Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



download.jpg

Um dos temas que foi abordado por Frederico Varandas na entrevista de ontem à Sporting TV, foi o despedimento do treinador Marcel Keizer:

SAÍDA DE KEIZER

“Entendemos que o ciclo de Keizer fechou-se. Mas é justo relembrar como o clube estava em Novembro de 2018. É muito importante que percebam que nenhum treinador quer vir para um projecto em que não se sinta seguro. Marcel Keizer aceitou o desafio e cumpriu a missão num contexto difícil, num ambiente difícil. Venceu dois títulos importantes. Tínhamos a expectativa que a equipa crescesse na nova época, mas a final da Supertaça marcou muito. A própria confiança de Keizer baixou e isso passou para o grupo. Sentia-se que a equipa tanto podia fazer um jogo muito bom, como um jogo mau, não sentíamos a equipa com confiança”.

MOMENTO DA SAÍDA

Muita gente fala dos timings... a decisão não teve a ver com Rio Ave, foi uma decisão ponderada depois do que aconteceu a partir de 4 de Agosto. E há quem diga: para isso devia ter saído no final da época. Mas alguém ia despedir um treinador que tinha ganho uma Taça da Liga e uma Taça de Portugal naquelas condições? Alguém fazia isso? Tenho a certeza que não”.

ESTRATÉGIA DA DIRECÇÃO

“Se há coisa que esta administração e esta direcção não abdica é da estratégia e do rumo e jamais isso deve mudar conforme o treinador. A estratégia e o rumo serão os mesmos: aposta forte na formação com contratações cirúrgicas. Esta é a nossa linha. Não é por mudar o treinador que isso muda. A estrutura está montada, é profissional e tem um rumo”.

LEONEL PONTES

“Leonel Pontes não tem prazo, tem uma tarefa: depois estaremos cá para tomarmos as decisões que temos de tomar. Não foi escolhido para treinador dos sub-23 por acaso: conhece muito bem o futebol português, conhece a realidade do Sporting, a estrutura.. Conhece o plantel dos sub-23, da equipa A, as rotinas da equipa A, é da casa, conhece unidade de performance o departamento médico. E, muito importante, é um treinador português”.

PRÓXIMO TREINADOR

“Não pode ter medo de apostar na formação, porque é o futuro. Tem de ser competente, apostar na formação e obviamente tem de ter resultados”.

Para quem não teve oportunidade de assistir à entrevista, publicamos aqui o vídeo da mesma:

Os temas abordados pelo Dr. Frederico Varandas:

- As saídas de Thierry e Bas Dost: do "grande negócio" ao "negócio possível"

- «Ao primeiro desaire lá saem os esqueletos do costume...»

- «Há três ou quatro Sub-23 que vão fazer parte do plantel da próxima época»

- Balanço do mercado e explica reforços do último dia de defeso

- «Sete milhões pelo Podence é um bom negócio»

- «Bruno Fernandes vai ter o contrato revisto porque o merece»

publicado às 03:03

 

fredericovarandas16.jpg

 

Algumas considerações de Frederico Varandas, em entrevista à Sporting TV, sobre os seus primeiros cem dias como presidente do Sporting:

 

"Foram 100 dias intensos, de muito trabalho diário, sério e honesto. Se me perguntassem há 100 dias se era possível estar assim, diria que sim. De uma forma geral, fazendo um exame global destes 100 dias, o primeiro objetivo foi atingido: hoje, o Sporting é saudável nos funcionários, no futebol, nas modalidades e um Sporting que voltou finalmente a ser notícia por bons motivos. Já não somos notícias por coisas que intoxicavam. O orgulho foi devolvido aos sportinguistas. O nome do Sporting já não é alvo de chacota, para brincar. Esse foi o principal objetivo da minha equipa".

 

Marcel Keizer

 

"A escolha define muito o que é esta Direcção. Não pode haver algo que dê mais força a quem tenha de decidir do que ter independência. Não tivemos de agradar a nenhuma facção. Quando se decide com independência, sem ter a preocupação de tomar decisões por causa do mandato e de eleições. Para mim a aposta não teve risco nenhum. E disse isto antes de ele fazer o primeiro jogo. Assenta em quatro factores, como disse antes.

 

Esta era a opção que me dava mais tranquilidade. Muito se fala dele hoje e merece, é um grande treinador, um grande senhor. Nem ele próprio acreditava que ia correr assim tão facilmente. Não é fácil chegar a meio sem ter feito pré-época. O sucesso que está a ter como nosso timoneiro vem da estrutura do Sporting.

 

No dia em que ele der uma entrevista, jamais poderá esquecer esta equipa à volta dele. Beto e Hugo Viana têm feito um trabalho fantástico, e são muito discretos a trabalhar. De um profissionalismo e competência fantásticos. Mas não só: secretários-técnicos, toda a parte logística à volta, departamento médico, Unidade de Performance já implementada.

 

Quando lancei o nome dele [Keizer] muita gente ficou em pânico. Vamos pensar pelas nossas cabeças. Há algum tempo que reparei em Keizer, no futebol do Ajax. Depois, houve oportunidade de o conhecer melhor. Sou uma pessoa racional mas sigo sempre o mesmo instinto. Em conversas com ele, vi como as equipas dele jogavam, a forma como lidera um grupo, trocámos informações sobre jogadores e a sua forma de ser. Todas as peças para ter o mínimo risco possível.

 

E depois tínhamos uma estrutura preparada para receber Keizer. Dificilmente trocava esta estrutura por qualquer outro clube, e não falo apenas de Portugal. Sei o que quero para um treinador, para um grupo, para o departamento médico, etc. Tive a sorte de conseguir trazer estas pessoas e não é preciso ter muito dinheiro".

 

José Peseiro

 

"Seria a pessoa mais feliz se tivesse continuado com ele até final da época, era sinal que tinha corrido bem. Mas o dever do Sporting é um clube com exigência. O Sporting tem de dominar 32 jogos por ano no mínimo. Pode até não ganhar mas tem de ser favorito e mandar. Agradeço a Peseiro tudo o que fez mas não era aquilo que o Sporting precisava neste momento. Admito que isto cause frustração. Se foram dias complicados para mim? Não. Nem estou arrependido. Foi uma decisão altamente tranquila e segura. Vem de trás, vem do que vi e senti, da minha experiência".

 

Processos de rescisão

 

"Estão a decorrer negociações sobre Gelson. Acredito que até final de Janeiro teremos o dossiê fechado. Com acordo... se for bem fechado. 

 

Não sei se os clubes - Olympiacos (Daniel Podence) e Lille (Rafael Leão) - terão capacidade e vontade para fazer um bom acordo e se assim não acontecer, vamos ter de ir até às últimas consequências. É um dado adquirido, está mais do que preparado. Podemos, se houver condições para bom acordo, parar a meio".

 

Claques

 

"Não quero acabar com claques. Eu era da Juve Leo e pagava bilhete da claque. Estão a haver reuniões civilizadas entre nós e as claques. Vamos chegar a um acordo para que o Sporting fique satisfeito e não o presidente. A minha missão é defender o Sporting. Neste momento existe espaço para adeptos, sócios e claques. O que temos de estar é num espírito de ajudar o Sporting, seja claque, adepto ou sócio. 

 

Obviamente que há coisas que já mudaram, outras que estão a mudar... Isso é óbvio! Não é correcto dizer [o que será mudado], porque estamos a conversar."

 

Sturaro

 

"É mais uma pasta que herdámos. Houve uma altura, quando vencemos eleições, duas semanas depois, que me perguntaram como era essa situação, para preparar integração, e eu disse 'esperem'. Quis perceber todo o dossiê. Percebi que é um jogador que não joga há muitos meses, que a recuperação não correu bem, que foi operado e que está a recuperar dessa mesma operação. Como é a minha área e sou muito exigente na mesma, falei com o meu colega da Juventus - ele já me conhece. O Sturaro estava para vir, isto em Novembro, e eu disse 'não'. Só virá quando estiver a 100%, quando fizer os exames médicos e for aprovado. Não queremos fazer recuperação a jogadores para ficarem bons em 2019. Entrará quando estiver bom e se estiver bom. Logo se verá".

 

publicado às 03:33

 

 

Algumas considerações e explicações de Bas Bost, em entrevista que concedeu à Sporting TV:

 

"Eu jogava há quatro anos na Alemanha. Vim para Portugal e não fazia a mínima ideia do que me esperava. Gostei das pessoas desde o primeiro momento. São muito educadas, gostam de conversar. São diferentes das pessoas na Alemanha e na Holanda. O sol está a fazer-me muito bem. Quando era um jovem já gostava de ir de férias para França ou para Espanha, por causa do sol. Aqui o sol brilha quase todos os dias. É algo de que gosto muito.

 

E o Sporting, claro, todos aqueles que trabalham no clube, sabem que é um grupo, é uma família, aconteça o que acontecer. É verdade que no passado aconteceram algumas coisas más, mas temos de seguir em frente. O Sporting é um clube com pessoas que lhe são muitíssimo dedicadas. Quando cheguei, senti imediatamente que fazia parte dessa família. Estou feliz por esta oportunidade.

 

img_920x518$2018_12_06_14_16_46_1480199.jpg

 

O Jorge Jesus queria tanto que eu viesse para cá, que fez tudo para conseguir. Se ele não estivesse aqui naquela altura, eu nunca teria jogado pelo Sporting. Foi muito importante para a minha carreira naquele momento. Ainda bem que ele estava aqui, não quereria perder esta oportunidade por nada.


O jogo com o Rio Ave foi difícil mas fizemos uma exibição muito boa. Quisemos ter a bola desde o primeiro minuto. Quando a perdíamos, fazíamos tudo para a recuperar. Neste momento, é um grande prazer jogar nesta equipa e isso vê-se. Quando marcamos um golo, é um grupo unido. Todos estão muito felizes. Assim podemos ganhar muitos jogos. Neste momento, o Sporting está muito bem.

 

O momento em que cabeceei para golo no jogo com o Rio Ave é indescritível. É tão bom, é o que gosto de fazer e é precisamente por isso que jogo futebol. Os adeptos vão esperar o mesmo em todos os jogos e isso é uma das coisas de que gosto muito".

 

publicado às 04:17

 

 

publicado às 04:02

 

img_920x518$2018_08_19_21_04_14_1437846.jpg

 

Apenas assisti a parte do debate que foi realizado ontem à noite na Sporting TV, entre os sete candidatos à presidência do Sporting no acto eleitoral de 8 de Setembro. Há quem diga que se ouviu mais bocas do que ideias, mas decerto que houve algum aproveitamento.

 

Há todo o interesse em saber a opinião dos nossos leitores, desejando, no entanto, que essa opinião seja construtiva e objectiva, simpatias pessoais não obstante.

 

Vejo-me ainda muito longe de tomar uma decisão definitiva, mas por tudo aquilo que li e ouvi e se tivesse que fazer uma declaração de apoio hoje, a minha escolha talvez fosse Fernando Tavares Pereira.

 

Parece-me, entre todos, o mais sensato e sincero, sem vaidades, desinteressado e com um registo de grande sucesso na sua vida. Tem um plano muito concreto sobre o que pretende para o Sporting e como levar as suas ideias a concretização.

 

- Fernando Tavares Pereira quer arrumar a casa em termos financeiros no Sporting, que tem um passivo de 400 milhões, tem empréstimo obrigacionista para pagar em Novembro e até ao fim do ano terá de pagar 100 milhões de euros. Que vai fazer uma limpeza total na Academia.

 

João Benedito garante que André Cruz (director desportivo) podia antecipar situações como a de Matheus Pereira. Muito daquilo que se fala das questões financeiras, têm de passar por uma participação activa por parte dos sócios. Pede a todos que não deixem de pagar quotas, comprar gameboxes e merchandising do clube.

 

Rui Jorge Rego confirma Roberto Carlos como director desportivo e garante Paulo Lobo como presidente da SAD.

 

José Maria Ricciardi acusa Frederico Varandas de andar a esconder Godinho Lopes como apoiante e clama que tanto o médico como João Benedito não têm capacidade de liderança.

 

Pedro Madeira Rodrigues volta a referir Ranieri e insiste que uma equipa para o futebol com este treinador, Delfim, Mariano Barreto e Marco Aurélio oferecem garantias de ser campeão.

 

Dias Ferreira diz que ao chegar ao Sporting não vai fazer como fazem no Governo; mandar tudo embora. Terá de avaliar o trabalho de quem está no Clube e tomar decisões sem fazer nenhuma revolução.

 

Frederico Varandas, além de acusar Ricciardi de amadorismo e de não perceber nada de futebol, clama que tem de longe o coordenador para o futebol com mais conhecimento de todos e nas modalidades  uma pessoa com muita experiência. Que o papel de um líder é saber rodear-se bem. Diz que o ambiente no futebol tem sido envenenado e 'abatotado' e exige ser rectificado.

 

***A ordem dos candidatos não tem significado algum.

 

publicado às 03:33

 

Luiz Filipe Scolari, um dos participantes no congresso promovido pelo Sporting "The Future of Football", a decorrer no Pavilhão João Rocha, em entrevista à Sporting TV:

 

luiz_felipe_scolari_16.jpg

 

"É sempre um prazer enorme regressar a Portugal. Tenho um grande carinho por este povo. Estou muito feliz por ter aceitado este convite. No ano passado não pude comparecer porque estava na China, mas agora como não estou a treinar aceitei o convite com a toda satisfação e entusiasmo. Vou participar na função de orador, mas também irei ouvir e aprender com os outros convidados.

 

Acredito que este tipo de iniciativas são muito importantes para o mundo do futebol, pois é, também, através destas experiências que se pode melhorar cada vez mais este desporto. O Sporting CP é um emblema vitorioso, pelo grande grande trabalho realizado a nível desportivo e pela historia do próprio emblema. O Sporting Clube de Portugal é um clube com mentalidade vencedora.

 

É importante que o Sporting tenha apoiado medidas que vieram melhorar o futebol, como o VAR. Nós, técnicos, treinadores, jogadores e jornalistas, temos a função de conduzir e focar o futebol para as quatros linhas. O video-árbitro veio melhorar a credibilidade desportiva, pois contribuiu para a menor existência de erros. Foi uma mudança bastante positiva. Porém, penso que as pessoas valorizam mais quando os árbitros erram do que quando tomam atitudes acertadas.

 

A partir de 2002 verificou-se uma alteração na Selecção em todos os paradigmas. Os portugueses começaram a perceber como se trabalhava e aprenderam a valorizar os símbolos do país. Foi um processo contínuo que hoje esta a dar frutos. Dei o meu contributo e foi com grande euforia que celebrei a vitória alcançada em 2016. Festejei como um verdadeiro português.

 

Quanto ao meu futuro profissional, estou a estudar as várias propostas que me têm aparecido. Até ao final do mês de Março vou decidir onde irei trabalhar nestes próximos anos. Tenho algumas possibilidades. Porém, independentemente de tudo, volto sempre a Portugal, para estar junto da minha família".

 

NOTA: Não sei se Scolari estava a ser sincero se apenas politicamente correcto ao afirmar que o Sporting é um clube com mentalidade vencedora. O contexto não obstante, até concordarei com esta disposição no que ao todo do Clube diz respeito, mas não no que refere ao futebol profissional. Já há uns bons anos a esta parte que esse "make-up" não existe nesse sector, e não me refiro apenas a títulos conquistados, mas muito mais à qualidade da sua organização e modo de competir, a começar com os dirigentes e a terminar com os próprios adeptos.

 

Deixo a interpretação ao critério dos leitores.

 

publicado às 02:41

 

Bruno de Carvalho Sporting TV 5.Set.2017.jpg

 

O longo monólogo de Bruno de Carvalho à Sporting TV na passada 3ª feira inseriu-se na estratégia de reforço do pacto de auto-engano que mantém com o seu círculo interno de dirigentes e de fiéis seguidores. É o lado negro do modelo de gestão que adoptou. Na realidade, neste momento da pré-época, imaginar-se-ia o presidente focado naquilo que é essencial e indispensável. Da equipa de futebol quase que não falou, para além das atoardas e gabarolices habituais. As modalidades desportivas pouco foram mencionadas, mas referiu-se (e muito) a assuntos internos do Clube. A razão principal da entrevista residiu no tacticismo subterrâneo permanente de Bruno de Carvalho.

 

Para ele, adeptos, jogadores, treinadores e outros membros dos órgãos sociais são meros figurantes do seu projecto pessoal. Por serem figurantes mandou calar sportinguistas durante um jantar num Núcleo, ameaçando ir-se embora, ou decidiu que o adepto perfeito é aquele que fala, lê e ouve como o “Vasco”. Ou revelou-se na forma como afirmou que deu indicações a Leonardo Jardim e despachou William Carvalho proclamando que este lhe é devedor da sua carreira de futebolista.

 

Bruno de Carvalho considera o Sporting como uma coutada sua. A propósito de um processo a José Manuel Meirim, presidente do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, garantiu que “vou colocar os meus advogados a trabalhar nesta atuação muito parcial no que à minha pessoa diz respeito”. Na verdade, estava a referir-se ao gabinete jurídico do Sporting e não a advogados cujos honorários paga do seu bolso. Há algum tempo falou com evidente volúpia do “meu treinador”. No monólogo de 3ª feira referiu-se ao “meu Estádio”.

