Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Page48_Jorge_Silas.jpg

Silas na sua primeira entrevista desde que saiu do Sporting em Março - que transcrevi da Tribuna Expresso - em que afirma que sentiu que os jogadores já não estavam focados e concentrados.

O QUE PENSOU QUANDO FOI PARA O SPORTING?

"Ouvi algumas opiniões, que para mim era importantes, e eram todas diferentes daquilo que eu apanhei. As opiniões eram uma coisa e quando cheguei comecei a ver que era muito diferente. O que me levou a aceitar foi sobretudo o simbolismo que o Sporting tem para mim (...) tinha jogado dois anos no Sporting, em miúdo sempre gostei do Sporting (...) Eu sou de arriscar. Não sou de me atemorizar perante os desafios."

A EQUIPA NÃO JOGOU DA MANEIRA QUE QUERIA?

"O Sporting nunca jogou da maneira que eu queria e que sinto que poderíamos jogar. Era um contexto muito diferente do que existe agora (...) O Sporting tinha uma característica que foi um dos nossos problemas enquanto equipa: tinha vários jogadores que jogam muito no limite do risco. Ter um ou dois às vezes é bom, mas ter quatro ou cinco torna as coisas mais complicadas pois torna-se uma equipa com muita pressa. Este Sporting tinha muita pressa.

A urgência de ganhar, e os jogadores a sentirem essa ansiedade de ganhar, fazia com que a nossa equipa fosse muito mais vertical do que aquilo que eu acho que deve ser. Várias equipas em Portugal são assim (...) O Bruno [Fernandes] era o jogador que não sentia tanta ansiedade. Ele tem muita confiança nele próprio. Se sofrêssemos um golo o Bruno não ia abaixo a nível psicológico. Não sentia tanto porque não era de desistir."

E O SISTEMA?

"O Sporting jogava quase sempre em 4-2-3-1, um sistema que não uso muito, pois não me identifico e não gosto muito. Tive de me adaptar aos jogadores, pois senti que o facto de terem ganhado muito títulos em 4-2-3-1 os deixou presos ao sistema. Se eu pegar numa equipa de início, dificilmente joga em 4-2-3-1. Gosto muito do 4-3-3 e de uma linha de três. São os sistemas com os quais mais me identifico."

A SAÍDA E AS IDEIAS DE HUGO VIANA E VARANDAS

"As derrotas pesam muito, ainda mais no Sporting, e não estávamos mesmo à espera de ser eliminados [da Liga Europa, pelo Basaksehir]. Fizemos quatro golos e sofremos cinco de bola parada. A bola parada tem muito de concentração dos jogadores e de foco. Ali sentimos que os jogadores já não estavam focados. A frustração da derrota levou-me logo nesse dia a falar com o Hugo Viana. Depois ele disse-me e com toda a razão: 'Silas, vamos dormir sobre o assunto, que a seguir à derrotas as decisões que se tomam quase nunca são boas'.

Foi isso que fizemos, mas depois de descansarmos continuei a sentir o mesmo. Não estávamos a ser a solução e achava que o Sporting devia ter a oportunidade de contratar alguém a pensar no futuro. Alguém que pudesse fazer uma equipa à sua imagem.

Há uma coisa muito importante quando falo do Hugo Viana e do presidente [Frederico Varandas]. Temos opiniões diferentes, mas eu tenho a convicção que mesmo tendo opiniões sobre muitos assuntos, eles são muito bem-intencionados. Querem o bem do Sporting. Isso é uma coisa. Outra coisa são ideias que eu tenho que são diferentes das deles. Eu e eles tínhamos ideias diferentes. Eles acreditam mesmo que as ideias deles são o melhor para o Sporting e acho que isso é o mais importante para os sócios reterem."

JOVANE CABRAL

"Estava para ser emprestado. O próprio jogador pensava que o melhor para ele era ser emprestado. O Jovane vinha de uma série de lesões e a verdade é que quando o começo a ver treinar... O Jovane nunca queria perder. Eu não conhecia bem o Jovane e a verdade é que quando o vi a treinar pensei logo que aquele miúdo não podia sair dali. Ele é tão competitivo que nós precisávamos de jogadores assim. Faltava-nos isso e queria que ele ficasse.

Mas ele tinha na cabeça o empréstimo e falou comigo sobre isso. Disse-lhe para treinar connosco e que na última semana do mercado víamos. A cada treino que fazia eu só tinha mais certezas que era impossível deixar o Jovane sair."

E BRUNO FERNANDES

"A equipa era dependente de Bruno Fernandes dentro do campo porque, realmente, um jogador como o Bruno, que tem tantos golos, tantas assistências, deixa uma marca nos primeiros tempos que é difícil de apagar. O Bruno hoje é, para mim, o principal jogador da equipa do Manchester United. Ele mete nele próprio uma grande responsabilidade e um jogador destes deixa sempre uma marca importante. É muito difícil encontrar um jogador como o Bruno Fernandes.

O Sporting neste momento não tem. Em Portugal, nenhum clube tem. Quando se perde um jogador assim, naturalmente que a equipa se vai ressentir. Era difícil segurá-lo e era injusto, pois ele merece estar onde está. Merece estar a jogar na melhor liga do mundo."

publicado às 05:03

img_920x519$2020_03_02_12_58_35_1670385.jpg

Algumas das considerações de Jorge Silas na conferência de imprensa de antevisão ao jogo desta terça-feira com o Famalicão, a contar para a 23.ª jornada da Liga NOS:

"O mais importante é focarmo-nos no jogo. Tudo o que se diz, se fosse comentar não faria outra coisa... Há uma coisa que é pura verdade: entrei no Sporting com 10 anos pela porta 10A e jamais quero prejudicar o Sporting. O mais importante para mim, é soberano, é o bem do sporting. O momento é de me virar para o jogo, não vou falar de situações pontuais que todos os dias saem nos jornais".

- "Ninguém falou comigo. Falo constantemente com o Hugo Viana. Sinto da parte do Sporting total honestidade e lealdade. Eu também sou assim, a minha relação com o presidente e com o Hugo é baseada nisso. Quando vim já sabia que era até ao final da temporada. Não temos de andar a falar todos os dias se sigo ou não".

- "Há pouco tempo perguntaram-me sobre votos de confiança: a maior confiança que o Sporting podia ter em mim foi convidar-me para vir. Temos uma relação muito honesta porque já nos conhecemos há mais tempo, eu e o Hugo, e ambos queremos o bem do Sporting. Treinadores a prazo? Somos todos. Até o Alex Fergusson saiu do United depois de tantos anos...".

- "Não há profissão mais volátil do que esta. Temos de saber viver com isto. Temos de ser muito fortes psicologicamente. Para desafios destes, como o Sporting, é preciso ter coragem, ser persistente, não dar ouvidos aos outros. Há muita gente que não sabe o que diz. Nesse sentido sou muito forte psicologicamente e só assim se pode treinar num clube como este".

"Quem não quer ouvir críticas não pode treinar clubes com muita pressão e temos de saber viver com ela. Aprendi isso enquanto jogava. Prefiro que falem de mim, bem ou mal, é bom sinal. Quer dizer que estamos numa posição que é invejada".

- "Não acho que isso mereça mais comentários. Mas, continue ou não, o Sporting não pode contratar esses técnicos todos que se têm vindo a falar porque o fair play financeiro não o permite... A minha motivação é defender o Sporting CP o melhor que posso. Há sempre muita gente pronta a vir para cá e o Sporting tem de estar aberto ao mercado, seja de treinadores ou jogadores."

- "Há sempre frustração de sermos eliminados, não estávamos à espera. Alguns deles [jogadores] correram 15 quilómetros, há a frustração de não termos passado, mas não temos má relação por isso. É evidente que temos de fazer uma análise do jogo e da eliminatória, rematámos 37 vezes em dois jogos, fizemos 4 golos e fomos eliminados.

Eles [Basaksehir] têm jogadores muito bons ao nível individual, que já passaram por grandes clubes, mas ao nível colectivo somos mais fortes e acabámos eliminados num jogo em que não esperávamos que isso acontecesse.

Aqui em Alvalade deveríamos ter dizimado este nosso adversário e resolvido logo a eliminatória. Lá foi muito dividido, 21 remates para eles e 20 para nós. Mas 37 remates e 4 golos não é de uma equipa que joga mal. Olhando para os dois jogos não fomos inferiores.

Tivemos pontos negativos que já tínhamos evidenciado em outros jogos, sobretudo fora de casa, ao nível da concentração que temos de melhorar. Não consigo explicar por que em casa é de uma forma e fora é outra. E essas situações são de bola parada. Precisamos desse 'plus' de concentração que os jogadores têm tido noutros momentos."

"O Mathieu ainda não está apto. Já começou a fazer alguma coisa, mas tem 36 anos e é preciso que esteja a 100 por cento para enfrentar um jogo de grande intensidade. Acredito que no próximo fim-de-semana já esteja bem. Só não contamos com ele quando não podemos."

"Eu motivo-me de todas as maneiras. Se você for jogar à bola comigo verá que estou motivadíssimo. Sempre que começo um treino estou motivado e acho que os jogadores também. Temos prazer em jogar e isso é fundamental. No dia em que não tiver essa motivação deixo de treinar. E maior motivação do que usar este símbolo ao peito não pode haver".

- "Acho que é um bom desafio [para voltar ao campeonato]. O Famalicão é uma das melhores equipas a jogar em Portugal, apesar de não estar a passar por uma fase tão positiva. Mas acho que isso é mais ao nível de resultados, porque mantém um futebol muito atractivo. Trata-se de uma equipa que seguramente vai criar-nos dificuldades, mas queremos voltar às vitórias."

"Havia alguma dúvida de que Bruno Fernandes ia chegar ao Manchester United e ser o que é? Ainda vai fazer mais. Imagine daqui a uns meses, quando estiver mais integrado. Via-o treinar todos os dias, honestamente nunca vi nenhum jogador como o Bruno, que ficava uma hora a treinar remates depois do treino. Tinha de dizer 'Bruno, já chega'. Quando chega a uma equipa destas (Manchester United), que também é boa, é normal. Ele é muito extrovertido, facilmente se ambienta".

publicado às 15:31

A antevisão europeia de Silas

Rui Gomes, em 19.02.20

el-entrenador-del-sporting-de-portugal-jorge-silas

Considerações de Jorge Silas em antevisão do embate desta quinta-feira com o Istanbul Başakşehir, a contar para a primeira mão dos dezasseis-avos-de-final da Liga Europa:

“Termos vencido todos os jogos em casa não me parece um dado muito curioso. Temos sido fortes na Liga Europa e não demos hipóteses a nenhuma equipa. Em casa somos favoritos.

Esta é uma fase diferente, agora os golos fora valem a dobrar em caso de empate. Por isso, teremos de ter um tipo de cautela muito diferente. Na fase de grupos há margem para recuperar e nesta não.

Queremos ganhar em casa, mas temos de ter alguma paciência na maneira como vamos atacar para também não sofrermos muitos contra-ataques. Eles são muito bons no ataque, onde têm jogadores muito experientes. Temos de ter cautelas e não perder bolas fáceis.

É uma equipa muito forte e versátil. É forte, não das mais fortes desta fase, mas acho que poderemos vencer este jogo e ir para o segundo com tudo em aberto. É importante não sofrer golos.

Estamos convictos de que podemos ganhar”.

publicado às 03:34

"É uma expulsão que, na minha opinião, não faz sentido: não podemos estar a ver as imagens frame a frame, temos de ver o lance no seu todo. O jogador escorrega, e quando escorrega vai à disputa da bola, ainda consegue cortar a bola e depois...

Quanto muito o amarelo, por imprudência, ainda admito, mas a expulsão não, porque o jogador vem de uma escorregadela e não percebo como é que o VAR não consegue ver uma escorregadela. Amarelo ainda admitia".

Jorge Silas, no final do jogo.

Nota: O árbitro Nuno Almeida inicialmente não viu causa para expulsão, mas mudou de opinião depois de ser alertado por Artur Soares Dias, o VAR neste jogo.

Beto Severo na zona mista do estádio Municipal de Braga:

"Apanhei um balneário destroçado e revoltado com o que aconteceu na segunda parte. É muito fácil neste momento expulsar um jogador do Sporting. Ambos escorregaram e por isso o choque é inevitável. É uma vergonha o VAR expulsar o Bolasie, mas como já disse, é cada vez mais fácil expulsar jogadores do Sporting".

publicado às 04:02

Consideração de Silas

Rui Gomes, em 16.01.20

img_920x518$2020_01_16_13_25_19_1651089.jpg

"É normal que Coates, vendo o lance de Rúben Dias, se possa sentir prejudicado. Acho que o critério aí foi diferente, mas foram árbitros diferentes. Mas eu preparei o jogo sem Coates. Participou sempre nos nossos treinos, mas chega-se ao momento que temos de nos concentrar noutros jogadores. Se ele puder jogar, está mais do que identificado com o que nós temos trabalhado. A minha preocupação foi mais com o onze e um possível substituto".

Sebastián Coates  saberá ainda hoje ou no limite até amanhã à hora de almoço se pode ir a jogo em Alvalade, face ao pedido de despenalização que o Sporting apresentou.

É muito provável que o pedido não seja concedido.

AdendaCoates vai mesmo falhar a recepção ao Benfica. O Conselho de Disciplina da FPF não despenalizou o central, como era intenção do Sporting, e assim sendo este irá cumprir um jogo de castigo pelo quinto amarelo que viu em Setúbal.

publicado às 14:48

Considerações de Jorge Silas após a derrota do Sporting CP na visita ao LASK Linz, esta quinta-feira, a contar para a última jornada da fase de grupos da Liga Europa.

