Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Taça das Taças - 15 de Maio de 1964

Leão Zargo, em 15.05.20

thumbnail_SCP Taça das Taças.png

Naquela tarde de 15 de Maio de 1964, em Antuérpia, João Morais desenhou numa folha de papel A4 um pontapé de canto quase impossível e colocou a bola directamente na baliza. Foi o cantinho do Morais que abriu caminho à conquista da gloriosa Taça das Taças.

Sobre essa conquista, Pedro Gomes escreveu o seguinte: “Demos tudo o que tínhamos ao deixarmos em campo a pele, a alma e o suor. Mas fomos e somos compensados ao entrarmos na história do Nosso Clube e ao sermos considerados pelos Sportinguistas de Boa Memória.”

Na foto, a apresentação da Taça das Taças aos portugueses no intervalo de um Portugal - Inglaterra, no Estádio Nacional, em 16 de Maio de 1964.

publicado às 16:00

Antigas glórias: Pedro Gomes

Rui Gomes, em 17.04.20

publicado às 17:07

Pedro Gomes livros.jpg

Manuel Pedro Gomes (n. em 1941) foi jogador do Sporting Clube de Portugal ao longo de dezassete anos, desde 1956, nos juniores, até 1973. A camisola leonina foi a única que vestiu. Conquistou três vezes o Campeonato Nacional, três a Taça de Portugal e uma a Taça dos Vencedores das Taças. Depois de terminar a carreira de futebolista, além dos leões, treinou vários clubes, como a Académica, Oriental, Farense, Marítimo, Belenenses, União de Leiria e Rio Ave.

Até à data, Pedro Gomes publicou dois livros, “Linha de Cabeceira - Contos de Futebol”, Editor Padrões Culturais, 2011, e “Uma Taça Uma Vida”, s. l., 2014.

No seu primeiro livro, “Linha de cabeceira”, o escritor avisa que “o futebol não se aprende nos livros”… mas, na verdade, nos livros pode haver uma mensagem de paixão pelo desporto-rei, para além de demonstrar grande conhecimento dos seus meandros. São onze contos sobre futebol, ao mesmo tempo que reflecte sobre a sociedade contemporânea. São histórias críticas, didácticas e pedagógicas, por vezes com muito humor, reveladoras da honestidade, coragem, esperança e confiança que Pedro Gomes mostrou sempre nos relvados enquanto jogador.

O livro “Uma Taça Uma Vida” foi publicado no contexto da comemoração dos cinquenta anos da conquista da Taça das Taças, com várias reedições. A partir da sua memória pessoal e de um texto intimista, o autor oferece-nos uma obra que recorda e homenageia todos aqueles que contribuíram para esse magnífico triunfo. Com excepção dos jogos da 1ª eliminatória frente ao Atalanta, Pedro Gomes alinhou em todos os que se seguiram, o que lhe permitiu uma narrativa quase autobiográfica, cheia de pequenas histórias reveladoras do estado de espírito da equipa sportinguista.

publicado às 13:30

Fotografia com história dentro (78)

Leão Zargo, em 31.12.17

 

Pedro Gomes Rangers-Sporting 20-10-1971.jpg

 

Pedro Gomes em Glasgow

 

Manuel Pedro Gomes (n. 1941) foi jogador do Sporting durante dezassete anos (treze anos na equipa sénior) e conquistou três vezes o Campeonato Nacional e a Taça de Portugal e uma a Taça dos Vencedores das Taças. Era um defesa lateral muito seguro, disciplinado tacticamente, mas mais ofensivo do que seria habitual nos anos 60 e início de 70. Apesar dessa propensão ofensiva marcou apenas dois golos em toda a sua carreira, e ambos nos jogos da eliminatória com o Glasgow Rangers na Taça das Taças, em Outubro e Novembro de 1971.

 

No jogo da primeira mão, o treinador Fernando Vaz optou por Laranjeira como defesa direito, com a finalidade de secar o temível Alfie Conn, extremo esquerdo do Rangers. Não podia correr pior. Conn, Colin Stein e Alex MacDonald desbarataram a defesa leonina e ao intervalo o resultado estava em 3-0. Pedro Gomes entrou para lateral direito logo no início da segunda parte, Conn “desapareceu” do jogo e o Sporting recuperou a iniciativa.  E foi ele que fez o 3-2 aos 87 minutos. No dia seguinte, o jornal Mundo Desportivo encheu a página central com “Formidável reacção leonina em Glasgow: Ibrox Park de bico calado ouvindo a ‘Patética de Alvalade’”.

 

A fotografia é bem elucidativa desse jogo e da têmpera de Pedro Gomes, que surge entre os escoceses MacDonald (esquerda) e Conn (direita). Percebe-se de imediato que ele não se intimidou com o gesto ameaçador do extremo esquerdo do Rangers e que, seguro de si, até parece avançar para se inteirar melhor do “problema” que preocupava o seu adversário. É que o defesa estava a ser um leão em campo e a equipa de Glasgow não conseguia impedir a crescente pressão sportinguista. No final do jogo, o justíssimo empate escapou apenas por um triz!

 

A fotografia foi retirada de SNS Group / Alamy Stock Photo.

 

publicado às 13:17

Manuel Pedro Gomes.jpg

 

O livro “Uma Taça Uma Vida”, de Manuel Pedro Gomes, foi publicado em 2014 no contexto da comemoração dos cinquenta anos da conquista pelo Sporting da Taça das Taças, mas continua a suscitar o interesse dos sportinguistas e a ser reeditado. Vai já na 3ª edição. Com inteira justiça, pois, a partir da sua memória pessoal e de um texto intimista, o antigo jogador leonino oferece-nos uma narrativa que recorda e homenageia todos aqueles que contribuíram para esse magnífico triunfo europeu.

 

Para além dele próprio, o autor recorda os jogadores que participaram na epopeia: Alexandre Baptista, Alfredo, Augusto, Bé, Carvalho, David Julius, Fernando Mendes, Ferreira Pinto, Figueiredo, Géo, Hilário, José Carlos, Louro, Lúcio, Mário Lino, Mascarenhas, Monteiro, Morais, Osvaldo Silva e Pérides. Com excepção dos jogos da 1ª eliminatória com o Atalanta, Pedro Gomes alinhou em todos que se seguiram, sempre na posição de defesa-direito. Essa condição permitiu-lhe uma narrativa quase autobiográfica, cheia de pequenas histórias bem reveladoras do estado de espírito e da intimidade da equipa leonina.

 

Mas, o atleta-escritor não esquece todos os outros, aqueles que só aparentemente estavam fora do campo, pois que também entraram para o relvado em cada um dos jogos: “o homem da relva, os roupeiros, os massagistas, os médicos, os treinadores, os dirigentes, os familiares dos jogadores, a comunicação social”.

 

Na apresentação do livro no Café In, em Lisboa, em 2014, Pedro Gomes assinalou que pretendeu “contar a viagem ao interior da Taça das Taças de 1964, absorver todos os intervenientes da odisseia”. E logo acrescentou que “as pessoas que se lembrarem deste percurso vão chorar de saudade quando lerem o livro. Pois também se pode chorar por coisas boas. E esta é, sem dúvida, uma coisa boa”.

 

O autor dedicou aos vinte e um jogadores sportinguistas uma nota biográfica individual. Todos eles ficaram imortalizados da mesma maneira, destacando-se apenas o inesquecível capitão Fernando Mendes. Dele disse Pedro Gomes que “era um óptimo colega e um excelente capitão. Era o que se entregava mais à luta. E fica imortalizado na história do Sporting. Aquele gesto de levantar a Taça foi um enorme abraço de amor a todos os sportinguistas”.

 

O livro “Uma Taça Uma Vida” destina-se a todas as gerações de sportinguistas. As que vibram ainda com as conquistas do passado, como as que procuram no passado as memórias que enobreçam o presente.

 

publicado às 12:33

Fotografia com história dentro (28)

Leão Zargo, em 25.12.16

 

SCP Taça das Taças.png

 

Uma imagem, um século de História

 

 

Naquela tarde de 15 de Maio de 1964, em Antuérpia, João Morais desenhou numa folha de papel A4 um pontapé de canto quase impossível. Foi o “cantinho do Morais” que abriu caminho à conquista da gloriosa Taça das Taças. Um fio invisível que liga a memória de diferentes gerações de sportinguistas.

 

Sobre esse momento histórico, Pedro Gomes escreveu o seguinte: “Demos tudo o que tínhamos ao deixarmos em campo a pele, a alma e o suor. Mas fomos e somos compensados ao entrarmos na história do Nosso Clube e ao sermos considerados pelos Sportinguistas de Boa Memória.”

 

Na fotografia, apresentação da Taça das Taças aos portugueses no intervalo de um Portugal – Inglaterra, no Estádio Nacional, em 16 de Maio de 1964.

 

publicado às 11:10

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Cristiano Ronaldo