Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



As Notas de Julius (16)

Rui Gomes, em 21.03.21

162931994_10157613158046555_6887532873633908962_o.

Na 16.ª edição desta rubrica, o leitor tem assim a oportunidade de apreciar - e se entender, criticar as notas (0-6) que o nosso colaborador Julius atribuiu aos jogadores do Sporting e a outros intervenientes do jogo de ontem com o Vitória de Guimarães - a contar para a 24.ª jornada da Liga NOS - que o Sporting venceu por 1-0, golo de Gonçalo Inácio aos 44 minutos.

"Não tem o golo do minuto noventa e Coates tem o golo do minuto quarenta e Inácio e... menos uma final, mais três pontos. Excelente primeira do Sporting em que não se notou tanto que faltou o capitão, na segunda parte foi fechar, fechar, fechar até ao fim. Para nós adeptos leões foi mais uma sessão de arritmia que nos faz ansiar cada vez mais para que o final deste campeonato não demore muito., uffff!".

DESTAQUE - JOÃO PALHINHA - 5 - Foi enorme em toda a primeira parte, cortou quase todas as tentativas do adversário pela raiz; jogou mais posicional para que João Mário e Bragança pudessem arriscar mais, depois, na segunda parte, com os estoiros da sua companhia a meio campo ficou mais isolado e acabou como pronto socorro. 

ANTONIO ADÁN - 4 - Foi expectador grande parte do primeiro tempo e quando foi chamado a intervir fez uma grande defesa num tiraço com selo de golo já dentro da área levando a bola a bater ainda no poste, no canto viu a bola bater na trave e não entrar; segue bem benzida a sua baliza.

PEDRO PORRO - 3.5 - Muito melhor como toda a equipa na primeira parte onde ligou bem o jogo na construção pelo seu corredor, ganhando a maioria dos duelos. Com a radical alteração táctica com que o Guimarães se apresentou na segunda parte, viu-se obrigado a subir menos e a ser mais posicional com a linha de cinco.

LUÍS NETO - 3 - A ausência de Coates trouxe-o de novo ao seu lugar à direita, mas voltou a ser o elo mais fraco da defesa; limitou bastante as saídas do Porro que teve que estar sempre com o olho no colega.

GONÇALO INÁCIO - 5 - Exibição à craque no lugar do patrão e capitão; nunca perde a profundidade para os adversários atacantes e ainda teve tempo para os seus lançamentos "açucarados" que começam a ser habituais. Depois, a cereja no topo do bolo; foi dele o "cabezazo" do jogo que valeu os três pontos da vitória.

ZOUHAIR FEDDAL - 4 - Assumiu o jogo com muita responsabilidade, por ser o mais experiente; as mexidas que o treinador teve que fazer pela ausência do uruguaio, sabia que tinha que agarrar o Gonçalo, e juntos, o cabo de aço da defesa e fê-lo muito bem, deve-se muito a ele toda aquela tranquilidade que o miúdo mostrou no jogo.

NUNO MENDES - 3.5 - Prometeu muito de início com saídas que baralharam o lado direito da defesa do Guimarães; quando muda de velocidade cria o pânico à sua frente, depois e da mesma forma que Porro, teve que posicionar-se na linha de cinco na segunda parte quando o adversário subiu no terreno e meteu quatro avançados na frente; com a entrada de Ricardo Quaresma, e já exausto, era necessário entrar alguém mais fresco e foi substituído.

JOÃO MÁRIO - 3.5 - Não fez uma grande exibição mas cumpriu sempre na tarefa árdua de pensar o jogo e encontrar linhas de rotura na defesa; teve a ajuda do miúdo Daniel e juntos com Palhinha reinaram na primeira parte; foi até não dar para mais e saiu bastante esgotado.

DANIEL BRAGANÇA - 4 - Inteligente o Rúben que percebeu que com este adversário tinha que colocar mais gente com capacidade de segurar a bola no interior; retirou-lhes espaço e o Daniel cumpriu muito bem a sua parte; manteve-se sempre próximo do João Mário e ganhou muitas segundas bolas, foi destaque na construção.

POTE - 4 - Teve alguns lances de génio na primeira parte e esteve perto do golo por duas vezes, foi infeliz com a bola a esbarrar na trave e ainda assistiu o Tomás no lance do golo anulado. Caiu na segunda parte e também recuou para defender o golo da vitória; pena que se ausente ocasionalmente do jogo, um aspecto importante que terá forçosamente que corrigir. 

TIAGO TOMÁS - 3 - Mais uma noite de muito trabalho em que até chegou a marcar, mas o VAR invalidou-lhe o golo; tem dificuldades em jogar de costas para os defesas que o marcam e se não o deixam virar acaba por perder a bola e viabilizar contra ataques do adversário; terá que evoluir nessas acções.

PAULINHO - 2.5 - Já se esperava a sua falta de ritmo e acerto; falhou um golo cantado. De registar e louvar o seu esforço e competência na hora de ajudar a defender o resultado, vimo-lo várias vezes a cortar a bola dentro da nossa área.

BRUNO TABATA - 2.5 - Quando esperávamos a entrada do Jovane surge o Tabata, entrou no momento da perda do meio campo, o Daniel já não estava e ao João Mário já se lhe via a língua de fora; a missão que lhe foi pedida para segurar a bola era difícil mas não comprometeu.

DESTAQUE - DÁRIO ESSUGO - 3 - Dezasseis anos e o mais jovem de sempre numa equipa do Sporting nos jogos da Liga. Entrou para o lugar do João Mario, histórico e só por isso tem nota positiva, teremos tempo de ver o que sabe fazer.

MATHEUS REIS - 3 - Era a hora de agarrar o que a equipa já tinha conseguido e esse sinal foi dado com a entrada de Ricardo Quaresma, com o adversário a entrar no risco total. O Rúben Amorim percebeu e não facilitou e o Matheus, fresco, entrou e não se viu o Quaresma.

JOVANE CABRAL - 2.5 - Fica difícil de perceber a razão de Jovane só entrar nos cinco minutos finais; mesmo assim ainda conseguiu carregar a bola por duas vezes para o meio campo do V. Guimarães. O Rúben lá saberá porquê, mas que o jogo já pedia há muito a sua entrada pedia.

RÚBEN AMORIM - 4 - Continua a ganhar e é isso que importa; tem gente que fala que o campeonato para o Sporting só começava hoje, pois foram mais 3 pontos e ficam a faltar 10 finais. A equipa jogou muito bem nos trinta minutos iniciais em que podia ter marcado dois golos; a entrada do Daniel para ajudar o João Palhinha e o João Mário foi muito bem pensada.

JOÃO HENRIQUES - 3.5 - A sua equipa fez uma fraca primeira parte, sem velocidade e sem pressão aos jogadores do Sporting, mas podia ter marcado com duas bolas a bater nos ferros da baliza de Adán; na segunda parte subiu as linhas mas raramente incomodou a sério a defesa do Sporting.

TIAGO MARTINS (Árbitro) - 3.5 - É um árbitro que marca poucas faltas mas deixa o jogo correr, por vezes excessivamente, fazendo vista grossa a faltas flagrantes. Bem no capítulo disciplinar. No golo, apitou fora de jogo antes de terminar a jogada, felizmente que existe o VAR e resolveu bem.

VÍTOR FERREIRA (VAR) - 3.5 - Bem no golo, validando-o depois do árbitro apitar um fora de jogo inexistente. No golo invalidado a Tomás deixou algumas dúvidas, mas houve uma imagem que deixa a ideia de a bola ter passado a linha lateral e se passou decidiu bem.

publicado às 04:48

As estatísticas do jogo

Rui Gomes, em 21.03.21

GoalPoint-Sporting-Vitoria-SC-Liga-NOS-202021-90m.

2070 minutos, ou seja, 23 jogos completos: até este sábado, Sebastián Coates era o único jogador de campo que ainda somava todos os minutos de utilização nesta Liga 2020/21, à semelhança do que também acontece com alguns guarda-redes, uma boa posição que obviamente sofre de bem menos questões de rotatividade.

A ausência do capitão poderia ser sentida pela equipa, mas o rapaz que ocupou o lugar vago no centro da defesa, Gonçalo Inácio, que habitualmente tem jogado mais à direita (ontem jogou Neto aí), cumpriu praticamente na perfeição a função e ainda marcou o golo que deu a vitória ao Sporting.

E isto num jogo em que Rúben Amorim também estreou Dário Essugo, jovem de 16 anos que passou a ser o mais novo de sempre a jogar no Sporting, mais novo ainda do que Nuno Mendes, o lateral de 18 anos que esta semana foi chamado pela primeira vez à seleção e que, na 2.ª parte do jogo desta noite, chegou a ter pela frente alguém com o dobro da sua idade, Ricardo Quaresma, um homem que foi campeão pelo Sporting em 2001/02, o último título nacional conquistado pelo clube.

image.jpg

Rúben Amorim no final da partida:

"Houve muito boas sensações, penso que fizemos um bom jogo, mesmo sem criar muitas oportunidades, tivemos maior controle. Chegámos à frente com mais facilidade, o Dani [Bragança] também nos deu isso e fez um excelente jogo enquanto esteve fresco. Na 1.ª parte o Vitória só teve aquelas duas oportunidades seguidas, que podiam ter tirado confiança, mas não. Defendemos bem e cada vez mais arranjamos soluções para atacar contra equipas que defendem em bloco baixo e estiveram muito bem."

"Ainda somos o segundo melhor ataque da Liga. Já houve períodos em que fizemos mais golos, as equipas agora fecham-nos bem. Eles tiveram dificuldades em pressionar alto, saíamos bem a partir de trás. Sem sofrer estamos mais perto de ganhar os jogos. Eles compensam-se no jogo todo, é uma característica desta equipa."

"O objectivo é ganhar o próximo jogo. Se pensamos mais à frente criamos ansiedade para uma equipa tão jovem. Agora há a paragem e que os jogadores voltem bem das selecções para depois preparamos o próximo jogo."

"Obviamente gostei do Dário, tem apenas 16 anos, teve pouca competição, mas teve bom desempenho. Isto também é uma mensagem para os mais jovens. Todos vão ter uma oportunidade, é uma mensagem para o grupo perceber. Este é o futuro do Sporting. Temos de começar já e o Dário é mais um exemplo."

publicado às 04:47

162655908_10157608676306555_1789423201471001086_o.

Muito tem sido comentado durante a semana sobre o provável 'onze' inicial do Sporting frente ao V. Guimarães, face às ausências no plantel leonino.

Os ausentes: Coates e João Pereira (castigo), Nuno Santos (lesão), Matheus Nunes e Antunes (Covid-19).

Não acredito que Rúben Amorim vá alinhar com quatro esquerdinos na defesa, integrando Matheus Reis, como tem sido sugerido por alguns adeptos. Já temos o Gonçalo Inácio a jogar no lado direito do eixo, que apesar de vir a cumprir muito bem, não escapa ao dilema posicional.

Reconhece-se que Luís Neto tem algumas limitações, mas é um jogador muito experiente e, ao fim e ao cabo, tem sido titular uma boa parte da época. Por conseguinte, creio que ele será o substituto de Coates.

A maior preocupação pela ausência do capitão, recai sobre quem irá assumir a fase inicial da construção de jogo. Creio que as ordens do dia serão de entregrar a bola a João Mário, ou até Palhinha, sempre que possível.

Com o regresso de Paulinho, foi-me sugerida uma opção que ainda não me tinha ocorrido: o ex-bracarense a ponta de lança e Tiago Tomás na ala, a substituir Nuno Santos. A ideia até agrada, porque Tabata ainda não convenceu. Jovane será opção mais tarde no jogo, mediante as circunstâncias.

No meio campo teremos indubitavelmente os suspeitos usuais, com Daniel Bragança a espreitar uma oportunidade na segunda parte do encontro.

Resumindo e concluindo, o meu 'onze' leonino para hoje:

Adán; Pedro Porro, Gonçalo Inácio, Luís Neto, Zouhair Feddal e Nuno Mendes; João Palhinha e João Mário; Pote, Tiago Tomás e Paulinho.

publicado às 04:33

DESTAQUES

"O Vitória SC é uma equipa muito boa, não passa por um bom momento, mas não há melhores jogos do que estes com os grandes para mudar isso. O nosso foco esteve na qualidade que o Vitória SC tem no seu plantel, têm baixas na defesa [os centrais Abdul Mumin e Easah Suliman], mas na frente têm jogadores do melhor que há em Portugal e que podem resolver um jogo".

"É sempre mau ter casos de COVID-19; desde o início que fazemos tudo para os evitar, mas há algumas coisas que não controlamos. Quando surge um temos de ser ainda mais rigorosos, se possível, e ir testando e protegendo-os e, no sábado, utilizar os jogadores que estão prontos para ir a jogo e temos muitos".

"Paulinho é mais uma opção e por isso uma boa notícia para a nossa equipa. Podemos jogar de formas diferentes e o Paulinho pode então dar-nos outras coisas na criação de oportunidades, mais jogo aéreo e um homem mais de área, portanto é mais um que pode ajudar e a equipa é mais forte assim".

"As outras equipas também se preparam bem e nós temos de evoluir enquanto conjunto. Já temos mais tempo juntos, eles adquiriram tudo o que demos numa primeira fase, agora vamos tentando introduzir outras nuances. O importante é ganhar e melhorar a nossa forma de jogar e a nossa fluidez".

publicado às 04:32

A título de curiosidade

Rui Gomes, em 18.03.21

21945096_ZeIGs.png

Nomeações da Seçcão Profissional do Conselho de Arbitragem da FPF para os jogos da 24.ª jornada da Liga NOS:

Sporting CP-Vitória SC
Árbitro: Tiago Martins
Assistentes: Pedro Mota e Hugo Ribeiro
4.º árbitro: Ricardo Baixinho
VAR: Vítor Ferreira
AVAR: Paulo Miranda

Portimonense SC-FC Porto
Árbitro: Rui Costa
Assistentes: João Bessa Silva e Nuno Manso
4.º árbitro: João Malheiro Pinto
VAR: André Narciso
AVAR: Paulo Brás

publicado às 02:17

Sub-23: Sporting 2 V. Guimarães 2

Rui Gomes, em 22.01.21

O Sporting CP e o Vitória SC empataram, esta quinta-feira, a dois golos, no jogo que abriu a quarta ronda da Fase de Apuramento para a Taça Revelação. As duas equipas partiram para esta ronda empatadas com 13 pontos, menos um que o líder SL Benfica. 

Renato Veiga (10') colocou os leões na frente do marcador, mas Rui Correia (20') reestabeleceu a igualdade. Contudo, sete minutos volvidos, Chico Lamba (27') voltaria a dar nova vantagem ao conjunto leonino que viria a sofrer o golo do empate já na segunda parte, por intermédio de Jota (50'), através de uma grande penalidade.

Tomar nota da expulsão por cartão vermelho directo de Nicolai Skoglund, depois de um lance com Miguel Magalhães, ainda na primeira parte do desafio.

Sporting CP: Diego Callai [GR], Hevertton Santos [C], Chico Lamba, Rodrigo Rêgo, Gonçalo Costa, Renato Veiga (Edson Silva, 82'), Lucas Dias (Paulo Agostinho, 76'), Duarte Carvalho (Samuel Lobato, 76'), Bruno Tavares (Youssef Chermiti, 90'), Joelson Fernandes (Daniel Rodrigues, 90') e Nicolai Skoglund.

publicado às 13:15

124283803_10157318284501555_408435099484232925_o.j

O Sporting bateu, em Guimarães, o Vitória SC, por 4-0, em encontro da 7ª jornada da Liga NOS. Ironicamente, um resultado até algo simpático para a formação vimarenense, tendo presente o número de oportunidades flagrantes criadas pela equipa leonina.

Num encontro que dominaram praticamente desde o apito inicial, os leões marcaram por intermédio de Nuno Santos (11'), Pote (43' e 55') e Jovane Cabral aos 74 minutos.

Com este resultado, o Sporting CP confirmou o primeiro posto da tabela, com 19 pontos, aumentando, provisoriamente, para 4 pontos a vantagem sobre o Benfica, 2.º classificado da Liga NOS que hoje enfrenta o SC Braga. 

Algumas considerações de Rúben Amorim no final da partida:

"Sabíamos que seria difícil e a equipa correspondeu. Depois do primeiro golo baixámos a linha, até pela reacção do V. Guimarães, que é uma excelente equipa. Mas nós sentimo-nos confortáveis com espaço nas costas do adversário. Depois não entrámos bem mas com espaço fizemos o terceiro, quarto e podiam ter vindo mais. Excelente jogo, jogadores estão de parabéns. Temos de melhorar em alguns aspectos, pois se há golo do Vitória a abrir a segunda parte o jogo podia complicar-se. Mas não há dúvidas algumas quanto ao vencedor e à qualidade do jogo."

"Jogamos sempre no limite, desde o início da época. E não quer dizer que seja o limite que possam atingir mas sim o limite do dia a dia. Eles fazem o que treinamos e quando as coisas não correm bem ajudam-se uns aos outros. Isso é a única coisa que não vai desiludir os sportinguistas. Sobre o "Pote de ouro", são fases dos jogadores. Fez um grande jogo mas tem de continuar a trabalhar muito pois isto passa num instante. Há um mês estávamos a falar da eliminação com o LASK. Pode mudar para o lado negativo e eles têm de estar preparados".

"O objectivo é vencer o próximo jogo, sabendo que há alguns jogadores que vão agora para as selecções. Neste momento a Liga nem é o objectivo, mas sim a Taça de Portugal, o nosso próximo jogo. Lembrando bem que no ano passado fomos eliminados de forma surpreendente."

"É sempre importante os jogadores irem para uma paragem longa mantendo o lugar. Mas para mim é importante é manter a dinâmica. Agora temos estas três semanas que nos tiram o momento mas eles têm de trabalhar bem. É levar isto como é, o início de um processo. Ainda não está nada feito. Mais do que garantir a liderança, é a forma como nos apresentámos."

publicado às 04:04

124296957_10157318221251555_8835190251777786744_o.

E o resto é para conversa de café ou... de blogue.

publicado às 22:23

Estatísticas do jogo

Rui Gomes, em 05.06.20

GoalPoint-Vitória-SC-Sporting-Liga-NOS-201920-90m

publicado às 05:33

rubenamorim3.jpg

Algumas considerações de Rúben Amorim no regresso a competição e em antecipação do encontro desta quinta-feira com o Vitória de Guimarães.

PARAGEM

“Foram três meses atípicos, mas deu-nos tempo para ver como funciona o clube, conhecer os jogadores, fazer trabalho específico com jogadores da formação que precisaram de uma adaptação mais rápida. Nesse sentido foi bom. Estou entusiasmado para ver os jogos. As equipas vão evoluir com jogos e não só com treino e esta equipa precisa de jogos para ver como está”.

VANTAGENS DA PARAGEM

“Vantagens tivemos algumas, nesse aspecto de conhecer o plantel, os jogadores, isso foi uma vantagem para nós porque os treinadores precisam de tempo. Mas isto não foi uma pré-época, não tivemos jogos de preparação. Vamos enfrentar o Vitória com duas ou três semanas de trabalho colectivo e isso é uma vantagem. Acima de tudo a equipa precisou de um período para limpar a cabeça, nesse aspecto foi uma vantagem. Eu não tenho ponto algum de comparação porque os treinos colectivos foram feitos apenas entre nós, daí o meu entusiasmo para ver os jogos, para ver o que está ou não está a funcionar”.

MATHEUS NUNES E OS 10 MILHÕES

“Pressão sobre mim não... a pressão é sempre a mesma, é ser treinador do Sporting. O Matheus Nunes felizmente vai pagar uma casa à mãe, isso é que é importante. Ele não se tem de preocupar com mais nada. É bom o Sporting ter um presidente que acredite nos miúdos, mas teremos de dar tempo ao miúdo. Tive uma conversa com ele, como aliás tenho com vários, mais de táctica, do que podem fazer. Ele não mostrou ansiedade. Depois da entrevista não senti nada. Quando eles são chamados a confiança vai surgindo aos poucos”.

VAI HAVER MEDO POR PARTE DOS JOGADORES?

“O futebol não vai mudar, desde o primeiro treino conjunto não houve qualquer tipo de receio. Não quero dar uma imagem de que já está tudo bem, mas já passamos a fase mais crítica. Eles são controlados, temos um corpo clínico pronto e quando a bola rolar eles vão fazer o que fizeram a vida toda. Vai ser tudo o que era, o que vai mudar é a imagem do estádio sem público, a velocidade do jogo”.

WENDEL E LESÕES

“O Wendel não vai estar disponível para este jogo. As várias lesões que tivemos foram lesões traumáticas e não de sobrecarga, não se pode falar de uma ligação entre a paragem e as lesões. São jogadores habituados a muitos jogos. Mas é uma incerteza para todos os treinador, não sabemos como eles vão responder à fadiga. Mas é bom voltar ao futebol, é bom para nós e para o país”.