 

Acontece com frequência que a cadeira do poder faça o seu “ocupante” perder a própria identidade pessoal e assumir uma outra identidade determinada pela "forma" e pelo “modelo” de governo. O que se passa com Bruno de Carvalho é algo bem diferente, pois ele limitou-se a refinar as características pessoais que já possuía.

 

Ele tem a necessidade de criar um clima que iluda o seu receio de fracasso depois de quatro anos na presidência, e de manter os sportinguistas na ilusão e na esperança do sucesso. Como vive obcecado com o reconhecimento forte por parte dos sportinguistas, desespera por ter uma impressão favorável entre os adeptos. Mas, de tanto pretender domesticar a realidade corre o risco de descolar dessa mesma realidade.

 

publicado às 12:35

E a palhaçada continua...

Rui Gomes, em 18.04.17

 

Alguém terá dito, algures, "Eu levo um sorriso à cara, dou umas risadas, faço umas palhaçadas, e assim engano todo o Mundo"...

 

Duvido que os direitos de autor pertençam a Bruno de Carvalho, mas pela ampla evidência à vista é este o modus operandi dele, que apenas intensificou com a sua acrescida arrogância e prepotência após o recém-acto eleitoral.

 

Não satisfeito com a palhaçada mediática precipitada pela sua publicação desta segunda-feira no seu escritório favorito do Facebook, o personagem que passa por presidente do Sporting voltou a atacar João Paiva dos Santos e Paulo Pereira Cristóvão no programa Pós Jogo, da Sporting TV. A pretexto de homenagear um dos seus acólitos, Dias Ferreira, pelo aniversário deste, acabou com mais uma performance carnavalesca. Quem tiver estômago para tanto (que eu não tive), pode ver aqui, o que ele próprio apelida, ironicamente, de um "triste espectáculo":

 

 
«Eu gosto de filmes de terror, mas esta saga do ‘Sei o que fizeste no verão passado’ é fraca. Sei que o assunto é sério, mas admito que me fartei de rir. Infelizmente, isto é uma coisa para a qual já estou a alertar há muito.

É uma afronta ao Sporting. Se eles sabem algo, digam. Se não sabem, que se calem. Não vou ter dor nenhuma na alma de fazer ver aos sportinguistas que temos pessoas que fazem isto dentro da nossa casa. Que metam os processos que quiserem. Todos os que me quiserem processar podem dar as mãos e cantar o Kumbaya».

E não resistiu mandar mais uma indirecta a José Manuel Meirim, presidente do Conselho de Disciplina da FPF, sobre a acusação de ter cuspido em Carlos Pinho, presidente do Arouca:

«Ele que dê corda aos sapatos para resolver a questão do cigarro eletrónico, em vez de andar a meter mais processos».
 

publicado às 10:55

Bas Dost em entrevista

Rui Gomes, em 04.02.17

 

 

publicado às 05:02

 

img-jorge-jesus-na-sporting-tv-983.jpg

 

Adenda: Preparei o post já muito tardio e com o cansaço da hora sem a reflexão merecida. Agora, com mais calma, reconheço que esta presença de Jorge Jesus perante as câmaras da Sporting TV não vai além de mais uma jornada da campanha eleitoral em prol de quem lhe ofereceu muitos milhões de mão beijada.

 

Sinto-me como todos os sportinguistas se devem sentir. Em função da época e em concreto a partir do jogo da Luz, o Sporting começou a ter algumas complicações em relação à qualidade de jogo com os nossos adversários. Houve, pelo meio, problemas com a arbitragem... Habituámos os nossos adeptos, no primeiro ano, a ter uma qualidade de jogo muito alta, com um campeonato surpreendente e 86 pontos batendo o recorde de pontuação - já fui campeão algumas vezes e não cheguei a tantos pontos.

 

Ganhámos a Supertaça, duas derrotas na Liga e melhor defesa, criámos expectativa muito alta - e bem - com que partimos para este segundo ano com fasquia mais elevada. Foi o preço do sucesso da primeira época. A partir da 13.ª e 14.ª jornada começámos a perder alguns pontos para os nossos rivais, fruto de alguma culpa. Tivemos alguns jogos não tão bem conseguidos como com o Braga e na Liga dos Campeões, mas também houve algumas decisões que nos empurraram nitidamente para uma pontuação em que estamos mas onde não estaríamos, claramente.

 

Questionado sobre os motivos para os maus resultados nos últimos jogos, Jorge Jesus insurge-se contra a arbitragem

 

O motivo principal é a arbitragem, não tenho dúvida nenhuma. Ainda no último jogo, na Madeira, ganhámos. Mas não nos deixaram ganhar. A terceira equipa não nos deixou ganhar. Fizemos o 3-2 dentro das leis do jogo, teria de ser validado o golo do Alan Ruiz. Foi mais um resultado negativo por uma decisão que não conseguimos controlar. Há também factores técnicos, a saída de alguns jogadores que eram fundamentais na estrutura... e começámos o campeonato bem. Depois tivemos de ir ao mercado, tomar decisões com jogadores que ainda demoram na adaptação, com resultados menos bons em que se foram envolvendo nesta falta de confiança. E a questão é que tínhamos o coração da equipa muito forte, com William, Adrien e João Mário a fazer um corredor central muito forte. Este ano, e um já não está cá, não estão a render... não renderam tanto como no ano passado. É o coração da equipa e tivemos aí desvalorização da nossa qualidade de jogo.

 

A destacar o seu papel na valorização de activos da formação

 

Pusemos a grande maioria dos jogadores a jogar o dobro (Adrien, João Mário, Slimani...). Jogadores que nunca tinham sido chamados à Selecção ou que não eram titularem, e a partir daí foram titulares e campeões europeus e valorizaram-se muito com isso. O treino é fundamental para a valorização de um jovem e não sendo jovem também. Há o modelo de equipa e o modelo de jogador. Até podem ser tecnicamente muito evoluídos, mas há outras componentes importantes. O Sporting é um clube com história na formação. Deste plantel com que vamos acabar a época, dez são feitos na Academia. No primeiro ano Rúben Semedo regressou e foi titular, no segundo o Gelson. O Semedo estava no Reus e ninguém sabia que existia. Disse-lhe que ia seis meses para outro clube e que em Janeiro ia buscá-lo. E fui buscá-lo porque via valor nele e agora ninguém tem dúvidas. Não há como inventar. Tomara eu, para o próximo ano, pôr mais dois efectivos da formação. Por norma isso demora de três a cinco anos.

 

A comentar a contratação de André Pinto

 

É jogador do Braga. Não é novidade que, quando jogámos com o Braga, eu disse que eles tinham jogadores que jogavam em qualquer um dos grandes. O André Pinto está incluído nesse lote. É jogador com muito valor, mas isso não passa por mim. A contratação é com o presidente. Tecnicamente sou eu. E juntamos as duas opiniões. O André Pinto é português, adaptado, e pode acrescentar valor a pensar no futuro.

 

O fracasso com Markovic

 

Trabalhei um ano com ele. Teve dificuldade em apanhar a intensidade, velocidade e ideia da equipa, pois num ano na Turquia fez meia dúzia de jogos e lesionou-se nos últimos três meses. Depois teve outro problema: num lado joga Gelson, que fez uma abertura de campeonato espectacular, e do outro lado o Bryan, que também esteve espectacular. Isso fez com que não se afirmasse. Veio de um grande, o Liverpool, e pensava que chegava aqui e jogava.

 

X9Y94O3K.jpg

 

A época ainda pela frente

 

Enquanto matematicamente for possível... Consideramos que temos possibilidades como os rivais, não deixando de reconhecer que a diferença pontual, e redução de jornadas, é favorável a quem vai à frente. Encaramos jogo a jogo. Estou convencido que este momento tem de ser ultrapassado com responsabilidade e sentido muito colectivo. Mandar a toalha ao chão não é bom. Nós não mandamos a toalha ao chão. Não deixámos é de saber o comportamento de estar em primeiro ou não. Acredito que temos todas as capacidades para chegar à frente. Foi neste sentido que me quis exprimir depois do jogo com o Marítimo. Vim com o objectivo concreto de ser campeão, reduzir o espaço para os rivais. Não fomos campeões por milagre. Agora, há que caminhar e reorganizar e criar estruturas para que a equipa de futebol possa ter uma retaguarda forte, de comunicação e não só, que não abane ao primeiro percalço. Para depois não dar azo a estes episódios quando não ganhamos.

 

Sobre o regresso de jogadores

 

Penso que vão regressar mais dois, que começaram a pré-época comigo. Revelar os nomes? Não é difícil perceber quem são. Mas há ainda um 'contencioso' com as equipas onde estão e espero que tudo se resolva bem. Este projecto de emprestar e rodar tem sido muito bem concebido e temos crescido neste factor de potenciar jogadores nossos em outras equipas. Pretendo um plantel com 23 jogadores de campo mais três guarda-redes.

Tento criar um modelo de jogador, para além do modelo de equipa. Quando eu sinto que o modelo de jogador não é este - e ele até pode ser muito bom tecnicamente -, há outras componentes importantes. Quando vejo que não estão aqui todas as valências para que esse modelo de jogador possa ser introduzido num compromisso colectivo, que é o que está a acontecer agora, libertamos o jogador para outros caminhos. Nos jovens, o Sporting é um clube com história na formação e deste plantel que vamos ter a partir do fecho, 10 serão da formação.

 

publicado às 03:53

 

brunodecarvalhojesus1.jpg

 

«Muito mais do que pedidos, temos de estar comprometidos com os nossos princípios. Cada época é pensada e formulada já com o olho naquilo que será a época seguinte. Daí termos prolongado mais um ano o contrato de Jorge Jesus. Estamos a construir, mas estamos a pensar nas necessidades da equipa no futuro. Isto é tudo muito positivo. Está tudo calmo porque não aconteceu nenhum percalço naquilo que era o rumo traçado. Muito mais do que pedidos, temos um compromisso um com o outro».

 

"Adoro" esta série de perguntas e respostas pré-elaboradas e ensaiadas para o benefício de Bruno de Carvalho, nestas sessões da Sporting TV.

 

Preza-me saber, no entanto, que a um dia do primeiro jogo oficial da época 2016/17 e a 15 dias do fecho do mercado, o presidente, e neste caso, Jorge Jesus, já estejam a pensar na época seguinte, especialmente tendo em conta o número de casos ainda entre mãos à espera de solução.

 

E nem me vou dar ao trabalho de comentar as suas expressões condescendentes que tanto me irritam: "está tudo calmo", embora a sua favorita seja "está tudo sem stress".

 

publicado às 15:29

 

13606820_1755236574687964_3602403227251677974_n.jp

 

Uma das várias mentiras do Bruno Carvalho e que ele repete até à exaustão é que com ele no Sporting foi aqui implementada um cultura de exigência.

 

As dezenas de contratações falhadas; a gestão dos casos Capel, Carrillo, Dier, Rojo, Teo, etc; a gestão da formação entregue a quem não percebe nada do assunto; a caótica gestão da comunicação que nos envergonha quase todos os dias; os erros primários de organização como na última apresentação da equipa aos sócios; etc e até o contentamento com resultados medianos, nomeadamente num ano de fortíssimo investimento, mostram que essa cultura de exigência está longe de estar implementada no nosso Clube.

 

Os apoiantes de Bruno Carvalho apontam a Sporting TV como um grande mérito dele. É verdade que foi no seu mandato que se iniciaram as transmissões, mas confesso que quase deixei de ver tal o fraco nível apresentado e a forma quase escandalosa de promoção pessoal e não não falo apenas da célebre Hora do Presidente.

 

Ontem assisti a quase todo o nosso jogo com o Villarreal (ninguém viu todo o jogo na TV, mas parece que a culpa não terá sido da Sporting TV).

