e deu tanto ao Clube".

publicado às 09:43

diretorscp.jpg

No dia em que a equipa de futsal do Sporting foi considerada a melhor da década para a UEFA, Miguel Albuquerque, director-geral para as modalidades do Clube, aproveitou a presença no ‘Sporting Grande Jornal’ deste domingo, programa transmitido pela Sporting TV, para lembrar a importância deste feito e, depois disso, fazer um balanço do ano de 2019:

Ao longo destes anos, fomos desenvolvendo um trabalho sério que tinha como grande objectivo colocar o Sporting CP no topo da Europa do futsal. Fizemo-lo com todas as adversidades que nos foram colocadas, mas a verdade é que nunca perdemos o foco no nosso grande objectivo: ganhar a UEFA Futsal Champions League. Mais tarde ou mais cedo, todos sabíamos que este dia acabaria por chegar. (…) Esta é uma distinção muito importante para o Sporting CP, para o futsal nacional e para o desporto em Portugal.

É um ano único. São sete conquistas europeias. Não sei se há algum clube no mundo que se possa gabar de um feito destes. Temos que ter orgulho no que conquistámos e no que fazemos. Sete títulos europeus em apenas um ano é algo inesquecível.

Apesar disso, não podemos esquecer que nem só de coisas positivas foi feito o ano. Não conquistámos nenhum título nacional quando na época anterior tínhamos conseguido quatro. Foi uma mudança de paradigma grande e não podemos esquecer que, já este ano, falhámos o acesso à final four da UEFA Futsal Champions League. Tínhamos mais do que a obrigação de marcar presença nessa fase. Ainda assim, temos de olhar para as coisas boas e más que fizemos para perceber que há muito a melhorar e tanta coisa boa que ainda pode acontecer.

Em cinco modalidades de pavilhão, três lideram os seus campeonatos e duas estão na vice-liderança, a apenas um ponto do primeiro lugar. Todas as outras modalidades, como o atletismo, continuam competitivas. O judo, por exemplo, continua a conquistar títulos e a natação, há duas semanas, conseguiu os melhores resultados de sempre nos campeonatos nacionais. Ou seja, as modalidades verdes e brancas continuam fortes. O Sporting é isto mesmo e queremos manter esta vitalidade. Ainda assim, isso só pode ser alicerçado numa coisa: títulos.

Que o Sporting continue na ribalta do desporto nacional, que continue a ser competitivo em todas as modalidades, que encontre o seu equilíbrio e que continue a dar tantas alegrias como tem dado aos Sócios, não só nestas modalidades, mas também no futebol”.

publicado às 05:00

img_920x518$2019_03_17_18_59_25_1519044.jpg

Miguel Albuquerque, Director Geral das Modalidades do Sporting CP, reagiu à derrota da equipa de futsal no último jogo da Ronda de Elite da UEFA Futsal Champions League e consequente eliminação da prova:

"Quando viemos, disse que não podíamos esconder a ambição que tínhamos de voltar a marcar presença na Final Four e disse também que se não o conseguíssemos seria um falhanço nosso. De facto, falhámos. Tínhamos a obrigação de marcar presença na Final Four. Esta equipa preparou-se para isto e não conseguimos. Não temos de ter medo de assumir que falhámos um grande objectivo. Nos últimos três anos estivemos sempre presentes na final four e esse continuava a ser o nosso objectivo.

Há que olhar para os erros que cometemos e para a forma como fomos eliminados aqui. Acho que o Sporting é claramente superior ao MFK Tyumen. Não o foi neste jogo, mas é claramente superior. Tínhamos a obrigação de passar à Final Four. Falhámos e temos de olhar para o futuro, que passa pelas competições nacionais. Já ganhámos a Supertaça e temos Liga, Taça da Liga e Taça de Portugal. É nisso que nos temos de focar agora sem nunca nos esquecermos do que fizemos aqui e do falhanço que tivemos hoje".

publicado às 04:02

Comunicado de Miguel Albuquerque sobre a final do playoff de futsal, em geral, e o terceiro jogo disputado este domingo - que o Benfica venceu por 4-3 -, em particular:

"A vitória meritória do Sporting Clube de Portugal no primeiro jogo da final fez soar os alarmes. A possibilidade de ver o Sporting CP alargar e reforçar o domínio do futsal português com a conquista do inédito tetra assusta muita gente, até aqueles cujo papel passa pela defesa desta modalidade que tanto nos apaixona.

O que se tem vindo a passar desde esse primeiro jogo ultrapassa qualquer limite daquilo que julgamos ser aceitável. Não queremos, até porque não faz parte da nossa maneira de estar, branquear de modo algum os nossos próprios erros, mas não podemos aceitar a gritante dualidade de critérios verificada, sobretudo, nos jogos 2 e 3.

No jogo dois, o primeiro golo do Benfica só acontece porque Cardinal foi claramente empurrado quando tentava fazer barreira. Ainda no mesmo jogo, Cardinal foi agredido a murro por Miguel Ângelo, que continuou em campo como se nada tivesse passado.

Hoje, no jogo 3, Dieguinho é expulso por alegada agressão a Robinho, quando é evidente - pelas imagens a que todo o país teve acesso - que é o jogador do Benfica quem agride, com o braço, o nosso atleta. Fica ainda a curiosidade de ter sido o árbitro que estava com menos visão do lance a decidir-se pela expulsão depois de vários minutos de indecisão.

Antes disso, o primeiro golo do Benfica nasce de um corte com a mão de Fernandinho, o  mesmo jogador a quem foi perdoado o segundo amarelo, e a consequente expulsão, depois de ter atingido, com a mão, a cara do nosso jogador Erick.

Mais. Aguardamos para perceber se a Federação Portugesa de Futebol mantém mão firme quanto aos castigos depois de mais uma vergonhosa actuação dos grupos ilegais de adeptos do Benfica, que, para além de entoarem, insistentemente, cânticos alusivos à morte de dois adeptos do Sporting CP, interromperam o jogo uma mão cheia de vezes, atirando plásticos para a quadra. Não esquecer que o Pavilhão João Rocha foi punido com 4 jogos de castigo devido a cânticos homofóbicos.

Mas o melhor (pior) estava ainda para vir. Quando pensávamos que nada mais nos podia surpreender, eis que nos deparamos com mais um acto de vandalismo de um tal grupo de adeptos ilegais, mas organizados, que se deslocaram até ao Estádio José Alvalade e a entrada do multidesportivo de Alvalade, tentaram agredir os nossos atletas!

Ora, depois de tudo isto, quase que podemos prever o que se vai passar no jogo 4. Com o fim da Euro Winners Cup, nas bonitas praias da Nazaré, e com mais uma dupla de arbitragem disponível, vem-nos à memória o jogo 3 da final da temporada passada, em que três dos nossos jogadores e o nosso treinador foram expulsos e que tudo foi feito para que saíssemos derrotados.

Temos de melhorar em campo, mas fora de campo muitas movimentações para impedir um inédito Tetra no mesmo ano que vencemos a Liga dos Campeões."

publicado às 12:00

 

miguelalbuquerque3.jpg

 

O antigo jogador e treinador de futsal do Benfica, André Lima, criticou os cânticos de jogadores e adeptos do Sporting, em referência ao clube da Luz, durante os festejos da conquista da Liga dos Campeões.

 

Miguel Albuquerque, director-geral das modalidades do Sporting, respondeu:

 

«Tentaram desvalorizar esta fantástica conquista europeia, empolando um cântico de dez segundos de uma festa que durou dois dias.

 

O André Lima foi um excelente jogador, foi capitão da equipa do Benfica, capitão da Selecção Nacional, é um dos jogadores mais internacionais, tenho um respeito enorme por ele por tudo o que ele representou para o futsal português, mas nunca o vi condenar os cânticos com assobios em alusão do very light disparado na final da Taça de Portugal de 1996.

 

E também nunca vi esse outro pavilhão ser interditado, ao contrário do que aconteceu com o nosso. Quanto ao resto, recordo-me que o Benfica foi campeão europeu em 2010 e o treinador se chamava Sónia Teixeira [n.d.r. integrava a equipa técnica de André Lima, mas era, formalmente, a treinadora principal], que é agora a treinadora das juniores femininas do Sporting".

 

publicado às 04:33

 

UEFA_Futsal_Cup.png

 

Miguel Albuquerque, director-geral para as modalidades do Sporting CP, falou à imprensa sobre a competição que se irá disputar durante esta semana, a UEFA Futsal Champions League:

 

"De ano para ano voltamos com uma ambição renovada e com o pensamento que cada ano há-de ser sempre diferente. Nas últimas duas edições chegámos à final. A ambição é sempre a mesma: vencer.

 

A última vez que jogámos com o Inter que não numa final da Champions foi numa fase de grupos e conseguimos eliminá-los. Mas isto são estatísticas e probabilidades. Dentro de campo é que conta e temos de ser mais competentes que os outros.

 

57538093_10155880210426923_7227580985867501568_o.j

Equipa a caminho do Cazaquistão

 

Este é o grande momento da época e acredito na vitória. Vamos lá tantas vezes que um dia temos de conseguir.  Acredito mesmo que dia 29 vamos voltar com a Taça.

 

No desporto passamos muito pouco tempo a festejar vitórias . E conseguir uma vitória nesta competição é extraordinário. Temos de pensar que conseguimos chegar a este patamar e não sabemos quando podemos regressar. Temos de nos focar naquilo que é o nosso objectivo e esse é regressar com a Taça dos Campeões Europeus.”

 

publicado às 03:03

Reflexão do dia

Rui Gomes, em 13.04.19

 

miguelalbuquerque1.jpg

 

Miguel Albuquerque, director geral para as modalidades, à margem do Sporting Summit que  tem estado a decorrer em Alvalade, foi instado a comentar as notícias que dão conta do investimento de 20 milhões de euros nas modalidades do Clube, durante o consulado do ex-presidente destituído:

 

"Investimento elevado? Só posso saber se é elevado ou curto se comparar com os outros… Quando os outros clubes mostrarem o investimento deles, poderemos comparar.

 

Acho é que as modalidades do Sporting são vencedoras. Isto é como quando compramos um carro, podemos comprar um Mercedes ou um Renault...

 

Já que quiseram mostrar o nosso investimento, mostrem o dos outros e comparamos. Se têm o mesmo investimento mas não revelam? Se calhar têm maior…".

 

publicado às 04:31

 

41780593_2277267952300483_4037119995241562112_n.jp

 

Miguel Albuquerque publicou este domingo um extenso post na sua página de Facebook do Sporting, a descrever em mais detalhe o incidente do passado sábado no Dragão Caixa e a apontar o dedo a quem ele considera os "verdadeiros culpados" das agressões:

 

"No seguimento dos lamentáveis episódios ocorridos este sábado, dia 16 de Março de 2019, no Dragão Caixa, e porque quis deixar passar o jogo de Andebol deste domingo para poder falar sobre este assunto para que não pudesse ser acusado que acicatar os ânimos para o jogo, pretendo deixar bem claro o que se passou. Deixo ainda algumas notas sobre o vergonhoso incidente, apontando o dedo aos verdadeiros culpados do sucedido".

img_920x519$2019_03_18_07_57_19_1519558.jpg

(Mulher de Miguel Albuquerque)

 

O texto, na íntegra, está disponível aqui.

 

publicado às 03:47

 

img_920x518$2019_03_16_20_06_36_1518544.jpg

 

Miguel Albuquerque, director para as modalidades do Sporting, considerou ter sido uma "vergonha" aquilo que se passou no Dragão Caixa, falando mesmo de agressões que se estenderam também a quem estava consigo e com Nuno Dias na zona VIP.

 

Segundo Miguel Albuquerque, o agressor é "facilmente identificável", pois estava com uma camisola portista e foi expulso do pavilhão por Adelino Caldeira, administrador da SAD portista:

 

"Gostava de estar aqui para falar das melhores razões possíveis, mas é impossível estar aqui para falar de hóquei em patins. É a segunda vez que venho ao Dragão Caixa e o que se passou hoje nunca se tinha passado na minha vida em 20 anos de alta competição. Estar acompanhado do treinador de futsal do Sporting Nuno Dias, ser agredido verbalmente durante toda a primeira parte sem a presença de um elemento das forças de segurança.

 

É incompreensível ter sido agredido, é incompreensível agredirem senhoras que estavam connosco. É uma vergonha o que se passou aqui hoje. As pessoas que andam no desporto devem pensar no caminho que querem para o hóquei em patins português. O que se passou fora de campo é lamentável. A pessoa que agrediu é facilmente identificável, tinha uma camisola do FC Porto. Perguntem a Adelino Caldeira, que a colocou fora do pavilhão"

 

publicado às 04:18

Miguel Albuquerque neste caso falhou

Rui Gomes, em 28.08.18

 

img_920x518$2018_08_26_23_00_09_1440417.jpg

 

Sou um dos muitos admiradores de Miguel Albuquerque, pelo fantástico trabalho que ele tem feito com o futsal leonino. A sua honorabilidade e competência como homem e dirigente, não estão minimamente em questão.

 

No caso que aqui abordamos, acho que falhou na sua tomada decisão em associar-se publicamente à candidatura do Dr. Frederico Varandas. No debate deste domingo, foi acusado de ter infrigido as regras do Clube por José Maria Ricciardi. Foi Ricciardi, mas até podia ter sido qualquer outro candidato. Miguel Albuquerque reagiu com indignação via comunicado:

 

"Face às graves declarações do candidato à Presidência do Conselho Directivo do Sporting Clube de Portugal, José Maria Ricciardi, no debate de hoje na Sporting TV, venho esclarecer o seguinte:

1. Assumi uma posição pública relativamente ao meu posicionamento para o acto eleitoral do próximo dia 8 de Setembro, tendo marcado presença num jantar de campanha da Lista D, no passado dia 20 de Julho, durante o gozo das minhas férias; 

2. A Comissão de Gestão do Sporting Clube de Portugal emitiu uma circular interna, posteriormente, no dia 1 de Agosto, na qual ACONSELHOU os funcionários a terem uma posição equidistante do processo eleitoral. 

3. Desde esse momento, não participei em qualquer acção de campanha nem proferi qualquer declaração pública relacionada com o acto eleitoral em questão;

4. É, portanto, falso que esteja a desobedecer a qualquer indicação da minha entidade patronal, tal como é mentira que alguém da Lista D esteja a infringir ou a desrespeitar qualquer indicação do Sporting Clube de Portugal, como José Maria Ricciardi tentou fazer crer hoje!

5. Não permito, nem nunca permitirei, que José Maria Ricciardi, ou outra pessoa qualquer, utilize o meu nome de forma caluniosa, muito menos para enganar os Sócios do Sporting Clube de Portugal;

6. Lamento ter de fazer um post destes depois de termos vencido brilhantemente a Masters Cup em futsal, que se disputou em Portimão, mas se há coisa que nunca deixarei passar em claro é a mentira!"
 
A acima referida acusação "mentirosa" não passa de uma mera tecnicalidade, em que não existem regras no Clube a proibir funcionários e/ou dirigentes no activo de se associarem a candidaturas.
 
O comunicado da Comissão de Gestão a aconselhar os funcionários do Sporting a  "terem uma posição equidistante do processo eleitoral" nem devia ser necessário. Bom senso claramente aponta para essa postura, sem regras ou recomendações.
 
Miguel Albuquerque exagerou com esta sua reacção. Teria sido suficiente uma simples explicação, mas com ou sem esta, nada altera o facto que ele assumiu uma posição que não sendo grave é, minimamente, insensata.
  

publicado às 03:24

 

futsalinterscpEPA.jpg

 

Refiro deliberadamente que Miguel Albuquerque, director do futsal leonino, 'comentou' o negócio que viabilizaria a transferência de Ricardinho para o Sporting, dado que, na realidade, contrário às manchetes desta segunda-feira, o dirigente não explicou os exactos contornos do negócio, deixando omisso qualquer indicação sobre os respectivos valores:


"Não foi mera especulação, foi um interesse real. Pela relação pessoal que tenho com as pessoas do Inter Movistar, as primeiras conversas foram com eles, por respeito e depois com o Ricardo e os seus representantes. Foi um interesse muito real.

 

Ele só não é jogador do Sporting - até havia acordo do ponto de vista da proposta - porque o Ricardo queria que os valores fossem por dois anos e o Sporting só estava disponível para dar esses valores ao longo de três. Face ao investimento - e não era nada dos valores que apareceram na comunicação social -, queríamos que o contrato fosse de três anos e os representantes do Ricardo disseram que eram valores muito próximos do que ele ganhava em Espanha. Foi um interesse real mas não chegámos a acordo. Amigos como dantes".

 

Miguel Albuquerque merece todo o meu respeito e não pretendo duvidar da sua palavra, mas parece-me que há aqui algo que não está muito bem explicado. Nomeadamente, a parte referente aos representantes de Ricardinho terem dito que os valores oferecidos pelo Sporting eram muito próximos do que ele ganha em Espanha, quando o próprio jogador, em recém-entrevista, declarou que o Sporting ofereceu-lhe "quase cinco vezes mais" do que ele ganha actualmente.

 

Esta, uma das suas declarações na altura em que foi informado da proposta do Sporting:

 

"Não estamos acostumados a estes números no futsal. Se fosse uma proposta baixa nem sequer pensaria sair, porque estou na melhor equipa do mundo, mas estamos a falar de números que nunca se vão voltar a ver nesta modalidade. Isto tem de ser valorizado e ser bem pensado".

 

Recorde-se que além dos valores inerentes ao contrato do atleta, o Sporting teria ainda de pagar 1,5 milhões de euros ao Inter Movistar, dado que o têm assinado até 2020.

 

Compreende-se a intenção do Sporting em termos dos seus objectivos europeus, mas não sei se justifica tão enorme investimento, tendo em conta a natureza da modalidade.

 

publicado às 04:59

 

naom_57642b02bd70c.jpg

 

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol anunciou, esta sexta-feira, a suspensão de Miguel Albuquerque - director da secção de futsal do Sporting - por 16 meses, por agressão ao jogador do Benfica, Bruno Coelho.

 

Este caso remonta ao segundo jogo da final da época passada, que o Benfica venceu, realizado no Pavilhão Multiusos de Odivelas.

 

O dirigente leonino já estava a cumprir ‘castigo’ desde 17 de Junho deste ano, 4 dias depois de ter entrado em vias de facto com o jogador, mas, no caso, por expressões e gestos dirigidos ao público do encontro.

 

Além da suspensão, Miguel Albuquerque sofreu uma multa pecuniária no valor de 408 euros.

 

Não se sabe neste momento se o Sporting vai recorrer da decisão, mas Bruno Saraiva - director de comunicação - emitiu um extenso comunicado:

 

"Campanha "Free Willy" - deixem o Bruno Coelho jogar !

 

Castigo de 16 meses para Miguel Albuquerque versus 1 jogo de castigo para Bruno Coelho

 

Factos:

 

1. Não existem imagens que comprovem nenhuma das acusações feitas pelo delegado.

 

2. O relatório do delegado tem uma força que, cada vez mais, se fica a perceber porque eram incluídos nos vouchers - hoje, que foi dia de inauguração da Rotunda Almirante Pinheiro de Azevedo, eu diria que a sua "força probatória" é um pouco 'pidesca' demais.

 

Algumas memórias:

 

1. O Presidente do Sporting CP no play-off do ano passado foi, como sempre, ao balneário da equipa ao intervalo. Para o fazer teve de passar pela segurança, que não o impediu, e pelos delegados que nada disseram. De certeza que por alguma azia do que comeram, o Presidente acabou por, de forma ridícula, ser castigado.

 

2. Num célebre jogo Sporting CP - Gil Vicente, em futebol, o delegado decidiu escrever que houve injurias do Presidente do Sporting CP dirigidas a um elemento do Gil Vicente. Durante as inquirições ambos os clubes disseram não ser verdade e o suposto "agredido" verbalmente garantiu que nada tinha acontecido. A solução foi dizer-se que o testemunho desta pessoa não era credível e, por isso, a decisão foi castigar o Presidente do Sporting CP.

 

Resolução Miguel Albuquerque:

 

Perante este cenário dantesco da justiça desportiva a melhor opção é confessar... Mesmo que não seja como se diz, a confissão permite a redução de um castigo para metade, mesmo que não fosse merecida qualquer punição. Estamos a falar de um intervalo entre 12 a 60 meses.

 

E assim foi, uma confissão para ter o castigo mínimo que, reduzido a metade, daria meio ano de afastamento. Decisão 24 meses!!! Que, reduzidos a metade, dá uma absurda suspensão de 1 ano!!! Mas não fica por aqui, pois não era suficiente para os intentos, vá lá perceber-se de quem. A este ano somam-se ainda mais 4 meses por injúrias ao pobre atleta Bruno Coelho.

 

Resolução Bruno Coelho:

 

Como todos sabemos, o desporto existe porque existem adeptos. Sem eles esta indústria morria. O respeito por eles deve então ser total. Muito se fala dos artistas mas, para haver artistas, tem de haver dinheiro. E, para haver dinheiro, tem de haver público.

 

Um comportamento de desrespeito para com o público deveria ser alvo de penas muito pesadas. Aqui começa logo a contradição: o castigo apenas varia de 1 a 4 jogos. Bruno Coelho ofendeu, injuriou, fez gestos obscenos, mas isso não é relevante para este Conselho de Disciplina. Decisão: 1 jogo de castigo para dizer nenhum, pois quem manda as pessoas irem ver os jogos? Deviam era ficar em casa pois os "artistas" é que importam.

