Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Fotografia com história dentro (145)

Leão Zargo, em 05.05.19

 

21442959_KnCM1.jpeg

 

António Morais num Sporting - FC Porto em Abril de 1988

 

Em 1987-88 a época ia desastrosa para o Sporting, classificado apenas em quinto lugar no final de Dezembro. Mas, por vezes, o pior está sempre para vir, e aos leões isso aconteceu em Janeiro com apenas uma vitória em cinco jogos. A cereja em cima do bolo foi uma goleada por 4-0 em Penafiel. E a oitava posição na tabela classificativa.

 

Houve a inevitável “chicotada psicológica”, o inglês Keith Burkinshaw foi substituído por António Morais, o antigo adjunto de Pedroto, que chegou a Alvalade confiante no seu valor e do plantel leonino. À cautela acrescentou, com um sorriso irónico, que se por acaso falhasse todos diriam que “foi o sacana do Norte”. Orientou o primeiro jogo em Vila do Conde, em 7 de Fevereiro, com uma vitória por 2-1.

 

António Morais reencontrou-se com o FC Porto na 29ª jornada do Campeonato Nacional. Os portistas ainda estavam invencíveis e lideravam destacadíssimos a competição, que venceriam com quinze pontos de avanço sobre o Benfica, o segundo classificado. Os leões lutavam por assegurar o quarto lugar conquistado ao Boavista, e que dava acesso às competições europeias.

 

Naquela noite fria de 9 de Abril o Estádio de Alvalade estava muito bem composto e o FC Porto mostrou desde logo que não estava ali para correr riscos. Na primeira parte esteve muito organizado no seu meio campo, sem um remate perigoso que tenha incomodado Vítor Damas. Os leões é que sentiam a necessidade da vitória em virtude da disputa com os boavisteiros, jogando sempre em velocidade e pelas alas, com grande destaque para Lima.

 

Os visitantes só reagiram quando Paulinho Cascavel, aos 46 minutos, de fora da grande área, rematou forte e colocado com sucesso ao ângulo superior esquerdo da baliza de Mlynarczyk. A partir daí o jogo ficou equilibrado, até que Mário Jorge marcou um golo invulgar. Pontapé de canto para a pequena área, a bola bateu no peito do guarda-redes e a seguir beijou as redes. O FC Porto ainda reduziu para 2-1, mas foi o melhor que conseguiu fazer.

 

No final do jogo, o treinador do Sporting exprimiu a sua satisfação: “Estamos satisfeitos sem estar eufóricos. Os meus jogadores mostraram aquilo que sabem e conseguimos quebrar a invencibilidade do FC Porto. A nossa massa associativa bem mereceu esta alegria.”  Infelizmente, António Morais não voltou a orientar noutro “clássico” pois pouco tempo depois morreu tragicamente num acidente de viação.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:02

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo