Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Fotografia com história dentro (242)

Um jogo para o título (1999-00)

Leão Zargo, em 11.04.21

SCP 1999-00 jogo com FCP 26ª j.png

Sabe-se que um Campeonato Nacional é uma maratona que se conquista ao longo de sucessivas jornadas. Mas, numa fase crucial da prova, há jogos de tal forma arrebatadores que a equipa que ganhou convence os seus adeptos de que “sim, agora é que é”. Muitos sportinguistas já se terão esquecido dos dissabores da época de 1999-00, durante muito tempo o futebol leonino parecia uma garrafa de vinho meia vazia, umas vezes, meio cheia, outras vezes. No entanto, os jogadores sofreram sempre uns pelos outros, lutaram juntos, partilhando entre eles a vontade férrea de alcançar o sucesso.

A contratação de André Cruz, César Prates e Mbo Mpenza no mercado de inverno foi decisiva na caminhada para o título. Maior eficácia nos livres directos e pontapés de canto e mais velocidade pela ala direita tornaram a equipa muito perigosa e objectiva, apesar de alguns resultados frustrantes. O momento redentor verificou-se no Sporting 2 - FC Porto 0 para a 26ª jornada. Antes do jogo, os portistas tinham dois pontos de vantagem, depois do clássico os leões passaram a liderar com um ponto de vantagem.

O Sporting foi um justo vencedor. O futebol leonino muito lutador e pressionante, com processos simples, intenso, venceu um adversário que teria mais talento técnico. Nunca lhe faltou coração pela grande condição física. Dois golos perfeitos, de André Cruz na marcação de um livre directo e de Beto Acosta no aproveitamento de um mau passe de Secretário. Os leões ganharam o clássico ao dominar o centro do terreno, Vidigal, Duscher e Pedro Barbosa pareceram sempre estar em superioridade numérica, o que permitiu um certo controlo do jogo. 

Na fotografia, os leões que iniciaram o jogo com o FC Porto (Campeonato Nacional 26ª jornada 1999-00).

publicado às 16:00

O Sporting joga amanhã…

Sporting - Famalicão, 11 de Abril de 2021, às 20h00

Leão Zargo, em 10.04.21

thumbnail_Sporting Famalicão 2019-20 1-2 1ª Liga

Sporting e Famalicão defrontam-se amanhã para a 26ª jornada da 1ª Liga. Os leões estão em 1º lugar com 19 pontos e os adversários em 14º lugar com 26 pontos. No jogo entre as duas equipas na época passada, em Alvalade, os famalicenses venceram por 2-1, com um autogolo a dois minutos do fim por Coates. Era a pior fase do defesa uruguaio com a camisola leonina, depois de frente ao Rio Ave ter cometido um “hat-trick” de grandes penalidades coroado com um cartão vermelho. Leonel Pontes, depois do empate no Bessa, orientou no banco sportinguista pela segunda vez na 1ª Liga. 

Paulo Catrica escreveu que “o futebol é a mais popular forma de arte do século XX, a única que enche estádios, praças, cafés, consome horas de conversa, de papel e de tinta, tamanha é a capacidade de especulação”. É verdade para o futebol, e para o Sporting, em particular, o que se confirma lendo os comentários que roçam a esquizofrenia que se escreveram por todo lado depois do jogo em Moreira de Cónegos. Sabe-se que no futebol nada é garantido, tudo é possível, isso faz parte da sua beleza e emoção. Da equipa leonina esperamos o mesmo de sempre: foco no jogo encarado com paixão e responsabilidade.

Na última jornada, o Famalicão venceu o Paços de Ferreira por 2-0 e distanciou-se da zona de despromoção. Depois de João Pedro de Sousa e de Jorge Silas, o treinador Ivo Vieira conseguiu duas vitórias e um empate em três jogos. O “Fama” revela-se confiante, defende bem, com as linhas muito juntas, perigoso a sair para o contra-ataque. Os jogadores do Sporting estão preparados para isso, até porque, como Nação Valente referiu ontem aqui no Camarote Leonino, “não vai haver nenhum jogo fácil. Temos de confiar nesta equipa, ainda em crescimento. Não pode ser uma equipa só para o imediato, mas para o futuro”

Na fotografia, fase do Sporting - Famalicão disputado em 2019-20.

publicado às 03:33

Fotografia com história dentro (241)

Rui Araújo - um dos míticos capitães leoninos!

Leão Zargo, em 05.04.21

SCP 1933-34 Museu Sporting.jpg

O futebol, como fenómeno social, cultural e desportivo possui a extraordinária qualidade de preservar na memória dos seus admiradores um núcleo de histórias míticas, de sinais de glória e de afirmação clubística que se mantêm de forma permanente como reserva da sua identidade e do seu património. No futebol moderno esses símbolos constituem o elo que une diferentes gerações de adeptos e permitem a projecção de um futuro vitorioso.

O Sporting não é diferente da generalidade dos grandes clubes e também construiu uma narrativa sobre as glórias passadas que os seus adeptos assumem. Na galeria dos grandes jogadores sportinguistas, Rui Araújo integra uma restrita plêiade de grandes capitães de equipa do Sporting, juntamente com Francisco Stromp, Jorge Vieira, Filipe dos Santos, Álvaro Cardoso, Fernando Mendes, Vítor Damas, Manuel Fernandes e Oceano Cruz, entre muitos outros.

Rui Araújo começou a jogar futebol no União de Lisboa, e em 1932, com 22 anos de idade, transferiu-se para o Sporting onde conquistou imediatamente um lugar no onze leonino. Devido ao seu carácter e espírito de liderança foi nomeado capitão de equipa na época seguinte. Alinhou de leão ao peito durante dez anos em 251 jogos oficiais, contribuindo para a conquista de oito campeonatos de Lisboa, três campeonatos de Portugal e um Campeonato Nacional. Sendo médio, na fase final da carreira recuou para a defesa, onde fez dupla com Álvaro Cardoso, a quem cederia a condição de capitão. Foi distinguido com o Prémio Stromp na categoria Saudade em 1989.

Na fotografia, uma equipa leonina na época de 1933-34:

Em cima - Abelhinha, João Jurado, Rui Araújo, Jordão Jóia, Joaquim Serrano e Faustino;

Em baixo - Adolfo Mourão, Vasco Nunes, Manuel Soeiro, Reynolds e Cervantes.

publicado às 13:30

O Sporting joga amanhã…

Moreirense - Sporting, 5 de Abril de 2021, 21h00

Leão Zargo, em 04.04.21

Moreirense Sporting 2019-20 0-0 1ª Liga.jpg

O Sporting defronta amanhã o Moreirense para a 25ª jornada da 1ª Liga. Em 2019-20, em Moreira de Cónegos, os leões dominaram a partida, remataram muito à baliza adversária, principalmente na 2ª parte, mas com pouco ou nenhum acerto. O jogo terminou empatado (0-0), a equipa treinada por Rúben Amorim continuou sem conhecer o travo amargo da derrota, mas permitiu a aproximação do SC Braga ao 3º lugar da classificação na fase final da prova.

Época nova, vida nova. O Sporting lidera a classificação com dez pontos de avanço quando faltam dez jogos para completar o campeonato da 1ª Liga. Com o Moreirense disputa-se mais uma final, a equipa sportinguista está muito mais confiante e adulta do que a da época passada, muito melhor preparada para vencer, a liderança não é fruto do acaso, mas os adeptos leoninos percebem que se trata de um desafio crucial. O que todos anseiam é que esta caminhada continue como até agora, passo a passo, num ritmo certo, constante.

Na jornada anterior, com o Vitória de Guimarães, Rúben Amorim sentiu a necessidade de mudar algo no futebol do Sporting. Colocou Daniel Bragança ao lado de João Mário, com Palhinha a segurar o meio campo e apenas dois avançados. Em consequência, Pedro Porro e Nuno Mendes projetaram-se nas alas, Pote e Tiago Tomás jogaram mais próximos um do outro no ataque e os leões foram mais seguros e perigosos ofensivamente do que estava a verificar-se nos últimos jogos. É um plano B que permitirá diferenciar os movimentos de aproximação à baliza adversária.

Na fotografia, fase do Moreirense - Sporting disputado em 2019-20.

publicado às 06:04

BoletimSporting.jpg

Hoje é um dia histórico para o Sporting Clube de Portugal e para a imprensa desportiva portuguesa. Em 31 de Março de 1922 saiu um novo jornal para as mãos dos sportinguistas e dos apaixonados pelo desporto em Portugal. Foi o primeiro “Boletim do Sporting Club de Portugal”, com a periodicidade quinzenal. Acontece que não se trata de mais um jornal entre tantos outros, é o mais antigo periódico europeu de um clube desportivo.

A convicção da absoluta necessidade de um órgão informativo do Sporting nasceu numa tertúlia no Café Martinho, em Lisboa, onde se destacavam Júlio de Araújo, Mendes Leal e José Serrano. O aprofundamento do espírito sportinguista, a defesa intransigente dos interesses do Clube e a circulação da informação seriam alguns dos objectivos iniciais e “Razão de ser” foi o sintomático título do primeiro editorial.

Inúmeras gerações de sportinguistas consolidaram o seu querer e a sua paixão leonina através da leitura das narrativas escritas nas páginas do Boletim, que passou a jornal em 1952. No seu período inicial teve como competidor o “Sport de Lisboa”, pertença dos rivais de sempre, que já existia, mas que depois se extinguiu.

Um jornal a caminho do seu Centenário! Longa vida ao “Jornal Sporting”!

(Na imagem, a capa da edição n.º 3813 do Jornal Sporting produzida por Pedro Lopes Grego, Sportinguista que venceu o desafio lançado à comunidade artística pelo Clube. Esta capa especial visa homenagear o 99.º aniversário do mais antigo jornal de clubes do mundo.)

publicado às 15:00

A Bola 26Jun1969.jpgO jornal A Bola, de 26 de Junho de 1969, anunciou no cimo da primeira página que acompanharia Joaquim Agostinho na Volta à França, “o maior espectáculo do mundo”. Acrescentou ainda que Carlos Miranda seria o enviado especial e que partiria nesse mesmo dia para Roubaix. Agostinho ia competir com a fina-flor do ciclismo mundial. 

Era o princípio de uma dupla extraordinária, o ciclista e o jornalista, que seria coroada com crónicas épicas e históricas. Nancy - Mulhouse, La Grande-Motte - Revel, Alpe d'Houez, Divonne-les-Bains, l'Aubisque, Puy de Dôme, Balon d'Alsace, Galibier, Tourmalet, Briançon, Côte de Laffrey passaram a fazer parte do imaginário dos que as leram. Quando chegava o mês de Agosto eram muitos (muitos mesmo!) os que se tornavam leitores certos e apaixonados de A Bola e que aguardavam com impaciência a chegada do jornal às bancas.

publicado às 15:04

Fotografia com história dentro (241)

A primeira época dos “Cinco Violinos”

Leão Zargo, em 28.03.21

SCP 1946-47 FCP 2 - SCP 4 17ª jornada CN.jpg

Assistir à construção de uma grande equipa faz parte do fascínio pelo futebol. Entre nós, sportinguistas, há um sentimento de privilégio quando vemos Rúben Amorim esculpindo este novo tempo leonino feito de uma feliz simbiose de experiência e irreverência e de criatividade e eficácia. Esta época, o registo de 20 vitórias e 4 empates em 24 jornadas constitui o segundo melhor de sempre na história centenária do Clube. Em 1946-47 os leões obtiveram 21 vitórias em 24 jogos, mas cederam 2 derrotas e 1 empate.

Com a contratação de Vasques e Travassos, a temporada de 1946-47 foi a primeira dos “Cinco Violinos”. Uma das melhores equipas leoninas de sempre, muito goleadora (123 golos em 26 jogos, uma média de 4,7 por jogo no Campeonato), com um futebol ofensivo em que a bola ia de jogador para jogador e todos se movimentavam de forma assertiva, organizada, multiplicando as linhas de passe. Por o Stadium de Lisboa estar em obras de renovação, o Sporting utilizou o Campo Lumiar A emprestado pela CUF, mas conquistou com superioridade os títulos de Campeão Nacional e de Lisboa, não repetindo o “tri” de 1940-41 apenas porque não se disputou a Taça de Portugal.

Rúben Amorim afirmou há alguns dias que o Sporting está a construir uma equipa para os próximos anos. Lendo a garantia do nosso treinador recordei-me de 1946-47 e da primeira época dos “Cinco Violinos”. Talvez seja de novo o início de uma era no futebol português.

Na fotografia, a equipa do Sporting que venceu o FC Porto por 4-2 no Estádio do Lima na 17ª jornada do Campeonato Nacional 1946-47:

Em cima - João Azevedo, Manecas, Veríssimo, Canário, Robert Kelly (treinador), Barrosa, Manuel Marques (enfermeiro-massagista), César Vitorino (director) e Álvaro Cardoso;

Em baixo - Jesus Correia, Vasques, Peyroteo, Travassos e Albano.

publicado às 14:00

Luiz Phellype voltou aos golos

Leão Zargo, em 23.03.21

22048504_Ac5js.jpeg

Luiz Phellype lesionou-se com muita gravidade frente ao Marítimo, em Alvalade, no dia 27 de Janeiro de 2020. Decorriam 15 minutos de jogo quando teve de dar lugar a Sporar. Um ano depois o jogador está clinicamente curado, mas ainda sem ritmo competitivo. Em consequência da paragem tão longa o regresso à competição tem decorrido gradualmente.

O avançado brasileiro participou em quatro jogos da equipa B leonina, frente ao Olímpico do Montijo, Rabo de Peixe, Estrela da Amadora e, no passado sábado, o Oriental Dragon em que marcou o primeiro golo do desafio num “chapéu” ao guarda-redes adversário. Gonzalo Plata fez o 2-0 aos 84 minutos. O último golo tinha sido a 21 de Dezembro de 2019, em Portimão, num jogo da Taça da Liga.

Decorrido um ano e três meses, Luiz Phellype voltou a celebrar um golo, e na altura do festejo não conseguiu disfarçar a emoção muito acarinhado pelos companheiros de equipa. Ao jornal Record, o avançado declarou que “o meu desafio ao lado dos profissionais do Sporting é estar apto a fazer parte do plantel que lidera o nosso campeonato. Esse é o meu pensamento e vou lutar por isso até conseguir”.

publicado às 19:00

Fotografia com história dentro (240)

O futebol e as voltas da História

Leão Zargo, em 21.03.21

SCP FCP 1973-74 2-0 CN.jpg

Em 16 de Março de 1974 o Regimento de Infantaria 5 saiu das Caldas da Rainha e marchou sobre Lisboa com a finalidade de mudar o regime político do país. Forças militares fiéis ao Governo opuseram-se e os revoltosos tiveram de recuar. Segundo um comunicado emitido pela Direcção Geral da Secretaria de Estado do Turismo e da Informação os revoltosos ter-se-ão “rendido sem resistência”. Foi um ensaio para a Revolução de Abril no mês seguinte.

No dia seguinte, um domingo, Sporting e FC Porto defrontaram-se em Alvalade para a 24ª jornada do campeonato. Os leões lideravam a classificação com 38 pontos, seguiam-se os portistas com 36 pontos. A equipa da casa venceu o jogo com dois golos de Dinis e o jornalista Eugénio Alves escreveu no jornal República uma crónica cheia de metáforas com a finalidade de fintar os serviços de censura. O título era “Quem travará os leões?”

Referindo-se ao Sporting - FC Porto, na verdade Eugénio Alves estava a invocar o golpe fracassado do Regimento militar das Caldas da Rainha: “Os muitos nortenhos que no fim-de-semana avançaram até Lisboa sonhando com a vitória acabaram desiludidos com a derrota. O adversário da capital, mais bem organizado e apetrechado (sobretudo mais bem informado da sua estratégia), contando ainda com uma assistência fiel, fez abortar os intentos dos homens do Norte.”

Pouco mais de um mês depois verificou-se o “25 de Abril”. O Sporting não perdeu a liderança do campeonato até à última jornada e a festa da conquista do título de campeão nacional aconteceu num país democrático em que a liberdade de expressão já não obrigava a metáforas para enganar os censores do “lápis azul”. Para a festa ser perfeita, ao título, os leões juntaram a Taça de Portugal. A 4ª dobradinha sportinguista.

Na fotografia, Hector Yazalde em acção no Sporting - FC Porto disputado em 1974.

publicado às 15:30

O Sporting joga amanhã…

Sporting - V. Guimarães, 20 de Março de 2021, às 20h30

Leão Zargo, em 19.03.21

Sporting V. Guimarães 1ª Liga 2019-20 3-1 8ª jo

Sporting e Vitória de Guimarães defrontam-se amanhã para a 24ª jornada da 1ª Liga. No jogo entre os dois clubes em Alvalade na época passada, os leões dominaram na 1ª parte, fizeram dois golos, os vimaranenses reagiram, reduziram para 2-1, ameaçaram seriamente o empate, mas Coates, na sequência de um livre directo muito bem marcado por Acuña aos 74 minutos, garantiu a vitória por 3-1. Apesar do resultado favorável, ouviram-se assobios e houve lenços brancos para o presidente Frederico Varandas.

“Tudo vai de saber guardar a confiança. De não esmorecer.” (José Cardoso Pires, O Hóspede de Job) O futebol é certo e imprevisível. O final do jogo aproxima-se e o resultado aparenta estar decidido, mas um momento de genialidade, uma jogada ofensiva ou uma falha defensiva podem alterar aquilo que já parecia feito. O desafio só termina quando o árbitro apita para tal. Isto a propósito de nesta época o Sporting ter conquistado 17 pontos com golos depois do octogésimo minuto. Uma questão de confiança, obviamente.

O Vitória de Guimarães apresentar-se-á em Alvalade de uma maneira previsível: reforço defensivo, boa ocupação do meio campo e grande agressividade nos duelos individuais, e vai condicionar a construção leonina bloqueando ligações pelos corredores laterais. Rúben Amorim não ignora isso e já demonstrou que sabe ler o jogo do adversário e o que as circunstâncias exigem. Faz substituições por razões tácticas, normalmente para dar maior fluidez aos movimentos ofensivos. Paulinho treinou sem limitações, uma excelente notícia.

Na fotografia, imagem do Sporting - V. Guimarães disputado em 2019-20.

publicado às 02:18

Fotografia com história dentro (239)

Um dérbi para o título (1961-62)

Leão Zargo, em 14.03.21

SCP SLB 1961-62 3-1 CN 26ª jornada.jpg

Em 1961-62, o Benfica, que tinha sido campeão nacional e europeu na época anterior, era considerado o grande favorito à conquista do campeonato. No entanto, o título foi disputado até fim entre o Sporting e o FC Porto, que antes da última jornada estavam em igualdade pontual na classificação. Os leões, com vantagem no confronto directo (vitória por 2-0 e derrota por 1-0), receberam o Benfica, enquanto que os portistas jogaram em Guimarães.

A época começou atribulada para o Sporting treinado por Otto Glória, eliminado pelo Partizan de Belgrado na Taça do Campeões Europeus e um empate em Alvalade frente ao Lusitano de Évora (0-0) na 1ª jornada do campeonato. Na sequência do empate com os eborenses e de uma chuva de assobios no final do jogo, o treinador brasileiro garantiu que “sem ovos não se fazem omeletas”. A afirmação caiu que nem uma bomba no balneário, a seguir havia uma deslocação difícil às Antas e o presidente Gaudêncio Costa não hesitou: despediu Otto Glória e apostou no jovem Juca, que era o treinador adjunto.

A decisão do título foi remetida para a última jornada e Alvalade encheu-se com mais de 60 mil adeptos. Até a pista de atletismo ficou ocupada. O Benfica pouco tempo antes tinha derrotado o Real Madrid na final dos Campeões Europeus e era grande a expectativa. Na véspera, o guarda-redes Libânio tinha dado o mote para o dérbi: “em cada minuto, em cada lance pode estar a resolução dos nossos anseios”. Os leões jogaram sempre muito organizados e concentrados, venceram por 3-1 e fizeram a festa do título. No final, alguns jogadores benfiquistas foram ao balneário leonino saudar os novos campeões nacionais.

Ficha de jogo:

Campeonato Nacional da 1ª Divisão 1961-62 - 26ª jornada

Sporting 3 - Benfica 1

Estádio José Alvalade, 7 de Maio de 1962

Árbitro - Décio de Freitas (Lisboa)

Sporting - Libânio, Mário Lino, Lúcio, Hilário, Pérides, Fernando Mendes (capitão), Hugo Sarmento, Figueiredo, Diego, Géo e João Morais

Treinador - Júlio Cernadas Pereira (Juca)

Benfica - Costa Pereira, Mário João, Germano, Ângelo, Cavém, Fernando Cruz, José Augusto, Eusébio, Águas (capitão), Coluna e Simões

Treinador - Béla Guttmann

Golos - 1-0, Morais (20’), 2-0, Hugo (27’), 2-1, Eusébio (29’) e 3-1, Costa Pereira (40, p.b.)

publicado às 15:15

O Sporting joga amanhã…

Tondela - Sporting, 13 de Março de 2021, 20h30

Leão Zargo, em 12.03.21

Tondela - Sporting 2019-20 1-0 1ª Liga.jpg

O Sporting e o Tondela defrontam-se amanhã para a 23ª jornada da 1ª Liga. Em 2019-20, no Estádio João Cardoso, os beirões venceram por 1-0, com um golo marcado por Bruno Wilson de cabeça na sequência de um livre a dois minutos do fim. Foi a primeira derrota de Jorge Silas na I Liga e o fim de uma série vitoriosa de quatro jogos no campeonato. Os leões perderam numa altura em que dominavam a partida. Há duas épocas consecutivas que o Sporting é derrotado em Tondela.

No futebol quebra-se a fronteira entre a ficção e a realidade. Quando o jogo acaba fica toda uma história para ser contada cá para fora, mas também para se analisar lá dentro das quatro paredes. Esta conversa é a propósito do jogo com o Santa Clara na jornada anterior. Vitórias assim, com tão grande estrelinha, acontecem poucas vezes numa competição. O sinal foi dado, e os sportinguistas esperam que Coates tenha falado com os companheiros, como foi sugerido por Rúben Amorim. E que esta aversão obsessiva dos órgãos da Liga e da Federação relativamente ao Sporting fortaleça ainda mais a coesão do plantel leonino.

Depois de um mau começo no campeonato com duas derrotas e dois empates, o Tondela alcançou uma posição confortável a meio da tabela. Nunca ganhou fora, mas é muito forte em casa, onde a última vez que perdeu foi com o Vitória de Guimarães em 27 de Novembro de 2020. Venceu os últimos cinco desafios que disputou no seu estádio. Portanto, é um adversário estabilizado que vai pôr à prova Rúben Amorim e em que medida será capaz de renovar o futebol leonino, talvez mexendo em algumas peças do xadrez.

Na fotografia, imagem do Tondela - Sporting disputado em 2019-20.

publicado às 03:49

No Dia Internacional da Mulher

Leão Zargo, em 08.03.21

SCP 2016-17 futebol feminino.png

O Dia Internacional da Mulher é comemorado a 8 de Março e pretende reconhecer a importância e o contributo da mulher para o desenvolvimento e o progresso social. A data destina-se também a recordar as conquistas das mulheres e a luta contra o preconceito, seja racial, sexual, político, cultural, linguístico ou económico. Em 1975 as Nações Unidas promoveram o Ano Internacional da Mulher e em 1977 proclamaram o dia 8 de Março como o Dia Internacional da Mulher.

O Sporting Clube de Portugal tem contribuído ao longo da sua história secular para que a participação da mulher no fenómeno desportivo constitua uma realidade. Na fotografia, a equipa do Sporting de futebol feminino que foi bicampeã nacional, conquistou a Supertaça e a Taça de Portugal e participou na Liga dos Campeões, com duas vitórias e uma derrota, em 2016-17.

publicado às 20:00

Fotografia com história dentro (238)

Vítor Damas e o Inglaterra - Portugal (1974)

Leão Zargo, em 07.03.21

Inglaterra Portugal 20.11.1974.png

O Inglaterra - Portugal disputado no Estádio de Wembley em 20 de Novembro de 1974, a contar para a fase de apuramento do Europeu de 1976, costuma ser referido a propósito das actuações épicas de Vítor Damas. A selecção inglesa era claramente favorita e os seus adeptos estavam de tal forma convencidos da goleada que o diário Daily Mail distribuiu um cupão em papel para que os 85.000 espectadores registassem os golos marcados pelos Three Lions.

O jogo terminou empatado (0-0) graças a um conjunto de defesas espantosas de Damas. Anos mais tarde, João Alves em entrevista ao jornal Record (em 20.11.2014) garantiu que o guarda-redes leonino foi o jogador português decisivo naquela noite e destacou duas intervenções, uma em cada parte, sobretudo uma no primeiro tempo, quando tirou um golo certo a Thomas com um golpe de rins. “Uma defesa impossível”, disse João Alves.

Alcino Pedrosa, professor de História investigador na área do Desporto, escreveu (blogue Leitura de Jogo, 31.3.2014) que, ainda jovem estudante universitário, conseguiu em 1978 uma entrevista com Vítor Santos, director de A Bola, para um trabalho académico. Quando chegou à Travessa da Queimada o jornalista estava a conversar com José Maria Pedroto e um dos temas era o futebol inglês e esse Inglaterra - Portugal.

Pedroto conversou bastante sobre o jogo e considerou que o futebol inglês era previsível, pouco avesso a alterações tácticas, perdendo consistência se na primeira meia hora não se impusesse ao adversário e se perdesse o controlo a meio do campo. Descreveu como tinha analisado a selecção inglesa em Wembley nos últimos vinte anos. Atento, Alcino Pedrosa questionou: “Senhor Pedroto, e se, em algum momento, falhasse a sua estratégia?” Aí, a resposta saiu pronta ao antigo seleccionador: “Tinha o Vítor [Damas] na baliza capaz de fazer defesas impossíveis”.

publicado às 14:30

O Sporting joga amanhã…

Sporting - Santa Clara, 5 de Março de 2021, às 20h45

Leão Zargo, em 04.03.21

Sporting Santa Clara 2019-20 1-0 1ª Liga.png

Sporting e Santa Clara defrontam-se amanhã para a 22ª jornada da 1ª Liga. Os leões estão em 1º lugar com 55 pontos e os adversários em 7º lugar com 28 pontos. No jogo entre as duas equipas na época passada, em Alvalade, os leões conseguiram uma vitória difícil por 1-0. Valeu o golo de Jovane Cabral aos 67 minutos que, numa finalização cheia de argúcia e de oportunismo, acertou com a baliza dos açorianos. Paulinho continua a contas com um problema num tendão da coxa esquerda e esteve ausente dos treinos.

O confronto de amanhã promete ser tarefa igualmente difícil, mas a equipa sportinguista ambiciona superar o recorde de 21 jogos sem perder fixado pelos campeões nacionais de 1981-82, e que igualou no Dragão na jornada anterior. No entanto, o futebol tem uma regra muito simples: nunca dês por vencido um jogo que ainda não se realizou. Na jornada anterior, o Santa Clara derrotou o Paços de Ferreira com um claro 3-0 e foi o clube mais representado na equipa ideal da 21.ª jornada da Liga, eleita em parceria pelo Maisfutebol e SofaScore, com os jogadores Marco, Villanueva e Morita em grande destaque esta época.

É evidente o mérito da liderança de Hugo Viana e de Rúben Amorim. O dirigente ocupa-se do trabalho nos bastidores e prescindiu do protagonismo público. O treinador tem poder e autonomia para pensar, planificar e organizar todo o futebol leonino. Agora, no Sporting trabalha-se a médio prazo. O Clube prepara-se para prolongar por mais um ano (até 2024) o contrato com Rúben Amorim, antecipar a cláusula de opção de Feddal e Pedro Porro e recuperar João Mário para o plantel leonino. A importância da “Unidade de Performance” revela-se na excelente condição física e psicológica dos jogadores.

Na fotografia, imagem do Sporting - Santa Clara disputado em 2019-20.

publicado às 03:34

Fotografia com história dentro (237)

A primeira internacionalização de Cristiano Ronaldo

Leão Zargo, em 01.03.21

22028619_kbolj.jpeg

Cristiano Ronaldo vestiu pela primeira vez a camisola das quinas num jogo frente à África do Sul em 24 de Fevereiro de 2001.  Verificou-se na II edição do Torneio Internacional Cidade de Torres Novas e Rio Maior para selecções sub-15 e Portugal venceu por 2-1. Cristiano marcou o segundo golo da selecção (o primeiro da sua conta pessoal por uma selecção portuguesa), mas não seria a estrela da equipa embora tivesse protagonismo pela qualidade do seu futebol e pelos golos que conseguia. De certa forma, até pela idade de todos, era uma equipa sem estrelas.

Carlos Dinis, então seleccionador nacional da equipa de sub-15, afirmou ao jornal Record, de 23.2.2021, que “hoje, olhamos para o Cristiano e vemos um determinado jogador, mas, na altura, não podíamos perspectivar o que ia acontecer. Tinha qualidade e talento, e foi cada vez melhorando mais. Também era notório que tinha algumas coisas diferentes dos outros, especialmente no aspecto individual. Era ainda um bocado anárquico dentro do próprio jogo, muitas vezes não respeitava muito as questões de ordem táctica, mas era um talento e tinha um potencial físico acima dos outros”.

O antigo seleccionador nacional sublinha que o espírito ganhador, a paixão pelo jogo e a capacidade de liderança contribuíram para que Cristiano se diferenciasse de uma geração que ficou quase toda pelo caminho. Cerca de dois anos depois desse jogo em Torres Novas estava a estrear-se na selecção principal com Luiz Felipe Scolari. Na verdade, ele subiu patamares de forma muito pouco comum. Era juvenil de segundo ano, com 17 anos, e já era titularíssimo nos juniores de segundo ano do Sporting e, no ano seguinte, já estava na equipa principal. Depois, no Verão de 2003, Sir Alex Ferguson levou-o para Manchester a troco de 15 milhões de euros.

Na fotografia, a equipa nacional sub-15 que iniciou o jogo com a África do Sul em 24 de Fevereiro de 2001: 

Em cima - Cristiano Ronaldo (Sporting), Fernando (Benfica), André Carvalho (Rio Ave), Diogo (Belenenses), Filipe Duarte (Benfica) e Christopher (Sporting);

Em baixo - Monteiro (Boavista), Steven (Boavista), Costinha (Vitória de Setúbal), Ricardo (FC Porto) e Pedro Araújo (Sporting).  

publicado às 14:00

O Sporting joga amanhã…

FC Porto - Sporting, 27 de Fevereiro de 2021, 20h30

Leão Zargo, em 26.02.21

22027778_hOocH.jpeg

O Sporting e o FC Porto jogam amanhã para a 21ª jornada da 1ª Liga. Em 2019-20, no Dragão, os portistas derrotaram os leões por 2-0. Apesar do resultado negativo, no final do jogo Rúben Amorim afirmou que ficou com “boa impressão dos miúdos” pela forma como se bateram contra jogadores muito mais experientes e com maior “andamento”. Referia-se a Max, Eduardo Quaresma, Nuno Mendes, Matheus Nunes, Jovane Cabral, Tiago Tomás e Joelson Fernandes. Os que pisarem amanhã o difícil relvado do Dragão já não o farão pela primeira vez em jogo para o campeonato.

O clássico entre o Sporting e o FC Porto é um dos mais desejados pelos adeptos do futebol português. Trata-se de uma rivalidade antiga que se iniciou na época de 1921-22 quando os dois clubes disputaram a primeira final do Campeonato de Portugal. Este jogo, pelo que pode definir na classificação geral da 1ª Liga, é de extraordinária importância para ambas equipas. No entanto, possui um carácter muito mais dramático para os portistas. Afinal, qualquer que seja o resultado os leões continuarão folgadamente na liderança.

Espírito coletivo é a palavra chave que define o actual momento sportinguista. Defrontar o FC Porto implica sempre um confronto de elevada dificuldade, mas com humildade, garra, racionalidade e coragem os jogadores leoninos ficarão mais perto de vencer, ou pelo menos de empatar. Todos desejamos que sejam verticais e inteiros perante a força do adversário. Que sejam rigorosos e audazes. Que estejam inspirados. Que não vacilem nos caminhos para a grande área adversária. Que a nossa baliza se torne numa fortaleza. Que sejam leões.

Na fotografia, uma imagem do FC Porto - Sporting disputado em 2019-20.

publicado às 04:04

Fotografia com história dentro (236)

Um título com dedicatória

Leão Zargo, em 21.02.21

SCP 1930-31.jpg

Em 1930-31 o Sporting não participou no Campeonato de Portugal devido a um diferendo entre a Federação Portuguesa de Futebol e a Associação de Futebol de Lisboa. Solidária com a sua Associação, a equipa leonina não se inscreveu nessa prova, estabelecendo que o triunfo no Campeonato de Lisboa seria o principal objectivo da época. O Belenenses, que tinha vencido as duas edições anteriores, era o grande rival.

Os jogos da fase de preparação decorreram da pior maneira. A morte de Francisco Stromp e do capitão de equipa Serra e Moura, muito pouco tempo depois, gerou um ambiente de consternação entre os jogadores, agravado pelas ausências forçadas de Cipriano Santos, Manuel Matias e Abrantes Mendes. Os sportinguistas não conseguiram uma única vitória no Torneio de Abertura e na tradicional Taça Benfica - Sporting, o que tornou ainda mais sombrias as expectativas dos adeptos leoninos.

Filipe dos Santos, jogador do Clube desde 1921, aos 34 anos já tinha pouco rendimento em campo, mas a sua capacidade de liderança era reconhecida por todos. Convidado para treinador, reorganizou a equipa, consolidou a dupla defensiva Jorge Vieira e Martinho de Oliveira, deu liberdade aos goleadores Abrantes Mendes e Rogério de Sousa, recuperou Varela, burilou Adolfo Mourão e lançou o extremo esquerdo Eduardo Mourinha.