 

Depois havia que analisar as injúrias de Bruno Coelho dirigidas a Miguel Albuquerque. Ai o castigo variava de 4 a 10 jogos. Decisão: 0! Nem estavam no relatório... Mas até tem a sua lógica pois Bruno Coelho já não tinha mais palavrões no seu léxico e as suas mãos já tinham esgotado todas as formas obscenas possíveis e imaginárias. Perante isto, Bruno Coelho preferiu fazer como o Bruxo Alexandrino e, à frente de Miguel Albuquerque, permaneceu "firme e hirto como uma barra de ferro". Ele não agrediu, ele não injuriou, quase um santo.

 

Uma vergonha num momento tão importante para o futebol e o desporto a nível geral, em que a modernização e credibilização são fundamentais.

 

Resta lembrar ao Bruxo Alexandrino foi dado o cognome de "pantomineiro".

 

Depois de tudo isto dizemos: deixem jogar o Bruno Coelho! Para quê ofuscar tamanho talento e um homem cuja sensibilidade e carinho ficou tão patente perante as suas atitudes para com o público leonino em geral e Miguel Albuquerque em particular ?

 

Vamos libertar as "orcas" que vivem em cativeiro. "Free Willy" será o nosso slogan de campanha, com a finalidade de deixar Bruno Coelho jogar. Ele merece !"

 

publicado às 03:35

 

09_10_026_destaque_noticias_ma.jpg

 

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol abriu um inquérito disciplinar e suspendeu preventivamente Miguel Albuquerque, director da secção de futsal do Sporting.

  

Em causa está a alegada agressão ao ala do Benfica, Bruno de Coelho – também ele suspenso preventivamente – após o segundo jogo da final de futsal, que os ‘encarnados’ venceram por 2-1. Ambos não participaram no terceiro encontro realizado no reduto "encarnado".

 

O CD invoca o artigo 115 do Regulamento Disciplinar da FPF, que se refere a “ofensas corporais”, para justificar o inquérito disciplinar ao dirigente.

 

Também o Sporting foi alvo de um inquérito disciplinar motivado pela alegada emissão de bilhetes em número superior à lotação do pavilhão, o que, a confirmar-se, poderá resultar numa suspensão entre um e três jogos.

 

publicado às 11:00

Parabéns Miguel Albuquerque

Rui Gomes, em 24.11.14

 

miguel_albuquerque_futsal.jpguntitled.png

 

Com dirigente de futebol que fui durante tantos anos, sinto enorme respeito e admiração pelo responsável pelo futsal do Sporting, Miguel Albuquerque. Com o sucesso do seu dirigismo amplamente provado, este "rapaz", caso estivesse no futebol, seria considerado um autêntico génio.

 

Como é do conhecimento geral, o Sporting foi responsável pela organização do Grupo A da Ronda de Elite da UEFA Futsal Cup. Entre muitas outras actividades, foi realizado um almoço de confraternização a bordo do MCS Poesia, um navio de cruzeiro com 293 metros ancorado no Porto de Lisboa, que juntou representantes da UEFA, equipas em prova e parceiros.

 

No ambiente requintado do transatlântico, o delegado da UEFA, Kim Robin Soimer, teve isto para dizer:

 

«Já presenciei muitos torneios e quero dizer que esta é, sem dúvida, das melhores organizações a que já assisti. O Sporting está de parabéns por ter conseguido isto, sabendo-se o quão difícil é coordenar um evento desta envergadura.»

 

Respondeu Miguel Albuquerque:

 

«É sempre bom ouvir elogios, mas é também algo que nos responsabiliza para organizações futuras, porque colocamos a fasquia tão elevada que começa a ser difícil superarmo-nos.»

 

Não tenho o mínimo de dúvida que Miguel Albuquerque enfrentará desafios futuros com a mesma competência com que tem vindo a dirigir o futsal do Sporting. Parabéns... ainda pelo apuramento para a "Final 4", e até consta que o Sporting se vai candidatar para organizar a prova.

 

Adenda: Miguel Albuquerque já confirmou que o Sporting é candidato a organizar a "Final 4", com os jogos a serem disputados na Meo Arena, pavilhão multiusos situado no Parque das Nações, em Lisboa, a exemplo, aliás, do que aconteceu em 2010 quando o Benfica se sagrou campeão europeu.

 

publicado às 05:07

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Cristiano Ronaldo