Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Uma Assembleia Geral ilegítima e nula

Leão Zargo, em 09.06.18

 

21056898_jYCd4.jpeg

 

Bruno de Carvalho através da Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral (CMTAG), por si constituída e empossada, convocou uma Assembleia Geral Ordinária (AG) para 17 de Junho de 2018. Convém recordar que esta CMTAG não está prevista estatutariamente e que o tribunal considerou que Jaime Marta Soares “é, efectivamente, o Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting Clube de Portugal em pleno exercício de funções”. Portanto, apenas ele tem competência para convocar uma AG. Como é sabido, existe uma providência cautelar com a finalidade de evitar a prática de uma gravíssima ilegalidade. Estou convicto de que o tribunal vai decidir em tempo útil sobre o carácter ilegítimo e nulo desta AG, ainda que Bruno de Carvalho procure impor a sua realização, como afirmou ontem no noticiário da TVI24. 

 

Na realidade, à margem dos princípios estatutários, Bruno de Carvalho pretende reforçar o seu poder enquanto presidente do Conselho Directivo, ao mesmo tempo que procura limitar o poder dos sócios do Clube. Para isso, apesar de não possuir capacidade para tal, desconvocou a Assembleia Geral Extraordinária (AGE) de 23 de Junho e impediu o reconhecimento das assinaturas dos subscritores. Mesmo perante uma decisão do tribunal que lhe é adversa, continua a afirmar que a AGE destitutiva não se realizará.

 

A Assembleia Geral de 17 de Junho constitui um momento importante da estratégia de Bruno de Carvalho para a subversão da democracia sportinguista. No terceiro ponto da ordem de trabalhos propõe a revisão de determinados artigos dos estatutos do Clube, mas não revela no que consistem essas alterações. Verifica-se que os artigos sujeitos a revisão tratam de cessações de mandato e renúncias de membros de corpos sociais eleitos, das competências do presidente do Conselho Directivo e da dissolução do Sporting. Isto é, sem olhar a meios, Bruno de Carvalho procura adaptar as disposições estatutárias aos seus interesses estratégicos de reforço do seu poder unipessoal. Mas isso nunca lhe será permitido, pelos sportinguistas e pelos tribunais.

 

publicado às 11:37

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


110 comentários

Sem imagem de perfil

De Plinio a 09.06.2018 às 16:25

Caro Nasd, a decisão não está completa. Leia a penúltima página e depois a última, ambas publicadas no record. Verá que não são sequência lógica uma da outra.
Sem imagem de perfil

De Francisco Esquina a 09.06.2018 às 17:07

Caro Plinio,

Acho que não tem razão. Eu também me deixei enganar pela “formatação” do texto e achei a última frase como pertencendo ao texto do pedido da providência cautelar (texto do JMS) e que não me estava a fazer sentido nenhum.

Deve ler assim:
Na página 10, último parágrafo,
“Ora, as medidas que o requerente pede que o requerido faculte,”
Nas páginas 11 e 12 são transcritas as alíneas do que são pedidas pelo JMS
bla bla bla
e na última página termina o texto, a continuação do parecer do juiz...
“não são meios adequados a acautelar...” bla bla bla
“Pelo exposto, ...” bla bla bla

Assim, já ganha significado e não parece “incompleto”, certo? Aliás, num dos artigo do Rui Gomes, está assim também explícito e com a correcta interpretacao. Eu também só não a tinha visto a tempo e que me causou também confusão!
Sem imagem de perfil

De Plinio a 09.06.2018 às 17:29

Insisto.
https://www.record.pt/multimedia/fotogalerias/detalhe/o-que-diz-a-decisao-cautelar-do-tribunal-sobre-a-providencia-da-mag-do-sporting.html#/12
Veja a penúltima página e a última. Não são seguimento lógico uma da outra.
Copie o endereço cole, e vá ver o que digo. Cumprimentos
Sem imagem de perfil

De Francisco Esquina a 09.06.2018 às 22:03

Eu reinsisto também!
Acho que nao leu bem,não compreendeu ou não me expliquei como deve ser.
O que está na última página é a continuação lógica da última frase da página 10.
Entre estes dois pontos (páginas 11 e 12) é parte da citação do texto do JMS que colocou na providência cautelar.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2014
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2013
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2012
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D




Cristiano Ronaldo