Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

image.jpg

 

Declarações de Bast Dost após a vitória na final da Taça da Liga:

 

"A nossa segunda parte foi muito boa, depois de um primeiro tempo fraco. No fim, conseguimos a vitória nas grandes penalidades.

 

Estou muito orgulhoso do Coates e do William por terem marcado os penáltis. Respeito! Estou feliz, mas o sentimento não é suficiente e queremos mais, a Taça da liga não é o título que mais desejamos".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:36

 

mw-860.jpg

 

O que Rogério Casanova, jornal Expresso, teve para dizer com humor à mistura, sobre as exibições de Bryan Ruiz, Rúben Ribeiro e Fredy Montero. Diz ainda o autor que passou a 2.ª parte de costas para a TV, mas, mesmo assim, consegue explicar como a derrota foi infligida aos pupilos de José Peyroteo Couceiro.

 

Bryan Ruiz

 

Creio que foi ali por volta do minuto 20 que um dos comentadores da RTP afirmou que Bryan Ruiz e Arnold estavam a "travar um duelo intenso".
 
Rúben Ribeiro
 
Jogou 45 minutos, saiu ao intervalo, ganhou uma Taça (confirmada após um dos jogadores vitorianos treinados por José Peyroteo Couceiro ter FALHADO um penalty) e agora anda para ali aos saltos. Já teve dias piores na vida, com toda a certeza. E há de ter melhores, também com toda a certeza.

 

Fredy Montero

 

Ao minuto 16 foi a correr pressionar um jogador do Vitória que estava em posse de bola. Foi um gesto revolucionário que apanhou toda a gente de surpresa. Os restantes jogadores do Sporting devem ter olhado uns para os outros a pensar "quem é que este maluco julga que é?". E lá continuou na sua onda, Montero, a procurar a bola, a procurar os espaços vazios, a tentar devolver a bola ao primeiro toque, e outros anacronismos semelhantes. Foi dos jogadores mais combativos a reagir à perda de posse, e não lhe faltaram oportunidades para o mostrar, pois perdas de bola houve muitas. O facto de os vocábulos "Montero" e "combativo" coexistirem na mesma frase é, aliás, um excelente resumo da primeira parte. Entretanto ganhou mais uma Taça, mesmo não tendo participado no desempate por grandes penalidades que ditou a DERROTA da agremiação sadina, orientada por José Peyroteo Couceiro.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:35

FALSA foto na capa do jornal A Bola

Rui Gomes, em 27.01.18

 

Por referência do nosso leitor HY, a quem agradecemos, desde já, verifica-se que a foto publicada na capa do jornal A Bola é falsa, no contexto do jogo das meias-finais da Taça da Liga entre Sporting e FC Porto, e mais especificamente pela marcação das grandes penalidades. Ora vejamos:

 

wdia_grande.jpg

 

De seguida, temos uma foto real de Rui Patrício a defender uma das grandes penalidades:

 

img_818x455$2018_01_25_01_15_53_704046.jpg

 

- Rui Patrício não defendeu nenhum penálti na posição ilustrada pelo jornal;

- Rui Patrício não envergou a braçadeira de capitão, mas sim William Carvalho;

- A cor das luvas de Rui Patrício é diferente;

- As botas de Rui Patrício são diferentes:

- Creio que a própria camisola, sendo amarela, é diferente.

 

Caso ainda hajam dúvidas, publicamos um vídeo com um breve resumo do jogo:

 

 

Não se refuta a possível presença de Nélson - treinador de guarda-redes do Sporting - nas imediações da baliza utilizada para a marcação das grandes penalidades, mas não deixa de ser triste e lamentável - para ser simpático - a desonestidade do jornal A Bola, sendo um órgão de comunicação social histórico em Portugal. Prova absoluta dos extremos a que o quasi-oficioso porta-voz do clube da Luz está disposto a ir para denegrir o Sporting.

 

Infelizmente, por muito indecoroso que seja, este acto da parte da comunicação social portuguesa não é inédito. Regressamos a Março de 2014, data em que o jornal Record - então sob a tutela do super-encarnado João Querido Manha - publicou uma foto de um golo do Sporting com a linha virtual de fora de jogo falsificada.