APOSTA EM JOVENS?

“Isso depende de semana para semana. Com este tempo de treino eles estão aptos e se estão no plantel estão aptos. Eu vou vendo os sinais de cada um. O Matheus Nunes é mais um jogador que está disponível para a posição de médio centro. E quem estiver melhor vai jogar. Todos terão oportunidade de mostrar serviço”.

MERCADO E PRÓXIMA ÉPOCA

“Estou apenas focado nestes dez jogos que aí vem. Obviamente que já estamos a preparar a próxima época. Já estávamos antes. Mas com estes problemas neste momento há uma incerteza muito grande, devido à Covid-19, mas vamos pensar neste jogo e depois logo vemos”.

AUSÊNCIA DE WENDEL E SUBSTITUTO

“Basicamente foi uma guerra no treino porque toda a gente quer agarrar o lugar [risos]. Uma guerra saudável, claro. Vai jogar aquele que estiver melhor”.

É UMA VANTAGEM JOGAR SEM PÚBLICO EM GUIMARÃES?

“Jogar sem público não é uma vantagem para ninguém, preferia jogar até num estádio só com adeptos do Vitória. O jogo perde muita graça, o ambiente faz parte”.

VITÓRIA

“O V. Guimarães é uma equipa com grandes jogadores, com um grande treinador, que vinha de um grande momento de forma e isso pode mudar alguma coisa porque quando o futebol parou o Vitória estava bem. Vamos ver jogadores livres, felizes por voltar e acho que é um excelente teste, não por alguma facilidade, mas porque nos vai testar em todos os momentos porque o Vitória joga bem em transição e joga bom futebol”.

publicado às 04:48

_JPT7763.jpg

O Conselho de Disciplina da FPF multou o Sporting em 18,489 mil euros, consequência de alguns acontecimentos no encontro com o Vitória de Guimarães, no passado dia 27 de Outubro.

"Entrada e permanência de materiais pirotécnicos no recinto desportivo"... custou ao conjunto verde e branco 1913 euros, enquanto "comportamento incorrecto do público", que deflagraram "tochas" e "potes de fumo" valeu uma coima de 3188 euros.

A maior fatia ‘do bolo’ chegou pelo "arremesso de objecto sem reflexo no jogo", que valeu uma multa de 10 mil e 200 euros. Os restantes 3188 euros devem-se a "agressões graves a espectadoresdores e outros intervenientes", que, segundo consta no comunicado do CD, "pelas 21h00, nos corredores inferiores dos sectores 414 e A16, um adepto foi agredido por dois indivíduos pertencentes ao subgrupo casuais do Sporting".

publicado às 03:18

Penálti que ficou por assinalar

Rui Gomes, em 29.10.19

Desconhecemos as recomendações do vídeoárbitro André Narciso, mas Artur Soares Dias esteve mal ao não assinalar falta do guarda-redes Miguel Silva sobre Bruno Fernandes, aos 47 minutos.

download (1).jpg

Bruno Fernandes publicou uma foto do seu olho negro nas redes sociais e deixou uma pergunta ao guardião vitoriano:

"Achas que chegaste a tocar?"...

publicado às 03:17

"Foi um bom resultado e importante mas tenho que discordar quando diz que fizemos um bom jogo, na minha opinião não o fizemos.

Na maioria do tempo foi o Guimarães que dominou o jogo e que jogou no campo do Sporting, o Sporting jogou quase sempre no erro do adversário e foi assim que conseguiu os golos, através de transições rápidas após erros do Guimarães.

Neste jogo, o Sporting ofensivamente viveu do Vietto, Bruno Fernandes e do Acuna, os restantes jogadores acrescentam pouco ou acabam por matar a maior parte das jogadas. O caso do Bolasie é evidente, tem muita vontade mas nenhum discernimento ou capacidade para tomar as decisões correctas, mérito para o Jese pelo golo mas nas restantes ações acabou por ser quase sempre inconsequente.

A dupla do meio campo, Doumbia e Eduardo, mais uma vez deixou bastante a desejar, não tem capacidade para sair a jogar e defensivamente também não conseguem parar o jogo adversário, valeu desta vez o acerto dos centrais que cortaram quase todo o jogo ofensivo do Guimarães.

A vitória foi muito importante mas o Sporting tem que jogar muito mais para que as vitórias sejam regulares e não sejam 'acidentes' de percurso".

Leitor: Paulo CFerreira

Com este rigor de análise e grau de exigência, quase que fico sem palavras. Subscrevo apenas a apreciação sobre o meio campo e a performance de Doumbia e Eduardo.

Tendo presente que é futebol de onze, qual é o significado de dizer que o Sporting "viveu apenas de três jogadores", mesmo admitindo que é factual e menosprezando a exibição de Jesé Rodriguez, o seu melhor jogo de leão ao peito?

GoalPoint-Sporting-Vitória-SC-Liga-NOS-201920-90m

Reconhece-se qualidade no jogo do V. Guimarães, mas o Sporting esteve quase sempre no controlo das operações e apesar de ter um pouco menos posse de bola, soube explorar os espaços concedidos pela defesa minhota para marcar os seus três golos da partida e ainda criar outras situações de perigo.

Houve um período na segunda parte em que os vimaranenses exerceram maior pressão e atacaram mais - reflectindo muito a análise sobre as exibições de Doumbia e Eduardo -, mas este enquadramento não reduz a qualidade global do jogo realizado pelo Sporting.

Dizer-se que tem de jogar mais, é um argumento válido em qualquer ocasião. Decerto que até Jorge Silas dirá o mesmo, e, de certo modo, até o disse: "Ainda temos que melhorar muito. É certo que o tempo não é muito para treinar como gostaríamos, mas a verdade é que há coisas que temos de afinar. Podemos não estar ainda no nível que queremos mas se formos competitivos podemos ganhar a qualquer equipa".

*** Em nota separada, consta que Wendel foi apanhado na noite. Questionado sobre a sua não chamada para este jogo, Silas apenas teve isto para dizer:

"O Wendel é um jogador que tem um potencial enorme, acreditamos muito no Wendel, mas tem de perceber exactamente onde está. Há valores colectivos que se sobrepõem aos individuais. Vai ter de refletir sobre as ações dele, de repensar. Qual o motivo? Não foi físico, não foi técnico".

Tendo presente outros incidentes do passado, este jovem jogador dá fortes indicações de não querer ter uma carreira de sucesso. Lamenta-se, porque tem talento.

publicado às 06:03

Grande jogo, excelente vitória!

E mais uma contrariedade para os "antis"...

Rui Gomes, em 27.10.19

74353242_10156334513446555_6036533760948699136_n.j

Luciano Vietto

"A verdade é que fizemos um grande jogo frente a um adversário difícil. Precisávamos de ganhar porque estavam à frente de nós. Fizemos uma 1.ª parte muito boa e uma segunda parte em que eles estiveram mais em cima. Estou muito contente pelos companheiros e por toda a equipa.

Foi fundamental fazer o terceiro golo. Eles fizeram o 2-1 e corríamos o risco de sofrer o empate. A verdade é que o terceiro golo deu tranquilidade à equipa. É importante ser forte em casa e não perder pontos aqui. Espero que cada jogo em casa termine com uma vitória. Agora é descansar e preparar para o que aí vem".

Emanuel Ferro

"Foi uma muito boa vitória, num jogo difícil. O Vitória joga bem, notou-se que ambas as equipas vinham de um jogo europeu. Conseguimos estar empenhados, envolvidos, fomos mais eficazes e conseguimos ganhar.

É normal que com mais tempo consígamos identificar as nossas ideias. Os jogadores vão estando mais familiarizados, há muito trabalho pela frente, muita coisa a melhorar, mas ganhar é sempre importante".

publicado às 21:56

Convocatória para o V. Guimarães

Rui Gomes, em 27.10.19

73071972_10156333363226555_2231545478061752320_n.j

A lista de 18 jogadores chamados por Jorge Silas para o embate deste domingo com o V. Guimarães.

A grande novidade recai sobre a exclusão de Wendel, em princípio, por opção técnica, e a integração de Rodrigo Fernandes, médio de 18 anos que tem jogado nos sub-23 e que foi recentemente chamado à equipa principal. Haviam indicações que a subir um jovem, seria Matheus Nunes, mas obviamente que não é esse o caso.

Confesso que não tenho palpites sobre o alinhamento da equipa, ou seja, se Silas pretende jogar com um meio campo reforçado, num 4x4x2, ou se vai continuar com o 4x3x3.

Creio que na defesa não haverão alterações. Depois de Renan, teremos Rosier, Coates, Mathieu e Acuña. A grande dúvida é sobre o meio campo. Doumbia, decerto, talvez então Rodrigo Fernandes (se não ele Eduardo) e Bruno Fernandes. Seguem indubitavelmente Vietto e Bolasie e o único ponta de lança no plantel Luiz Phellype.

Eu talvez optasse por alinhar com Bolasie a ponta de lança e dar mais uma oportunidade nas alas a Jesé Rodriguez ou Gonzalo Plata. Nem um nem o outro entusiasmam muito, mas fazem parte do plantel e mais cedo ou mais tarde terão de fazer um bom jogo.

publicado às 15:33

68825779_10156180503326555_2313971445274771456_o.j

O Sporting venceu esta sexta-feira no reduto do V. Guimarães por uns expressivos 6-0 e isolou-se na liderança da Liga Revelação.

O primeiro golo da partida surgiu aos 10 minutos por Bruno Tavares, dois minutos antes de Joelson Fernandes fazer o 2-0. Ainda no primeiro tempo, Tomás Silva ampliou a vantagem dos leões (42'). Na segunda parte, Pedro Mendes (47'), Joelson Fernandes (52') e Bernardo Sousa (86') fecharam as contas.

Decorridas três jornadas, o Sporting soma nove pontos e lidera a Liga Revelação.

Sporting: Luís Maximiano, G. Inácio, Pedro Mendes (Tiago Rodrigues, 73’), Rodrigo Fernandes, Joelson Fernandes (D. Mitrovski, 59’), Nuno Mendes, Bruno Tavares, João Ricciulli, João Oliveira (H. Santos, 73’), Mateus Nunes  (Diogo Brás, 59’) e Tomás Silva (B. Sousa, 59’).

Suplentes não utilizados: A. Walker, E. Verde, J. Goulart e Geny Catamo.

Treinador: Leonel Pontes.

publicado às 03:46

A pragmatização do Keizerball

Rui Gomes, em 28.04.19

 

download (2).jpg

 

No lugar da minha usual crónica de jogo, transcrevo o artigo de Lídia Paralta Gomes, Tribuna Expresso, para a apreciação dos leitores.

 

lpg.jpg

"Este Sporting de Abril é um Sporting diferente daquele de Novembro, que enchia o olho aos românticos da bola. Mas, o que é certo, é que este Sporting ganha e já ganha há nove jogos seguidos. Em mais uma exibição muito competente, equilibrada, em que ainda se deu ao luxo de desperdiçar um ror de oportunidades flagrantes, os leões bateram o V. Guimarães por 2-0 e consolidaram o 3.º lugar na Liga.

 

É curioso como os dois jogos com o V. Guimarães marcam fases muito diferentes da vida de Marcel Keizer no Sporting CP - e, entre os dois jogos, não passou exactamente uma eternidade, são apenas quatro meses.

 

Em Dezembro, antes da visita ao Afonso Henriques, o Keizerball vivia o seu momento de quase histeria (e aqui... amigos, contra mim falo, eu própria entrei nessa caravana): o Sporting ganhava, quase sempre por muitos apesar de também muitos sofrer, o futebol era rápido, fluído, bonito. Andávamos todos encantados, porque já não achávamos possível que tal romantismo ainda resultasse no futebol moderno.

 

download.jpg

 

E boa parte das crenças dos românticos da bola foram deitadas abaixo naquela noite fria em Guimarães. O Sporting perdeu o jogo, o Keizerball não teve resposta para as grilhetas colocadas pela estratégia de Luís Castro e, no mês que se seguiu, o Sporting voltou a perder, com o Tondela, e no clássico com o FC Porto apareceu transfigurado: utilitário, objectivista.

 

É possível que tenha começado ali a pragmatização do Keizerball.

 

Daí para cá contam-se pelos dedos as exibições vistosas do Sporting, que ganhou uma Taça da Liga nas grandes penalidades e caiu na Liga Europa frente a um Villarreal que do outro lado da fronteira luta pela permanência na 1.ª divisão.

 

A vitória deste sábado por 2-0 frente ao V. Guimarães não foi uma vitória espectacular, ou pelo menos tão espectacular quanto aquelas pré-época natalícia, apesar do Sporting até ter enviado quatro bolas aos ferros às quais ainda juntou outro par de oportunidades falhadas. Mas foi uma vitória sólida dentro do processo de pragmatização do Keizerball que, goste-se ou não, sinta-se ou não aquele travo amargo da falta de perfume, tem resultado.

 

Porque com esta vitória já são nove as vitórias consecutivas do Sporting, oito delas para o campeonato. Este Sporting não empolga como antes, mas ganha, sofre menos golos, tornou-se, para bem e para o mal, uma equipa competente, mais optimizada e equilibrada. Perdeu magia, mas ganhou alguma consistência defensiva e aproveitou também, claro, a época em crescendo de Bruno Fernandes, ele que tantas vezes foi, sozinho, o Sporting.

 

D5LY0ENWwAAuNgn.jpg

 

Este sábado não foi preciso sequer haver um Bruno salvador. Porque houve mais gente a bom nível, Raphinha para começar, com um golo e uma assistência, e Luiz Phellype a acabar, com um golo e um ror de oportunidades não aproveitadas. Bruno, esse, jogou muito bem também, porque parece que não o sabe fazer de outra forma.

 

Tudo isto num jogo em que o Sporting até começou retraído, mais culpa do V. Guimarães do que culpa própria. O ADN dos vimaranenses é ter bola e foi isso que tentaram fazer em Alvalade - até aos 15 minutos, os leões praticamente não conseguiram construir uma jogada digna desse nome, tal era a pressão dos jogadores do Vitória.

 

Talvez tenha ajudado o Sporting a oportunidade falhada por Davidson, após passe de Ola John para as costas de uma desamparada defesa do Sporting, aos 15 minutos. O passe foi fantástico, Davidson não o soube aproveitar e a partir daí foi como se o Sporting acordasse para a vida.

 

Na resposta ao calafrio, e logo na jogada seguinte, Diaby rematou um pouco ao lado após um passe de calcanhar de Bruno Fernandes. E no ataque seguinte dos leões, Raphinha estreou os ferros da baliza de Miguel Silva, que seriam massacrados no que restou na 1.ª parte.

 

Aos 20’ foi a vez de Bruno Fernandes rematar de ângulo apertado, com a bola ainda assim a ir "beijar" o poste, e à passagem da meia-hora seria ainda a vez de Luiz Phellype, com um cabeceamento subtil - nota-se que tem ouvido mais as dicas de Bruno Fernandes... - a levar a bola ao ferro, algo que repetiria quase ao intervalo, numa altura em que o Sporting já ganhava.

 

mw-1024 (1).jpg

 

Mas antes disso, o Sporting marcou. Aos 39’, Wendel recuperou uma bola a meio-campo e deu para Bruno Fernandes, que com um passe de primeira (e com uma visão de jogo que só ao alcance de alguns, de facto), encontrou Raphinha do lado esquerdo do ataque. O extremo brasileiro não conseguiu ultrapassar Miguel Silva à primeira, mas com calma conseguiu contornar o antigo colega de equipa, para rematar de ângulo complicado. E a bola entrou.

 

Entrou e depois do golo de Raphinha foram minutos e minutos de algazarra, com o Vitória a reclamar uma falta sobre Rochinha antes da jogada que dá origem ao golo do Sporting. Que a falta de Acuña existe, parece não haver grandes dúvidas, resta saber se dentro ou fora da área. E quanto à acção do VAR, nada poderia fazer, na medida em que a bola ainda foi recuperada pelo Vitória antes do Sporting iniciar novamente a jogada do golo.

 

Na 2.ª parte, o Sporting resolveu cedo, com um golo de Luiz Phellype aos 51’, depois de um belo drible seguido de cruzamento de Raphinha e de uma inteligente antecipação ao adversário do avançado brasileiro. Aos 60’ Bruno Fernandes quase marcava o seu depois de uma jogada que ele própria deslindou e, a partir daí, foi gerir, porque o Sporting hoje é um Sporting mais pragmático, que se deixou de correrias e de cavalgadas. É um Sporting que joga mais na expectativa, que calmamente adormece o adversário, controlando o meio-campo, como o fizeram, e bem, na 2.ª parte, Wendel e Doumbia.

 

E assim, com magia q.b., competência máxima, sendo mais tartaruga e menos lebre que Keizer, o pragmático, meteu mais uma indiscutível vitória no bolso, a 9.ª seguida, registo que, imagine-se, iguala o de Jorge Jesus em 2015/16".

 

Nota: Para não ser acusado de fugir à questão, deixo aqui a minha opinião em que houve efectivamente falta de Acuña por assinalar, aos 38', mas é livre e não grande penalidade.

 

publicado às 03:33

Convocatória para o V. Guimarães

Rui Gomes, em 26.04.19

 

58580514_10155926740961555_3295279018944757760_n.j

 

A lista de 18 jogadores convocados por Marcel Keizer para o embate com o V. Guimarães, a contar para a 31.ª jornada da Liga NOS.

 

Sem novidades, embora se verifique a continuada ausência de Bas Dost, ainda a recuperar de lesão, André Pinto, Francisco Geraldes e Petrovic por opção técnica. No outro lado da moeda, os jovens Miguel Luís e Pedro Marques voltam a integrar a equipa. Gudelj cumpre jogo de castigo por acumulação de amarelos.

 

Com o regresso de Borja, é provável que ele venha a ser titular no lado esquerdo da defesa, o que permitirá ver Acuña novamente como extremo, a complementar Raphinha, também de regresso após falhar o encontro com o Nacional. Wendel volta a "calçar" depois da punição disciplinar de que foi alvo, consequência da sua viagem a Itália sem autorização.

 

Este poderá ser o 'onze' inicial de Marcel Keizer:

 

Renan; Ristovski, Coates, Jérémy Mathieu e Borja; Doumbia, Wendel e Bruno Fernandes; Raphinha, Acuña e Luiz Phellype.

 

publicado às 18:17

 

56942616_10156557214433167_2099004466639405056_n.j

 

O Sporting venceu este sábado na deslocação ao terreno do V. Guimarães, por 3-0, e subiu provisoriamente ao segundo lugar da fase de apuramento de campeão de Iniciados, com 6 pontos somados, menos um do que o líder FC Porto e mais dois do que o Benfica, que só joga amanhã frente à Académica.

 

Depois da goleada do fim de semana passado aos estudantes, por 6-0, o triunfo de hoje foi conquistado com dois golos de Youssef Chermiti e um de Rafael Besugo. 

 

publicado às 16:00

 

hqdefault.jpg

 

O V. Guimarães pediu a insolvência da Sporting SAD por causa de uma dívida pelo passe de Raphinha. O pedido dos minhotos deu entrada no Juízo de Comércio de Lisboa esta quarta-feira e pede a insolvência de pessoa colectiva, segundo se pode ver na plataforma Citius.

 

Em atraso, quatro milhões de euros referentes à transferência do jogador brasileiro, que está na sua primeira temporada em Alvalade. O Sporting pagou até agora apenas uma das prestações, de cerca de 2 milhões, acertadas na altura do negócio.

 

João Sampaio, vice-presidente leonino, reagiu à acção dos minhotos, dizendo estranhar a iniciativa, face a uma proposta que foi apresentada e ignorada pelo V. Guimarães:

 

"É pública a situação do Sporting CP, assim como o trabalho que estamos a desenvolver para a resolver o mais breve possível. Estranhamos a posição do Vitória Sport Clube, na medida em que preferem o histerismo público em vez de esperar pela solução de curto prazo que propusemos e que ignoraram.

 

Honraremos, como sempre, os nossos compromissos, como o Vitória SC bem sabe. Mas não deixaremos de distinguir quem se portou com dignidade e respeitou a instituição Sporting CP; e quem, de uma maneira mais directa ou menos directa, e sem nenhuma vantagem, nos desrespeitou".

 

Entretanto, numa nota publicada no site oficial e assinada pelo presidente dos minhotos, Júlio Mendes, a SAD vimaranense respondeu às declarações de João Sampaio:

 

"A Sporting SAD mais não fez do que protelar a situação sem que seja verdade que tenha apresentado solução de curto prazo credível, actuando com um profundo desrespeito pela nossa instituição.

 

A Vitória SAD não aceitará que coloquem em causa a seriedade e idoneidade construídas ao longo dos últimos anos e continuará firme na defesa intransigente dos interesses do clube".

 

publicado às 03:49

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D




Cristiano Ronaldo