Recorde-se que o Sporting promoveu nove alterações relativamente ao último jogo da Taça da Liga frente ao Gil Vicente.

image.jpg

"Fomos a única equipa que ganhou a esta equipa. O PSV Eindhoven veio aqui e perdeu por 4-0, e não estava com menos um. Portanto, sabíamos que ia ser um jogo difícil de ganhar, independentemente da equipa que viéssemos a apresentar. Também estávamos debilitados pela suspensão (de Bruno Fernandes) e por algumas dificuldades físicas na equipa, sabíamos que ia ser sempre difícil.

Também ninguém nos garante que nós ganharíamos com os jogadores todos. A verdade aqui é: Bruno castigado, Mathieu limitado, Wendel e Doumbia com um risco de lesão elevado. Não poderíamos hipotecar o resto da nossa época por causa de um jogo.

Queríamos vir aqui e ganhar, mas também há outras coisas em que temos de pensar, não podemos pensar só num jogo. Essa é a realidade. O nosso plantel é este, de qualquer das maneiras... nós temos bons jogadores, bons profissionais que merecem ganhar e jogar.

Nós apresentámos uma equipa e jogadores do Sporting, não estou a perceber qual é a polémica. Nós não podemos pensar o seguinte: 'ah, vamos apostar na formação' e não estamos dispostos a correr riscos? Meus amigos, então não se aposta na formação. Isso é uma mentira então. A nossa ideia é esta, de dar oportunidade aos jovens. Quando é que vamos dar? Em jogos que haja tensão? Não, mas sim em jogos competitivos, que eles não tenham pressão para não poder errar e não fiquem marcados".

Como indiquei na altura (ver o post do jogo), fiquei bastante irritado pela maneira como o jogo decorreu. Agora, com muito mais calma e apesar de achar que o Mister não foi muito prudente com a soma das alterações, estou disposto a dar-lhe o benefício da dúvida.

Não sei, no entanto, se a Direcção do Clube partilhará do mesmo sentimento, tendo em conta que se abdicou do prémio de um milhão de euros por ganhar o grupo.

Como sempre, tudo é mais fácil visto da bancada, e há coisas no seio de uma equipa que são desconhecidas no exterior. Registei as suas considerações, mas é difícil distanciar-me da ideia que assumiu riscos porventura exagerados, muito embora também seja justo sublinhar que ninguém previa a expulsão de Renan, cenário que agravou e muito a missão leonina.

Como sportinguista que sou desde que me conheço - e não obstante quaisquer críticas pontuais - só sei apoiar "tudo" quanto é Sporting. Sempre fui assim e sempre serei.

P.S.: Curiosamente, li há pouco que o Sporting nunca venceu na Áustria.

publicado às 04:03

download.jpg

Declarações de Silas na conferência de imprensa após a vitória sobre o Belenenses SAD:

Muitos assobios em Alvalade:

"Temos de aceitar os assobios porque na primeira parte jogámos muito pouco. Mas, na segunda parte tivemos aplausos. Temos de fazer mais. Somos o Sporting. É preciso mais qualidade individual e colectiva. Estamos sujeitos à critica e temos de viver com ela".

O que falhou na estratégia?

"A estratégia não estava errada. Os movimentos é que estavam. Os jogadores é que não perceberam. Não tirámos partido do alinhamento dos três centrais e tivemos de mudar, porque não aproveitámos o espaço que havia. Não acho que a estratégia esteja mal, mas o que temos de melhorar são alguns ajustes. Se tivesse tempo para trabalhar iria usar a mesma estratégia".

download (2).jpg

O que tem falhado? 

"O que falta não depende do sistema. Falta termos menos pressa, em querer chegar ao golo em dois toques. Falta-nos ser mais solidários com a bola, melhores linhas de passe e tentar sair desta situação. Já temos sete vitórias em nove jogos e ainda estamos muito receosos. As vitórias têm que dar confiança em nós próprios e não nos sistemas".

O Sporting continua em quarto lugar na tabela classificativa, com 20 pontos, a quatro do Famalicão, a oito do FC Porto e a dez do líder Benfica.

Continuo a não compreender quem assobia a sua própria equipa, mesmo em vitória, salvo se os assobios vieram das claques, nomeadamente da Juve Leo, e aí já dá para perceber.

download (3).jpg

Luciano Vietto, autor de dois golos, também comentou o jogo:

Foi difícil, com a primeira parte a ser mais complicada. Jogo duro e rápido. Na segunda parte, sabíamos que tínhamos de ser muito melhores do que na primeira. Entrámos mais concentrados e acabou por resultar.

Há muitos factores que contribuem para a qualidade de jogo, como o elevado número de jogos e excesso de viagens. Não é fácil trabalhar outras ideias. Mas estamos a habituar-nos às novas ideias e, com o tempo, a qualidade de jogo vai subir e aos poucos vamos conseguir juntar resultados e boas exibições.

Tenho de trabalhar para que as coisas possam sair melhor. Mas é sempre assim, há um período de adaptação".

publicado às 04:33

doc2019093027153836_op43205277247e3_base.jpg

Em declarações à Sporting TV, esta terça-feira, Silas comentou a equipa do Sporting e o jogo da Liga Europa com o Rosenborg:

"Há muita coisa que melhorou, a nível de jogo jogado e fluidez fomos muito melhores do que tínhamos sido até ao momento. A nível defensivo, por exemplo, praticamente não concedemos nenhuma oportunidade ao Tondela de finalizar.

Agora, temos de melhorar em alguns aspectos, como a bola parada, que ainda para mais é um dos pontos fortes do Rosenborg. Temos de estar mais concentrados. Não é uma questão de posição, é uma questão de concentração, e é por aí que temos de melhorar.

Já tivemos ocasião de ver vários jogos deles e as dinâmicas são todas muito parecidas, independentemente das equipas e dos sistemas que defrontam. Eles têm um estilo de jogo muito directo, que já usaram connosco aqui, e esperamos o mesmo género de jogo.

Agora, temos outro conhecimento deles e eles têm outro conhecimento nosso. Queremos ganhar, porque ficaremos numa posição muito boa".

Para este jogo da quarta jornada do Grupo D da Liga Europa, Silas já poderá contar com Wendel, que esteve afastado da equipa principal por ter violado o regulamento interno do Clube.

Devido a lesão, Marcus Acuña, que sofreu um traumatismo no joelho direito, fica de fora dos convocados, tal como Mathieu, que, com problemas musculares, já tinha falhado no domingo a visita a Tondela.

publicado às 03:46

img_920x518$2019_10_29_01_09_27_1620615.jpg

Na conferência de imprensa de antevisão ao jogo com o Paços de Ferreira, Silas foi instado a comentar a situação de Wendel:

"Continuamos a acreditar nele. Não é minha intenção perdê-lo. Sou das pessoas que menos gostam desta situação e que não foi criada por mim. Agimos de acordo com os interesses superiores do Sporting e não está fora de questão ele poder voltar, isso nunca me passou pela cabeça. É um jogador de enorme potencial que queremos ajudar, mas tem de querer ser ajudado.

Não temos nenhuma data marcada para o Wendel, vamos ver como reage. Não tenho nenhum problema directo com ele, muito pelo contrário. Tentei dar-lhe o meu ponto de vista e ele percebeu. Não é algo taxativo, o Wendel não matou ninguém, mas temos valores que importam cumprir. O nosso principal foco é o colectivo".

publicado às 02:33

image (1).jpg

O treinador do Sporting fez na manhã deste sábado a antevisão ao encontro com o Vitória de Guimarães e aproveitou para revisitar o teor das afirmações após a derrota na Taça com o Alverca. Na altura, Jorge Silas disse que "a equipa não precisa de heróis":

"Não disse que os jogadores queriam resolver os coisas sozinhos. O que quis dizer é que temos de ter mais gente a resolver problemas, mais gente a assumir responsabilidade. Não podemos deixar tudo nos ombros de um ou dois jogadores. Sabemos quem são, não podem fazer esse esforço sozinhos.

Notei muito mais solidariedade relativamente a relações entre jogadores, esse é o meu ponto. Não podemos pôr toda a responsabilidade de um Clube como este em um ou dois jogadores. Somos treinadores de equipa grande e todos os jogadores aqui são jogadores de equipa grande. Todos têm de assumir as responsabilidades. Se queremos ser equipa grande temos de nos ajudar uns aos outros".

Recorde-se que após o triunfo frente ao Rosenborg, o «capitão» Bruno Fernandes também abordou o assunto, refutando qualquer implicação negativa.

Como tantas outras relacionadas com o Sporting, esta questão foi dada ao sensacionalismo despropositado pelos media cá do burgo, sempre com a lupa oportunista na mão.

publicado às 13:43

img_920x518$2019_10_22_15_25_48_1618055.jpg

A equipa principal do Sporting CP continuou, nesta terça-feira, a preparar a recepção ao Rosenborg BK, a contar para a fase de grupos da Liga Europa. com o jogo marcado para quinta-feira, às 20h00, no Estádio José Alvalade.

Silas chamou novamente alguns jogadores da equipa de sub-23 – Pedro Mendes, Matheus Nunes, Rodrigo Fernandes e Dimitar Mitrovski –, não podendo ainda contar com Rodrigo Battaglia e Jovane Cabral, que realizaram tratamento e ginásio, e com Fernando, que esteve apenas no ginásio.

A formação verde e branca volta a treinar amanhã às 10h00, na Academia de Alcochete, com 15 minutos abertos à comunicação social. À tarde, a partir das 18h00, terá lugar no Estádio José Alvalade a antevisão ao encontro europeu com o treinador e um jogador.

*** Em nota separada, Idrissa Doumbia optou por não integrar a selecção de sub-23 da Costa do Marfim, que participará na Taça das Nações Africanas que se disputa de 8 a 22 de Novembro, para se focar exclusivamente no Sporting.

publicado às 18:13

image.jpg

Mais uma vez, a Lei de Murphy vitimou o Sporting, mas, nesta ocasião, o efeito da lenda urbana foi precipitado pelo próprio treinador leonino que, na nossa opinião, sobreestimou o plantel à sua disposição.

Por força dos regulamentos vigentes, Silas não falou em conferência de imprensa formal, tendo posteriormente prestado declarações aos jornalistas, no final do jogo com o Alverca que ditou o afastamento do Sporting da Taça de Portugal:

"Não foi apenas eficácia, mas foi importante. Fizemos o dobro dos remates, era a nossa obrigação pois defrontámos uma equipa duas categorias abaixo da nossa. Fizemos 22 remates e nenhum golo, não é muito normal. A outra parte tem que ver com o facto de alguns jogadores não terem estado connosco durante a semana e não terem trabalhado o que nós trabalhámos.

Na segunda parte jogámos pior, houve posicionamentos que não foram cumpridos. Os jogadores estiveram nas suas selecções, é normal que não o tenham feito e permitimos transições ao Alverca. Não precisamos de heróis, construir uma equipa demora.

Estamos aqui há apenas duas semanas, queremos resolver os problemas como equipa e não como individualidades. É uma das nossas batalhas. Vamos conseguir implementar isso, tenho a certeza absoluta. Demora, vai custar, temos de trabalhar muito, mas vamos conseguir. Apostámos na qualidade individual e acabámos por perder um bocado na nossa organização.

Os adeptos estão desiludidos e com toda a razão. Temos de aceitar a crítica quando ela é merecida e é merecida. Mas não vamos deixar influenciar-nos".

publicado às 04:30

Silas faz apelo à união

Rui Gomes, em 16.10.19

img_797x448$2019_09_29_15_24_25_603008.jpg

Palavras de Silas em recém-entrevista à Sporting TV:

"Por tudo o que o Sporting passou é importante estarmos unidos. Não é discurso que eu use muito, o da união, pois parto do princípio que devemos ser todos um.

Quero pessoas com opiniões distintas na minha equipa técnica, não vou criar guerras por isso.

O objectivo é ter um Sporting mais forte e não mais fraco. Vamos precisar de toda a gente, quando ganhamos e quando perdemos. Assim chegaremos a um sítio do qual nos orgulhemos todos. O nosso propósito aqui é construir uma equipa da qual todos nos orgulhemos".

publicado às 14:15

img_920x519$2019_09_29_13_49_46_1608453.jpg

Silas na conferência de imprensa de antevisão ao embate com o Aves, a sua primeira como treinador da equipa principal do Sporting:

Eis algumas das suas considerações mais em destaque:

Dois dias de treino

"Foram dois dias, 48 horas sempre a andar, nem se dorme, o tempo é curto. Aquilo que eu esperava, em termos de qualidade individual, um plantel muito forte, comparativamente àquilo que tenho apanhado, e tenho apanhado jogadores muito bons tecnicamente, mas estes são ligeiramente superiores. Ao nível colectivo é cedo para falar disso, praticamente não treinámos coisas tácticas. Só deu para ver a qualidade individual dos jogadores."

Estratégia
 
"Eu tenho vindo a dizer que é preciso acreditar na nossa maneira de jogar. Acho que aqui dentro, interessa-nos os que cá estão, todos a remar para o mesmo lado. A nossa maneira de jogar é algo arrojada, arriscada. Algum jogador que em algum momento não acredite nisto, pode muito bem deitar tudo por água abaixo. Vamos pedir coisas arrojadas, vamos entrar sempre para mandar no jogo, seja que adversário for. É preciso acreditar que temos qualidade para o fazer. O que vamos pedir é algo que acreditamos que eles vão conseguir fazer. Não sei o que lhes pediram antes."

Adversários fortes
 
"Quando jogarmos contra o Benfica ou o FC Porto vamos estar preparados para disputar os três pontos, de certeza. Mas nem o Benfica nem o FC Porto estão à frente. Vamos ver. Nós neste momento estamos com algum atraso, mas faltam imensos jogos. Em todos os jogos vamos estar capacitados para ganhar, seja com o Aves, com o Benfica ou com o FC Porto. Acredito que podemos ganhar todos os jogos, mas vai depender de várias situações, lesões, castigos... Vamos entrar para ganhar, com este plantel podemos pensar em ganhar todos os jogos. Sabemos que amanhã vamos defrontar uma equipa muito boa, que tem um treinador campeão nacional como treinador e como jogador, sabemos que vamos ter problemas, até porque já o defrontei e perdi. Sei bem o que vou defrontar."

Sistema
 
"A nossa ideia futebolística não se prende a um sistema. No Belenenses usávamos muitas vezes uma linha de três porque se adequava aos jogadores que tínhamos. Mas preparem-se para verem várias alterações a esse nível. A nossa ideia é atacar, criar situações de golo, as dinâmicas que vamos implementar vão nesse sentido. Depende dos adversários que vamos apanhar."

Aves
 
"No ano passado fizeram uma grande recuperação, depois sofreram alterações no plantel, este ano ainda mais e agora vão precisar de algum tempo. Acho que ainda estão à procura do melhor sistema para adequar aos jogadores que têm. É uma equipa muito versátil, mas estamos preparados para isso. Espero uma equipa perigosa, muito forte no contra-ataque, não vou ensinar nada ao Inácio, só vou aprender com ele."
 
A conversa de Bruno Fernandes
 
"Isso foi tudo antes de mim. Não fui perguntar ao balneário como é que as críticas tinham caído. O que eu vejo é que o Bruno Fernandes é uma pessoa muito querida no grupo, muito brincalhão, é frontal e é capitão e tem a responsabilidade de ser fontal. Também já fui capitão. Capitão é o que chama a atenção, não é o que passa sempre a mão pela cabeça do colega. O que é que eu vi?... Vi um Bruno brincalhão, os outros jogadores a brincarem com ele. Há certas hierarquias que têm de ser respeitadas. Mas não sei muito mais do que se passou mas, pelo ambiente que vejo, não deve ter havido ondas de choque nenhumas".
 
As credenciais de treinador
 
"Duas coisas importantes: sou sócio com quotas em dia da associação que o senhor José Pereira preside e  joguei futebol durante 30 anos, pelo que tirei o 2º nível do curso quando foi possível. O 3.º ainda não consegui porque era preciso treinar durante dois anos no Campeonato Nacional para poder inscrever-me. Se troco um mês de jogador por todos os cursos do Mundo? Não! Vou preocupar-me com o quê? Quando deixarem tirar tiro. O problema não é eu não querer, mas sim o facto de não me deixarem formar.
O senhor José Pereira já se tinha manifestado sobre isso quando fui para o Belenenses. Eu contrapus com os argumentos que estou a apresentar agora. Ele já anda a falar nisto há muito tempo e é preciso ter cuidado porque sou sócio pagante de uma associação que está também para me defender".

"Nunca pensei acabar a carreira e poucos meses depois estar a treinar na 1ª Liga. E vinte meses depois tenho uma oportunidade num clube como o Sporting, sinto que as coisas são muito trépidas. Se estou preparado? Estou, disso não tenho dúvidas nenhumas. Nenhum treinador passou pelo que passei no Belenenses e pelo grande desafio que foi. Acho que nos saímos bastante bem, gostamos de desafios e acho que aqui também nos vamos sair bem".

publicado às 05:04

Fotografia com história dentro (165)

Leão Zargo, em 29.09.19

SCP infantis 1988-89 com César Nascimento e Osval

Silas

A fotografia mostra o plantel infantil leonino na época de 1988-89, com os técnicos César Nascimento e Osvaldo Silva. Para todos eles o horizonte tinha a cor verde da esperança. O segundo à esquerda, em baixo, é um miúdo que na altura ainda usava o nome de Jorge Fernandes, mas que brevemente seria conhecido por Jorge Silas, numa homenagem ao jogador brasileiro que na altura brilhava com a camisola sportinguista.

O jovem Silas jogou duas épocas nos infantis, mas foi dispensado na transição para os iniciados. “Era franzino, baixinho e naquela altura dava-se muita importância ao físico. Mas olhando para trás acho que tomaram a decisão correcta", como explicou o próprio numa entrevista à Tribuna Expresso, em 2017. Depois fez-se à vida, e jogou no Atlético, Ceuta, Elche, União de Leiria, Marítimo, Belenenses e Cova da Piedade, com passagens por Inglaterra, Chipre e Índia.

Jorge Silas regressou agora a Alvalade com uma tarefa complexa. Transformar um plantel descrente e desorganizado numa equipa competitiva e vencedora, e contribuir para unir e pacificar o Clube.  Para além de treinar os seus jogadores, terá também de ocupar-se deles como psicólogo, enfermeiro, terapeuta e conselheiro. Pelo menos isso. Não sei, aliás ninguém sabe de ciência certa, se ele tem estatura para tanto, capacidade e conhecimento para tudo o que é necessário, mas se tiver sucesso Silas ocupará um lugar de destaque na história do Sporting.

(A fotografia foi retirada da página no Facebook “Osvaldo Silva - Homenagem”.)

publicado às 14:30

71341852_10156256773226555_326695772542205952_o.jp

Apresentação de Silas como treinador do Sporting

Considerações de Silas pela apresentação da nova equipa técnica, em Alvalade:

"Estamos muitíssimo contentes e até surpresos porque saímos de um clube há tão pouco tempo e não pensávamos receber um convite do Sporting, mas aqui estamos. Na nossa carreira tem acontecido tudo muito rápido. Deixámos de jogar e, passados seis meses, estávamos a treinar na Primeira Liga. Saímos de um clube e, passadas três semanas, estamos no Sporting CP.

Na minha carreira como jogador houve certos momentos que me marcaram muito. Um deles aconteceu quando era miúdo, tinha 13 anos, e fui dispensado do Sporting. Terá sido a maior desilusão de toda a minha carreira, mas deu-me força para ser profissional. Na altura, a dispensa foi  inteiramente justa. Passados tantos anos, estar a ocupar um cargo desta importância... Acho que conseguem imaginar o muito que isto significa para mim. Não vou esconder o meu passado. Joguei aqui dois anos e sempre gostei do Sporting CP. Estar a treinar o Sporting Clube de Portugal e poder ter a oportunidade de elevar o Clube para um patamar superior enche-nos de orgulho, mas sabemos a responsabilidade que temos.

Confiamos muito nas nossas capacidades, sabemos que a nossa maneira de jogar exige que todos – adeptos, jogadores, treinadores, presidente e dirigentes – acreditem nela porque é arriscada e arrojada. A nossa forma de jogar é agradável para os jogadores e também para os adeptos. Todos têm de acreditar e eu acho que é isso que vai acontecer. Não temos medo. Para se estar num Clube como este não se pode ter medo, temos de ser ambiciosos e irreverentes.

silas_2.jpeg

Nunca vão ouvir de mim que eu não acredito nestes jogadores. Aceitei vir para cá porque acredito nos jogadores que temos. Todos os jogadores têm a sua história e por alguma razão estão aqui. Vamos à procura do que eles têm. É preciso trabalho, conhecê-los e ouvir o que eles sentem. É isso que vamos fazer.

Estou à espera de encontrar um balneário como os que encontrei em toda a minha vida. Fui jogador durante trinta anos, não há nada no balneário que seja segredo para mim. Não acho, honestamente, que possamos ter grandes problemas. Sei bem que temos gente profissional, trabalhadora e muito ambiciosa. Não podemos pedir muito mais. O que eles querem é somente ganhar. Ninguém gosta de não poder sair à rua por causa de um mau resultado. Os profissionais sofrem muito com os maus resultados".

publicado às 13:30

A lotaria do dia sai a Silas?

Rui Gomes, em 26.09.19

img_467x599$2019_09_26_03_02_52_1606704.jpg

Bem... já tinha o outro post preparado, mas entretanto o Record sai com esta capa que deixa tudo em dúvida. Esperamos, portanto, por confirmação oficial, que, em princípio, não será emitida antes do jogo desta quinta-feira com o Rio Ave.

Sendo verdade e a julgar pelo debate de ontem, Silas parece ser uma escolha praticamente consensual entre sportinguistas.

Curiosamente, de acordo com o jornal, Frederico Varandas chegou a falar com Mourinho.

Nota: Alguém se recorda que enquanto atleta, Silas fez dois de formação no Sporting?

publicado às 04:17

 

img_920x518$2017_06_22_17_07_11_1280348.jpg

 

O Belenenses defronta hoje o Aves, em jogo da 31.ª jornada, e Silas reconhece que Augusto Inácio tem vários jogadores na equipa que vão dificultar a vida aos azuis do Restelo.

 

E até dá 'dica'... ao Sporting, em conferência de imprensa de antevisão ao jogo:

 

"Temos que alterar pequenas coisas, mas não o sistema tácito. O Mama Baldé está muito bem, fez uma excelente época e é um jovem jogador que pertence ao Sporting. Se calhar, o Sporting tem de começar a pensar dar-lhe uma oportunidade...".

 

Mama Baldé, de 23 anos, ao serviço do Desportivo das Aves esta época, por empréstimo do Sporting, regista participação em 33 jogos, 30 dos quais como titular , com 2584 minutos de jogo (média de 78,3 minutos por jogo), com 10 golos marcados.

 

publicado às 04:03

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds