Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Uma vitória importante !

Rui Gomes, em 12.08.18

 

Moreirense-vs-Sporting-Prognstico-Liga-NOS-600x300

 

Por várias razões, uma vitória muito importante que o Sporting conseguiu na visita a Moreira de Cónegos, para abrir o campeonato de 2018/19.

 

O Sporting alinhou de início com Romain Salin; Ristovski, Coates, Mathieu e Jefferson; Nani, Petrovic, Battaglia e Acuña; Bruno Fernandes e Bas Dost.

 

Suplentes:  Luis Maximiliano, André Pinto, Montero, Raphinha, Misic, Bruno Gaspar e Jovane Cabral.

 

*Viviano lesionou-se no aquecimento. Matheus Pereira e Carlos Mané ficaram de fora.

 

OriginalSize$2018_08_12_08_32_51_1435298.jpg

  

Mais uma grande exibição de Bruno Fernandes que empatou o jogo aos 16', depois de Heriberto ter inaugurado o marcador aos 6'. Sem deslumbrar, boas exibições de vários jogadores leoninos. Bas Dost começa a época a fazer o que ele faz melhor, marcar golos (2).

 

Nota de relevo para Raphinha e Jovane Cabral que entraram muitíssimo bem no jogo e tiveram influência no resultado final.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:27

Visita a Moreira de Cónegos

Rui Gomes, em 10.08.18

 

38824974_2486985941339801_1591946430174461952_n.jp

Bilhetes esgotados em Alvalade

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:30

Foto do dia

Rui Gomes, em 15.05.18

 

img_FanaticaBig$2018_05_15_13_00_17_1398372.jpg

 

No final do Benfica-Moreirense (1-0) e numa altura em que os jogadores do Benfica comemoram o 2.º lugar, o árbitro assistente Pedro Felisberto foi à bancada dar um beijo apaixonado à mulher que tinha um cachecol das águias. Este, o incidente que já tinha sido referido pelo nosso leitor Mike, num outro post desta terça-feira.

 

É evidente que um beijo é um beijo, mas sendo inocente, será importante recordar a história da Mulher de César...

 

No mínimo, um acto de insensatez grosseira de Pedro Felisberto. Isso, ou arrogância desmedida.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:50

 

mw-860.jpg

 

Este breve escrito é num contexto totalmente independente da derrota do Sporting frente ao Marítimo, na Madeira. Como tal, não visa atenuar de modo algum a desfalecida exibição a que assistimos.

 

Não assisti ao jogo do Benfica, como é natural, e nem sequer tenho opinião alguma sobre a exibição encarnada. Achei um resultado algo "magro" perante um Moreirense, na Luz, num jogo tão decisivo, mas o desfecho foi obviamente favorável, coincidentemente, para as duas equipas. Disse Petit, técnico da equipa de Moreira de Cónegos, ... "nunca festejei tanto uma derrota".

 

Deparei com este comentário de jornalista, integrado numa crónica do jogo:

 

"Foi isso que o Benfica jogou, esta tarde, na Luz, para conseguir o 2º lugar na Liga 2017/18: nem muito, nem pouco. Mesmo que a vitória tenha valido (impressionantes) €40 milhões, em caso de qualificação para a fase de grupos da Liga dos Campeões da próxima época (antes ainda tem de disputar a a pré-eliminatória).

 

Pormenorizando: "pouco" não foi, porque o Benfica, jogando em casa, assumiu as despesas do jogo, tendo mais bola, mais remates e mais ataques. Mas "muito" também não foi, porque, apesar de tudo isso, o Benfica foi sempre pouco criativo, pouco intenso e, a certas alturas, até pouco interessado num jogo que valia tanto para o clube".

 

"O Benfica foi a certas alturas até pouco interessado num jogo que valia tanto para o clube"... Sendo verdade, parece então que não é a atitude colectiva dos jogadores leoninos a única questionável. Claro, estes não tiveram o benefício de uma grande penalidade para resolver a contenda.

 

Vi o vídeo do lance em questão - curiosamente, as imagens focam mais a execução da grande penalidade do que a falta assinalada por Fábio Veríssimo. Uns árbitros assinalam, outros não. Somos obrigados a aceitar a decisão.

 

Só lamento que as duas mãos de Pizzi não tenham sido alvo de semelhante critérios.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:17

Mas que Sporting é este ?

Rui Gomes, em 26.02.18

 

prediksi-primeira-liga-portugal-2016-sporting-cp-v

 

Ganhou-se o jogo, é verdade, com muita sorte à mistura, mas este Sporting é quase irreconhecível, e não apenas pela ausência dos jogadores poupados por Jorge Jesus, com o jogo de sexta-feira em mente.

 

Bruno Fernandes, grande jogador que é, talvez tenha feito a sua pior exibição de "leão ao peito". Petrovic a ser expulso injustamente, apesar de estar a fazer pouco ou nada no relvado. Fredy Montero andou a "ver navios" e Gelson Martins, depois de marcar o golo vitorioso, comete a estupidez de tirar a camisola, para o segundo amarelo, e falhar o jogo com o FC Porto.

 

Enfim... vou deixar a análise com os leitores. A esta hora e depois do triste espectáculo a que assistimos, não tenho paciência para mais.

 

Onze do Sporting: Rui Patrício; Battaglia, André Pinto, Coates e Acuña;Petrovic, Bruno Fernandes, Gelson Martins e Bryan Ruiz; Fredy Montero e Doumbia.

 

Suplentes: Salin, Lumor, Rúben Ribeiro, Bruno César, Misic, Wendel e Rafael Leão.

 

De fora ficaram William Carvalho, Cristiano Piccini, Fábio Coentrão e Ristovski, além do lesionado Bas Dost e do castigado Mathieu.

 

Nota: Não me apercebi que os adeptos assobiaram a equipa na segunda parte, e isso condeno veemente, hoje e sempre.

 

Também para ser um pouco mais justo na crítica, segundo Jorge Jesus, Ristovski, Piccini, Fábio Coentrão, Palhinha, William, "todos com um ataque gripal e Doumbia que jogou meio abanado e com febre, mas tinha de ir para o jogo".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:58

Convocatória para "inglês ver"...

Rui Gomes, em 26.02.18

 

28378381_10155086449176555_8115472131633939502_n.j

 

Começa por convocar 21 jogadores para um jogo em casa, sabendo-se muitíssimo bem que é desnecessário e que três da lista vão para a bancada.

 

Nada menos do que 10 médios, se é que consideramos Gelson Martins e Acuña médios, e no dia que convoca tanto Wendel como Misic, também chama Petrovic, um jogador que conta para pouco ou mesmo nada.

 

Como já se esperava, Bas Dost fica fora por lesão. Também haviam dúvidas sobre a condição física de Piccini e, com ele fora, surpreende que o seu usual substituto, Ristovski, também tenha sido preterido. Salvo Lumor jogar nas duas laterais, será mais uma vez Bruno César a "tapar buracos". Jéremy Mathieu cumpre um jogo de castigo, depois da expulsão frente ao Tondela.

 

João Palhinha terá desapontado o técnico no último jogo e nem sequer foi convocado.

 

Em princípio, será Doumbia na frente do ataque, ficando à imaginação de cada um quem o vai acompanhar.

 

Sebastián Coates e Bruno Fernandes estão a contas com 'amarelos', com 4 cartões cada.

 

O árbitro da partida é Tiago Martins.

 

P.S.: Consta que Battaglia também se adapta a lateral. Uma outra alternativa para o lado direito.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:23

 

duarte_gomes_900.jpg

 

Semana a semana, a ter início esta segunda-feira, Duarte Gomes passa a analisar lances e temas relacionados com o campeonato português, nas edições de Bola Branca, na Rádio Renascença.

 

Nesta sua primeira participação, aproveita os erros de arbitragem do empate (1-1) que, no sábado, ditou o atraso do Sporting na tabela classificativa, para esclarecer que o vídeo-árbitro não tem permissão para intervir em todos os lances de um jogo de futebol. O vídeo-árbitro só poderia ter intervido em um dos três lances que causaram polémica no Moreirense-Sporting, precisamente numa grande penalidade que ficou por assinalar a favor dos leões.

 

Não há fora-de-jogo dos cónegos

 

"Se Tozé estivesse em franca posição de fora-de-jogo, nunca deveria ser punido na mesma, porque nem jogou a bola, nem interferiu sobre qualquer adversário. A posição do Tozé era irrelevante. Zizo, que levou a bola, vem completamente de trás. A jogada é legal, portanto houve um erro do árbitro assistente, em que o vídeo-árbitro nada podia fazer.

 

Em situações de fora-de-jogo que não resultem directamente, por exemplo, em golo ou em pontapés de penálti, o vídeo-árbitro não pode intervir e aqui nunca podia fazê-lo".

 

Empate precedido de ilegalidades

 

No golo do empate leonino, o lance foi legal, embora seja precedido de um pontapé de canto ferido de ilegalidade. Piccini empurrou, com as duas mãos, o defesa Rúben Lima. Além disso, ainda foi o último jogador a tocar na bola. Portanto, se não fosse considerada a falta atacante, seria sempre pontapé de baliza para o Moreirense. Houve um erro da equipa de arbitragem e também aqui é fundamental referir que o vídeo-árbitro não podia intervir. Nas situações de recomeço de jogo, à excepção de algumas circunstâncias nos pontapés de penálti, os vídeo-árbitros não podem intervir".

 

Grande penalidade passa em claro

 

"O lance em que o vídeo-árbitro deveria ter, efectivamente, entrado em jogo, foi nos descontos, numa grande penalidade que ficou por assinalar a favor do Sporting. O lance era de análise quase impossível em campo e competia ao VAR ver a ilegalidade.

 

O Sporting fazia o seu ataque pela esquerda, era aí que estava o foco do árbitro Luís Godinho, e no centro da área, quando procurava a melhor posição, o Doumbia foi agarrado pela camisola por um defensor do Moreirense. Na televisão, apesar de não haver grandes repetições sobre este lance, o penálti é claro. O puxão começa de fora e termina dentro e, nesta circunstância, é aí que deve ser penalizado. O lance passou despercebido ao árbitro e ao árbitro assistente, que estavam a acompanhar o fora-de-jogo. Portanto, a única pessoa que poderia ter aqui ajudado, aqui sim, seria o vídeo-árbitro".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:46

Jorge Jesus é um optimista

Rui Gomes, em 24.09.17

 

mw-860.jpg

 

Excelente crónica de Pedro Candeias, jornal Expresso, sublinhando muito do que está à vista e que já foi comentado pelos leitores sobre as opções de Jorge Jesus em Moreira de Cónegos. Claro, 'está à vista' de todos menos de Jorge Jesus, que não vê - o mais provável - ou é impedido de ver, pelo seu ego e casmurrice:

 

Como é óbvio, Jorge Jesus é um optimista. Só um optimista pode achar que as coisas lhe vão correr bem, sim senhor, mesmo que tudo tenha acabado de lhe correr mal - como no Benfica, quando perdeu três competições e voltou no ano seguinte, e no ano depois desse, para ganhar.

 

E só um optimista como ele pode achar que é possível ganhar jogos em Moreira de Cónegos - de todos os lugares, o mais próximo que há de um campinho de batalha no futebol tuga - só com um trinco como William, um médio como Bruno Fernandes, dois alas como Bruno César e Gelson, e dois avançados como Bas Dost e Alan Ruiz. Nenhum deles é mau de bola da mesma forma que nenhum deles é rapaz para grandes correrias e batalhas como, bom, Battaglia é.

 

De todos eles, Ruiz é o menos dado a coisas do corpo-a-corpo, e por aqui também se explica a pouca intensidade que o Sporting pôs na primeira-parte. Com Battaglia no banco e Acuña a descansar para a Champions, Jesus quis atacar o jogo com muitos artistas e poucos artesãos, e deu-se mal.

 

O meio-campo foi sempre um território explorado residualmente, e nem trocando os extremos (Gelson à esquerda e Bruno César à direita) os sportinguistas foram capazes de combinar, ligar pontinhos, fazer jogadas, ou mesmo de controlar o adversário quando este ultrapassava a frágil zona de pressão para se chegar à frente; enfim, e resumindo, o Sporting não foi capaz de jogar o futebol que já jogara este ano.

 

A isto somou-se a evidente baixa de forma de Gelson, que resolvia sozinho o que dois não conseguiam, e os disparates crónicos de Piccini, que continua a correr como um jogador de râguebi dos anos 90 com uma bola nos pés. Naquele instante em que Rafael Costa disparou para Rui Patrício e o golo apareceu antes do intervalo, ficou claro que Jesus teria de puxar orelhas no balneário e pôr sangue fresco, ou quente, vá, na segunda-parte.

 

E então entrou o enérgico Doumbia para o lugar do dandy Ruiz, e o Sporting cresceu a espaços e chegou ao empate num lance caricato; mas os auto-golos também contam e este entra directamente para a contabilidade dos mais disparatados do ano: o guarda-redes defendeu para os pés do defesa e, pronto, já está. Mas se acha que isto foi o suficiente para o Sporting dar um passo seguro rumo à vitória, desengane-se, porque o Moreirense continuou juntinho e à espreita de uma nesga de espaço, normalmente pelo talentoso Tozé - e o jogo partiu-se.

 

As rotações subiram um bocadinho, é verdade, porque Jesus pôs Battaglia lá dentro, mas, ao fazê-lo, retirou Bruno Fernandes, provavelmente a pensar no Barcelona, e o meio-campo continuou amputado: se antes tinha cérebro e pouco músculo, agora tinha cabedal e pouco critério; num mundo ideal, os dois conceitos devem coexistir, mas Jesus quis construir uma realidade alternativa e até ao fim houve correrias, coração, força, algumas ocasiões e poucas ideias. E nenhum golo.

 

O Sporting perde os seus dois primeiros pontos, vê o FC Porto escapar-se na liderança da Liga, recebe o Barcelona a meio da semana e os portistas no final da mesma.

 

Este resultado, claro, muda as contas.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:58

 

Moreirense-Sporting.png

 

 ... Nomeadamente na primeira parte, em que a equipa leonina acentuou posse de bola mas que quase não rematou à baliza do Moreirense. E, sem remates, não pode haver golos, uma premissa muito simples do futebol.

 

O Sporting iniciou o jogo com o seguinte onze: Rui Patrício; Piccini, Coates, Mathieu e Fábio Coentrão; William, Bruno Fernandes, Gelson Martins e Bruno César; Alan Ruiz e Bas Dost.

 

Suplentes: Romain Salin, Jonathan Silva, André Pinto, Rodrigo Battaglia, Iuri Medeiros e Seydou Doumbia.

 

 

A bem dizer, não se esperava um jogo tão difícil em Moreira de Cónegos, mas entre o sistema de jogo do adversário, um campo muito difícil e as facilidades que o Sporting consentiu, só com muita sorte não se perderia os primeiros pontos do campeonato.

 

Nenhum jogador leonino esteve a um nível elevado neste jogo. Alguns melhores do que outros, mas não houve brilhantismo algum. Bruno César entrou para o lugar de Acuña que está a contas com problemas musculares, e o inevitável Alan Ruiz na frente do ataque com Bas Dost. Na realidade, este campo e este adversário não eram os mais adequados paras as características de um jogador como Doumbia, mas sempre ajudou a mexer com as coisas no segundo período.

 

Mais uma vez Iuri Medeiros a desperdiçar uma boa oportunidade. Se eventualmente for encostado por Jorge Jesus, não terá razões de queixa.

 

Bem... veremos agora se o Sporting eleva o seu jogo diante do Barcelona na quarta-feira. Terá de o fazer, para não sair humilhado do campo, tal é o calibre do adversário.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:12

Jesus imaculado

Rui Gomes, em 24.09.17

 

H91H32DK.jpg

 

Jorge Jresus encontrou uma explicação para a exibição do Sporting na primeira parte em Moreira de Cónegos, com a expectável ênfase nos jogadores:

 

«Na primeira parte alguns jogadores não estiveram ao seu melhor nível o que fez com que a equipa não rendesse o que rende habitualmente.

 

Os jogadores acharam que a qualquer momento faziam um golo e se ganhava o jogo. Acabámos por ser surpreendidos com um golo no final da primeira parte, que nos obrigou a uma segunda parte de cavalgada e também de risco táctico. Podíamos ter sido surpreendidos, mas não fomos.

 

Aconteceu jogo, futebol. Fizemos uma segunda parte completamente diferente, muita intensidade, crer, alma. Fizemos um golo, podíamos ter feito mais, mas isso não importa, importa é que não conseguimos sair com a vitória., Também temos de dar mérito à equipa do Moreirense.

 

Fomos uma equipa com duas partes distintas. Fica uma segunda com muita crença, com várias hipóteses para fazer o 2-: Gelson, Bas Dost sozinho na cara do keeper, tomou uma decisão que não foi a melhor para ele e a equipa...".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:11

Jorge Jesus com discurso sóbrio

Rui Gomes, em 22.09.17

 

jorgejesus25.jpg

 

Algumas considerações de Jorge Jesus, em sinopse, durante a conferência de imprensa de antevisão ao jogo com o Moreirense, realizada esta sexta-feira:

 

"O Bryan Ruiz é um problema do presidente da Costa Rica, eu estou atento aos problemas do Sporting. O Bryan Ruiz é um grande grande profissional, grande jogador, mas agora é este é outro momento da carreira dele, outro momento do Sporting e ele vai vai ter o seu percurso, que é ele que vai decidir».

 

Por muito que Jorge Jesus queira minimizar a questão, não é bem um problema apenas do presidente da Federação costa-riquenha. É, obviamente, um problema do jogador, mas também do Sporting, que lhe está a pagar um salário chorudo somente para treinar.

 

"A confiança mantém-se. Sabe que as vitórias são o melhor estímulo para uma equipa e, portanto, se estás com seis jornadas, se estás a vencer, essa confiança cada vez é mais consolidada. Quando tens duas equipas em 6 jogos, 6 vitórias, é normal, na minha opinião, que um dos rivais não esteja tão bem. Ainda não se jogou entre Benfica, Sporting e FC Porto e, portanto, por aquilo que a experiência me diz, já passei por isso à frente e atrás. É bom ganhar e começar bem, mas não é determinante. É importante, mas não é determinante. Importante é chegar à última jornada em primeiro, aí e que conta. Uma batalha é uma batalha, conquistando pontos e melhor".

 

Análise sóbria tendo em conta que ainda vamos no início do campeonato e tudo está muito longe de ser ganho. Esta resposta de Jesus, em parte, na sequência das declarações de Sérgio Conceição, que afirmou que não acorda a pensar no Sporting e no Benfica.

 

"Aquilo que posso dizer é que é um alerta. É um alerta e as pessoas que gostam da modalidade todos os intervenientes têm que olhar para aquilo que o presidente da Federação Portuguesa de Futebol está a dizer. Não levando isto muito a peito, como se costuma dizer, mas tentando arranjar soluções para que o futebol seja mais jogado dentro de campo e menos fora de campo".

 

Comentário digna e "politicamente correcta" de Jorge Jesus, sobre as palavras desta sexta-feira de Fernando Gomes. Na realidade, uma questão difícil para qualquer treinador abordar, uma vez que o discurso tem de ser, forçosamente, muito cauteloso.

 

"Este jogo com o Moreirense enquadra-se com o que temos vindo a fazer, é um jogo extremamente difícil, onde o adversário quer pontuar e tem boa organização defensiva. O Sporting está preparado e quer conquistar os três pontos. Queremos continuar a vencer depois ds primeiras jornadas do campeonato e para isso temos de mostrar qualidade. Estamos preparados para o jogo em Moreira de Cónegos".

 

Afirmação assertiva e sem os dispensáveis adornos melodrmáticos que Jorge Jesus avança ocasionalmente. Reflecte, porventura, a confiança que existe neste momento no grupo leonino.

 

"As minhas decisões são jogo a jogo, não olho para o jogo que vem a seguir, olho para os jogos que temos a fazer. Tomamos e fazemos as escolhas de acordo com a estratégia de jogo e também, como é óbvio, não havendo problemas físicos".

 

Instado a comentar o próximo jogo da Champions, em Alvalade, frente ao Barcelona. Novamente uma resposta "politicamente correcta", mas não duvido minimamente que os prós e contras desse embate já integraram as reuniões de Jorge Jesus com os seus adjuntos. Por muito que se possa negar esse cenário, é impossível que não aconteça, até porque, indirectamente, algumas tomadas de decisão em relação ao jogo com o Moreirense poderão ter impacte no encontro seguinte. Sempre assim foi e sempre assim será.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:48

 

14WS0ODI.jpg

 

«Queria deixar uma mensagem ao presidente da Federação [Fernando Gomes], ao presidente da Liga [Pedro Proença] e ao secretário de Estado do Desporto [João Paulo Rebelo]. O futebol é o desporto do século. Os montantes que circulam hoje em dia fazem desta uma área muito importante, não comparável com outras. Eu, com uma equipa de três milhões, a jogar no Dragão contra uma equipa de 80 ou 90 milhões? Isto assim não tem interesse nenhum! O V. Guimarães foi goleado na sua casa por 5-0, depois o Belenenses sofreu também cinco golos. Isto é algo que vai ver-se ao longo da temporada. São resultados que não interessam à modalidade e ao espectáculo. Isto conta o campeonato dos três clubes grandes, o resto é carne para canhão. Se o negócio seguir este caminho, estará condenado».

  

Declaração de Manuel Machado, após a derrota do Moreirense, por 3-0, diante o FC Porto.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:26

Ao que chegou o futebol português

Rui Gomes, em 10.04.17

 

 

O lance de Samaris com Diego Ivo no Moreirense-Benfica promete fazer correr muita tinta. Já perto do final do jogo, gerou-se uma imensa confusão depois de o médio grego ter travado um ataque adversário com recurso a falta. No meio da confusão, Samaris deu um soco no estômago de Diego Ivo, central do Moreirense, lance esse que a equipa de arbitragem não terá visto já que não mereceu qualquer sanção.

 

Não há dúvida alguma que Samaris cometeu uma agressão e merece ser punido, mas não deixa de ser importuno (não sei se é o termo mais adequado) ver os directores de comunicação do Sporting e do FC Porto a reagir quase em simultâneo logo após o termo da partida, com missivas nas redes sociais:

 

Nuno Saraiva:

 

"Quando existe impunidade, há sempre reincidência. Será que desta vez o árbitro também vai dizer que foi um lance normal de jogo? Aguardemos...".

 

Francisco J. Marques:

 

"Este jogo do Canelas foi um autêntico murro no estômago do Diego Ivo".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:11

"Temos dado sinais de melhoria"

Rui Gomes, em 13.02.17

 

KBLE3MWC.jpg

  

«Esta equipa do Moreirense é uma boa equipa, tinha ganho ao FC Porto e também ao Benfica na Taça da Liga. Já tinha derrotado dois rivais e tem jogadores na frente muito rápidos. Temos dado sinais de melhoria, jogámos bem no Dragão e contra o Paços em casa. Defensivamente ainda cometemos alguns erros, mais individuais - isso é normal porque quando não estás habituado a sofrer golos começas a ter dúvidas em alguns movimentos. Temos de trabalhar a equipa defensivamente porque, ofensivamente, faz golos.

 

As mudanças de táctica foram importantes, as alterações também - a entrada de Podence foi importante, deu largura à equipa, confundiu o adversário, ganhámos o flanco esquerdo e foi por ali que nasceu o 2-2. Esta é uma equipa com alma que anda atrás do prejuízo, não está na classificação que queiramos. Mas defendemos um clube que joga sempre para ganhar independentemente da classificação. Só os objectivos já não são os mesmos. A equipa está bem mental e fisicamente, não se dá por vencida. Mas hoje não estava Casillas do outro lado...».

 

Declarações de Jorge Jesus após o embate em Moreira de Cónegos. Vou deixar a análise ao leitor, mas não posso deixar passar a repetida referência a Casillas para justificar não sei bem o quê, quando o guarda-redes do Moreirense até esteve muito bem no jogo. Num dos golos que sofreu, salvo erro no de Alan Ruiz, a bola tabelou num defesa. A sua outra referência ao Sporting não estar habituado a sofrer golos, quando só na Liga já soma 24, o dobro dos rivais, é irrisório.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:16

17.º golo de Bas Dost na I liga

Rui Gomes, em 13.02.17

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:14

 

Moreirense-Sporting.png

 

Vamos deixar a análise do jogo em Moreira de Cónegos ao leitor, mas compete-nos acentuar que assistimos a uma boa recuperação do Sporting num desafio em que o resultado final esteve em dúvida praticamente até ao cair do pano. Mesmo depois do 2-3, Ousmane Dramé executou um belo "chapéu" a Rui Patrício, que infelizmente para o avançado francês que chegou a Portugal por intermédio do Sporting, foi parar à trave.

 

Destaque para a entrada na segunda-parte de Daniel Podence, que veio dar mais alguma dinâmica às manobras ofensivas ofensivas do Sporting. Foi o seu belo remate ao poste que permitiu a finalização letal de Bas Dost, para igualar o marcador.

 

Decerto que hoje Jorge Jesus irá clamar que a equipa seguiu o seu guião na íntegra. Só assim se justifica a vitória !?!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:51

 

Capturar.PNG

 

Augusto Inácio, Daniel Podence e Franciso Geraldes foram alvo de diversas manifestações de sportinguistas por terem estado na origem da eliminação do Benfica da Taça da Liga. Ribeiro e Castro -antigo vice-presidente do Benfica - desvaloriza todas as declarações públicas associadas à rivalidade existente entre os dois emblemas, mas não fica por aqui, alimentando-a à sua medida:

 

"O Sporting está muito longe. Isso faz parte das piadas de segunda-feira, quando o futebol se jogava ao domingo. São prémios de consolação, nada mais que isso. O Sporting tem outros problemas para resolver. É sempre limitativo aqueles que se alegram com o mal dos outros, é porque não têm bem próprio para se contentarem. Lembro os adeptos do Sporting que o rival mais perto é o FC Porto e é o adversário que mais pressiona na Liga.

 

Havia até uma grande piada de que o Inácio não via a Benfica TV, quando era comentador, e isso até deu uma grande polémica (Não sejas Inácio). Eu acho que ele viu muito a BTV, conhecia bem o estilo de jogo do Benfica e naturalmente planeou bem o jogo e acho que a vitória de ontem tem muito mérito dele».

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:56

 

7ffecbec-d427-451b-9ec1-5ca59ac6b98a.jpg

 

As últimas no diferendo entre o Sporting e Moreirense, dão o clube leonino a oferecer o empréstimo de Ary Papel e Wallyson como moeda de troca para o regresso a Alvalade de Francisco Geraldes e Daniel Podence.

 

Mesmo assim, o clube de Moreira de Cónegos não foi persuadido a ceder às exigências do Sporting. O presidente, Vítor Magalhães, defende que o Sporting devia ter manifestado a sua intenção em recuperar os jogadores por escrito até ao dia 31 de Dezembro, o que, não tendo acontecido e devido à proximidade do encerramento do mercado de inverno, justifica-se a decisão de não assinar a revogação do empréstimo. Além do mais, estranha a oferta de Malcom Wallyson, uma vez que o jogador tem estado emprestado ao Standard Liège. Ary Papel milita na equipa B do Sporting neste momento.

 

Recorde-se que Francisco Geraldes e Daniel Podence não são os únicos jogadores que o Sporting restá a ter dificuldade em recuperar. André Geraldes e Ryan Gauld, que militavam no Vitória de Setúbal, foram chamados de volta, após o jogo com os sadinos que ditou a eliminação do Sporting da Taça da Liga. No entanto, o clube setubalense não está a libertar os atletas, que já terão acordo para voltarem a ser emprestados, mas desta feita, ao Desportivo de Chaves.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:53

Mais um diferendo ?

Rui Gomes, em 24.01.17

 

CmC3ZEyXEAAEN1U.jpg

 

O impasse criado pela chamada do Sporting a Ryan Gauld e André Geraldes ainda não está resolvido com o Vitória de Setúbal, e estamos perante um potencial novo conflito com o Moreirense relativamente a Francisco Geraldes e Daniel Podence.

 

Segundo o que está a ser noticiado esta terça-feira, os dois jovens receberam ordem para regressar a Alvalade na próxima segunda-feira, depois da final-four da Taça da Liga, apesar do período de empréstimo apenas terminar no final da época. O Moreirense não estará muito receptivo a abdicar de dois elementos importantes na equipa e não quererá facilitar a vida ao Sporting.

 

O facto de Augusto Inácio ser o treinador do Moreirense deverá, em princípio, facilitar a situação, mas é possível que a Direcção do clube de Moreira de Cónegos tenha outras ideias, tendo em consideração que luta pela sobrevivência na I Liga.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:17

Augusto Inácio no Moreirense

Rui Gomes, em 29.11.16

 

JCVW9QJX.jpg

 

O Moreirense anunciou através de comunicado que Augusto Inácio é o novo treinador da equipa principal. O técnico chega para substituir Pepa que havia sido demitido no dia 21 de Novembro e será apresentado esta terça-feira.

 

Augusto Inácio regressa deste modo ao último clube que treinou (2012/13), e de onde saiu para fazer parte da direção do Sporting liderada por Bruno de Carvalho.

 

Bem... não sei se como adversário é um caso para lhe desejar boa sorte, mas as coisas bem pensadas, devia ter assumido o cargo uns dias mais cedo, pela então possibilidade de fazer "estragos" ao rival.

 

A acreditar nas notícias - vale o que vale - Augusto Inácio pretende já para Janeiro o empréstimo de Matheus Pereira, jovem que até ao momento soma apenas 65 minutos ao serviço da formação principal, todos frente ao Praiense, num jogo relativo à 4.ª eliminatória da Taça de Portugal.

 

É provável que o empréstimo seja visto com bons olhos pela SAD, que já terá verificado que Matheus exige um nível de competição superior à II Liga. As boas relações entre Augusto Inácio e Bruno de Carvalho deverão facilitar este processo, para um clube onde já se encontram emprestados Francisco Geraldes e Daniel Podence.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:36

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D




Cristiano Ronaldo