Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Tribunal O Jogo

Rui Gomes, em 19.08.14
 

 

O painel do "Tribunal O Jogo" composto pelos três antigos árbitros Jorge Coroado, Pedro Henriques e José Leirós, pronunciou-se sobre os lances principais do encontro entre a Académica e o Sporting, a contar para a 1.ª Jornada da I Liga, edição 2014/15:

 

34' - Jogada em Jefferson toca na bola com o braço na área do Sporting

 

Os três ex-juízes concordam que houve "movimento deliberado" por parte de Jefferson, passível de grande penalidade e cartão amarelo.

 

42' - Olascuaga cai na área do Sporting em lance com Jefferson

 

Apenas Jorge Coroado entende que Jefferson tocou "objectivamente" na perna esquerda de Olascuaga, e que ficou uma grande penalidade por assinalar. Os outros dois elementos não verificam causa para o castigo máximo.

 

45' - O primeiro cartão amarelo de William Carvalho

 

Todos são da opinião que foi uma decisão acertada do árbitro, em que William foi "impudente" ao tocar por trás em Rui Pedro.

 

51' -  Lance em que Heldon cai na grande área da Académica

 

Unânimes em que ficou uma grande penalidade por assinalar. O jogador da Académica, Lago, não se preocupou com a bola, apenas procurou "travar" o movimento de Heldon e "impedir a sua progressão", derrubando-o.

 

66' - Segundo cartão amarelo de William Carvalho

 

Unanimidade novamente, em que o cartão foi bem mostrado. William "rasteirou e derrubou" Rui Pedro.

 

publicado às 03:50

 

 

O painel do Tribunal O Jogo - constituído pelos antigos árbitros Jorge Coroado, Pedro Henriques e José Leirós - é unânime ao considerar positiva a decisão de assinalar falta de João Meira sobre Carlos Mané na área do Belenenses, no lance que acabou por resultar no único golo da partida. A opinião também é absoluta naquele que terá sido o maior erro de Cosme Machado: a expulsão de Marcos Rojo que, no entender do Tribunal, deveria ter visto apenas o cartão amarelo.

 

Jorge Coroado: Rojo foi intempestivo na falta, que justificaria a exibição do cartão amarelo e não do vermelho. Árbitro foi iludido pelo espectáculo de Rojas.

 

Pedro Henriques: Rojo entra em tackle deslizante e de forma imprudente. Entrada dura, mas não foi uma falta grosseira, razão pela qual deveria apenas ter sido advertido.

 

José Leirós: É um contacto aparatoso, mas Rojo não utilizou o pé nem a sola para atingir o adversário. Tackle perigoso que devia ter sido punido apenas com amarelo.

 

Os três elementos concordam que Cosme Machado cometeu alguns erros para os dois lados e que teve falhas disciplinares, mas que a sua actuação não teve influência no resultado.

 

publicado às 02:38

Cada cabeça sua sentença

Rui Gomes, em 17.04.14
 
 

 

E é perfeitamente natural que assim seja, tanto na vida como no futebol, e especialmente neste, em relação à arbitragem. Assente neste raciocínio, já esperava diferenças de opinião sobre a actuação de Pedro Proença no embate de quarta-feira entre o Benfica e o FC Porto, mas não tanto como acabo agora de verificar.

 

Os antigos árbitros Jorge Coroado, Pedro Henriques e José Leirós - os elementos que constituem o painel do "Tribunal O Jogo" - apenas estão de acordo em três lances do jogo: que a falta de Siqueira sobre Defour não justificava o primeiro cartão amarelo e que a outra falta sobre Quaresma que resultou na expulsão do jogador é bem ajuizada. Por fim, que a entrada de Quaresma sobre Maxi Pereira aos 22' foi merecedora de cartão amarelo.

 

Não estão de acordo sobre o lance da grande penalidade, sobre as expulsões dos treinadores e ainda sobre a expulsão de Ricardo Quaresma aos 88'.

 

Não é ocorrência frequente eu estar em sintonia com José Leirós, mas não há regra sem excepção e a sua análise sobre a arbitragem de Pedro Proença coincide com a minha. Partilhamos da mesma opinião sobre o lance da grande penalidade, em que ele afirma:

 

«Não se vê um empurrão, não se vê uma rasteira, não se vê um pontapé na perna. Não há carga ilegal, não houve grande penalidade.»

 

Também concordo com a sua apreciação da situação que precipitou a expulsão de Quaresma:

 

«Só Proença pode explicar o inexplicável. Quaresma não foi punido pela falta. Depois, apenas falou com o árbitro queixando-se de ter levado cotoveladas. Foi expulso com crueldade.»

 

publicado às 17:22

 

 

A análise do jogo entre o Sporting e o V. Guimarães pelos antigos árbitros que constituem o painel do "Tribunal O Jogo": Jorge Coroado, Pedro Henriques e José Leirós.