 

Quanto ao jogo em si não vou acrescentar nada ao que já li aqui no Camarote Leonino, só que, cá está, a actual cultura de exigência vislumbra coisas muito positivas que eu realmente não vi mas confesso que no próprio campo consegue-se fazer uma avaliação melhor e eu posso estar equivocado e que por exemplo o Iuri Medeiros fez uma grande exibição.

 

O que eu não queria deixar passar em claro são os inenarráveis comentários da dupla Fernando Correia / Melo que me encheram de vergonha. Desde o constante trocar dos nomes dos jogadores, tentar relatar o jogo mas mal, tentar forçar a legalidade de um golo ilegal, elogiar jogadores que se mostraram banais e em acções de jogo banais, justificar erros incríveis como vários da nossa defesa, criticar entradas duras de adversários e branquear as nossas (o Marvin consegue ser mais caceteiro que o Maxi Pereira) e, como cereja no topo do bolo, não só não faziam a mínima ideia de como se iria decidir o Troféu, como ainda fizeram gala disso.

 

Que vergonha ! Felizmente como temos uma cultura de exigência no Sporting esta questão não se repetirá (aliás nem nada se passou e só pode ser embirração de croquetes).

 

publicado às 17:00

Chega de amadorismos !

City Lion, em 29.10.15

 

18956905_R9INy.jpg

 

Depois de termos que "gramar" programas inenarráveis como a “Hora do Presidente” e darmos muito tempo de antena a gente que claramente gosta mais do Bruno Carvalho do que do Sporting, ontem a Sporting TV bateu no fundo.

 

Já sei que vão dizer que é melhor isto do que nada e temos que agradecer ao nosso "Deus" que nos deu este privilégio de termos a Sporting TV, mas espreitar um jogo emocionante em futsal empatado a 3 minutos do fim e, de repente, passarem para o início dum jogo de hóquei é inacreditável e parece ser provocatório para os sportinguistas que estavam a ver o futsal.

 

Bem sei que a equipa do hóquei é hoje conhecida como a “Voz do Presidente” mas não podiam ter esperado mais um bocado até ao fim do jogo de futsal ?

 

Nem quero falar de mais uns resultados negativos das nossas equipas “amadoras”, nas quais investimos este ano bem forte para resultados no curto-prazo, porque tenho esperança que ainda possamos dar a volta esta época, nomeadamente no futsal. Mas estes resultados terão ajudado a que eu tenha ficado mais irritado e escrito este post que espero seja lido por quem possa tomar medidas.

 

publicado às 16:53

 

ng2924596.jpg

 

Apenas alguns excertos dos múltiplos ataques que Bruno de Carvalho lançou esta quinta-feira, na Sporting TV. Poucos alvos escaparam a sua atenção, mas o ponto fulcral da sua devassa foi o Benfica e Luís Filipe Vieira:

 

 

"Estou a borrifar-me para o que este senhor faz ou diz. Espero um bom dérbi, quentinho como sempre foi. É sempre um jogo de risco Todos os dérbis são de risco, com ou sem declarações. Gostava de um futebol sem baixeza. Gostava de um futebol com menos propaganda suja."

 

"No lugar dele, um bocado agarrado ao poder como ele está, também não dizia nada. Fugia e mantinha a esperança de ganhar o dérbi para que depois, no meio da poeira, eu me calasse. Mas comigo está enganado porque eu não me vou calar."

 

wdiag.jpg

"Quando queremos zelar pela verdade desportiva, temos de dizer às pessoas o que se passa. Tinha recebido a caixa há dois dias e achei que era o local certo para a mostrar. Foi uma denúncia anónima. Bastava ao Benfica dizer que era falso e eu pedia desculpa porque, afinal, fora enganado."

 

"A não ser que a FPF já tenha visto que isto viola a lei e só estejam à espera do momento certo para anunciar uma sanção gravíssima. O que os incomoda é que isto é uma bomba-relógio. A nível de regulamentação, podemos estar a falar de descida de divisão. E não quero estar a ser incendiário, até porque a primeira pessoa a falar em descida de divisão foi o senhor Pedro Guerra."

 

"Notou-se que a vinda do Jesus pesou muito, notou-se que a derrota pesou muito e que toda a estratégia económico-financeira mudou por causa daquela derrota. E isto estava tudo preparado. Isto não é uma resposta à caixa ou à minha entrevista. Esta desestabilização ridícula, que não tem efeito absolutamente nenhum, antes do dérbi… Nem há vergonha na cara, porque realmente podiam ter esperado dois ou três dias para não serem tão evidentes. E eu repito o que eu disse ontem: para ser mais baixo e mais baixo e mais baixo e para todo o mundo, seja sportinguista, portista ou benfiquista, perceberem ao quão baixo o Benfica está disposto a ir, só faltava colocarem um processo ridículo ao Jorge Jesus antes do dérbi. E colocaram! Ainda hoje ouvi uma muito engraçada. O Benfica está com um problema teológico – deve muito dinheiro ao Espírito Santo, mas quer sacá-lo ao Jesus. E, portanto, isto deve ser tramado."

 

"Acho que Nélio Lucas estava muito bem como técnico de gestão de casting. Ser a este senhor que se entregam 100 ou 150 milhões… é tudo muito estranho."

 

4138_5ec4857263f017444cf7621eb26099b6.png

"Não sabemos o que vai acontecer no TAS, mas depois de ter lido os vários contratos, não só os do Sporting, como os do FC Porto e até o do Ola John em sete versões, que a Doyen não cumpriu a lei... Ponto. No Sporting não se rasga contratos. Defende-se o clube e leva-se aos locais certos para defender o clube. Quanto à Doyen, o Sporting não tem 50 por cento: tem 100 por cento de razão".

  

"Há um novo site chamado Verdade Leonina (igual ao do Sporting) que está cheio de parvoíces e asneiras. Alguém está a pagar para, nas pesquisas, aparecer em primeiro lugar. Mas isso a Polícia Judiciária também vai perceber… Não tenho dúvidas que deixaram o Football Leaks para irem para este novo site, que só pretende atacar o Sporting. Portanto, das duas uma: ou a pessoa apaga aquilo amanhã, ou deve ter a polícia… só é chato que a internet deixa rasto…".

 

"Sporting não está preocupado: estamos em 1.º lugar no campeonato; estamos a trabalhar cada vez mais e melhor; temos um projecto e rumo definidos; pagamos os nossos próprios jantares; o Jesus está-se totalmente a borrifar. O Benfica já é tão previsível que eu já consigo adivinhar quase tudo o que vão fazer."

 

 

Perante as incessantes frentes de guerra - em acréscimo acentuado com o passar de cada dia - através de uma oratória propagandista bem estudada e estruturada, é por de mais evidente que Bruno de Carvalho pretende induzir o universo leonino a acreditar nas suas capacidades para destituir os poderes obscuros instalados e alterar tudo o que não está bem com o futebol português. O que não é tão claro é o objectivo fulcral e eventual resultado final desta conjuntura de confrontações. Meramente defender os reais interesses do Sporting Clube de Portugal ou perpetuar a sua estada privilegiada na cadeira do poder ?

 

publicado às 04:17

 

 

 

Está a ser anunciado que Marcos Rojo irá estar presente na Sporting TV, este domingo, às 21h30, para uma entrevista. Posso estar errado, claro, mas o simples facto da entrevista ter lugar no canal do Clube só pode ter um significado: já há um acordo entre as partes e antes de ser revelado, convém que o jogador se explique, possivelmente até pedir perdão por alguma acção indevida, a fim de salvaguardar imagens e reputações, e permitir a sua transferência para o Manchester United. Qualquer outro resultado será um surpresa, pelo menos para mim. 

 

 

Adenda: Uma entrevista dentro do enquadramento esperado, com esta declaração de Rojo a sublinhar a intenção da mesma:

 

«Gosto muito do clube, de todos os seus profissionais e dos meus colegas. O que será da minha carreira no Sporting vai depender de mim e do clube. Sinto-me muito feliz no Sporting, sou tratado com muito carinho. Amanhã volto a trabalhar com o plantel, com os meus companheiros, e isso é o mais importante e o que realmente gosto de fazer.»

 

Ficamos agora à espera da transferência para o Manchester United ser anunciada.

 

publicado às 18:09

A Caminho...

City Lion, em 13.08.14

 

... DE NOVA AUTODESTRUIÇÂO E O PERFIL DE UM NARCISISTA...

 

Estes últimos acontecimentos no Sporting fazem-me lembrar o pesadelo de desagregação do último ano da vigência Godinho Lopes. Tínhamos vindo de uma época com altos e baixos, marcada positivamente por uma ida à meia final da Liga Europa e à final da Taça de Portugal e havia esperança num treinador jovem e em melhores resultados desportivos na época que então começava. Este ano viemos de um bom 2º lugar, temos um treinador jovem e prometedor e estamos com vontade de lutar pelo titulo. Infelizmente, tal como há 2 anos, mais uma vez parece que nos estamos a começar a autodestruir, com o Presidente do clube no epicentro do que de mal nos está a acontecer, mas desta vez sem a desculpa dos ataques de uma “oposição interna”. Vi a entrevista de ontem na Sporting TV (em que terá beneficiado o Sporting?) e a única coisa que me ajudou a esclarecer foi quem é e o que quer o Bruno Carvalho (BC):

  

1) BC é obcecado com a sua imagem, dedica demasiado tempo a ler jornais e blogues e menos a antecipar problemas que repetidamente surgem para o seu “novo Sporting”;

 

2) BC disse que participa pessoalmente na contratação de todos os novos jogadores, como já foram 29 desde que entrou e alguns demoram meses a contratar, percebe-se o tempo que isto lhe tira (qual será a competência dele?) e descura situações em relação aos que já estão. Esquece-se ainda que dos 29 contratados por si apenas 3 (agora eventualmente 4) estão na equipa titular pelo que não fez sentido ter dito que não teríamos hoje equipa sem os jogadores que trouxe para Alvalade;

 

3) BC continua em campanha eleitoral, repetindo o lema já estafado que o mais importante do “novo Sporting” são os adeptos e sócios, o que cai sempre bem, auto-elogiando-se sempre que possível e prepara-nos para o reelegermos, repetindo que esta Direcção ainda tem muito por fazer;

 

4) BC continua a desculpar-se com o “velho Sporting” e a comparar-se com quem o antecedeu, referindo que mudou muito do que estava de trás e pela enésima vez lembrou que ficámos fora das competições europeias, o que já cansa;

 

5) BC faz-se de vítima em relação à comunicação social quando sabe bem que foi e continua a ser “levado ao colo” por muitos jornalistas. Ataca especialmente o Record quando ainda a semana passada li estarrecido um editorial que dizia que se não fosse BC o Sporting teria deixado de ser um dos grandes;

 

6) BC tem mesmo muita “lábia”: está cada vez mais à vontade em televisão, apesar de não ter conseguido disfarçar tiques nervosos no final da entrevista quando a conversa ficou mais complicada (o que já terá sido corrigido pelos seus assessores de comunicação);

 

7) BC não perde uma oportunidade para tentar sair pessoalmente de forma airosa das situações que lhe correram mal, nomeadamente da gestão fracassada do caso Dier, tentando sujar desnecessariamente a imagem de um jogador que já nem é nosso, que nunca em mais de uma dezena de anos de “velho Sporting” teve situações a apontar e vê agora BC acusá-lo injustamente de imaturidade, referindo ainda uma situação de ausência a um treino que me gera a maior das dúvidas e que nem referiu num inenarrável (mais um) comunicado do Sporting. BC que tanto gosta de dar entrevistas sem atender ao interesse do Sporting, mas mais ao seu interesse pessoal, não percebe que outros como Dier também possam dar entrevistas, neste caso com toda a pertinência depois do tal comunicado;

