Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



image (2).jpg

Algumas considerações de Mariana Cabral, treinadora, no final da partida no Jamor...

"Foi uma festa muito bonita. Merecíamos este troféu e foi uma forma muito boa de acabar a época. Começámos a temporada a ganhar, acabamos igual e é sempre muito importante ganhar troféus para este clube. Temos de lutar sempre por todos os objectivos. A nossa equipa cresceu e aprendeu muito e espero que na próxima época possamos estar ainda melhores.

Temos de agradecer aos adeptos. Sentimos muito apoio ao longo da época, mas hoje o ambiente foi fantástico. O futebol feminino está a crescer imenso, quando eu jogava aqui havia muito menos pessoas e as condições também não eram estas. É um traço marcante do Sporting CP, faz parte do nosso ADN. Ter muita juventude é sinal também de que temos muito futuro.

Foi a minha primeira época no futebol sénior e tenho muito para aprender. Elas ajudaram-me muito e todas as pessoas à nossa volta suportam o projecto e levam-no para a frente.

O que nos interessa é crescer, continuar o projecto com jogadoras de qualidade, umas mais experientes e outras da formação, mas agora o importante é festejar e ter férias. O próximo [troféu] espero que seja a Supertaça e, depois desse, o campeonato, porque gostava muito de o conquistar pelo Sporting CP e elas também o merecem".

publicado às 03:32

Inside Sporting CP

Rui Gomes, em 27.05.22

publicado às 02:30

O vídeo está disponível para quem tem algum interesse e hoje não vou pormenorizar as considerações de Rúben Amorim, salvo uma, sobre os bitaites de Sérgio Conceição:

"Em relação aos castigos, não vou estar a fazer comentários porque não vale a pena, até porque há coisas que dão vontade de rir, como certas pessoas dizerem que não vale tudo para ganhar. Não vou fazer mais comentários, deu-me vontade de rir, comunicados que me dão vontade de rir. Não deveria falar disso, vamos passar para outra coisa".

Referimos o nosso outro post, onde comentamos essa monumental impostura do técnico do FC das Antas.

publicado às 03:17

Vencer no Dragão

Leão Zargo, em 20.04.22

Sporting CP.jpg

Há jogos assim, como o de amanhã no Dragão, que serão verdadeiramente épicos se os jogadores leoninos os superarem com sucesso. Nos próximos anos será recordado como um enorme acontecimento e os nomes dos jogadores repetidos por todos os adeptos. Chegados a este ponto, não adianta dizer que se trata do Estádio mais difícil por inúmeras razões para o Sporting, mas é fundamental transformar a agressividade do ambiente num factor de motivação e de empolgamento. Por essa razão é essencial o foco, a concentração, no jogo, sem envolvimento em inúmeros factores exteriores provenientes, nomeadamente, do banco portista. Se não houver cabeça fria é quase certo que a derrota será inevitável.

Apesar de estar em vantagem na eliminatória, julgo que o Porto não se vai apresentar à defesa como o Benfica fez em Alvalade, e que procurará assumir alguma iniciativa do jogo. Conhecendo a dificuldade dos leões perante equipas muito defensivas, penso que isso é bom para o Sporting. Não sei se Rúben Amorim fará alterações significativas, é um jogo para arriscar com alguma segurança (se isto existe no futebol), mas o que mudar será para introduzir força, velocidade e criatividade à equipa, sabendo que o adversário vai procurar anular os passes em profundidade, fechar pelo meio e evitar cruzamentos perigosos para a grande área. Acontece que este é um jogo de tudo ou nada.

Creio que Rúben Amorim fará apenas alterações cirúrgicas. Na defesa, alinharão Gonçalo Inácio, Coates e Matheus Reis, com Porro e Nuno Santos nas laterais. São os melhores, mas admito que Neto possa ser escolhido, indo Matheus Reis para o lugar de Nuno Santos. É um jogo para a mestria de Matheus Nunes e ao lado dele estará Palhinha ou Ugarte. Se entrarem os dois de início estaremos perante uma mudança significativa feita à custa de um dos avançados. Lá à frente é onde tenho maiores dúvidas. O habitual tridente PSP (ou com Slimani?) ou o “carrocel” de Edwards, Sarabia e Pote para dificultar as referências de marcação à defesa portista.

publicado às 11:00

Foto do dia

Rui Gomes, em 10.04.22

iisa0958.jpg

As grandes leoas do râguebi na conquista da Taça de Portugal

publicado às 07:31

Dobradinha para as leoas do râguebi

Rui Gomes, em 09.04.22

iisa3438.jpg

A equipa feminina de râguebi do Sporting CP conquistou, este sábado, a Taça de Portugal ao vencer a AEES Agrária de Coimbra por 20-10 nas Caldas da Rainha.

Com este troféu, a equipa orientada por Filipe Luís atingiu a dobradinha, juntando a Taça de Portugal ao Campeonato Nacional da Divisão de Honra de XV. É também a quinta Taça de Portugal do palmarés do Sporting CP - a primeira em rugby de XV.

O Sporting CP é detentor da hegemonia do râguebi feminino em Portugal ao longo dos últimos anos e não há palavras para descrever os grandes feitos destas magníficas leoas.

iisa2658.jpg

Sporting CP: Joana Morgado (Tânia Semedo, 50'), Inês Marques, Franciny Amaral, Ana Freire (Sara Balcão, 79'), Margarida Arriaga e Cunha (Catarina Pires, 60'), Sara Silva, Leonor Amaral, Maria Teixeira, Marta Pedro (Marcela Máximo, 72'), Francisca Baptista [C], Beatriz Teixeira (Maria Bernardo, 79'), Isabel Ozório, Antónia Braga, Joana Silvestre (Carolina Menoita ,79') e Beatriz Amaral. Não utilizadas: Mariana Fonseca e Josefa Gabriel.

NOTA: Acho estranho - mas talvez seja tradição - que em vez de entregarem uma taça digna do nome ao vencedor, entregam uma placa minúscula.

publicado às 17:30

277565355_10158168925531923_1269329920761903395_n.

As leoas estão na 𝐟𝐢𝐧𝐚𝐥 da Taça de Portugal, depois de terem vencido

o Ubuntu por 66-0 nos quartos-de-final e o Benfica por 12-5 nas meias-finais.

publicado às 04:16

NUNCA era penálti!!!

Rui Gomes, em 03.03.22

Screenshot (713).png

Pelos vistos, há quem não tenha visto bem o lance que levou Artur Soares Dias a assinalar grande penalidade contra o Sporting. Com o FC das Antas a perder, ele não desperdiçou a oportunidade que desejava e esperava.

Podemos discutir os quês e porquês do contacto corpo a corpo entre Porro e Evanilson, e é bastante discutível. Os jogadores do clube das Antas estão muito bem ensaiados para arrancar as faltas. Atravessam-se à frente do adversário para provocar o contacto e então caírem. O que se viu no jogo de ontem não é nada de novo, fazem-no em quase todos os jogos, o que ajuda a explicar não só o número de penáltis a seu favor como jogarem 9 vezes em vantagem numérica nos últimos 18 jogos.

Mas muito além disso, no lance de ontem, há um outro factor bastante evidente: no início do lance, Evanilson dá uma cotovelada na cara de Porro. Logo aí, Artur Soares Dias, se fosse um árbitro sério e isento, que não é, devia ter assinalado falta a favor do Sporting.

O VAR, Hugo Miguel, é cúmplice impudente no "crime". Tem ao seu dispor múltiplos monitores que lhe permitem rever o lance de toda a maneira possível.

Também ele, se fosse sério e isento, que não é, devia ter alertado Artur Soares Dias para rever as imagens no monitor. Isto, se de facto o árbitro não viu o que ocorreu in loco, o que é discutível.

O Sporting, até ao penálti, estava a ser a melhor equipa. Na primeira parte, foi a mais ofensiva, com Matheus Nunes e Pedro Porro a executarem dois excelentes remates que mereciam melhor sorte.

É igualmente verdade que o penálti, e subsequente golo, alterou o jogo. A equipa leonina mostrou alguma intranquilidade e depois cometeu o lapso defensivo que permitiu o segundo golo do FC das Antas.

Mas o penálti é crucial e acabou por ser o lance mais decisivo do jogo.

É possível haver quem tenha uma leitura diferente da minha do todo do jogo, é uma questão de opinião. Mas o lance do penálti não é subjectivo, está bem à vista!!!