Apesar da derrota em casa com o Belenenses (0-1), logo na 1ª jornada do Campeonato de Lisboa, Filipe dos Santos garantiu que nada estava perdido. Tinha percebido que a força da equipa estava na união dos jogadores que levaria à conquista do campeonato Regional, a que ele acrescentou a dedicatória do título a Francisco Stromp e a Serra e Moura. União e solidariedade, a base do sucesso colectivo.

Na fotografia, uma equipa do Sporting na época de 1930-31.

publicado às 16:00

O Sporting joga amanhã…

Sporting - Portimonense, 20 de Fevereiro de 2021, às 20h30

Leão Zargo, em 19.02.21

Sporting Portimonense 2019-20 2-1 1ª Liga 20ª jo

Sporting e Portimonense defrontam-se amanhã para a 20ª jornada da 1ª Liga. Os leões estão em 1º lugar com 51 pontos e os algarvios em 12º lugar com 19 pontos. No jogo entre os dois clubes na época passada, em Alvalade, os adeptos sportinguistas desesperaram perante uma primeira parte confrangedora que permitiu que os algarvios se adiantassem no marcador por Jacson Martínez. Valeu Mathieu, que empatou de livre directo minutos depois, e um autogolo de Jadson para que a vitória sorrisse à equipa leonina.

Todos esperamos que a qualidade técnica dos jogadores e a sua vibração competitiva nos poupem amanhã a tamanha angústia. A equipa está muito mais confiante e adulta do que na época passada e a mistura de juventude e irreverência com maturidade e experiência tem mostrado o caminho para o sucesso. No caso dos jogadores, como lhes é mais fácil fazerem aquilo que os torna melhores, sentem e transpiram mais confiança. É necessário recuar a 1996-97 para que uma equipa do Sporting tivesse sofrido apenas 10 golos à 19ª jornada. Ou ao princípio da década de 1950 para outra equipa sportinguista sem qualquer derrota na Liga e 10 pontos de vantagem sobre o segundo classificado.

No entanto, quanto à vantagem pontual, Rúben Amorim garante que “não significa nada” e que “estamos é proibidos de parar de correr. Cada um diz o que quer dentro da equipa. E todos dizemos o mesmo, é a ideia geral”. A preparação do próximo jogo iniciou-se com todo o plantel à disposição do técnico. Paulo Sérgio regressa a Alvalade exigindo “coragem e concentração máxima” aos jogadores do Portimonense. Para o Sporting trata-se de mais uma final, depois ainda ficam a faltar catorze finais.

Na fotografia, imagem do Sporting - Portimonense disputado em 2019-20.

publicado às 03:04

O Sporting joga amanhã…

Sporting - Paços de Ferreira, 15 de Fevereiro de 2021, às 20h15

Leão Zargo, em 14.02.21

Sporting Paços de Ferreira 2019-20 1-0 1ª Liga 2

Sporting e Paços de Ferreira jogam amanhã para a 19ª jornada da 1ª Liga. Esta época os castores constituem a grande sensação do campeonato da 1ª Liga e estão isolados no 5º lugar da classificação a dois pontos do Benfica e do SC Braga. Em 2019-20 os leões tiveram grande dificuldade para derrotar o Paços, o que apenas conseguiram através de um míssil disparado por Jovane Cabral na marcação de livre um directo. A 11 de Dezembro passado as duas equipas defrontaram-se para a Taça de Portugal e o Sporting venceu por 3-0.

O jogo com o Paços de Ferreira apresenta-se como muito difícil, espera-se que seja a arte e o engenho dos leões a determinar o resultado da partida. Cada jogo é um jogo, é verdade, mas o Gil Vicente está na memória de todos e mais vale prevenir do que remediar. O jogo de amanhã traz uma curiosidade suplementar: como é que Pepa vai fazer encaixar o seu 3x4x3 no 3x4x3 de Rúben Amorim, ele que garantiu ainda há pouco tempo que nunca tinha alterado o sistema táctico por causa do adversário. Irá baixar as linhas para retirar profundidade ofensiva ao Sporting?

O Paços de Ferreira há nove jogos consecutivos (seis vitórias e três empates) que não sofre uma derrota. Trata-se de uma equipa bem preparada e organizada com e sem bola, com jogadores capazes de fazer diferentes posições. O maior destaque talvez seja a potência ofensiva de Douglas Tanque e a capacidade de organização dos médios Bruno Costa e Eustáquio, que foram eleitos, respectivamente, o primeiro e o segundo melhor médio do mês de Janeiro na 1ª liga. Mas, os pacenses valem pelo seu conjunto, Pepa consegue que tenham um bom comportamento colectivo nas várias situações do jogo.

Na fotografia, o Sporting-Paços de Ferreira disputado em 2019-20, que os leões venceram por 1-0, com um golo de Jovane Cabral.

publicado às 14:00

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds