Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



​Bola de chumbo

Rui Gomes, em 06.12.18

 

ribeiro_cristovao_300x300147539a0.jpg

Apesar de esperada há alguns dias, a decisão de atribuir ao Luka Modric o título de melhor jogador do mundo tem suscitado alguma polémica, apesar de o número de votos que lhe foram atribuídos revelarem alguma clareza.

 

Pela nossa parte, mantemos a maior reserva quanto a este resultado final, por entendermos que o melhor jogador do mundo voltou a ser, sem discussão, o português Cristiano Ronaldo.

 

Contra o jogador português actuaram, entretanto, diversos factores: desde logo, e o mais importante, o de ter trocado o Real Madrid pela Juventus. Sabendo-se, como se sabe, que o clube espanhol exerce influência decisiva em tudo quanto respeita ao futebol, tanto a nível interno com exterior, a decisão final não espanta.

 

É que depois de CR7 ter abandonado o Real Madrid, Modric foi eleito, o melhor jogador da Europa, melhor do mundo a seguir e, agora, para terminar a Bola de Ouro.

 

Mas Cristiano foi campeão da Europa, bateu todos os recordes a nível de golos marcados, e teve um contributo decisivo para que os merengues tenham ganho a Champions pela terceira vez consecutiva. Muito mais importante do que aquele que foi dado pelo atleta croata.

 

Soa a falso a afirmação escutada com frequência que aquilo que se passou com CR7 fora do futebol também pode ter influenciado os acontecimentos. Se assim foi, é simplesmente lamentável.

 

Esta bola fica, pois, como uma bola de chumbo e não deverá perder peso nos próximos tempos.

 

É que, pasme-se, agora até Sérgio Ramos, um dos futebolistas mais insurrectos do futebol espanhol, reclama para si o direito de ser o próximo galardoado com o troféu.

 

Caso se mantenha no Real Madrid nada nos espantará…

 

Ribeiro Cristóvão, Rádio Renascença

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:32

Matança em Camp Nou

Rui Gomes, em 30.10.18

 

ribeiro_cristovao_300x300147539a0.jpg

O Real Madrid já vinha a deixar à vista a sua incapacidade de se manter no grupo que comanda o campeonato da liga espanhola. As exibições da sua equipa começavam a roçar o inaceitável, ao mesmo tempo que os resultados davam lugar a inesperada desconfiança.

 
Anteontem, em Camp Nou, o clube de Florentino Perez levou a estocada final, através de uma derrota chocante, frente ao maior rival de sempre, e de um actuação paupérrima que vai contribuir, tudo o indica, para o rápido afastamento do seu treinador.

 

Ou seja, o presidente dos merengues está, a cada dia que passa, a colher mais ventos da tempestade que provocou ao afastar o melhor jogador do mundo, aquele que foi durante anos a fio o seu abono de família.

 

E, como se tudo isto ainda não bastasse, Cristiano Ronaldo havia marcado, na véspera, mais dois golos pela equipa da Juventus, que continua a servir com muito empenho desde que vestiu a sua camisola pela primeira vez.

 

É sobre este tema que fazemos muito gosto em escrever nesta altura.

 

A “vingança” está a ser servida fria, o Real Madrid está em cacos, e a matança de Barcelona deve ter sido o início de um processo muito doloroso, cujas consequências são difíceis de imaginar por esta altura.

 

Ribeiro Cristovão, rádio Renascença

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:00

Falta outro tanto

Rui Gomes, em 08.01.18

 

O primeiro “round” chegou ao fim e, há que dizê-lo, com justiça. Falta a outra metade.

 

ribeiro_cristovao_300x300147539a0.jpg

Por agora, a procissão ainda só vai a meio: faltam tantas jornadas quantas as já realizadas até agora (17) e 51 pontos para disputar. E, claro, estamos ainda longe, muito longe mesmo, das grandes decisões.

 

Na dianteira, seguem FC Porto, Sporting e Benfica, por esta ordem, separados apenas por alguns pontos perfeitamente recuperáveis. As conjunturas serão decisivas e, pelo que ficou provado mais uma vez, os grandes perdedores dos campeonatos vacilam normalmente pelos deslizes frente a equipas pequenas.

 

Até aqui, pelo que vimos, nenhum dos grandes conseguiu vencer qualquer dos clássicos, tendo terminado empatados todos os três desafios, tendo sido, curiosamente, obtidos nos mesmos somente dois golos, no recente Benfica-Sporting de há uma semana.

 

E, a aproximação do Sporting de Braga ao trio da frente, não pode igualmente ficar sem a relevância o que o trabalho feito até aqui por esta equipa minhota justifica por inteiro.

 

Curiosamente, os arsenalistas estão apenas a três pontos de alcançar o Benfica, que vão receber no próximo sábado, a partir das 20h30 na primeira ronda da segunda volta.

 

Nesta altura não é aleatório falar da justiça com que chega ao fim o primeiro round.

 

Futebol Clube do Porto e Sporting Clube de Portugal têm sido, de facto, as melhores equipas da temporada, não apenas devido aos resultados alcançados, mas igualmente pelas exibições que ficaram a marcar a grande maioria dos jogos disputados.

 

O que falta da temporada vai exigir muito trabalho e, sobretudo grande regularidade.

 

Tanto portistas como leões têm pela frente um calendário muito exigente, dada a sua permanência em quatro competições, da UEFA, Taças de Portugal e da Liga, e campeonato nacional.

 

O Inverno vai ser duro e difícil. Quem for capaz de resistir a lesões e a castigos, eternos imponderáveis do futebol, terá muitas condições para chegar ao fim à frente de uma corrida que só terminará daqui por cinco meses.

 

Ribeiro Cristovão, Rádio Renascença

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:38

 

Abrantes_Mendes_16634818_base.jpg

 

«Numa alusão à candidatura de Pedro Madeira Rodrigues, Bruno de Carvalho diz que lhe fez confusão que ele tivesse sido apresentado por um benfiquista, o dr. Júdice. Não entendo a obsessão que Bruno de Carvalho tem pelo Benfica quando há coisas muito mais importantes no Sporting para abordar.

 

As observações do presidente à candidatura de Madeiras Rodrigues não passam de faits-divers, às quais não dou valor. Este tipo de declarações são guerras de alecrim e manjerona.

 

Bruno de Carvalho queixa-se da falta de militância no Sporting que se tem traduzido na falta de títulos, mas eu não me revejo nessa opinião do presidente. Recorde-se que o Sporting não tem quatro ou seis anos, tem mais de 100. O Sporting teve muitas conquistas e no tempo de Bruno de Carvalho pouco venceu.

 

No que diz respeito à equipa de futebol, tenho muitas dúvidas quanto à conquista do actual campeonato. Este ano o Sporting está mais fraco e não tem tido boas exibições. Espera que os resultados e as exibições melhorem, mas o Sporting está em desvantagem para com o Benfica e FC Porto».
 
 
Declarações de Sérgio Abrantes Mendes à Rádio Renascença.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:00

O que dizem eles

Rui Gomes, em 22.10.13

 

 

«A prestação da equipa frente ao Alba foi uma demonstração de força e qualidade, apesar de o adversário não ser uma equipa de primeiro plano, que deixou boas indicações para o clássico com o FC Porto. Estou confiante que a equipa vai vencer no Dragão, no domingo, e lá estaremos com todo o apoio para levar o Sporting a campeão nacional. Esse é o nosso grande objectivo.»

 

-    Jorge Bacelar Gouveia    -

 

Observação: Breve declaração de Bacelar Gouveia ao programa "Bola Branca" da Rádio Renascença. Não disse nada fundamentalmente de errado, mas também será justo questionar a necessidade do presidente do Conselho Fiscal do Sporting vir abordar uma questão que é do foro desportivo e que pode ser interpretado como sendo em contradição com os objectivos citados por quem de direito no início da época. 

Reitero o que já aqui escrevi que, para mim, o Sporting é e sempre foi candidato ao título em qualquer época, logo a partir do primeiro dia. Se esse é um objectivo realizável, mediante a época e as circunstâncias, torna-se em um argumento lateral. Face às recém-declarações do presidente e o sequente comentário de Leonardo Jardim, este dirigente foi bem claro, enfatizando: "Levar o Sporting a campeão Nacional é o nosso grande objectivo." E isto é em referência à época actual.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:12

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D




Cristiano Ronaldo