 

O mesmo jornal, em Julho de 2013 - então sob a tutela de Alexandre Pais - publicou uma foto de Alexis Santos, nadador leonino, com o emblema do Sporting deliberadamente rasurado da sua toca.

 

Enfim... mais do mesmo que ocorre no nosso tão "pequeno" Portugal !

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:25

 

  

Estádio Algarve, 21 de março de 2009. Ao minuto 73 do Sporting-Benfica, a segunda final da história da Taça da Liga, Quim, então guardião das águias, levantou um pontapé de baliza, David Suazo tropeçou em Rochemback e a bola acaba à entrada da área dos leões. Após Daniel Carriço abordar mal o lance e deixar Di María sozinho, aparece Pedro Silva, que domina a bola com o peito. Só que por indicação do seu segundo assistente, Pais António, Lucílio Baptista assinala penálti - concluíram que o esférico teria batido no braço esquerdo do defesa. Não havia VAR...

 

O Sporting vencia por 1-0, Reyes deixou tudo igual dos 11 metros e na decisão pela mesma marca, venceu o Benfica (3-2). Nove anos depois, diz o antigo lateral-direito que nunca mais vai esquecer esse dia, apesar de a mágoa se estar a diluir com o passar do tempo.

 

image.jpg

 

"Não ouvi o Lucílio a apitar. Só percebi quando ele apontou para a marca de penálti e vi os adeptos do Benfica a festejar... Na altura, disse-me que assinalou falta porque o fiscal de linha [refere-se a Pais António] lhe disse que tinha a certeza de que a bola tinha batido no braço e que, na dúvida, era obrigado a marcar.

 

Voltei a encontrar o Lucílio anos mais tarde, era eu adjunto do Portimonense, cruzámo-nos na Tapadinha, Estádio do Atlético, já ele se tinha retirado. Falámos, mostrei-lhe o meu ressentimento, mas ele pediu-me desculpa. Aproveitei para lhe dizer que cometeu um erro que às vezes custam épocas. Mas já lá vai...

 

Pelo video-árbitro, hoje de certeza que o Lucílio tinha voltado atrás com a sua decisão. É uma ferramenta que veio credibilizar o futebol e no jogo com o FC Porto viu-se, ao anularem o golo ao Soares. A Taça da Liga ficou descredibilizada depois dessa final. Ainda hoje se fala na Taça Lucílio, na Taça Benfica... Passou a ser uma competição para rodar jogadores. Nós, no Portimonense, víamos dessa forma: em 2015/16 até vencemos o Sporting, mas o que queríamos era dar minutos aos menos utilizados. Mas hoje, com esta ajuda, tudo vai mudar. Não tenho dúvida!".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:44

 

Jose-Peseiro.jpg

 

À margem do congresso Futebol é Medicina, que está a decorrer na Cidade do Futebol - evento promovido pela Federação Portuguesa de Futebol - José Peseiro, ex-treinador do Sporting e do FC Porto, adiantou que na sua opinião a Taça da Liga não vai ter impacte nas duas equipas, seja este positivo ou negativo. Por outras palavras, que o clube do Norte não se irá ressentir da eliminação, nem que o Sporting irá receber uma "injecção" de motivação extra:

 

"Não acredito que possa influenciar positiva ou negativamente. A derrota cada vez é mais penalizadora, porque cada vez se gasta mais dinheiro com as equipas e cada vez os orçamentos são maiores. A vitória era importante, pois ninguém gosta de perder.

 

Obviamente, o resultado foi mais positivo para o Sporting do que para o FC Porto. Mas como disse o Jesus, o resultado não influencia as equipas, pode é influenciar a massa associativa leonina, porque agora acredita um pouco mais do que acreditava após o empate com o Vitória de Setúbal. Em Portugal, vive-se o momento. A notícia é consoante o resultado. Faz-se um desastre ou uma euforia mas não é assim que os treinadores vêem os jogos. Não é isso que o Jesus e o Sérgio fazem no dia a dia mas por mais que os treinadores não o digam, há esse peso. As análises que se fazem são, muitas vezes, precipitadas. Já o vimos, por exemplo, no campeonato. Há uns tempos só havia dois candidatos ao título e agora há três.

 

Se calhar, todos pensavam que o FC Porto ia estar na final da Taça da Liga e está o Sporting. Estas análises na avaliação dos momentos das equipas são por vezes muito precipitadas mas faz parte do envolvimento que vivemos no futebol. Vende-se o que é bom e o que é menos bom. Quando a estrutura é forte, quando os jogadores são fortes e quando o treinador é forte, a derrota afecta menos".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:00

 

image.jpg

 

Não obstante a satisfação pelo resultado final, seria injusto contornar o mais óbvio. Foi um jogo muito intenso, como era de esperar, muito defensivo, e excessivamente faltoso. Aos 68 minutos já tinham sido assinaladas 41 faltas. A conta final não deve estar longe das 60.

 

Uma primeira parte quase sem futebol ofensivo, as duas equipas a pecar flagrantemente na construção de jogo, com os guarda-redes a não serem chamados a fazer qualquer defesa digna do nome. Neste sentido, o FC Porto melhorou no segundo período - o Sporting continuou muito letárgico, apesar da bola ao poste pelo cabeceamento de Coates.

 

O Sporting alinhou de início com Rui Patrício; Piccini, Coates, Mathieu e Fábio Coentrão; Gelson, William, Bruno Fernandes e Acuña; Rúben Ribeiro e Bas Dost.

 

Suplentes: Salin, André Pinto, Ristovski, Battaglia, Bruno César, Bryan Ruiz e Montero.

 

img_FanaticaBig$2018_01_24_23_41_30_1357693.jpg

 

Vou deixar o resto da análise ao jogo com os leitores. Já estou cansado de dizer sempre o mesmo sobre as opções de Jorge Jesus e a qualidade de futebol que o Sporting joga sob a sua condução.

 

Uma palavra final para uma arbitragem que deixou muito a desejar. Falta flagrante de Danilo sobre Bas Dost logo aos 5 minutos, para grande penalidade, que Nuno Almeida ignorou e que o vídeo-árbitro deixou andar. Mais do que óbvio fora de jogo no golo do FC Porto que o auxiliar "não viu", mas, desta vez, felizmente, o VAR esteve alerto.

 

Segue a final da Taça da Liga frente ao Vitória de Setúbal.

 

Nota: O jogo teve nada mais nada menos do que 53 faltas! 28 do Sporting, 25 do FC Porto. Relativamente a cartões amarelos, foram cinco, três para os leões e dois para os dragões.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:03

 

50570761b5305b282477323e90c486d2-759x450.jpg

 

"Ganhou a equipa que foi mais feliz. Perder nos penáltis não demonstra nada, pelo contrário. Costumam dizer que os penáltis são uma lotaria, estou parcialmente de acordo. Sporting foi mais feliz.

 

Tivemos um golo anulado pelo VAR, mas com o VAR já estamos habituados. É sintomático que ninguém protestou, ninguém encarou, toda a gente achou que era golo. Domingo passado o mesmo senhor (Artur Soares Dias) que estava no VAR anulou um golo.

 

Não tenho de ter confiança nos árbitros ou deixar de ter. Tenho de verificar situações e ter a minha opinião. Não conheço a maior parte deles, tenho de admitir que todos querem fazer o melhor possível. Estou à vontade porque perdi: este árbitro fez uma grande arbitragem, é preciso que não sejam sempre os mesmos para não assistirmos a situações como as que assistimos no V. Setúbal-Sporting. Como um árbitro fez uma exibição como esta aqui e pela primeira vez arbitrou um grande?.

 

Não estou a pensar no título, penso jogo a jogo. A nossa concentração está no jogo com o Moreirense".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:02

 

image.jpg

 

O Sporting venceu este sábado a equipa do Fundão, por 2-1, em jogo realizado no Pavilhão Multiusos, em Sines, e atingiu pela terceira vez consecutiva a final da Taça da Liga, que se decide domingo.

 

Depois de Oliveira de Azeméis (2015/16) e Gondomar (2016/17), os leões cumprem o pleno em finais da Taça da Liga - três presenças em três edições. Curiosamente, a equipa treinada por Nuno Dias, que defrontará no domingo o vencedor do jogo entre Braga e Benfica, venceu nas duas finais a equipa do Fundão, por 4-0 e 2-0.

 

O primeiro golo leonino surgiu aos oito minutos, por Rodolfo Fortino, que aproveitou uma assistência de Merlim para abrir o marcador. O segundo tento dos leões foi executado pelo próprio Merlim, aos 26 minutos.

 

A perder por 2-0, o conjunto beirão aumentou a pressão defensiva a quase todo o campo, mas o Sporting conseguiu manter o controlo da posse de bola e do ritmo de jogo. O esforço e ousadia do Fundão deu frutos aos 36', quando Mário Freitas reduziu para 2-1, na conversão de uma grande penalidade, a sancionar falta de Fortino sobre Erick dentro da área.

 

Nos últimos dois minutos, o Fundão abdicou, ainda que por breves segundos, de jogar sem guarda-redes, com Mário Freitas a assumir essa posição, mas os leões conseguiram segurar a vantagem e chegar a mais uma final da Taça da Liga.

 

Fundão: Iker Lopez, Pirulito, Erick, Mário Freitas e Gui.

 

Jogaram ainda: Márcio, Eskerda, Ricardinho, Pauleta e Kiko.

 

Treinador: João Nuno Ribeiro.

 

Sporting: André Sousa, João Matos, Pedro Cary, Merlim e Dieguinho.

 

Jogaram ainda: Diogo, Fortino, Pany Varela, Deo, Divanei, Djô.

 

Treinador: Nuno Dias.

 

Árbitros: Rúben Guerreiro e Wilson Soares.

Ação disciplinar: cartão amarelo para Márcio (28 minutos) e Pany Varela (36).

Assistência: cerca de 1300 espectadores.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:11

 

_an_5155.jpg

 

Vitória folgada do Sporting nos quartos-de-final da Taça da Liga frente ao Pinheirense, por 7-1, numa partida quase de sentido único, garantindo assim a passagem às meias-finais da prova, a realizar-se em Sines.

Divanei (2), Djô (2), Pany Varela, João Matos e Edgar Varela fizeram os golos dos leões, enquanto Carioca assinou o tento de honra da formação nortenha.

Fica assim definida a primeira meia-final, agendada para sábado, a partir das 14h30 horas, com o Sporting a defrontar o Fundão, que por sua vez derrotou o Futsal Azeméis, por 7-2.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:49

 

PAZZ6BSR.jpg

 

O Sporting foi ao Restelo empatar a um golo com o Belenenses (golo de Acuña e autogolo de Coates) ficando assim apurado para a final four da Taça da Liga, com os mesmos 5 pontos do Marítimo (venceu o União da Madeira), mas com vantagem na diferença de golos (7-1 e 3-2).

 

No final da partida, Jorge Jesus teve isto para dizer:

 

"Conseguimos o objectivo de ir à final four e disputar esta competição. Sabíamos que estávamos dependentes de dois resultados: a vitória ou o empate, dependendo do jogo da Madeira.

 

Foi um jogo muito táctico, onde a duas equipas se anularam completamente. Todas a equipas estiveram de férias e isso tirou intensidade e competitividade a todos. Na segunda parte o jogo foi mais fácil para o Sporting. O Belenenses quis arriscar para ganhar e quando meteu dois avançados perdeu poder no corredor central e o Sporting acabou por ser mais forte.

 

Objectivo atingido e notou-se estas férias de Natal, não percebo... O futebol é um desporto para o povo. Em todos os campeonatos da Europa isto não pára e até na NBA jogam no Natal. Aquilo que queremos é melhorar, é ter mais espectadores e param os campeonatos.

 

image.jpg

  

Muitos dias sem competir. Não houve muito tempo para preparar este jogo. O campo, face à chuva, estava um pouco pesado. Face aos jogadores virem de uma paragem, o campo pesado ainda dificultou mais a intensidade e velocidade deles. Queremos disputar a final four e vamos estar em Braga para tentar conquistar este titulo.

 

Coentrão começou a fazer sinais que estava com alguns problemas musculares. Temos trabalhado com ele em cima do risco. As férias para ele e Mathieu não beneficiaram nada. Para o proteger tirei-o do jogo. Dérbi? O médico ainda vai fazer um diagnóstico".

 

Nota: Não assisti ao jogo, mas segundo consta houve um qualquer desentendimento entre Fábio Coentrão e Acuña. Eis o que Jorge Jesus teve para dizer sobre o incidente:

 

"Durante o jogo não vi tão bem, depois com as imagens... Enquadra-se naquilo que falo com os meus jogadores. Amizade dentro do campo é diferente de amizade fora do campo, quando os jogadores vão jantar. Amizade dentro do campo é assumir a responsabilidade quando o colega não faz as coisas bem e foi isso que aconteceu. O Marcus não gostou. É essa a linguagem que eu quero e foi isso que transmiti aos meus jogadores depois do jogo. É o começo que eu quero, mas não é o fim que eu quero. É assim que eu quero que os meus jogadores se assumam dentro do campo e, quando não fazem as coisas como deve ser, devem ser chamados à responsabilidade e aceitar".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:03

Convocatória para o Belenenses

Rui Gomes, em 29.12.17

 

26165519_10154948434911555_8910132063930368983_n.j

 

Não vou adiantar muito comentário sobre esta convocatória, fundamentalmente a mesma de sempre. A gestão do plantel com Jorge Jesus é "vira o disco e toca o mesmo", Taça da Liga ou outra competição.

 

Depois, inventa no 'onze' e se as coisas não correrem à feição, reverte aos usuais. É um livro aberto este treinador!

 

Nota: Notícias de hoje avançam que já há acordo entre o Sporting e o Fluminense para a transferência a título definitivo de Wendel. O médio brasileiro irá custar cerca de 9 milhões de euros aos cofres de Alvalade e assinará contrato por cinco anos e meio.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:30

Prenda de Natal para os adeptos

Rui Gomes, em 21.12.17

 

 

Jorge Jesus fez quatro alterações no onze inicial face ao último jogo do campeonato, mas o Sporting que ontem goleou (6-0) o União da Madeira não foi uma equipa de recurso.

 

Romain Salin; Piccini, Coates, Mathieu e Bruno César; Gelson Martins, William Carvalho, Bryan Ruiz e Acuña; Daniel Podence e Doumbia constituiram a equipa titular. Ou seja, Salin entrou por Rui Patrício, Bruno César por Fábio Coentrão, Bryan Ruiz por Bruno Fernandes e Doumbia por Bas Dost.

 

Compreende-se perfeitamente a rotação - uma questão já aqui debatida no Camarote Leonino - muito embora, a dizer a verdade, acabou por ter alguns "furos". Numa escala de zero a dez, daria zero a Bruno César e cinco negativos a Bryan Ruiz. Entre os usuais titulares, Marcus Acuña também esteve pouco acima de zero, até melhorar um pouco o seu jogo, nomeadamente após a entrada de Bruno Fernandes e Bas Dost.

 

9LEOZ8E5.jpg

 

Já me exaspera, mas não posso deixar passar esta questão em branco: não preciso de explicação de Jorge Jesus porque sei antecipadamente que não me satisfaria, mas qual a razão que Bruno César alinhou a lateral esquerdo - e reconheço que não é a primeira vez - quando tem Ristovski no banco, que é familiar com a posição? Se é para fazer alguma rotação, Bruno César não seria logicamente a escolha, além do facto de render muito pouco naquele lugar.

 

Na última temporada, um Sporting pouco concretizador na Taça da Liga acabou eliminado pelo último dos critérios de desempate: a média de idades. Este ano, e para evitar qualquer imbróglio parecido, Jorge Jesus foi com tudo para o ataque e com a natural superioridade leonina sobre os insulares, será justo afirmar que a goleada era inevitável, muito embora se tenha esperado até à segunda parte do encontro e já com os "reforços" no relvado.

 

Destaque para os dois centrais do Sporting, Coates e Mathieu, que passaram uma boa parte da noite em território inimigo e ainda a fazerem sentir a sua presença com dois bons golos. De quem se tem visto tão pouco esta época, Iuri Medeiros aproveitou os minutos de jogo e executou um soberbo remate em arco para o sexto golo da partida.

 

Este foi o último jogo de 2017 em Alvalade. Em termos de competição, e novamente a contar para a Taça da Liga, o último jogo do ano está agendado para o dia 29, pela visita do Sporting ao Belenenses.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:27

 

25446439_10154930710931555_3947313893053106755_n.j

 

Pela lista dos 18 convocados, Jorge Jesus aparenta indicar que não é sua intenção fazer poupanças neste desafio da Taça da Liga.

 

No lote dos usuais "principais", nota-se apenas a ausência de Fábio Coentrão e Rodrigo Battaglia. Tobias Figueiredo, Mattheus Pereira e Petrovic não é surpresa alguma, dado que apenas são opções ocasionais do treinador.

 

Jonathan Silva ainda recupera de lesão, mas preza-me ver João Palhinha e Iuri Medeiros. Espero que tenham a oportunidade de jogar.

 

Com uma ou duas alterações, o onze inicial deverá ser muito próximo do que se tem verificado nos últimos jogos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:41

 

A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APF) anunciou esta segunda-feira a indisponibilidade de os juízes do principal escalão dirigirem jogos da Taça da Liga nos meses de Novembro e Dezembro, devido à contestação ao sector.

 

arbitro-futebol-925x578.jpg

 

Em comunicado, a estrutura representativa dos árbitros considera que “não existem condições para continuar a arbitrar”, atendendo a que “o clima no futebol português se tem degradado cada vez mais nos últimos tempos”.

 

Uma asfixia constante em torno do papel do árbitro que tornaram quase irrespirável o ar que a cada semana encontramos nos relvados do nosso país. Semanalmente vemos dirigentes de clubes profissionais a socorrerem-se da mesma desculpa de sempre quando o resultado desportivo os compromete e precisam de encarar os seus adeptos”.

 

Nesse sentido, a APAF anunciou “que os árbitros C1 não estarão disponíveis para os jogos da Taça da Liga agendados para os meses de Novembro e Dezembro, iniciando, desde já, todos os procedimentos regulamentares nesse sentido”, acrescentando já ter informado a Liga (LPFP) desta tomada de posição.

 

“A APAF lamenta que tenha sido necessário este extremar de posições, esperando que o mesmo, seja capaz de conduzir os clubes profissionais a uma reflexão profunda onde o comportamento dos seus dirigentes seja um dos pontos centrais a reflectir e origine uma nova era no desporto nacional”, lê-se ainda no comunicado, no qual acrescenta que esta ‘greve’ “nada tem a ver com as questões remuneratórias que se encontram em fase de discussão com a LPFP”.

 

De acordo com o sítio oficial da LPFP, estão previstos nove jogos da terceira fase da Taça da Liga para 28 e 29 de Novembro e cinco para 21 de Dezembro.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:24

 

Sporting-vs-Marítimo-em-directo (2).jpg

 

Um empate não é uma vitória, mas gostei da exibição da segunda linha que o Sporting apresentou, nomeadamente na primeira parte. Se o empate é injusto no final do jogo, ainda mais era aos 45 minutos, pelo controlo de jogo e pelas oportunidades criadas, inclusive da bola à trave por Petrovic.

 

O Sporting alinhou de início com Romain Salin; Ristovski, André Pinto, Tobias Figueiredo e Jonathan Silva; Petrovic, Mattheus Oliveira, Iuri Medeiros e Bruno César; Alan Ruiz e Doumbia.

 

Suplentes: Pedro Silva, Mathieu, João Palhinha, Battaglia, Marcus Acuña, Daniel Podence e Gelson Dala.

 

As mexidas de Jorge Jesus no segundo período pouco beneficiaram a equipa. É verdade que Iuri Medeiros mais uma vez desapontou com um jogo muito "mastigado" e pouco agressivo, mas Acuña, que entrou para o seu lugar, pouco mais ofereceu.

 

Para quem tem jogado tão pouco, Mattheus Oliveira registou uma exibição aceitável. Daniel Podence, que o substituiu, embora não exactamente na mesma posição no terreno, acusou falta de ritmo após a sua longa ausência por lesão.

 

A entrada de Rodrigo Battaglia deixou-me perplexo. Com a equipa a precisar de marcar e com o jogo relativamente controlado - o Marítimo não criou uma única oportunidade de golo - pareceu-me a altura ideal para integrar o jovem Gelson Dala. Será que o meio-campo precisava de ser ancorado ?... Deve haver algo com este rapaz que desagrada a Jesus... digo eu.

 

Seydou Doumbia fez um bom jogo, excepto no que mais se precisava dele: a finalização. Desperdiçou algumas boas chances de "violar" a baliza madeirense.

 

De quem mais gostei foi de Stefan Ristovski. Muito boa exibição. Piccini poderá dar mais garantias a defender neste momento, mas o macedónio representa uma grande promessa e oferece uma dimensão ofensiva que simplesmente não está ao alcance do defesa italiano. Precisa de jogar para ganhar confiança e para se integrar melhor na equipa. Creio que é só uma questão de tempo até ele ter uma palavra forte a dizer sobre a titularidade.

 

O árbitro Manuel Mota não influenciou o resultado com decisões em lances capitais, mas, como sempre, tem o "condão" de irritar com os seus critérios e pela maneira como aborda o jogo. 

 

Estiveram presentes 22 127 espectadores em Alvalade.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:45

 

imagem.jpg

 

Como já era esperado, ou pelo menos desejado, Jorge Jesus deixou de fora oito habituais titulares do Sporting para o jogo desta noite com o Marítimo, da 1.ª jornada do Grupo B da Taça CTT.

 

Tal como eu referi no outro post desta terça-feira, as outras três frentes competitivas que encaram o Sporting obriga a uma rodagem de jogadores para minimizar o desgaste. Daí que o técnico tenha prescindido de Rui Patrício, Piccini, Coates, Coentrão, William, Bruno Fernandes, Gelson Martins e Bas Dost.

 
Apenas três jogadores que costumam fazer parte das primeiras opções entraram na lista para a recepção aos madeirenses: o francês Jérémy Mathieu e os argentinos Battaglia e Acuña. Na realidade, até me surpreende a inclusão de Mathieu, atendendo aos minutos que ele tem jogado e à sua idade (33 anos).

Além de Romain Salin, que ocupará o lugar de Rui Patrício na baliza, estreando-se de verde e branco, contra um clube que já representou, Jorge Jesus chamou mais quatro elementos do plantel que ainda não se estrearam esta época, casos de Tobias Figueiredo, João Palhinha, Mattheus Oliveira e Gelson Dala.

Gostava de ver Gelson Dala jogar os 90 minutos. É um jovem muito promissor e necessita de minutos para continuar com a sua evolução. Ter sido relegado para a equipa B não foi uma tomada de decisão sensata por parte da SAD.

O Sporting joga no próximo sábado, 23 de Setembro, em Moreira de Cónegos, com o Moreirense, em jogo da 7.ª jornada da Liga. Seguem-se o Barcelona (dia 27) e o FC Porto (1 de Outubro), ambos em Alvalade.

Lista de convocados:

Guarda-redes: Salin e Pedro Silva

Defesas: André Pinto, Ristovski, Tobias Figueiredo, Mathieu e Jonathan

Médios: Acuña, Bruno César, Battaglia, Mattheus, Iuri Medeiros, Petrovic e João Palhinha

Avançados: Gelson Dala, Doumbia, Podence e Alan Ruiz
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:01

 

Jorge+Jesus+Sporting+CP+Training+Press+Conference+

 

Considerações de Jorge Jesus na conferência de imprensa de antevisão ao embate com o Marítimo, a contar para a primeira jornada da fase de grupos da Taça da Liga:

 

«Temos o objectivo de vencer esta competição. Vimos de um ciclo de vitórias e temos essa obrigação. Estamos confiantes e acreditamos que temos capacidades de fazer um bom jogo, contra uma equipa que está a fazer um início de campeonato também muito forte.

 

Vamos encontrar um Marítimo forte, que está a prová-lo no campeonato. Vai fazer desta competição uma prova importante para os seus objectivos. Acredito que estarão na sua máxima força e é uma equipa que nos vai criar vários problemas.

 

Apelo à presença dos adeptos em massa em Alvalade. O Sporting tem adeptos em todas as partes de Portugal e sei que neste momento estamos todos esperançados porque estamos a vencer e quanto mais estivermos unidos, mais fácil será para conquistar vitórias».

 

Qual é o real significado de Jorge Jesus afirmar que o Sporting quer vencer esta competição ?... Haverá disposição para dar o tudo por tudo ?... Não acredito !

 

Com a Liga, a Champions, e mais adiante a Taça de Portugal, há uma necessidade absoluta de rodar jogadores para minimizar desgaste. Por muito que o Sporting possa alegar que pretende vencer esta competição, não pode de modo algum alinhar com a sua melhor equipa. Fazer isso, seria cometer suicídio !

 

Fica a dúvida, portanto, sobre a qualidade e profundidade de desempenho do onze que irá defrontar o  Marítimo, constituído maioritariamente por jogadores de segunda linha.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:09

 

maxresdefault.jpg

 

Curiosamente, foi concedido uma "descanso" ao vídeo-árbitro na Taça da Liga, com o sistema, pelos vistos, a ser somente utilizado nos jogos do campeonato.

 

Consequentemente, Manuel Mota e os seus auxiliares não terão acesso a esse recurso no jogo de hoje entre o Sporting e Marítimo.

 

O juiz da Associação de Futebol de Braga dirigiu pela última vez um jogo do Sporting, na 28ª jornada da época passada, em que se verificou uma vitória leonina sobre o Boavista, por 4-0.

 

Refira-se, ainda, que os delegados ao jogo serão Faustino Santos e Rui Manhoso, este último que foi visado por Bruno de Carvalho após os incidentes no ‘caso do túnel’, referente ao Sporting-Arouca de 2016/17.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:08

 

image.jpg

 

O Sporting revalidou o título da Taça da Liga de futsal, ao bater o Fundão por 4-0, em Gondomar, num jogo que foi uma reedição da final do ano passado.

 

Numa segunda edição em quase tudo idêntica à primeira - a formação do Fundão causou a grande surpresa ao eliminar o Benfica nos quartos de final -, a equipa leonina chegou ao intervalo a vencer já por 3-0, sentenciando praticamente a final.

 

Dieguinho (12'), Cavinalto (14'), Deo (19') e Fortino (32') foram os marcadores dos quatro golos dos "leões".

 

image1KHNIS47.jpg

  

Nuno Dias, treinador do Sporting, sublinhou, no final do jogo,  a justiça da conquista da Taça da Liga:

 

« A equipa que melhor futsal praticou, que mais qualidade teve e só com os níveis de concentração nos limites como hoje tivemos é que poderia ser possível vencer e conseguir este troféu. No entanto, esbarramos contra uma equipa com muita qualidade e que nos dificultou. Mas o resultado é justo e os números falam por si. A Taça da Liga é uma aposta ganha. O futsal e o desporto estão de parabéns».

 

Parabéns a Nuno Dias e seu staff, e aos atletas.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:29

Quo vadis Sporting ?

Rui Gomes, em 04.01.17

 

image.jpg

 

Para não correr o risco de me acusarem de ser excessivamente crítico, vou deixar a análise a esta "estrondosa" exibição do Sporting - mais uma - inteiramente ao critério dos leitores.

 

Vitória de Setúbal 2 Sporting 1

 

P.S.: Escrevi o post antes do golo vitorioso do Vitória de Setúbal.

 

Adenda: Pode rever aqui o lance da grande penalidade.

 

Nota: Aproveito este jogo e o debate em curso sobre a grande penalidade assinalada a favor do Vitória de Setúbal, para voltar a publicar esta recém-declaração de Pierreluigi Collina (UEFA) sobre os (de)méritos do vídeo-árbitro em lances como o de hoje:

 

«Muito embora o vídeo-árbitro possa vir a ser utilizado para validar ou não golos, para analisar lances de possível penálti, decidir vermelhos directos e ainda confirmar se as punições disciplinares foram aplicadas aos jogadores certos, não pode ser utilizado para julgar a intensidade de uma falta ou a intencionalidade de uma mão na bola, pois o movimento em 'slowmotion' acaba por desvirtuar a avaliação».

 

Isto, para quem pensa que recorrer à tecnologia irá resolver tudo sobre decisões de arbitragem.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:03

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D




Cristiano Ronaldo