 

Unânimes nos quatro lances de maior relevância do jogo:

 

48' - O golo de Marcos Rojo foi bem validado, uma vez que os dois jogadores do Sporting que se encontravam em posição irregular não interferiram ou perturbaram a jogada.

 

50' - Slimani devia ter visto o segundo cartão amarelo por simulação.

 

60' - O golo de Fredy Montero deveria ter sido validado, dado que ele parte de posição regular, com pelo menos dois adversários a colocá-lo em jogo. O árbitro assistente estava desatento e desconcentrado.

 

69' - A entrada de Adrien Silva sobre Marco Matias foi deliberada e era merecedora de cartão vermelho directo.

 

Nota: Slimani viu cartão amarelo, por simulação, aos 5 minutos. No total, o V. Guimarães viu 4 cartões amarelos e o Sporting 3; além de Slimani, Rojo aos 58' e Adrien Silva aos 81 minutos.

 

publicado às 03:06

 

Jorge Coroado, Pedro Henriques e José Leirós apreciam a arbitragem de Pedro Proença e dos seus auxiliares no clássico de domingo, e em termos gerais concordam que houve o erro do auxiliar Tiago Trigo no lance que deu em golo e alguns outros casos discutíveis do foro disciplinar.
 
Em síntese:
 
- A opinião é unânime que André Martins partiu de posição irregular para servir Slimani no lance do golo do Sporting.
 
- Novamente unânimes que no centro de Varela aos 35' não houve falta grande penalidade sobre Jackson.
 
- Pedro Henriques é o único que vê nas repetições que Cédric terá tocado na anca de Jackson aos 44', em que o avançado cabeceou ao lado.
 
- José Leirós entende que o cartão amarelo mostrado  a Adboulaye aos 55' por carregar Carlos Mané foi exagerado, não é justificado na zona do terreno onde a jogada ocorreu.
 
- Jorge Coroado opina que Danilo deveria ter visto o segundo amarelo quando aos 68' fez falta sobre Capel. Pedro Henriques entende que Capel força a queda e José Leirós acha que houve falta mas não para sanção disciplinar.
 
- No pontapé de canto aos 76' em que Jackson cai na área do Sporting, apenas Leirós entende, mas com dúvidas, que um jogador do Sporting terá "subtilmente" rasteirado o avançado portista. No entanto, diz também que as imagens televisivas não esclarecem.
 
- Pela expulsão de Fernando aos 90', apenas Pedro Henriques opina que o médio portista mereceu ser expulso. Os outros dos elementos consideram que a acção não é agressão e, consequentemente, o cartão amarelo era a decisão certa.
 
Com tudo o que se viu do jogo e com o parecer destes três antigos árbitros, a única conclusão possível para tão enorme alarido pelos portistas, é que não gostam de perder, estão a  atravessar uma fase de grande intranquilidade e arragam-se com "unhas e dentes" ao mais pequeno pormenor para tentar minimizar os danos da época. 
 

publicado às 14:12

 

 

O painel do "Tribunal O Jogo", constituído pelos ex-árbitros Jorge Coroado, Pedro Henriques e José Leirós, é unânime nos lances do jogo que lhe foi apresentado para apreciar:

 

45 minutos - Adrien e Fernando Alexandre embrulharam-se na grande área do Sporting.

 

Todos concordam que a decisão de Paulo Baptista em não assinalar grande penalidade foi correcta, dado que o jogador da Académica deixou-se cair quando sentiu as mãos de Adrien nas costas.

 

52 minutos - Sporting reclama grande penalidade por braço de João Rocha na bola.

 

Unânimes novamente, em que o jogador jogou a bola com a cabeça e não com o braço. Decisão correcta.

 

69 minutos - Haliche desviou a bola com o braço direito na grande área da Académica.

 

Opinam os ex-árbitros que ficou por marcar uma grande penalidade a favor do Sporting, que tanto o árbitro como o árbitro auxiliar não assinalaram.

 

90 + 2 minutos - William Carvalho é admoestado com cartão amarelo por falta sobre Djavan.

 

Unanimidade entre os elementos do painel, em que William Carvalho obstruiu deliberada e desnecessariamente o jogador da Académica. Jorge Coroado ainda opina que embora a falta tivesse existido, foi algo forçada por Djavan, que numa outra altura do jogo não teria caído.

 

O lance em que Jefferson acabou lesionado não foi apresentado ao painel para apreciação. Em análise global, entendem os três ex-árbitros que a prestação de Paulo Baptista foi prejudicada pela grande penalidade a favor do Sporting que não foi assinalada.

 

publicado às 11:55

 

 

O painel de ex-árbitros do "Tribunal O Jogo" são unânimes nos dois principais lances do jogo entre o FC Porto e o Marítimo:

 

1.º lance aos 57 minutos: Igor Rossi empurra Carlos Eduardo na área do Marítimo.

 

Jorge Coroado, Pedro Henriques e José Leirós concordam que Igor Rossi carregou o jogador portista à margem das leis e que ficou uma grande penalidade por marcar a favor do FC Porto.

 

2.º lance aos 90+3 minutos: Jogada que envolve Igor Rossi e Ghilas, em que o avançado portista cai na área.

 

Unanimidade novamente aqui, em que Igor Rossi agarrou, puxou e derrubou Ghilas, grande penalidade bem assinalada pelo árbitro Manuel Mota e bem exibido o cartão vermelho.

 

publicado às 13:38

 

 

O painel de ex-árbitros não foi unânime na abordagem a quatro principais lances do jogo entre o Penafiel e o Sporting para a Taça da Liga:

 

1.º lance aos 48 minutos: Após canto de Jefferson, a bola vai ao braço de João Pedro na área.

 

Tanto Jorge Coroado como Pedro Henriques concordam que o defesa penafidelense desvia a trajectória da bola de forma deliberada e que ficou uma grande penalidade por assinalar. Já José Leirós entende que a bola vai ao braço de João Pedro, sem este fazer movimento deliberado.

 

2.º lance aos 51 minutos: Wilson Eduardo é considerado em posição de fora de jogo quando se isola a passe de Cédric Soares. 

 

Os três elementos do painel são unânimes neste lance. Decisão errada do árbitro auxiliar Sérgio Serrão, que estava mal colocado. Wilson Eduardo encontrava-se em posição legal.

 

3.º lance aos 80 minutos: O árbitro Marco Ferreira assinala grande penalidade por falta de Fábio Ervões sobre Eric Dier.

 

Discórdia novamente entre os três elementos: Pedro Henriques e José Leirós entendem que a disputar o lance, Ervões toca na perna e derruba Eric Dier. Jorge Coroado, no entanto, considera que "o jogador inglês enganou o árbitro", não havendo motivo para grande penalidade.

 

4.º lance aos 83 minutos: Adrien desvia a bola na área do Sporting e jogadores do Penafiel reclamam grande penalidade.

 

Unanimidade neste lance: Adrien jogou a bola com a anca e não com o braço.

 

publicado às 03:48

Tribunal O Jogo - Arouca 1 Sporting 2

Rui Gomes, em 20.01.14

 

 
Nada de grande destaque na análise ao jogo do sábado, entre o Arouca e o Sporting, por parte dos antigos árbitros Jorge Coroado, Pedro Henriques e José Leirós, do "Tribunal O Jogo".
 
Os lances mais susceptíveis a divisão de pareceres sobre a arbitragem de Cosme Machado, foram as expulsões de Tinoco, aos 62', e de Marcos Rojo, aos 65'. Enquanto Coroado e Pedro Henriques entendem que os dois lances, mesmo sendo faltas, não justificavam o segundo cartão amarelo que foi mostrado a cada jogador, José Leirós, o usual "contra" do trio, opina que as expulsões foram justas. E, para não ficar por aqui, novamente em "diferendo" com os seus colegas do painel, declara que ficou um primeiro amarelo por mostrar a Rojo, aos 2 minutos de jogo, por braço na bola. Caso Cosme Machado tivesse seguido o curso recomendado por Leirós, o defesa do Sporting teria sido expulso aos 33', momento em que lhe foi atribuído o primeiro cartão amarelo quando deliberadamente cortou uma linha de passe jogando a bola com a mão.
  

publicado às 03:01

 

Desconheço se o antigo árbitro José Leirós é adepto do Benfica, mas sei que surge frequentemente a favorecer o clube da Luz com as suas opiniões, em oposição ao seus colegas do Tribunal O Jogo. Neste caso concreto, não é a equipa "encarnada" que está em discussão, mas o efeito é quase o mesmo. Recorde-se que foi este o elemento do painel do diário desportivo que elogiou a arbitragem de Duarte Gomes no "derby" para a Taça de Portugal, que, por si, diz muito.

 

Consequentemente, não surpreende que perante a pergunta: «Foi bem anulado o golo de Slimani por alegado empurrão a Miguel Rodrigues ?», ele tenha respondido assim:

 

"Há dois empurrões pelas costas, o primeiro de Monteiro (a Marçal) no cruzamento inicial e, depois, o de Slimani antes de cabecear. Perante duas faltas consecutivas, o árbitro puniu a que viu, anulando o golo."

 

Jorge Coroado: "A falta assinalda não se justifica. Admitia-se que o tivesse feito relativmente à cometida por Montero sobre Marçal momentos antes, o que não sucedeu."

 

Pedro Henriques: "Montero usa os braços mas não derruba Marçal nem o tira da jogada, e Slimani, ao saltar, não empurra o seu adversário; apenas tem um ligeiro contacto com Miguel Rodrigues, mas não o tira da jogada nem o desequilibra."

 

O outro lance mais em discussão que envolve a falta cometida sobre Jefferson. Os pareceres dividem-se de semelhante modo:

 

Jorge Coroado: "O árbitro não agiu em conformidade: Mexer deveria ter sido sancionado com livre directo e a exibição de um cartão amarelo."

 

Pedro Henriques: "Foi uma entrada fora do tempo e imprudente sobre Jefferson. O árbitro deu, e bem, a lei da vantagem, mas depois não advertiu o infractor na primeira interrupção do jogo."

 

José Leirós: "O grito ouviu-se no relvado, ms foi apenas um contacto ligeiro no pé de Jefferson, e na disputa da bola. O árbitro decidiu correctamente."

 

publicado às 04:39

Tribunal "O Jogo"

Rui Gomes, em 10.11.13

 

 
A apreciação de Jorge Coroado, Pedro Henriques e José Leirós sobre os lances principais do "derby" da Taça de Portugal:
 
* Unanimidade no que respeita à mão de André Almeida, ficando, portanto, grande penalidade por assinalar aos 108 minutos.
 
* Jorge Coroado e Pedro Henriques entendem que o outro polémico lance entre Luisão e Montero não é passivo de castigo máximo, porque Montero fez jogo perigoso com o pé levantado e ainda porque surgiu de trás intempestivamente. Leirós é da opinião que o avançado chegou primeiro à bola e Luisão, fora de tempo, pontapeia o jogador do Sporting.
 
* Na jogada do primeiro golo e o possível fora de jogo, Coroado e Henriques pensam que em conformidade com a letra da lei, Cardozo estava adiantado no momento do passe. José Leirós alega que estava em linha.
 
* No lance que deu a vitória ao Benfica, Jorge Coroado é do pensamento que foi Luisão quem primeiro arragou Rojo e que este só o fez posteriormente, mas como a primeira falta não foi assinalada, nada mais há a criticar. Tanto Pedro Henriques como José Leirós entendem que Rojo comete falta para grande penalidade, mas como a bola em acto contínuo transpõe completamente a linha de baliza, o árbitro de forma correcta, validou o golo.
 
Apenas uma observação: Se vamos agir em conformidade com a letra da lei - como deve ser - e partindo do princípio que existiu falta para grande penalidade de Rojo sobre Luisão, o golo devia ter sido invalidado e o castigo máximo executado, porque nesta circunstância a lei da vantagem não é aplicável. O argumento de José Leirós que "naquele momento não há tempo para pensar sequer" não invalida a essência da lei.
 
Os três "juizes" entendem que disciplinarmente Duarte Gomes esteve irrepreensível. Leirós vai ao ponto de afirmar que tecnicamente esteve "quase perfeito à excepção dos dois lances na área no lado contrário ao auxiliar". Tanto Jorge Coroado como Pedro Henriques declaram que o árbitro cometeu "algumas falhas" no plano técnico.
 

 

publicado às 18:37

Tribunal " O Jogo"

Rui Gomes, em 04.11.13

 

 

Os três elementos do Tribunal "O Jogo" são unânimes que o árbitro Bruno Esteves esteve mal em não expulsar Rúben Ferreira pela agressão a Diego Capel:

 

Jorge Coroado: Há agressão de Rúben Ferreira ao jogador do Sporting. A falta devia ser punida com livre directo e cartão vermelho ao jogador do Marítimo.

 

Pedro Henriques: Agressão nítida e deliberada de Rúben Ferreira, ao dar com o braço no rosto de Capel depois de a bola já não estar naquela zona. Ficou um cartão vermelho por exibir.

 

José Leirós: Rúben Ferreira de forma deliberada dá uma cotovelada em Capel. Uma conduta violenta passível de livre directo e cartão vermelho.

 

A disciplina, segundo o Tribunal "O Jogo", foi um dos aspectos em que Bruno Esteves esteve em pior plano. Tecnicamente, Jorge Coroado aponta o dedo aos dois penálties assinalados - discorda que tenham sido faltas - e a outro que terá ficado por marcar, a favor do Sporting, aos 64 minutos.

 

Concordo que existe margem para discussão quanto às duas grandes penalidades assinaladas, mas discordo que tenha havido uma terceira por marcar. No lance em questão, o jogador do Marítimo faz-se à bola com os braços atrás das costas e juntos ao corpo, e muito embora a bola vá ao braço, entendo que não houve um movimento deliberado dos braços.

 

publicado às 16:47

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Cristiano Ronaldo