E agora pergunto eu: quem vai ser escolhido a dedo para apitar o jogo da 2.ª mão no Dragão?

P.S.: Segundo informações que me chegaram, o lance do penálti, acentuado pela falta sobre Porro, já correu várias televisões e não é segredo algum. Mas, como quase sempre, no que diz respeito ao FC das Antas, o clube da corrupção, tudo passa em branco.

publicado às 03:03

Estatísticas do jogo

Rui Gomes, em 03.03.22

GoalPoint-Sporting-Porto-Taca-de-Portugal-202122-9

Com 44.231 espectadores nas bancadas, o Estádio José Alvalade ultrapassou a barreira dos 13 milhões de espectadores desde a sua abertura em 2003. Antes do apito inicial, destaque especial para os fumos negros – com o símbolo da paz - utilizados pelos jogadores do Sporting CP, bem como para a braçadeira de capitão de Coates, com as cores da bandeira da Ucrânia. 

Algumas considerações de Rúben Amorim no final do jogo...

“Na primeira parte, o Sporting jogou bem, teve várias oportunidades, não deixou o Porto criar qualquer oportunidade. Depois chegámos ao golo e um penálti desnecessário meteu o Porto no jogo. Fomos atrás do resultado e começámos a sofrer muitas transições. Antes de assentarmos o jogo, voltámos a sofrer [mais um golo]. Tornou-se tudo difícil e foi por aí, depois não conseguimos dar a volta. Agora é pensar na segunda mão".

"Com a entrada de Slimani eu sentia que a equipa podia fazer o segundo golo. Os nossos laterais, principalmente o esquerdo, podiam saltar mais no lateral e não precisávamos de ter tanta preocupação com o central do lado esquerdo. Foi isso que fizemos. Mudámos as características, deixámos o Pablo [Sarabia] mais aberto, não mudámos a identidade. Eu queria ganhar o jogo, queria fazer mais um golo. Eu como os meus jogadores. É a nossa forma de estar".

img_920x519$2022_03_02_23_01_40_1968591.jpg

"O confronto com Sérgio Conceição... Achei irónico o Porro levar amarelo por simulação e o banco do FC Porto aplaudir, foi o que disse ao treinador do FC Porto. Nunca fui santo nem nunca vou ser santo. Mas há coisas piores no futebol português".

"A eliminatória fica difícil, mas conseguimos ir vencer ao Dragão como provámos no último jogo, depois com 10 foi mais complicado".

publicado às 03:02

Conselho Arbitragem_Profissional.jpg

Já foram divulgadas as equipas de arbitragem para os jogos da primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, marcados para os dias 2 e 3 de Março. 

O Conselho de Arbitragem da FPF decidiu nomear uma equipa VAR com três elementos já para os encontros das meias-finais, antecipando o que vem sendo feito habitualmente para a final da competição.

Sporting CP-FC das Antas

Árbitro: Artur Soares Dias
Assistentes: Rui Licínio e Paulo Soares
4.º árbitro: Tiago Martins
VAR: Hugo Miguel
AVAR 1: André Narciso
AVAR 2: Ricardo Santos

CD Tondela-CD Mafra

Árbitro: Vítor Ferreira
Assistentes: Nélson Cunha e Inácio Pereira
4.º árbitro: João Gonçalves
VAR: Rui Costa
AVAR 1: Rui Oliveira
AVAR 2: João Bessa

Gostaria de ter algo de positivo a dizer sobre Artur Soares Dias, relativamente ao Sporting, mas nada me vem à mente de momento. Veremos...

publicado às 18:30

O que se segue na Taça de Portugal

Rui Gomes, em 12.01.22

271756679_474214570737234_1075134932312329246_n.jp

Apurado para as meias-finais da Taça de Portugal, o Sporting aguarda agora o vencedor do embate entre o Vizela e o FC Porto, que terá lugar esta quarta-feira, se o surto de Covid-19 que afecta os vizelenses não impedir a sua realização.

Os jogos das meias-finais - eliminatória disputada a duas mãos - serão realizados de 1 a 3 de Março e de 19 a 21 de Abril.

A final da prova rainha está agendada para o dia 22 de Maio.

Tudo é possível nesta prova, evidentemente, mas é muito provável que iremos assistir a dois jogos entre o Sporting e o clube do Norte.

publicado às 03:16

Foto do dia

Rui Gomes, em 15.12.21

266449561_10158006987816923_3762240700981911052_n.

Sporting conquistou a Taça de Portugal

de trampolim individual em absolutos masculinos.

publicado às 03:00

As Notas de Julius 2021/22 (19)

Julius Coelho, em 19.11.21

Nesta rubrica, o leitor tem a oportunidade de apreciar - e se entender, criticar as notas (0-6) que eu atribuí aos jogadores do Sporting CP e a outros intervenientes do jogo com o Varzim da 4.ª eliminatória da Taça de Portugal, que resultou numa vitória do Sporting por 2-1. Golos de Pedro Gonçalves (67') e (88') gp.

Foi preciso chamar a 'cavalaria' para desbloquear e resolver um jogo sem chama ou grandes motivos de interesse. Equipa com muitas mexidas, principalmente na defesa, não conseguiu manter a intensidade dos primeiros 20 minutos, deixando um adversário - que a jogar sempre de bloco médio e baixo - acreditar e ganhar ânimo nos despiques. As entradas de Porro, Sarábia e Pote trouxeram de novo o ritmo que se exigia e com eles os golos que ditaram uma vitória justíssima e apuraram o Sporting para os oitavos de final da Taça.

img_920x519$2021_11_18_21_45_54_1929214.jpg

DESTAQUE - PEDRO GONÇALVES - 4 - Entrou aos 60 minutos a substituir o azarado Jovane e resolveu um jogo que parecia bloqueado. No primeiro golo teve o 'feeling' para estar no sítio certo, permitindo-lhe um remate fácil e na grande penalidade não falhou. Os golos aparecem-lhe com naturalidade. Mostra um nível de eficácia sempre muito elevado.

JOÃO VIRGÍNIA - 4 - Duas intervenções de alto nível e que foram muito importantes para impedir que o Varzim marcasse o primeiro golo do jogo. 

GONÇALO ESTEVES - 3.5 - Entrou com tudo e prometeu uma grande noite, conseguiu por várias vezes provocar desequilíbrios na defesa do Varzim e espaços para cruzar, mas faltou-lhe sempre uma melhor definição. Foi caindo de produção até ser substituído pelo Pedro Porro aos 66'.

RICARDO ESGAIO - 2.5 - Exibição bastante discreta; competente a defender mas ineficaz e pouco energético na primeira fase da construção. Ser central não é de todo a sua praia e evidencia muito pouca determinação quando a equipa ganha a bola. Tem dificuldade em compreender os espaços que lhe compete ocupar.

ZOUHAIR FEDDAL - 3 - A sua experiência ajudou a disfarçar as suas limitações para o lugar do centro da defesa, o lugar do patrão que nunca conseguiu ser, exibição desfocada e muito esforçada. Tentou fazer de Coates mas foi sempre o Feddal que conhecemos. Deixou algumas vezes o adversário ganhar vida em lances que podia e devia ter resolvido.

MATHEUS REIS - 3 - Não consegue resistir ao vício das faltas desnecessárias; tem sempre uma mãozinha a agarrar ou a empurrar desmedidamente o adversário, ou vai à queima quando bastava manter a posição. Melhor a ligar o jogo pelo lado esquerdo do ataque da equipa.

NUNO SANTOS - 3 - Um inicio de jogo bem fulgurante, ganhando na velocidade pelo seu corredor, cruzou muitas vezes com espaço para a área adversária mas definiu sempre mal. Precipitou-se na forma como abordou o avançado do Varzim dentro da sua área, no lance que precipitou a falta para grande penalidade e que resultou no golo do empate. A sua nota saiu prejudicada por isso.

DANIEL BRAGANÇA - 3 - Era jogo para poder brilhar com a braçadeira de capitão no braço e mostrar toda a sua qualidade, mas raramente se viu. Só mesmo naquele tiraço que levava o selo para um grande golo em que o guarda-redes (grande exibição) do Varzim lhe negou com a defesa mais espectacular da noite. Foi sem dúvida um dos momentos mais altos do jogo. Estranhamente, teve pouca bola e também não a procurou.

MATHEUS NUNES - 3.5 - Correu quilómetros na primeira parte na tentativa de ajudar a equipa a resolver cedo o jogo. Teve excelente oportunidade para inaugurar o marcador mas o inspiradíssimo Ismael não o permitiu com uma espantosa defesa. Com o desgaste foi naturalmente perdendo a intensidade. As entradas de Pote e Sarabia deram-lhe novo ânimo para a ligação aos colegas da frente.

TABATA - 2 - Nunca conseguiu desequilibrar nem vencer nos duelos, foi aposta falhada sem efeitos práticos nas poucas iniciativas que protagonizou. Tardia a sua substituição que já se pedia; saiu aos 66' para dar o lugar a Sarabia.

JOVANE CABRAL - 3 - Saiu lesionado com torção no joelho, depois de escorregar no excesso de areia que um deplorável relvado apresenta em algumas zonas do campo. Estava a ter uma exibição inconstante, com pouco protagonismo. Marcou um livre ao seu jeito ( é a sua grande praia) levando a bola a bater na barra sem hipótese de defesa.

PAULINHO - 2 - Totalmente ausente do jogo, foi invisível em quase todos os 90 minutos, claramente o elemento da equipa que menos produziu. Após um bom trabalho de Sarabia pelo lado esquerdo, quase que fazia um golo de belo efeito de calcanhar, a bola sobrou para o Pote que não falhou para inaugurar o marcador.

PABLO SARABIA - 3.5 - Foi decisiva a sua entrada, notou-se de imediato a melhoria da qualidade que trouxe à equipa na fase derradeira da partida, numa excelente iniciativa em que ganhou espaço já dentro da área dos poveiros, cruzou uma bola que acabou por sobrar para o Pote que não desperdiçou para o primeiro golo do jogo.

PEDRO PORRO - 3.5 - Entrou para os 25' finais ainda com o resultado empatado a zero e mexeu com o jogo; destemido nos duelos ajudou a empurrar o Varzim ainda mais para a sua grande área. Decisivo no resultado final no lance em que sofreu a grande penalidade e que deu a vitória à equipa ao cair do pano.

LUÍS NETO - 2.5 - Fica para a história da sua carreira os dez minutos que jogou contra o clube onde tudo começou para ele. O treinador sabia da importância que tinha este jogo para o Luís Neto. Ainda foi a tempo de cortar um cruzamento em que a bola ia direitinha para a cabeça de um adversário à boca da baliza do João Virgínia.

RÚBEN AMORIM - 4.5 - É sempre missão complicada voltar a impulsionar os jogadores, após paragem para os jogos das selecções. Esperava um desafio menos complicado e optou por apresentar a equipa que uns dias antes tinha feito um belo jogo-treino contra o Estoril. No entanto, as coisas pareciam querer complicar-se e sentiu a necessidade de lançar a cavalaria para resolver a contenda. E... já são nove vitórias consecutivas.

ANTÓNIO BARBOSA - 3.5 - Jogou com as armas limitadas que tem. Com um já esperado bloco médio baixo, tentou explorar os contra-ataques que chegaram à área do Sporting com algum perigo. O adversário tinha outros argumentos que fizeram a diferença. Ficou a boa imagem de uma equipa que se esforçou até ao final. Teve também um guarda-redes inspiradíssimo que ajudou a equilibrar momentos do jogo.

ANDRÉ NARCISO (Árbitro) - 3 - Usou a lei da compensação, quando entendia que errava, compensava o adversário depois. Geriu o jogo de forma sofrível tecnicamente. Nos lances de grande penalidade precipitou-se mas foi coerente, ou marcava os dois ou não marcava nenhum. 

VAR - Esta fase da competição ainda não tem o VAR. O motivo é porque há equipas dos escalões secundários em prova que não têm condições nos seus estádios para montar o sistema das câmaras.

publicado às 03:33

As Notas de Julius 2021/22 (12 )

Julius Coelho, em 16.10.21

Nesta rubrica, o leitor tem a oportunidade de apreciar - e se entender, criticar as notas (0-6) que eu atribuí aos jogadores do Sporting CP e a outros intervenientes do jogo com Os Belenenses no Estádio do Restelo para a Taça de Portugal, que resultou numa vitória leonina por 4 - 0. Golos apontados por Tiago Tomás ( 2' e 67') Jovane ( 77' gp) e Nuno Santos (80'gp).

O Sporting apresentou- se no velho Estádio do Restelo com um 'onze' titular com muitos jovens, mas que deram muito bem conta do recado. Marcaram 4 golos, como podiam ter marcado outros tantos, não fosse a displicência na cara do guarda-redes adversário que também rubricou excelentes intervenções, negando por várias vezes o golo aos leões. De registar a excelente dinâmica apresentada pela equipa na primeira parte, com lances bem conseguidos e vistosos, principalmente pelo lateral Rúben Vinagre que reapareceu rejuvenescido, mostrando ganas de querer voltar e vingar no lugar.

img_920x519$2021_10_16_00_38_56_1916201.jpg

DESTAQUE - TIAGO TOMÁS - 4.5 -  Marcou os 2 primeiros golos do jogo com destaque para o segundo em salto de peixe a aproveitar o passe de cabeça do Feddal, mas podia e devia ter marcado mais 3 ou 4, teve oportunidades soberanas na cara do guarda redes. Tem que crescer e melhorar na finalização. Falhou lances difíceis de desculpar; num jogo contra um adversário de outro calibre e com menos oportunidades para marcar, podem fazer grande diferença.

JOÃO VIRGÍNIA - 3.5 - Os adeptos sportinguistas viram-no a actuar pela primeira vez. Apresentou-se tranquilo e atento, resolvendo sempre bem as poucas situações a que foi chamado a intervir, terá com certeza testes mais complicados no futuro contra adversários com outros argumentos.

GONÇALO ESTEVES - 4 - Também uma estreia feliz na equipa titular, tem um futebol muito irreverente e repleto de energia, ataca de frente os seus adversários sem medo de falhar, sempre muito combativo e nunca se esconde, tem tudo para evoluir e ser um grande lateral. Tem 17 anos, mas já joga um futebol adulto e moderno. 

RICARDO ESGAIO - 3.5 - Voltou a ser novamente testado a central desta vez ao lado de Gonçalo e Feddal, cumpriu o quanto baste mas percebe-se que não se sente à vontade ali. Sabemos da sua usual lentidão quando na recuperação e em espaço mais aberto fica mais visível essa lacuna, embora seja verdade que o Belenenses raramente conseguiu chegar à área do Sporting, o que ajudou.

GONÇALO INÁCIO - 4 - Foi surpresa ter aparecido no jogo quando se disse que ainda não estava curado da lesão. Fez uma boa exibição e foi o melhor no eixo da defesa; comandou bem os movimentos dos colegas ao seu lado e vimo-lo seguro com a bola no pé.

ZOUHAIR FEDDAL - 3.5 - Esteve bem melhor na área adversária, ganhando vários lances aéreos, do que a defender, em que mostrou lentidão e com alguns passes sem lhe dar o melhor critério. Deu nas vistas a ganhar uma bola de cabeça na área do Belenenses a que o Tiago Tomás lhe deu o melhor seguimento fazendo o segundo golo do jogo e falhou um golo cantado bastava um pequeno toque na bola.

RÚBEN VINAGRE - 4.5 - Candidatou-se ao melhor jogador da equipa no jogo. Fez uma excelente primeira parte ganhando várias vezes em velocidade ao seu adversário directo, cruzou quase sempre bem e deu de bandeja o primeiro golo ao Tomás. Teve outros bem direccionados mas acabaram desperdiçados por Jovane e Tiago Tomás.

MANUEL UGARTE - 3.5 - Fez o seu primeiro jogo como titular do Sporting, fez bem a sua parte de matar o jogo do adversário no meio campo, mas teve algumas dificuldades a ligar o jogo de construção com os colegas, precisa de competição para se sentir mais confiante e entrosado. Sabe procurar os espaços com a bola bem grudada ao pé.

DANIEL BRAGANÇA - 4 - Parecia arrancar para uma grande exibição, marcando bem o ritmo de jogo na saída para o ataque. Voltou a dar nas vistas com os seus excelentes passes e a forma como se desenvencilhava dos adversários, mas não conseguiu ser mais constante desaparecendo algumas vezes do jogo. Tem capacidade para o agarrar de princípio ao fim e será o trabalho do treinador ajudá-lo a conseguir chegar a esse patamar.

PEDRO GONÇALVES - 3.5 - O seu reaparecimento deixou todos os sportinguistas muito satisfeitos, já tinham saudades de o ver no relvado. Precisa de ganhar ritmo competitivo. Jogou 60' a ritmo algo moderado e sem correr grandes riscos e ainda se isolou dentro da área adversária após uma excelente desmarcação, mas não escolheu o melhor lado para o remate. 

JOVANE CABRAL - 3.5 - Exibição cheia de altos e baixos, ainda não foi desta que "voltou o Jovane". Provocou alguns ameaços com lances de muito bom recorte técnico mas voltou a pecar na eficácia e critério do passe. Faltou-lhe feeling na área em vários lances. Marcou de forma irrepreensível a grande penalidade. Mas espera-se sempre mais e tem capacidade para isso.

PEDRO PORRO - (-) - Dez minutos dos piores que conheceu certamente na sua carreira; mal entrou viu um amarelo e pouco depois sofre uma entrada assassina e saiu de maca em lágrimas. A excelente notícia é que pelas redes sociais ele próprio informou que afinal foi mais o susto e pode não ser grave. 

NUNO SANTOS - 3.5 - Quase tudo lhe saiu (torcido) até a grande penalidade que marcou o guarda redes quase que defendeu, teve por duas vezes na cara do golo e não conseguiu matar. Cruzou para a cabeça do Feddal que acabou no segundo golo da equipa, cruzou no lance que deu o primeiro penálti mas aquela perdida depois do passe genial do Jovane...

MATHEUS NUNES - 3 - Jogou o último quarto de hora para manter o ritmo competitivo para o jogo decisivo em Instambul. Cumpriu sem grandes registos e ainda ajudou a equipa a marcar os últimos dois golos.

MATHEUS REIS - 3 - Entrou para o lugar do Feddal mas o jogo já estava resolvido, Viu a equipa ampliar a vantagem com mais dois golos, teve uma boa iniciativa em que quase se isola na área do Belenenses mas preferiu voltar para trás e manter a bola segura.

JOÃO GOULART - 3 - Outra estreia absoluta na equipa. Dez minutos que decerto nunca esquecerá na sua carreira. Deu nas vistas pela tremenda estampa física e na coragem que disputa os lances pelo ar, tem perfil de patrão da defesa.

RÚBEN AMORIM - 5 - Apresentou uma equipa nova repleta de jovens com alguns a serem titulares pela primeira vez. Apesar das muitas alterações, a equipa não perdeu dinâmica fazendo um boa primeira parte, com um futebol quase sempre em boa velocidade e eficaz na construção de várias claras oportunidades de golo. Podia ter acontecido uma goleada das antigas no Restelo.

NUNO OLIVEIRA - 3 - Equipa com muito poucos argumentos para uma missão quase impossível. Conseguiu, com alguma sorte à mistura, retardar o segundo golo do Sporting que só viria a acontecer na segunda parte. Livrou-se de uma goleada à antiga e a isso pode agradecer ao seu guarda-redes e também à ineficácia dos avançados do Sporting.

GUSTAVO CORREIA (Árbitro) - 2.5 - Arbitragem fraca, com várias decisões erradas no capítulo técnico. Percebeu-se a sua falta de experiência em ajuizar vários lances de forma correcta. No lance em que Pedro Porro se lesionou não teve coragem de expulsar o jogador do Belenenses que fez uma 'tesoura' por trás às pernas do lateral espanhol; ficou também um penálti claro por marcar na parte final do jogo sobre o Jovane.

VAR - Não houve nesta eliminatória da Taça de Portugal.

publicado às 03:33

Taça_de_Portugal_logo.jpg

A equipa principal masculina de futebol do Sporting vai defrontar o CF “Os Belenenses” na terceira eliminatória da Taça de Portugal, ditou o sorteio realizado esta quarta-feira pela Federação Portuguesa de Futebol na Cidade do Futebol. 

O encontro diante do emblema da Cruz de Cristo, que ocupa a terceira posição na série E do Campeonato de Portugal, está agendado para o fim-de-semana de 16 e 17 de Outubro, no Estádio do Restelo. 

Recorde-se que esta é a primeira eliminatória da prova em que participam os 18 clubes da Liga Portugal.

publicado às 04:16

212671298_10157743171546923_9148232005396465664_n.

A equipa masculina de goalball do Sporting CP venceu, este domingo, a Taça de Portugal da modalidade no Castêlo da Maia. Foi a quarta conquista consecutiva da prova.

Os leões, orientados por Márcia Ferreira, começaram por bater o Castêlo da Maia GC por uns claros 11-1. Depois, nas meias-finais, o Sporting CP não deu qualquer hipótese ao FC Porto e triunfou por 12-2.

Por fim, na final contra a ACAPO Lisboa, novo domínio leonino e vitória por 15-5.

Mais um título para uma brilhante secção que detém a hegemonia do goalball em Portugal e na Europa.

Parabéns grandes leões!

publicado às 05:04

Foto do dia

Rui Gomes, em 13.04.21

172235159_10157581873096923_6115384051493710736_n.

Leões do basquetebol festejam a conquista da Taça de Portugal

publicado às 03:16

principal_1.jpg

A equipa de basquetebol do Sporting conquistou a segunda Taça de Portugal consecutiva, ao vencer o Imortal BC por 59-83, no Centro e Desportos e Congressos de Matosinhos, repetindo o feito alcançado nas temporadas 74/75 e 75/76.

Depois de eliminarem o FC Porto, os leões encontraram a equipa sensação deste ano, que batera o Benfica nas meias-finais, e demoraram algum tempo a levar a melhor no jogo. No entanto, o conjunto de Luís Magalhães não deu qualquer hipótese ao Imortal BC e foi construindo, aos poucos, uma vantagem confortável, que se fixou nos 32-44 ao intervalo.

No regresso do descanso, a tónica do encontro manteve-se, com o Sporting CP cada vez mais confiante e os algarvios a insistirem nos lançamentos de três pontos, na maioria das vezes sem sucesso.

principal2.jpg

Nos dez minutos finais, o Imortal ainda conseguiu um parcial de 4-0, mas o entusiasmo esvaneceu rapidamente. Com o aproximar da última buzina, Luís Magalhães começou a rodar a equipa e deu minutos aos menos utilizados, pois a vitória estava praticamente garantida, mas, mesmo assim, o Sporting CP nunca perdeu o controlo e selou a conquista da Taça de Portugal com um 59-83.

Sporting CP: Travante Williams (15), James Ellisor [C] (12), Diogo Ventura (2), João Fernandes (4) e John Fields (9). Jogaram ainda: Shakir Smith (24), Diogo Araújo (7), Francisco Amiel (2), Jorge Embaló (4), Jeremias Manjate (1), Cláudio Fonseca (2) e Afonso Guedes (1).

Parabéns leões!

publicado às 04:04

171749548_10157578210891923_7242720318156809255_n.

O Sporting venceu (85-77) o FC Porto e vai defrontar o Imortal na final da Taça de Portugal, agendada para este domingo, às 16h00, em Matosinhos. A primeira metade do clássico até foi marcada por algum equilibrio... mas tudo 'descambou' na segunda parte. Os dragões chegaram às cinco faltas colectivas logo no início do 3.º período e ficaram condicionados, ao invés dos leões, que tiveram muitas oportunidades na linha de lance livre.

A turma de Luís Magalhães esteve sempre confortável na liderança e acabou por não tremer perante a aproximação do FC Porto nos derradeiros dez minutos. De salutar os 20 pontos de Diogo Ventura, mas o MVP foi mesmo Travante Williams, que fez pender a balança para o lado dos leões com um duplo-duplo (22 pontos e 12 ressaltos). Do lado dos dragões destaque para Tanner McGrew (19 pontos, cinco ressaltos e três assistências). 

publicado às 21:00

160501960_10157522389716923_7881065713453678005_n.

A equipa de voleibol feminino do Sporting CP venceu, este sábado, o AJM/FC Porto por 1-3, e vai disputar a final da Taça de Portugal, já este domingo, tendo pela frente a formação do Leixões. O jogo está agendado para as 16h00.

Depois de mais de duas horas de jogo, a equipa leonina triunfou e marcou lugar na final que está marcada para as 16h00.

As leoas venceram com os parciais de 28-26, 25-19, 21-25 e 25-22.

Boa sorte leoas!

publicado às 04:31

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D




Cristiano Ronaldo