 

8) BC diz que no “novo Sporting” não se advoga vedetismo, mas isso será em relação aos jogadores, não em relação a ele próprio;

 

9) No “novo Sporting” é que somos todos um grupo e há óptimo ambiente e que acabaram as situações incorrectas do “velho Sporting”, mas BC não encontra explicação para estes casos inaceitáveis e repetidos de jogadores a quererem sair a mal, excepto atirar as culpas sempre para outros - fundos, agentes, pais, etc. Ah e agora é que não cedemos a chantagens ... como claro aconteceu nos casos Bruma e Ilori, pelo que deduzo que estes terão ficado a cumprir o que lhes faltava do contrato;

 

10) BC está cada vez mais populista, cai sempre bem a expressão: “faltam-lhes cumprir os 3 anos de contrato”, e depois esta pérola: “estão sob a alçada, mas cuidado: duras”. Em relação a tentativas de alterar situações contratuais esquece-se que ele próprio quando entrou tentou e bem, alterar para benefício do Sporting contratos já assinados com alguns jogadores, como Bojinov e, por outro lado, já aumentou e bem o vencimento de outros, como Mané;

 

11) BC adultera a verdade (grande novidade!), quando diz que não tivemos oportunidade de recomprar parte do passe de Rojo. Foi um assunto que poderia sempre ter colocado antecipadamente, mesmo que exigisse difíceis negociações, mas que por incapacidade nunca foi capaz de avançar;

 

12) BC não conhece bem os espectadores da Sporting TV pois disse que adiantou uma coisa "tão boa" para a Sporting TV: "garantidamente Slimani e Rojo não jogam Sábado". Sendo os sportinguistas como eu quem vê este canal, não percebo como isto pode ser bom para a Sporting TV, apesar da tal "cacha", que não deve fazer gala de dar más notícias para os seus espectadores mais fiéis;

 

13) BC é um individualista, cai-lhe sempre a tendência para falar no singular: eu fiz, eu quero, eu eu eu, por vezes ainda corrige para falar em Sporting Clube de Portugal, Direcção ou estrutura (deve estar treinado pelos tais assessores), mas é mais forte do que ele. No fim ainda lhe saltou a tendência para a ironia barata que talvez caia bem nos nossos rivais, mas acredito não é o que mais apreciam os sportinguistas especialmente quando se vivem momentos delicados no nosso clube que nos deixam muito preocupados.

 

Há quem goste do género e ainda acredito que a maioria dos sportinguistas como eu não goste, embora aceitem enquanto tivermos resultados desportivos. O problema é que se nos voltarmos a autodestruir o caminho de recuperação desta vez será muito mais penoso. Fico a desejar que esta situação se resolva a bem do Sporting mas não duvido que isto mexe com todo o plantel. Felizmente Sábado iremos encontrar uma Académica bem mais fraca do que o ano passado e teremos tempo até ao jogo da Luz para nos reorganizarmos, mas os sinais são muito negativos, embora nada que não esperasse.

 

publicado às 15:27

O primeiro dia da Sporting TV

Rui Gomes, em 18.07.14
 

 

«É um dia que nos marca enquanto sportinguistas, Direcção e Órgãos Sociais. Podemos finalmente respirar de alívio, ainda que hoje seja apenas o primeiro dia e haja algum nervosismo.»

 

«Esta vai ser uma forma de conseguir ter a alma mais calma e, sobretudo, estarmos mais descansados sobre o que vamos ouvir sobre o Sporting. Queremos que o canal transmita a grandeza do Sporting, algo que até hoje alguma comunicação social nunca fez.»

 

«A opção por um canal televisivo faz parte da estratégia que temos para o Clube. Neste século é importante comunicar com a nossa família sportinguista e só em Portugal são mais de três milhões de adeptos. O canal é a nossa forma de estar em casa dos adeptos todos os dias. Desde que chegamos que queríamos entregar o Clube aos seus reais donos. O canal era fundamental para isso.»

 

Bruno de Carvalho

 

publicado às 04:22

Dia 17 de Julho de 2014 às 19h06

Rui Gomes, em 17.07.14
 

 

publicado às 04:30

 

Segundo o Comunicado do Sporting desta sexta-feira, as emissões do canal televisivo não terão o seu início no dia 1 de Julho conforme tinha sido anunciado, uma vez que a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) ainda não atribuiu o respectivo licenciamento, cujo processo ainda está em fase de apreciação.

  

Não me vou alargar em comentário sobre matéria de que tenho pouco ou nenhum conhecimento, mas não deixa de ser justo questionar o compromisso assumido pelo Conselho Directivo quando tinha pleno conhecimento de que não estava em posição para o cumprir.

 

A "I Gala Honoris Sporting" será transmitida via Internet, através do site do Clube.

 

Nota: Continuo a não compreender a ausência da sigla "SCP" do emblema do Sporting. O Conselho Directivo tem autoridade para efectuar esta alteração, mesmo que esta conste no logótipo do canal televisivo ?

 

publicado às 21:56

Novo logótipo da Sporting TV

Rui Gomes, em 25.06.14
 

 

Perante a reacção pública negativa à primeira imagem que foi desenvolvida pela "World Channels", o Conselho Directivo do Sporting exigiu uma outra solução e esta, que aqui publicamos, foi apresentada na terça-feira.

 

Para ser sincero, entre a espécie de "leão" que pareceu no primeiro logótipo e este vasto rectângulo em preto, não sei qual deles é o pior, dado que ambos denotam muita falta de imaginação e criatividade. Diria, até, que se tivessem aperfeiçoado o "leão", a primeira versão seria ideal.

 

O tempo é escasso, pela inauguração no dia 1 de Julho, mas os dirigentes do Sporting deviam ter aberto um género de concurso para receber as sugestões de sportinguistas. Não duvido, minimamente, que teriam surgido desenhos muito superiores aos dois que foram até agora revelados.

 

publicado às 04:12

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo