Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Foto do Dia

Rui Gomes, em 19.12.15

 

1024_gif.jpg

 

Um acaba de chegar, o outro acaba de sair. Ambos grandes treinadores !

 

publicado às 15:53

Consideração do Dia

Rui Gomes, em 22.08.15

 

Lineker Mourinho.png

 

 

* Obra da ilustradora oficial do Camarote Leonino

 

publicado às 05:00

 

 

publicado às 07:45

Frase da Semana

Rui Gomes, em 25.04.14
 

 

«É um trabalho difícil suceder Alex Ferguson, um treinador que esteva lá (Manchester United) tantos anos e que ganhou tudo o que havia para ganhar. Quem viesse, nunca seria capaz de igualar isso. Era quase um trabalho impossível. Só alguém como José Mourinho, com um enorme ego, conseguiria ganhar o respeito do balneário e ser bem sucedido, e mesmo assim seria difícil.»

 

-    Gary Lineker    -

 

publicado às 04:20

 


Ricky van Wolfswinkel foi pontapeado deliberadamente por Yaya Touré no recém-embate entre o Manchester City e o Norwich (0-0), sem o árbitro ter assinalado a agressão. O acto até levou José Mourinho a vir a público exigir sanções disciplinares para o jogador dos "citizens", obviamente visando penalizar um dos seus mais directos rivais ao título da liga inglesa.

Segundo o sistema na "Premier", este tipo de incidência é analisada por um painel que, neste caso, acabou por "ilibar" o jogador por não ter havido unanimidade de pareceres entre os três antigos árbitros que constituem o corpo de ajuizamento.

A parte ainda mais surpreendente, surgiu pelas declarações de van Wolfswinkel:"Ainda bem que Yaya Touré não foi suspenso. Jogadores como ele merecem estar no relvado. O que aconteceu em Carrow Road fica em Carrow Road."

Sentido de desportivismo a extremar pelo exagero, até ingenuidade, por parte do ex-avançado do Sporting. No próxima agressão do género que sofrer, e é só uma questão de tempo e oportunidade, não terá causa para se lamentar.

 

publicado às 06:19

 

Não é novidade alguma José Mourinho fazer declarações polémicas, aliás, até se estranha quando não as faz, pois assim nos habituou ao longo dos anos. Esta disposição não obstante, ninguém duvida que é um profundo conhecedor de futebol e que entre o muito do que diz, é frequentemente certeiro.

 

Na conferência de imprensa de antevisão ao jogo da Liga dos Campeões com o Steaua, o técnico do Chelsea fez mais uma das suas análises que pode parecer polémica mas com que muitos, decerto, concordarão:

 

«Acho que esta liga (Premier) é maravilhosa, toda a gente na Europa deve estar com inveja. Na Alemanha, já se sabe quem será campeão, em Espanha já se sabe os dois primeiros, em Portugal já se sabe quem fica nos dois primeiros lugares. Aqui não sabemos o primeiro, o segundo, quem desce, e isso dá a toda a gente uma oportunidade de lutar pelos seus objectivos.»

 

A bem dizer, também sabemos quais são os emblemas mais poderosos da "Premier League" e quem anualmente tem melhores hipóteses de chegar ao título, mas é verdade que a disputa é muito maior pelos lugares cimeiros e que existe muito mais paridade entre os clubes ingleses. Partindo do princípio que ao falar de Portugal ele referia-se ao Benfica e ao FC Porto, não deixa de ter razão de há uns anos a esta parte, esperamos nós, no entanto, que esse ciclo seja quebrado em um futuro não muito distante. (Até eu estou a adoptar o discurso "politicamente correcto" do Sporting. Ainda tenho "salvação" !).

 

publicado às 04:09

A "curva"

Desert Lion, em 04.10.13

Há uma semana atrás, uma região para onde viajo com frequência, quase parou. Não há ali grandes equipas de futebol, mas o futebol é o desporto-rei nas preferências de todos e, os melhores jogos, das melhores ligas, colocam a população inteira à frente da televisão. Há uma semana atrás defrontaram-se Chelsea e Tottenham. Dada a qualidade dos intérpretes e a posição na tabela classificativa, o jogo por si só já seria interessante, mas o duelo Mourinho vs Villas-Boas – ex amigos e colegas de equipa técnica que acabaram em guerra aberta - espicaçado pela imprensa inglesa, tornou tudo ainda mais saboroso.

 

Mourinho e Villas Boas são, unanimemente, considerados dois dos melhores técnicos de futebol do mundo, treinando, actualmente, duas grandes equipas, daquela que será a liga mais competitiva e interessante do planeta. Mourinho e Villas-Boas têm ainda outra coisa em comum: ambos tiveram pré-acordos para virem treinar o Sporting e nenhum deles alguma vez o pode fazer. Um porque, diziam alguns dos nossos, era muito jovem, inexperiente e “benfiquista”. O outro porque, diziam os mesmos dos nossos, era muito jovem, inexperiente e “portista”.  Depois, foi o que se viu – sucesso internacional sem paralelo entre treinadores portugueses. São situações como estas que me fazem pensar que sendo a “curva”, geralmente, fantástica, não deixa de haver ocasiões em que eu gostaria que tivesse havido a coragem de mandar a “curva” dar uma curva... Tendo sido eleita nas difíceis circunstâncias em que foi, e gozando de inegável prestígio junto da massa associativa - como desde o tempo de JEB não se via no Sporting - muito gostaria que esta fosse a Direcção capaz de o fazer quando a pressão se começar a fazer sentir.

 

publicado às 19:23

Ancelotti "dá razão" a Mourinho

Rui Gomes, em 19.08.13

 

 

Iker Casillas pode ter o seu lugar na selecção espanhola garantido, mão esse não é o caso no Real Madrid onde Carlo Ancelotti agiu de algum modo a dar razão à polémica decisão de José Mourinho da época passada, ao deixar o guarda-redes no banco dos suplentes no primeiro jogo de "La Liga" frente ao Bétis e dar a titularidade a Diego López.

 

Explicou o técnico da equipa madridista: «São decisões que se tomam por pequenos detalhes. Veremos o que acontece no próximo jogo. Falei com o Iker. ele é muito profissional e tem vontade de jogar e isso é bom. Hoje jogou o Diego. Foi o guarda-redes para o jogo de hoje.»

 

O Real Madrid venceu o Bétis por 2-1 mas, aparentemente, exibiu alguns dos sintomas do Sporting contra o Arouca. Afirmou Ancelotti: «Podemos melhorar. Fizemos boas combinações, especialmente nas laterais. O problema foi, sobretudo, defensivo. Foi um problema de equilíbrio. Houve muito espaço entre as linhas.»

 

publicado às 09:30

Um outro tipo de campo inclinado

Rui Gomes, em 14.06.13

 

As compras de José Mourinho ao longo dos anos já permitiram ao Benfica arrecadar cerca de 78 milhões de euros e ao FC Porto 68,6 milhões. Entre outras considerações, dá para pensar que se Rui Patrício fosse de um desses clubes, especialmente do de Carnide, que o técnico português já teria encontrado o guarda-redes que procura. O timing e a oportunidade na vida são questões muito curiosas. Quem sabe onde estaria hoje o "Special/Happy One" se o Sporting - pelas mãos de Manuel Fernandes - não o tivesse ido buscar a Setúbal para ser o tradutor de Bobby Robson.  

 

publicado às 17:15

"Call me the Happy One"

Rui Gomes, em 10.06.13

 

-   Primeiro o "Special One" agora o "Happy One"  -

 

José Mourinho na sua apresentação de volta ao Chelsea

 

publicado às 19:18

O incómodo chamado José Mourinho

Rui Gomes, em 09.06.13

 

Não deixa de ser curioso que mesmo depois da sua saída do futebol espanhol, José Mourinho continua a merecer a atenção de elementos do Barcelona que não hesitam em apontar-lhe o dedo acusatório, tal o incómodo que ele lhes causou, por muito que o minimizem:

 

Xavi: «Mourinho não deixou nenhum legado no Real Madrid. Um grande clube não pode jogar como o Real Madrid de José Mourinho.»

 

Iniesta: «Mourinho fez estragos no futebol espanhol.»

 

Piqué: «Mourinho ?... Só vai fazer falta aos jornalistas.»

 

E, como não podia deixar de ser, Johan Cruyff: «Mourinho é culpado da situação do Real Madrid e ao sair fez um favor ao clube e a si mesmo.»

 

À parte do Barça, enquanto Casillas se mostrou muito reservado, já o mesmo não se pode dizer de Sergio Ramos, um dos problemas que José Mournho tinha no seu balneário: «Talvez o Gerard (Piqué) tenha razão. Os jornalistas vão sentir mais a falta de Mourinho do que nós porque era um treinador muito mediático, dava muitos títulos e a imprensa beneficiava disso.»

 

publicado às 13:09

O futebol em "crise"

Rui Gomes, em 24.05.13

Está a ser noticiado na Inglaterra que o Chelsea oferece a José Mourinho um salário de 292 mil euros por semana, ou seja, 1,168 milhões por mês, 14 milhões por ano. Alguém terá dito, algures, que "um centavo poupado é um centavo ganho". É por de mais evidente que "poupança" não existe no vocabulário de Roman Abramovich.

 

publicado às 11:23

A expectativa !

Rui Gomes, em 21.05.13

 

A expectativa é enorme em Londres. Por iniciativa de um empresário local, este placar electrónico já aparece na zona de Kensington, não muito distante de Stamford Bridge.

 

publicado às 14:02

Mentes pequenas

Rui Gomes, em 10.05.13

 

Um texto da autoria de Fernando Esteves - Record - entitulado "Quatro verdades inconvenientes sobre o fracasso de Mourinho", que serve como perfeito exemplo de uma mentalidade pequena que por inveja de sucesso alheio e, simplesmente, por não atingir mais, entretem-se com um dos passatempos favoritos cá do burgo: o deitar abaixo. Para ilustrar a contenda, transcrevo a última "verdade inconveniente" do seu pouco sofrível escrito:

 

« Mourinho nunca compeendeu o Real Madrid. Só isso explica a sua postura bélica num clube originalmente snob: o nome foi-lhe atribuído pelo rei Afonso XIII e tem a coroa real no emblema. No Real não se criticam arbitragens - e Mourinho não fez outra coisa durante três anos. No Real não se colocam os símbolos em causa - e Mourinho dedicou-se empenhadamente a esse particular desporto. No Real não se joga à defesa - e Mourinho nunca assumiu de forma evidente um futebol inequivocamente ofensivo. Em suma: Mourinho falhou. Em toda a linha. Ficava-lhe bem admitir a derrota, a única forma decente de seguir em frente com a dignidade que a sua fantástica carreira merece.»

 

Não me vou dar ao trabalho de refutar todas as maledicências deste escriba, mas só para clarificação do que consta uma equipa que "joga à defesa":

 

1. Recorde do maior número de pontos em uma só época de La Liga: 100 (2011/12).

2. Recorde do maior número de vitórias em uma época de La Liga: 32 (2011/12).

3. Recorde do maior número de vitórias em casa em uma só época de La Liga: 16 (2011/12).

4. Recorde do maior números de golos em uma só época de La Liga: 121 - média 3.18 por jogo - (2011/12).

5. Época de 2012/13 ainda por concluir: 95 golos na Liga - total na época 144 golos em 57 jogos, média e 2.52 por jogo.

6. Época de 2011/12: 121 golos na Liga - total na época 174 golos em 58 jogos, média de 3.00 golos por jogo.

7. Época de 2010/11: 102 golos na Liga - total na época 148 golos em 59 jogos, média de 2.50 golos por jogo.  

 

O registo de três épocas até à data, em todas as competições: 127 vitórias - 26 empates - 21 derrotas.

 

publicado às 23:55

O sucessor de Sir Alex

Rui Gomes, em 09.05.13

Por muito que o nome de José Mourinho esteja na ribalta do jornalismo desportivo internacional como o melhor e lógico sucessor de Sir Alex Ferguson para a liderança técnica do Manchester United, o meu palpite recai sobre David Moyes, o escocês de 50 anos que orienta o Everton há uma década. Entendo que a prioridade da directoria dos "Red Devils" é preservar a linha de comando que Sir Alex registou durante 26 anos e não um tipo de revolução na condução da equipa que inevitalmente surgiria pelas mãos do técnico português.

Desde 1892 - ano em que foi lavrado o primeiro registo oficial - o clube de Manchester ainda só teve 19 treinadores: 12 ingleses, 6 escoceses e um irlandês. Considerando este historial e a cultura do emblema, nada indica que haja vontade ou disposição para quebrar esta tradição. É bem conhecido que Sir Alex e José Mourinho são bons amigos e o palmarés de David Moyes é incomparável com o do português, mas as raízes e a personalidade irão favorecer o escocês. Como já indiquei em alguns comentários, a única dúvida que sinto, e é apenas uma pequena dúvida, relaciona-se com a família Glazer - os irmãos Joel e Avram e o patriarca Malcom - proprietários do clube. Isto, porque é registo público que após o seu enorme investimento em adquirir o emblema, eles têm vindo a extrair o máximo de retorno possível e é bem sabido que por onde José Mourinho passa as receitas dos seus clubes acusam uma ascenção significativa. Durante os seus três anos no Real Madrid, este ultrapassou o recorde de receitas pela participação na "Champions" e, em geral, o clube vai este ano atingir, pela primeira vez na sua história, 500 milhões de euros de rendimento. Não obstante a tradição, estes números são dificeis de ignorar. Assente neste mesmo palpite meu, diria, até, que José Morinho já foi informado da escolha pelo seu amigo e que o seu destino será o Chelsea, muito embora conste que ainda não existe um acordo formal.

 

publicado às 00:59

Pepe a "vender peixe"

Rui Gomes, em 04.05.13

 

Os jogadores de futebol são, por vezes, umas autênticas varinas, ou seja, são uns verdadeiros vendedores ambulantes de «peixe». Notei com alguma estranheza Pepe vir a público criticar o seu treinador em defesa do seu colega de equipa Iker Casillas: «As declarações do treinador não foram as mais adequadas. Casillas é uma instituição neste clube e em Espanha. Tem que saber que os jogadores estão com ele. Casillas é um jogador importante para nós e ainda estamos na luta por um título. Ninguém pode ser menosprezado e é preciso respeitar Casillas, que já deu muito ao clube».

 

Esta reacção de Pepe às declarações de José Morurinho na véspera, em que disse que lamenta não ter trazido Diego Lopes logo na primeira época. Em primeiro lugar, esta ousadia do internacional português, mais do que qualquer outro rumor noticioso, tende confirmar a saída de José Mourinho no final da época, caso contrário Pepe nunca teria o atrevimento. Segundo, ele não anda muito satisfeito porque de há uns tempos a esta parte nem sempre tem sido a primeira escolha do treinador e depois da sua titularidade em Dortmund, com vários erros, deve ter ouvido sermão no balneário e ficou no banco no segundo jogo e, por fim, ele sabe que está na lista de transferíveis no termo da temporada e não perde nada em dar apoio a quem ele reconhece ter alguma influência na estrutura do Real Madrid.

 

Para quem tem acompanhado os "merengues" durante os três anos de consulado de José Mourinho sabe que ele considera Casillas como um destabilizador no balneário, ao ponto de passar informações à sua namorada, que é jornalista, para esta as divulgar publicamente. Posso estar errado, mas duvido muito que Pepe volte a ser titular esta época.

 

publicado às 23:05

Quo vadis ?

Rui Gomes, em 03.05.13

 

A pergunta que mais corre no mundo do futebol relaciona-se com as intenções de José Mourinho para a próxima época: permanecerá ele no Real Madrid e, se sair, para onde vai ? Após o embate da meia-final da Champions, o técnico garantiu que só no final da época irá discutir o seu futuro com Florentino Pérez. 

 

Nessa conferência de imprensa fizeram-lhe a seguinte pergunta: «Se sair, o seu palmarés será uma Liga, um ou duas Taças e uma Supertaça. Consideraria isso triunfar ?»

 

A resposta de Mourinho: «Penso que quando se valoriza o meu trabalho, nunca se fala de títulos. E a culpa é minha, porque já ganhei tanto, tanto, tanto que as expectativas são altas. Mas vim preparado para quando me perguntassem isso. Vou socorrer-me dos meus famosos papeis para vos dizer: a Liga dos recordes é minha. Podem querer apagá-la, mas não o conseguirão. 20 anos sem ganhar uma taça, isto não é fácil. Também não poderão apagá-lo. A Supertaça é pequenina, mas as três meias-finais da Champions, que a mim não me alimentam o ego nem me deixam satisfeito, que fique bem claro, também não é fácil. Digo-vos que não deve ser fácil porque Toshack, Di Stefano, Beenhakcker, Floro, Capello, Heynckes, Del Bosque, Hiddink, Valdano, Iglesias, Flore, Queiroz, Remón, Camacho, Luxermburgo, Juande, Schuster e Pellegrini, foram 18 treinadores em 21 anos e cinco meias-finais da Champions em 21 anos. E o mau do Mourinho conseguiu três e três anos.»

 

Quer se simpatize com ele ou não, contra factos não há argumentos. Curiosamente, já alcançou mais vitórias no Real Madrid do que em qualquer outro clube que treinou. Com a última vitória frente ao Borussia Dortmund soma 125 ao serviço dos "merengues", contra as 124 no Chelsea, 91 no FC Porto e 67 no Inter de Milão.

 

Outro facto que ele não mencionou mas que é igualmente pertinente ao seu palmarés e às realidades do futebol-indústria de hoje, é que com ele o Real Madrid garantiu a maior receita da sua história: pela primeira vez em 110 anos, os "merengues" chegarão aos 500 milhões de euros de receita, que não inclui venda de jogadores. Na época passada, o clube treinado por José Mourinho chegou aos 479,5 milhões, enquanto que, por comparação, o Barcelona chegou aos 450 milhões e o Manchester United aos 367 milhões. Desde que chegou a Madrid, as receitas do clube na Liga dos Campeões duplicaram. No período entre as temporada 2004/05 e 2009/10, a média das receitas não ultrapassaram os 25 milhões de euros, numa fase em que a equipa foi orientada por Luxemburgo, Caro, Capello, Schuster, Ramos e Pellegrini. No primeiro ano do técnico português foram concretizados 39,3 milhões de receitas e na temporada passada 38,4 milhões e, esta época, os valores serão semelhantes.

 

 

publicado às 13:26

Ganhadores e recordistas

Rui Gomes, em 10.03.13

 

Por muito que alguns (portugueses) não simpatizem com eles e os critiquem, o valor desportivo destes dois lusos é indiscutível: são ganhadores e recordistas e ainda com anos de carreira pela frente, mais vitórias e recordes terão o seu nome. Com os dois golos marcados este domingo ao Celta de Vigo, o «nosso» Cristiano Ronaldo tornou-se no primeiro futebolista da história da Liga espanhola a marcar 25 ou mais golos em quatro épocas consecutivas, a partir do seu ano de estreia no Real Madrid.

José Mourinho realizou hoje o seu 103.º jogo no comando do Real Madrid e mesmo antes de ter assegurado a vitória já tinha batido um recorde histórico: é o técnico madridista com a maior percentagem de vitórias no campeonato Espanhol, com 76.4%, superando os 64% de Leo Beenhakker, que teve duas passagens pelo clube, em 1986-1989 e 1992. Além disso, igualou Milijanic como o quinto treinador com mais jogos à frente dos «merengues», apenas atrás de Molownym, o já citado Beenhakker, Del Bosque e o lendário Miguel Munoz.

Quer se goste quer não, os feitos destes homens falam por si e farão parte do registo do futebol mundial para a eternidade.

publicado às 21:43

Os «mind games» dos técnicos

Rui Gomes, em 09.02.13
 


Os «mind games» da «raposa» matreira Sir Alex Ferguson em antecipação do embate da Champions frente ao Real Madrid do seu «velho» adversário e amigo José Mourinho. Disse o comandante do Manchester United: «Ele adora entrar nisso, dá-lhe gozo, e é brilhante nessa parte, sem ser malicioso. Nunca estamos certos do que ele anda a tramar. Eu não vou por esse caminho, nem entro nessa competição, porque Mourinho é muito inteligente. O melhor é deixá-lo. Por mim está tudo bem, desde que ele me continue a trazer uma garrafa com um vinho decente».

Os encontros pós-jogo entre os dois antigos rivais da «Premier League» já são famosos, nos quais Sir Alex já acusou Mourinho de lhe servir «aguarrás» em vez de um bom vinho.

 

publicado às 22:12

O sempre polémico Real Madrid

Rui Gomes, em 29.01.13

 

Controvérsia e José Mourinho sempre andaram de braço dado, muita da sua própria autoria, mas nem ele terá imaginado o que teria de enfrentar durante o seu consulado em Madrid, tanto por parte da comunicação social e até dentro do clube. Começou logo nos primeiros dias com Jorge Valdano, que se sustentou com os seus anos nos «merengues» para não abdicar da sua influência sobre a equipa, uma batalha que Mourinho encarou frontalmente e venceu. Um outro que sempre se sentiu, e sente-se agora mais do que nunca, relaciona-se com duas figuras do balneário: Iker Casillas e Sergio Ramos. Ambos têm enorme presença na estrutura madridista e, por vezes, dão indicações de maior lealdade aos seus compatriotas da selecção espanhola que militam no Barcelona do que aos seus próprios colegas de equipa.

Iker Casillas terá sido o mais evidente dos dois, até pela braçadeira de capitão, chegando ao ponto de não celebrar os golos da sua equipa. Não foi uma mera coincidência ele ter sido relegado para o banco durante dois ou três jogos, pela primeira vez na sua carreira. Agora surge a sua namorada, a pseudo-jornalista Sara Carbonero, com declarações em um programa televisivo, clamando que o balneário está dividido e que os jogadores não estão com José Mourinho. À primeira impressão, torna-se impensável que esta sua iniciativa não tenha a conivência do namorado e guarda-redes do Real Madrid. Há muito que se sente que o técnico português não é feliz em Espanha e que espera ansiosamente pelo seu regresso ao futebol inglês. Se conseguir vencer a Champions, de certo que não permanecerá no clube, por sua própria iniciativa, se não vencer e com o Real há longo afastado do título, será Florentino Perez a assumir a decisão. De uma forma ou outra, os seus dias nos «merengues» estão contados.

 

publicado às 13:18

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo