Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O futebol de elite está de volta, na Alemanha, onde a Bundesliga serviu como um género de teste de laboratório para o recomeço de outras ligas. Com as inúmeras regras a seguir face à pandemia, este é um momento particularmente estranho na história do desporto-rei.

mw-1920 (5).jpg

Bolas desinfectadas, bancadas vazias, momentos de jogo sanitariamente celebrados e um bis de Rafael Guerreiro - soma sete na época -, na vitória do Borussia Dortmund, por 4-0, sobre Schalke 04.

mw-1280.jpg

Acabou por ser um bom jogo de futebol, apesar do eco das bancadas vazias e as restrições extraordinárias, com o inevitável Erling Braut Haaland a fazer o seu 10.º golo em nove jogos pelo Borussia esta época.

mw-1920 (1).jpg

Agora, é perceber como corre tudo isto daqui para a frente - especialmente em Portugal - e tentar ter algum humor neste novo mundo, diríamos, deveras distópico. Os jogadores do Dortmund, que bateram palmas para espectadores imaginários na bancada, entre sorrisos no final do dérbi, fizeram a sua parte possível para tentar normalizar a... anormalidade.

mw-1920 (3).jpg

publicado às 18:15

unnamed.jpg

Comunicado da Liga Portugal a anunciar a retoma de competição a 4 de Junho:

"No passado domingo, a DGS emitiu o parecer técnico sobre as condições do regresso da Liga NOS à competição, no seguimento da decisão do Governo do passado dia 30 de Abril.

Recorde-se que, na supracitada data, o Executivo enquadrou esta competição profissional como uma das actividades autorizadas ao desconfinamento.

Ao longo dos últimos dias, as várias entidades têm levado a cabo sucessivas reuniões de alinhamento para que a retoma possa acontecer em segurança e com todas as medidas de protecção que mitiguem os riscos inerentes ao regresso à actividade, seguindo-se uma fase de vistorias para apuramento dos estádios que efectivamente cumprem os requisitos definidos naquele parecer técnico.

Antecipa-se que este trabalho conjunto da DGS e da Liga Portugal sirva de modelo para a retoma de várias outras actividades económicas, pretendendo-se que esta competição profissional forneça um exemplo das boas práticas que esta pandemia nos impõe.

Por forma a garantir que são rigorosamente vistoriados os vários estádios e realizados os testes médicos a todos os profissionais envolvidos nos jogos e na respectiva organização, está apontada a data de 4 de Junho de 2020 para o primeiro jogo da 25.ª jornada da Liga NOS".

publicado às 03:49

Pão e circo

Naçao Valente, em 12.05.20

BreadAndCircusImage.jpg

Podemos viver sem futebol? Teoricamente sim, mas na prática, na vida do dia a dia, é complicado. Há um velho ditado que diz que nem só de pão vive o homem. Verdade incontestável, sendo igualmente certo que sem pão não se vive. Mas para além disso, o homem vive também de circo. É assim desde tempos imemoriais, com grande expressão a partir da Antiguidade. A componente lúdica da vida, que acompanha a manifestação das emoções, sempre assumiu uma expressão fundamental no quotidiano da humanidade.

O futebol, ou outros desportos de massas, conforme as preferências, por países, são o circo dos tempos contemporâneos. Desempenham a função que este desempenhava no tempo antigo, canalizando as emoções para fora das actividades profissionais e políticas. Criando um enorme espaço marginal para descarregar frustrações, esquecer dificuldades, exprimir agressividades. Esse papel é desempenhado pelo futebol, com as rivalidades, muitas vezes doentias, expressas nos campos, e mais recentemente na comunicação social.

Mas com a evolução tecnológica, com o refinamento do sistema capitalista, o futebol ao contrário do circo antigo, tornou-se em mais uma indústria privada que produz mais valias financeiras. No fundo, são sustentadas pelos seus espectadores, seja através de pagamento directo, ou indirecto, dando corpo e sustentabilidade a outras grandes indústrias, as redes de comunicação e a publicidade.

Py0cjC8R5oxs1FNJqzmKtS1-z8UL0Oi9iPRbZHPChbI.jpg

Deste modo, é impensável a falência do futebol. Para além do óbvio papel que desempenha no condicionamento das massas populares, tem uma relevância muito determinante no sector económico. Pelos postos de trabalho directos e indirectos que promove e mantém, pelos rendimentos que propicia aos cofres dos Estados. 

Daí a grande preocupação do poder político, envolvendo-se, apesar dos riscos sanitários, com o recomeço dos campeonatos interrompidos. Os clubes precisam do financiamento pelos operadores de conteúdos, como de pão para a boca. E para estes, sem circo não há pão. Isso explica, à saciedade, a urgência de retomar a actividade, com os riscos inerentes. Os estados modernos não podem como os antigos financiar o circo, dada a multitude de outras e emergências.

Por fim, será que esta grave crise sanitária com os seus condicionalismos e consequências provocará mudanças na organização do futebol? Será que os malefícios desta indústria, que atrai para o seu dirigismo global o oportunismo, a irresponsabilidade, a ilegalidade e a corrupção, serão substituídos por comportamentos mais virtuosos? Pelo que conheço da natureza humana arriscaria dizer que não.

E se numa primeira fase, terá de haver alguma contenção nos gastos, nomeadamente na especulação de passes de atletas, logo que a situação normalize vai ser tudo como dantes. No nosso circo caseiro os chamados 'três grandes' vão continuar a hegemonizar as receitas televisivas. Neste mundo cão, igualdade e solidariedade são palavras meramente vãs. O futebol precisava de outras mentalidades. O mundo pode ser feito de mudança, mas o pão e o circo vão continuar, como sempre, apesar de metamorfoseados.

publicado às 03:04

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Posts mais comentados



Cristiano Ronaldo