Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Fotografia com história dentro (264)

Mészáros!

Leão Zargo, em 13.09.21

Mészáros jogo em Portimão 1982-83.jpg

Ferenc Mészáros é um dos maiores guarda-redes que vestiram de leão ao peito. Tinha 31 anos quando foi contratado pelo presidente João Rocha no Verão de 1981. A baliza sportinguista vivia numa certa orfandade desde a saída de Damas para Espanha em 1976 e o internacional húngaro era considerado um dos melhores do Europa na sua posição. Havia vários clubes europeus interessados nos seus serviços, mas optou pelo Sporting. Mais tarde explicou ao jornalista Rui Miguel Tovar que foi “porque já conhecia o clube por dentro, (…) em 1975-76, tinha jogado em Alvalade pelo Vasas e fiquei espantado com o apoio do público”.

Desde logo, Mészáros criou grande entusiasmo em Alvalade. Pelo seu currículo na selecção húngara e pela sua elegância em campo. Tinha um visual muito particular com um bigode inconfundível, muito característico. Relativamente alto (1m e 83cms) agigantava-se pelo posicionamento, concentração e reflexos na baliza e pela agilidade e impulsão. Tinha voz de comando, falava muito, orientava sempre os companheiros da defesa. Era espectacular nas saídas da grande área para pontapear a bola para longe e provocou grande surpresa no início quando fazia lançamentos da linha lateral.

Na sua área ele é que mandava e quando saía tinha de dominar a bola. Sabia que não podia dar hipóteses, que os adversários não perdoavam. Era de grande valentia nas saídas aos cruzamentos e aos pés dos avançados que se isolavam. Tinha aquele grão de loucura que é próprio dos guarda-redes. A fotografia refere-se a um jogo em Portimão na época de 1982-83 saindo do campo amparado por Manuel Marques. Aos 42 minutos de jogo, numa saída arrojada da baliza, ficou com alguns dentes partidos e teve de ser substituído por Melo. Jogou apenas duas épocas no Sporting e conquistou um Campeonato Nacional, uma Taça de Portugal e uma Supertaça.

publicado às 14:30

O Sporting joga amanhã

Sporting - FC Porto, 11 de Setembro de 2021, às 20h30

Leão Zargo, em 10.09.21

thumbnail_Sporting 2 Porto 2 2020-21 Pedro Gonçal

Sporting e FC Porto defrontam-se amanhã em Alvalade para 4ª jornada da 1ª Liga. Para o campeonato na casa dos leões, desde a época de 1934-35 (criação da Liga Experimental), os dois clubes defrontaram-se 86 vezes, com 45 vitórias leoninas, 21 vitórias dos portistas e 21 empates. Na época passada o jogo terminou com um empate (2-2). Actualmente têm os mesmos 10 pontos, a 2 pontos do líder, o Benfica, na classificação da 1ª Liga.

O clássico em Alvalade na época passada verificou-se num contexto especial: adiamento do jogo com Gil Vicente em virtude da covid-19, duas vitórias em Paços de Ferreira e em Portimão para a 1ª Liga e uma pesada derrota com o LASK Linz na qualificação para a Liga Europa. A vencer por 2-1, na 2ª parte os portistas controlaram o futebol ofensivo leonino, mas não impediram a cena caricata do penálti e do segundo amarelo a Zaidu, revertidos pelo VAR. A três minutos do fim, valeu o oportunismo de Vietto que aproveitou um desvio de calcanhar de Sporar que Marchesin defendeu para a frente. O Sporting não perdeu o jogo e preparou-se para as batalhas seguintes.

Para Rúben Amorim, a preparação para o desafio de sábado está a decorrer com alguns constrangimentos. Seba Coates, Gonçalo Inácio, Tiago Tomás e Pedro Gonçalves fizeram tratamento às respectivas lesões e Pablo Sarabia e Ugarte estiveram ao serviço das suas selecções. O jogador espanhol está habituado a chegar e jogar em partidas decisivas, e deve ser convocado, e o uruguaio é o previsível suplente de Palhinha que regressou da Selecção com problemas físicos.

Frequentemente um jogo de futebol é feito de pequenos nadas. E ganha quem controla os pequenos nadas. Um clássico frente ao FC Porto não escapa a essa regra. O Sporting já não se apresenta como o “outsider” da época passada disposto a mostrar no terreno do jogo o seu poder competitivo. Entretanto correu muita água por baixo das pontes. Como é habitual, os portistas vão apresentar-se fortes na redução dos espaços, com marcações apertadas e grande pressão sobre o adversário portador da bola. O seu futebol será viril, duro, intenso e em profundidade.

Na fotografia, imagem do Sporting 2 - FC Porto 2 disputado no Estádio de Alvalade, em 17 de Outubro de 2020.

publicado às 14:30

Vencer na Madeira

Leão Zargo, em 05.09.21

22152672_4cizq.jpeg

A equipa feminina de futebol do Sporting CP venceu o Marítimo por 0-2 na 1ª jornada da série Sul da Liga BPI. Depois da conquista da Supertaça, frente ao Benfica, seguiu-se a estreia leonina a vencer no campeonato. Andreia Jacinto inaugurou o marcador com um grande golo aos 15 minutos de jogo e Diana Silva fez o resultado final a um minuto do fim. “Foi um jogo difícil, mas uma boa forma de entrar na Liga BPI”, afirmou no final do jogo a treinadora Mariana Cabral.

publicado às 17:05

Fotografia com história dentro (263)

O primeiro “hat-trick” leonino de Manuel Fernandes

Leão Zargo, em 05.09.21

Sporting 4 União de Tomar 1 1975-76 (2).jpg

Manuel Fernandes foi contratado no Verão de 1975 para substituir Hector Yazalde e logo na sua primeira época marcou trinta e dois golos, apesar de ter sido particularmente atribulada para o Sporting. Na realidade, em 1975-76 aconteceu de tudo um pouco, em particular a irregularidade da equipa leonina no Campeonato e o 5º lugar na classificação, o insucesso na Taça UEFA logo na 2ª eliminatória, a desilusão nas meias finais da Taça de Portugal com o Vitória de Guimarães e a interdição do Estádio de Alvalade devido a uma invasão por adeptos na Tapadinha.

A fotografia refere-se a um Sporting 4 - União de Tomar 1 disputado em 26 de Outubro de 1975. No coração da grande área tomarense, Manuel Fernandes tinha acabado de executar o remate para um dos três golos que marcou nesse jogo, o primeiro “hat-trick” com camisola leonina.  O seu futebol feito de técnica, versatilidade, intuição e oportunismo está bem expresso neste lance que o guarda-redes Silva Morais não conseguiu defender. No dia seguinte, Santos Neves escreveu no jornal A Bola que Manuel Fernandes, com três golos e outros lances muito bem imaginados, demonstra que embala para ser o avançado muito perigoso que era na Cuf”

Ficha de jogo:

Campeonato Nacional da 1ª Divisão (8ª jornada)

Sporting 4 - União de Tomar 1

Estádio José Alvalade, 26 de Outubro de 1975

Árbitro - Jaime Loureiro (Porto)

Sporting - Damas, Inácio (Fernando Tomé, 45’), José Mendes, Zezinho, Da Costa, Valter Costa, Fraguito, Nelson Fernandes, Marinho, Manuel Fernandes e Chico Faria (Jorge Jesus, 67’)

Treinador - Juca

União de Tomar - Silva Morais, Kiki, Zeca (Barrinha, 62’), Faustino, Carvalho, Florival, Jorge Calado, Sarmento, Francisco Bolota (Caetano, 33’), Camolas e José Luís

Treinador - Francisco Andrade

Golos - Marinho (13’), Manuel Fernandes (40’, 59’ e 64’) e Camolas (49’)

publicado às 14:30

Fotografia com história dentro (262)

O Sporting “europeu” de 1925-26

Leão Zargo, em 30.08.21

Sporting-0 Casuals FC-0 1925-26.jpg

Após a 1ª Guerra Mundial, os europeus viveram na década de 1920 uma fase de notório progresso material. No caso português, destaca-se o crescimento urbano e a mudança das mentalidades, a democratização social e a melhoria das condições de vida, mesmo que relativas. Este tempo também é do futebol, das assistências cada vez mais numerosas, do Campeonato de Portugal, da seleção nacional e da imprensa desportiva. Alguns clubes usufruíam de significativas fontes de financiamento, nomeadamente de bilheteira e por mecenas, que possibilitavam pagamentos a jogadores e técnicos.

Em 1925-26, o Sporting apesar de possuir uma das melhores equipas portuguesas, não teve acesso ao Campeonato de Portugal pois ficou em 2º lugar no Campeonato de Lisboa. Até aí tinha participado em três finais da prova (venceu uma e perdeu duas). Por essa razão, a Direcção do Clube aproveitou para realizar vários jogos com equipas estrangeiras que visitaram o nosso país: Pontevedra 3-0, Celta de Vigo 2-1, Sparta de Praga 0-3, Helsingborg 2-1, Szombathely 5-2 e 0-2, Casuals FC 0-0, Racing Madrid 2-0 e Selecção de Madrid 5-1. O treinador era o húngaro Julius Lelovtic (ou Lelovich), que exercia também as funções de massagista.

A fotografia refere-se ao jogo do Sporting com os ingleses do Casuals Football Club, na Estância de Madeira em 4 de Abril de 1926. O guarda-redes Cipriano dos Santos prepara-se para agarrar a bola. Os leões usaram o equipamento alternativo, a camisola branca.

publicado às 14:30

O Sporting joga amanhã…

Famalicão - Sporting, 28 de Agosto de 2021, 20h30

Leão Zargo, em 27.08.21

Famalicão Sporting 2020-21 2-2 Coates.jpg

O Sporting defronta amanhã o Famalicão para a 4ª jornada da 1ª Liga. Em 2020-21, no Estádio Municipal, tudo correu mal, verificou-se um empate (2-2), pondo termo a uma sequência de seis triunfos, numa partida em que o árbitro Luís Godinho foi o protagonista ao expulsar Pedro Gonçalves e Rúben Amorim e anular um golo limpo a Coates que daria a vitória aos leões. Os famalicenses marcaram nas duas oportunidades que tiveram e o jogo terminou com os sportinguistas exprimindo a sua revolta nas redes sociais.

O Sporting empatou o jogo, mas na verdade alcançou uma vitória decisiva. Na conferência de imprensa após o empate, Rúben Amorim afirmou que os jogadores estavam unidos e garantiu que “onde vai um vão todos”, frase premonitória que deu origem a uma onda de apoio por parte dos sportinguistas. O filósofo José Ortega y Gasset escreveu que “o homem é o homem e a sua circunstância”, na medida em que o ser humano é um sujeito activo determinado pela realidade que o rodeia. O que se passou no relvado em Famalicão foi a “circunstância” que cimentou tudo e todos até à conquista do título de campeão.

Frente ao Sporting, o treinador Ivo Vieira vai ser cauteloso e provavelmente substituir o habitual 4x3x3 por um 5x2x2x1 com marcações rigorosas em todo o seu meio campo e transições rápidas em direcção à baliza de Adán. O “Fama” parece não ter o brilho das épocas anteriores, ainda não venceu, mas isso torna o jogo ainda mais difícil para os leões. Os famalicenses vão dar tudo para finalmente conseguirem pontuar. Na memória deles vai estar o “off-side” milimétrico que na 2ª jornada lhes tirou o empate frente ao Porto.

Na fotografia, os jogadores leoninos festejam o golo de Coates, que seria anulado, no jogo em Famalicão disputado em 2020-21.

publicado às 17:16

Fotografia com história dentro (261)

O atleta Mário Moniz Pereira

Leão Zargo, em 23.08.21

Mário Moniz Pereira atletismo.jpg

A Mário Moniz Pereira chamaram muito justamente o “Senhor Atletismo” porque, graças a ele, essa modalidade deu um enorme salto qualitativo, atingindo o seu ponto mais alto com Carlos Lopes, Fernando Mamede, Armando Aldegalega, os irmãos Castro, entre muitos. São todos atletas de uma época relativamente recente, mas a actividade de Moniz Pereira começou nos anos 50 quando tornou Álvaro Dias num dos melhores saltadores em comprimento de sempre no nosso país, o primeiro atleta português a estar próximo de um grande resultado internacional. 

O jovem Moniz Pereira era de tal forma um desportista eclético que praticou atletismo, voleibol, natação, andebol e basquetebol quando estudou no INEF e equitação, esgrima, tiro e natação quando teve de cumprir o serviço militar. Pelo INEF, foi campeão de Lisboa universitário de salto em comprimento, triplo salto, 110m barreiras e 4x100m e campeão de Portugal universitário de triplo salto e recordista nacional. Esteve entre os fundadores do Centro Desportivo Universitário de Lisboa (CDUL).

Em 1922, Mário Moniz Pereira tornou-se sócio do Sporting e em 1939 ingressou no Clube como praticante de ténis de mesa, passando depois para o atletismo, ginástica, hóquei em patins, ténis e voleibol, modalidade em que se sagrou campeão nacional em 1953-54 e em 1955-56, esta última conquista também como treinador. Antes dos históricos feitos que conseguiria como treinador no atletismo, destacou-se como atleta com a camisola leonina, nomeadamente no salto em altura, triplo salto e salto em comprimento e em provas de velocidade.

Na fotografia, o atleta Mário Moniz Pereira em acção no antigo Estádio do Lumiar.

publicado às 11:45

O Sporting joga amanhã…

Sporting - B-SAD, 21 de Agosto de 2021, 20h30

Leão Zargo, em 20.08.21

Sporting - B-SAD 2020-21 Jovane Cabral.jpg

O Sporting defronta amanhã o B-SAD para a 3ª jornada da 1ª Liga. Na época passada, em Alvalade, os dois clubes empataram (2-2), com Coates (83’) e Jovane Cabral (90’+6’) a conseguirem perto do fim os golos que evitaram a quebra da invencibilidade leonina. A equipa sportinguista passou por grandes dificuldades perante a solidez defensiva dos adversários, que marcaram logo no primeiro remate à baliza de Adán. Depois, um penálti falhado por João Mário e o 0-2 aos 54 minutos, outra vez por Cassierra, tornaram ainda mais difícil a reviravolta no marcador.

Os leões revelaram na Pedreira que já alcançaram um bom nível de jogo colectivo. A organização defensiva a toda a largura do campo dificultou finalizações perigosas para a baliza de Adán até aos 80 minutos. Com Palhinha e Matheus Nunes o meio campo revela grande solidez. Lá à frente, o tridente mostra eficácia. A liderança, no futebol, não é um mito, e Rúben Amorim encarrega-se de provar isso. Todo o plantel está à disposição do treinador, o que é uma excelente notícia.

Apesar de ter sofrido derrotas nas duas primeiras jornadas, o jogo com o B-SAD constitui mais um teste difícil para o Sporting. Petit prepara os jogos com extrema cautela, e na época passada provocou enormes dificuldades a Rúben Amorim à custa do seu futebol superdefensivo com marcações individuais bastante agressivas. Em geral, marca poucos golos, mas também sofre poucos, revelando um grande aproveitamento nas oportunidades que consegue. Amanhã é fácil imaginar a disposição táctica do B-SAD.

Na fotografia, Jovane depois de ter conseguido o golo do empate no Sporting 2 - B-SAD 2 disputado em 2020-21.

publicado às 03:34

Fotografia com história dentro (260)

Vencer no lamaçal da Choupana

Leão Zargo, em 16.08.21

Nacional 0 Sporting 2 2020-21.jpg

Antigamente dizia-se que o Natal era o Cabo das Tormentas do Sporting, mas na época de 2020-21 foi o Cabo da Boa Esperança. Estar na liderança com clara vantagem sobre o Benfica e o Porto constituiu o melhor antídoto para combater a descrença e simbolizar a nova realidade sportinguista. Em Janeiro, a 13ª jornada frente ao Nacional na Choupana deu início a um ciclo difícil de jogos que englobavam Benfica, Rio Ave e Paços de Ferreira em Alvalade e Porto, Marítimo e Gil Vicente fora de casa.

A Choupana é um campo tradicionalmente complicado por razões anaeróbicas em virtude da altitude (630 metros) e pelo microclima que, dependendo, pode originar ventos fortes, nevoeiro, aguaceiros intermináveis ou calor sufocante. Tudo isso foi agravado pelo vento e chuva da tempestade “Filomena” que implicou o desvio do avião, obrigou o adiamento da partida de 7 de Janeiro para o dia seguinte e degradou imenso o estado do o relvado.

A partida foi dura, muito “rasgadinha”, quase uma batalha campal devido ao estado do terreno, um verdadeiro teste para a equipa sportinguista que venceu com golos de Nuno Santos e Jovane e continuou invicta e firme na liderança do campeonato. Se cada jogo de futebol tem a sua própria história, este jogo na Choupana revelou como os jogadores leoninos estão preparados para jogar com menos nota artística num relvado enlameado sob chuva intensa, colocando a técnica individual num futebol mais directo para a baliza adversária. Dentro das quatro linhas vencem quando são insuperáveis no controlo táctico, no esforço individual e na solidariedade colectiva.

publicado às 14:30

O Sporting joga amanhã… (1ª Liga 2021-22)

Braga - Sporting, 14 de Agosto de 2021, 20h30

Leão Zargo, em 13.08.21

SCB 0 SCP 1 2020-21 Matheus Nunes.jpg

O Sporting e o Braga defrontam-se amanhã para a 2ª jornada da 1ª Liga. Em 2020-21, na Pedreira, os leões venceram por 1-0 com um golo de Matheus Nunes a 9 minutos do fim da partida. Gonçalo Inácio viu o segundo amarelo logo aos 18 minutos, mas os companheiros de equipa organizaram-se, sofreram em conjunto, e conquistaram, com muito estorço, a vitória. Foi um jogo de enorme intensidade competitiva e com alguns momentos mais quentes de ambos os lados, mas de tal forma épico que os sportinguistas se convenceram que o título já não fugia. Foi na 29ª jornada do Campeonato.

Amanhã, na Pedreira, a partida é de elevado grau de dificuldade, o nosso futebol tem de ser positivo e jogado com paixão, energia e inspiração. A final da Supertaça revelou isso mesmo. O Campeonato está na sua fase inicial e cada ponto a mais ou a menos é precioso para a moral da equipa. Candeia que vai à frente alumia duas vezes. Grão a grão enche a galinha o papo. Se jogar como equipa grande, o Sporting é capaz de vencer em qualquer campo. Há algum tempo, Rúben Amorim sublinhou a importância de “assumir o jogo com empenho e jogar com arrogância positiva”. Nem mais!

Na fotografia, Matheus Nunes marca o golo solitário no Braga 0 - Sporting 1 disputado em 2020-21.

publicado às 03:04

Fotografia com história dentro (259)

Estela de Carvalho, a primeira campeã nacional do Sporting

Leão Zargo, em 08.08.21

Estela de Carvalho Taça Cego do Maio natação.jp

Estela de Carvalho é uma grande figura de sportinguista e do desporto português. Em Outubro de 1926 tornou-se a primeira mulher campeã nacional representando o Sporting ao vencer nos 100 metros livres e nos 200 bruços nos nacionais de natação. Para além do destaque que conseguiu em provas de piscina nos campeonatos regionais e nacionais, notabilizou-se pela sua prestação em provas em águas abertas competindo com atletas do sexo masculino e ficando normalmente num dos primeiros lugares.

A fotografia, do Museu Sporting, refere-se ao troféu conquistado por Estela de Carvalho na Taça do Cego do Maio, em 1927, uma prova de uma milha de distância ao largo da Póvoa de Varzim. Na competição, organizada pelo Clube Naval Povoense, em que participaram principalmente homens, a nadadora sportinguista obteve um 4º lugar. As performances históricas de Estela de Carvalho constituíram uma demonstração de coragem e foram uma inspiração para mulheres que desejavam dedicar-se ao desporto. 

Na verdade, a nadadora leonina teve uma importância social e cultural muito superior às suas proezas atléticas ao competir ao lado de rapazes e homens, arrebatando prémios e granjeando a admiração e a curiosidade geral, numa época em que a prática desportiva era quase interdita às mulheres. Tem grande interesse salientar o papel das atletas femininas nas primeiras décadas do século XX pois, à sua maneira, contribuíram para o movimento pela emancipação da mulher e pela igualdade de género.

publicado às 14:30

O Sporting joga amanhã… (2021-22)

Sporting - Vizela, 6 de Agosto de 2021, 20h15

Leão Zargo, em 05.08.21

Vizela 2 Sporting 3 2014-15 Taça de Portugal.jpg

O Sporting defronta amanhã o FC Vizela para a 1ª jornada da 1ª Liga. Trinta e seis anos depois, o clube minhoto regressa ao escalão principal do futebol português para defrontar o campeão nacional em título. Em 2014-15 as duas equipas encontraram-se em Vizela em eliminatória da Taça de Portugal, que os leões venceram por 3-2. Foi o jogo que valeu um processo disciplinar ao treinador Marco Silva acusado de não ter vestido o fato oficial.

Depois da conquista da Supertaça, inicia-se agora a prova rainha do nosso futebol e renova-se a esperança de que o Sporting seja bicampeão nacional. A última vez que isso aconteceu foi em 1951-52, mas a dimensão competitiva leonina permite sonhar com aquilo que há pouco tempo pareceria impossível de alcançar. Os sportinguistas estão ansiosos por mais vitórias desportivas e desejam que as cores leoninas continuem a ser defendidas com brio, dedicação, competência, coragem, audácia e orgulho.

No futebol a única previsibilidade é a de que é... imprevisível. O Sporting parte com o estatuto de campeão em título e isso implica ainda maior responsabilidade e todas as outras equipas vão procurar vencê-lo. A participação na Liga dos Campeões constitui um novo desafio para Rúben Amorim. Haverá uma maior rotação no plantel que é mais equilibrado do que na época anterior. Isto se não saírem jogadores importantes, é claro. Uma coisa é certa, o mercado está aberto e podem verificar-se saídas ou entradas.

O FC Vizela vai competir novamente na 1ª Liga, manteve a estrutura da época passada e conseguiu reforços para este regresso, pretende assegurar a manutenção e, segundo o treinador Álvaro Pacheco, “lutar sempre pelos três pontos”. Tomás Silva e Nuno Moreira (ex-Sporting), Bruno Wilson (ex-Braga), Schettine (emprestado pelo Braga), Charles (ex-Marítimo), Igor Julião (ex-Fluminense), Méndez (ex-Ajax), Kévin Zohi (ex-Estrasburgo) e Claudemir (ex-Sivasspor) serão talvez as contratações mais sonantes.

Na fotografia, o Vizela - Sporting disputado em 2014-15 que os leões venceram por 3-2.

publicado às 13:30

Fotografia com história dentro (258)

Quando um misto Benfica-Sporting foi goleado pelo Newell’s Old Boys

Leão Zargo, em 02.08.21

22133563_zZq5K.jpeg

Nas conversas do dia a dia costuma-se dizer que a união faz a força. Afinal, não será bem assim, ou talvez a união não constitua força suficiente em certas circunstâncias. Aconteceu no dia 31 de Janeiro de 1950 quando os dois clubes rivais de Lisboa, o Sporting e o Benfica, organizaram uma equipa mista para defrontar os argentinos do Newell’s Old Boys, em digressão pela Europa.

Inicialmente estava previsto que os argentinos jogassem contra uma selecção portuguesa, mas por alguma razão não foi possível. A equipa mista lisboeta utilizou um equipamento branco com listas encarnada, verde e azul e um emblema com as iniciais B-S-B (Benfica-Sporting-Belenenses), que foi utilizado em jogos de um combinado que incluía também o emblema de Belém.

Num Estádio do Lumiar cheio com mais de 20 mil espectadores (a imprensa argentina exagerou e falou em 75 mil), a 1ª parte foi muito disputada com oportunidades de golo para os dois lados, mas o intervalo chegou com 1-0 para os visitantes. O pior aconteceu na 2ª parte, os argentinos foram superiores e ampliaram os números para uma expressiva goleada por 5-0. No final do desafio, o público presente no Lumiar aplaudiu longamente os jogadores do Newell’s Old Boys.

Ficha de jogo:

Benfica-Sporting 0 - Newell’s Old Boys 5

Estádio do Lumiar, 31 de Janeiro de 1950

Árbitro - Reis Santos (Portugal)

Benfica-Sporting - João Azevedo (Sporting), Jacinto (Benfica), Félix (Benfica), Joaquim Fernandes (Benfica), depois Juvenal (Sporting), Canário (Sporting), Francisco Ferreira (Benfica), Jesus Correia (Sporting), depois Rosário (Benfica), Vasques (Sporting), depois Arsénio (Benfica), Julinho (Benfica), depois Armando Coelho Barros (Sporting), Travassos (Sporting) e Albano (Sporting).

Newell"s Old Boys - Chamorro, Colman, depois Cabrera, Atilio Miotti, Lombardo, depois Peloso, Juan Bautista, depois Ubaldo Faina, Puisegur, depois Roberto Martínez, Raúl Contini, Benavídez, Montalbetti, depois Mardizza, Montaño e Ortiguela.

publicado às 14:30

Para reflexão

Leão Zargo, em 31.07.21

SCP 1906.jpg

“Agora tenho a confiança (dos adeptos sportinguistas). E tenho uma equipa formidável, séria, trabalhadora, generosa. Ganhei as pessoas e acredito ter competência para que o Sporting vença ou demonstre que vai continuar a crescer. (…) Mudou muita coisa, mas temos de nos manter humildes e continuar a trabalhar. Sem ilusão nenhuma de que a unidade existe quando há resultados… Aí é que ela existe sempre.”

(Frederico Varandas em entrevista à revista Expresso, 30.7.2021)

Há uma coisa que todos nós sabemos: a união dos sportinguistas não se decreta. É o sinal da constante travessia, o que se sonha real e o real que se cria. Não se impõe, constrói-se, cimenta-se com “esforço, dedicação, devoção e glória”, o lema do nosso Clube. É uma teia que se tece diariamente. As palavras do presidente leonino devem-nos fazer reflectir sobre os caminhos que o Sporting pode e deve percorrer. É que é mais fácil subir uma montanha quando se vai acompanhado. Isso também nós sabemos.

publicado às 17:34

Fotografia com história dentro (257)

O Leonel Miranda do Sporting!

Leão Zargo, em 25.07.21

Leonel Miranda Museu Sporting.jpg

Quando é pronunciado o nome de certos atletas logo o associamos a determinado clube. É o caso de Leonel Miranda que em 1964, ainda amador, ingressou na secção de ciclismo do Sporting e passou a profissional um ano depois. Era um ciclista invulgarmente completo, muito competente em diversos tipos de terrenos e de provas.

Participou em dez edições da Volta a Portugal, sempre pelos leões, tendo como melhor classificação um 3º lugar. O facto de ser um “equipeer”, nomeadamente o fiel escudeiro de Joaquim Agostinho, explica que nunca tenha conquistado a prova rainha. Mesmo assim, ainda ganhou vinte e oito etapas da Volta e foi cinco vezes “Rei da Montanha”, seis vezes Camisola Verde, três vezes vencedor do Prémio Combinado e por quatro vezes vitorioso nas Metas Volantes.

Foi ainda Campeão Nacional de Rampa em 1966 e de Velocidade em 1971, para além de ter vencido o Lisboa-Porto de 1968 e o Porto-Lisboa de 1974, entre outras grandes vitórias. Acompanhou Joaquim Agostinho na primeira equipa de Gribaldy e correu uma Volta à Suíça e uma Volta à Espanha. Participou ainda cinco vezes no Campeonato do Mundo e duas vezes na Volta ao Estado de S. Paulo, obtendo um 3º e um 5º lugar nesta prova. Em 1967, o Sporting distingui-o com o Prémio Stromp na categoria de Atleta Profissional.

Esta fotografia é muito recente e foi feita no Museu Sporting, onde Leonel Miranda é uma presença frequente. Na verdade, um leão regressa sempre ao seu território. Há como que uma duplicação, afinal trata-se de uma fotografia dentro da fotografia, o que permite uma dupla leitura do célebre ciclista leonino que segura nas mãos o nº 822 do jornal Sporting que anuncia na primeira página a conquista do Campeonato Nacional de Rampa em 1966, com a sua foto vestindo o “jersey” de Campeão Nacional. 

publicado às 14:30

Fotografia com história dentro (256)

O Vidigal

Leão Zargo, em 18.07.21

SCP VSC 1999-00 1-0 CN 30ª jornada 16.4.2000.jpg

Em 1999-00 o Sporting fez quase a quadratura do círculo para finalmente conseguir conquistar o desejado título de campeão nacional. Na 7ª jornada estava em 4º lugar a 7 pontos do Benfica, na 10ª em 6º lugar a 5 pontos, mudou de treinador, fez as célebres contratações de Inverno, reorganizou-se com uma linha vertical de baliza a baliza com Schmeichel, André Cruz, Vidigal, Pedro Barbosa e Beto Acosta. Com eles em campo houve comando, estabilidade, segurança, criatividade e eficácia e os leões puderam jogar alto no terreno. O Sporting podia não ter os melhores jogadores, mas tinha a melhor equipa.

Deste grupo de jogadores imprescindíveis, o de Luís Vidigal poderá ser o menos referido pelos adeptos, apesar da sua função essencial para a coesão da equipa leonina. Conseguia empolgar mesmo o adepto mais frio, fazendo recordar Oceano Cruz, o seu ídolo. Era um “artista” na função de médio defensivo, sem virtuosismos técnicos, mas a entrega ao jogo e o bom posicionamento em campo proporcionavam estabilidade e eficácia à manobra da equipa. Jogando com intensidade, mais do que agressividade, foi sempre determinante na organização e na transição, com ele no meio campo o Sporting parecia que estava a jogar em superioridade numérica.

A fotografia refere-se ao jogo Sporting 1 - Vitória de Guimarães 0, na 30ª jornada. Acosta, o “matador” de serviço, marcou aos 11 minutos, os vimaranenses pressionaram à procura do empate, e Vidigal foi grande a ajudar a segurar a vitória e manter o FC Porto à distância de dois pontos.

publicado às 14:30

Época de glória.jpg

O Camarote Leonino publicou em 26 de Junho uma lista dos títulos e vitórias importantes no conjunto das modalidades leoninas em 2020-21, que entretanto ficou ultrapassada em virtude de novos sucessos posteriores a essa data. Apresentamos hoje o que pensamos ser uma listagem actualizada desta época verdadeiramente de ouro.

Na vida nada é permanente e no desporto de competição pouco é previsível, mas agora os sportinguistas anseiam por mais vitórias e títulos, sabendo que uma cultura exigente e competitiva pode tornar-se vencedora e campeã. Em algumas modalidades já se treina para a nova época que todos desejamos que seja gloriosa e inesquecível.

Vitórias em modalidades colectivas masculinas em 2020-21:

Futebol - Campeonato Nacional e Taça da Liga

Futsal - Liga Europeia, Campeonato Nacional e Taça da Liga (o Sporting conquistou na época em curso a Taça de Portugal de 2019-20)

Hóquei em patins - Liga Europeia e Campeonato Nacional

Goalball - Campeonato Europeu, Campeonato Nacional e Taça de Portugal

Basquetebol - Campeonato Nacional e Taça de Portugal (o Sporting conquistou na época em curso a Taça de Portugal de 2019-20)

Futebol de praia - Campeonato Nacional

Ténis de Mesa - Campeonato Nacional, Supertaça e Campeonato Nacional (sub 19)

Atletismo - Campeonato Nacional de Pista Coberta (seniores e sub 23), Corta Mato e Campeonato Nacional pista (juniores masculinos)

Voleibol - Taça de Portugal

Vitórias em modalidades colectivas femininas em 2020-21:

Goalball - Campeonato Europeu

Atletismo - Campeonato Nacional de Pista Coberta (seniores e sub 23), Campeonato Nacional de Pista, Corta Mato e Copa Ibérica

Râguebi - Campeonato Nacional da Divisão de Honra (XV), Supertaça (XV), Taça Ibérica (XV) e Campeonato Nacional (Sevens)

Tiro com Arco Recurvo - Campeonato Nacional

Futebol (equipa B) - Campeonato Nacional da II Divisão Feminina

Voleibol - Taça Federação

Vitórias individuais:

Judo - Jorge Fonseca campeão mundial em -100 kg em representação de Portugal

Atletismo (Campeãs da Europa em Pista Coberta) - Patrícia Mamona (triplo salto) e Auriol Dongmo‎ (peso)

Atletismo (Campeões Nacionais) - Carlos Nascimento (60 m pista coberta), Lorene Bazolo (60m pista coberta), Cátia Azevedo (400 m pista coberta), Anabela Neto (salto em altura pista coberta), Patrícia Mamona (triplo salto pista coberta), Evelise Veiga (salto em comprimento pista coberta), Marta Onofre (salto com vara pista coberta), Auriol Dongmo‎ (peso pista coberta), Carla Salomé Rocha (10 000 m e corta mato), Tiago Pereira (triplo salto) e João Vieira (20 km e 35 km marcha)

Surf - Teresa Bonvalot campeã nacional

Ténis de mesa adaptado - João Soldado campeão nacional (classe S21)

Natação - Francisco Santos 1º nos 200 metros costas no meeting do Porto, com recorde nacional e Alexis Santos 1º nos 200 metros estilos no meeting de Coimbra

Pool - Rute Saraiva 1º Open de Pool Feminino - 1ª Divisão (Lisboa/Setúbal)

Número de vitórias colectivas: 32 (na contagem não estão incluídas as conquistas em futsal e basquetebol da Taça de Portugal 2019-20).

Número de vitórias individuais: 21

publicado às 16:00

Fotografia com história dentro (255)

“João Coração de Leão”

Leão Zargo, em 11.07.21

João Matos Museu Sporting.jpg

João Matos, “João Coração de Leão”, constitui um caso notável, talvez único, no universo desportivo sportinguista. Jogador de futsal, ingressou nas escolas do Sporting em 2001 e chegou ao plantel principal na época de 2005/06, tornando-se então numa das maiores referências da modalidade em Portugal. Pela sua maturidade e capacidade de liderança recebeu a braçadeira de capitão de João Benedito quando este terminou a carreira.

Integra por direito próprio o núcleo central da história extraordinária, dos sinais de glória e de afirmação clubista do futsal leonino. Esteve presente nas grandes conquistas na última década e meia, e, sendo o capitão de equipa, é realçada por todos a maneira como sempre transmitiu aos seus companheiros a força, coragem, combatividade e ambição imprescindíveis para alcançar o triunfo. Ficou na memória, quando na final europeia com o Barcelona, apelou à união e à resiliência questionando os companheiros se queriam ou não ser recordados no futuro como heróis e vencedores.

João Matos, desde 2005, realizou mais de 600 jogos oficiais e conquistou 29 troféus de leão ao peito:

- Duas UEFA Futsal Champions League (2018/19 e 2020/21);

- Nove Campeonatos Nacionais (2005/06, 2009/10, 2010/11, 2012/13, 2013/14, 2015/16, 2016/17, 2017/18, 2020/21);

- Oito Taças de Portugal (2005/06, 2007/08, 2010/11, 2012/13, 2015/16, 2017/18, 2018/19, 2019/20);

- Três Taças da Liga (2015/16, 2016/17, 2020/21);

- Sete Supertaças (2008, 2010, 2013, 2014, 2017, 2018, 2019).

O Sporting reconheceu o seu contributo excepcional e João Matos foi distinguido em 2010 com o Prémio Stromp na categoria Especial Europeu e em 2016 na categoria Atleta. Em 2021, recebeu a Medalha de Mérito Municipal-Grau Ouro, atribuída por unanimidade pela Câmara Municipal de Portalegre.

Na fotografia, João Matos no Museu Sporting com os 29 troféus que ajudou a conquistar.

publicado às 14:30

Fotografia com história dentro (254)

O leão estava uma fera (1981-82)

Leão Zargo, em 04.07.21

SCP 7 R Ave 1 16.5.1982.jpg

Em 1981-82, o jogo em Alvalade com o Rio Ave na penúltima jornada para o Campeonato foi de festa pelo título de campeão garantido no domingo anterior no Estoril. Quando os jogadores surgiram à boca do túnel o barulho dos gritos e das buzinas tornou-se infernal. Com o Estádio completamente cheio, ao som de aplausos intermináveis, num entusiasmo indescritível, o plantel leonino entrou em campo oferecendo ramos de flores aos adeptos. No centro do terreno, fizeram-se fotografar jogadores, equipa técnica e médica e dirigentes ligados ao departamento de futebol.

Apesar do ambiente festivo, o Sporting iniciou o jogo com o “pressing” agressivo habitual. O adversário portador da bola tinha sempre dois ou até três sportinguistas por perto. “Vive como um leão, joga como um leão”, dizia constantemente Malcolm Allison. Nem o primeiro golo de Jordão aos 8 minutos, a corresponder a uma assistência perfeita de Lito, acalmou os jogadores leoninos. O angolano estava em disputa da “Bola de Prata” com o portista Jacques e não havia motivos para abrandar o ataque à baliza vila condense. No banco, Allison gritava “go forward, go forward” (“para a frente, para a frente”).

Mesmo com Oliveira ausente por se ter lesionado com o Boavista algumas jornadas antes, o Sporting dominou o jogo com Manuel Fernandes, Jordão e Lito num triângulo ofensivo de enorme eficácia suportado por um meio campo operativo e uma defesa de betão. Os leões venceram folgadamente por 7-1 e por cada golo o Estádio quase que ia abaixo com a euforia dos adeptos, já a imaginar a loucura que seria a invasão do relvado logo depois do apito final do árbitro.

Ficha de jogo:

Campeonato Nacional (29ª jornada)

Sporting 7 - Rio Ave 1

Estádio de Alvalade, 16 de Maio de 1982

Árbitro - Agostinho dos Santos (Leiria)

Sporting - Ferenc Mészáros, Virgílio, Bastos, Eurico, Barão, Marinho, Ademar, Lito, Mário Jorge, Manuel Fernandes e Rui Jordão

Treinador - Malcolm Allison

Rio Ave - Trindade, Dias, Baltemar Brito, Sérgio, Duarte, Cabumba, José Manuel, Adérito, Quim, Paquito e Álvaro Soares

Treinador - Mourinho Félix

Marcadores - Rui Jordão (8’, 25’,39’, 75’ g.p. e 85’), Manuel Fernandes (30’ e 50’) e Álvaro Soares (65’)

publicado às 14:30

O Sporting Clube de Portugal

Leão Zargo, em 01.07.21

SCP_logo_1907.jpg

O Sporting Clube de Portugal foi fundado em 1 de Julho de 1906 com a finalidade de ser “tão grande quanto os maiores da Europa” (José Alvalade, 8 de Maio de 1906). Essa finalidade faz parte do ADN leonino desde o seu instante original. Por essa razão, o próprio José Alvalade assumiria a presidência do Clube em 1910, orientando-o no sentido do ecletismo (futebol, ténis, críquete, atletismo, ciclismo…), da criação de delegações (a primeira foi o Viana Taurino Club, de Viana do Castelo, em 1910) e da glória desportiva.

Apesar de ter sido um dos fundadores da Liga de Football Association, o Sporting não se inscreveu no Campeonato Regional de Lisboa de 1906-07. No entanto, uma equipa leonina participou em Fevereiro e em Março de 1907 num torneio organizado pelo Internacional (CIF), realizando três desafios frente ao Cruz Negra, em Alcântara. São os primeiros jogos de futebol documentados historicamente que foram disputados pelo Clube. Em Julho de 1907 foi inaugurado o campo de futebol no Sítio das Mouras, na Alameda do Lumiar, num terreno cedido pelo Visconde Alvalade.

O Campeonato de Lisboa de 1907-08 foi a primeira competição oficial em que o Sporting participou, com mais cinco clubes: Carcavelos, Sport Lisboa, Lisbon Cricket, CIF e Cruz Negra. A prova disputou-se no usual sistema de todos contra todos a duas voltas, e os leões ficaram classificados em segundo lugar, logo atrás dos invencíveis ingleses do Carcavelos. A inaugurar este Campeonato, em 1 de Dezembro de 1907, houve um Sport Lisboa 1 - Sporting 2, na Campo da Quinta Nova, em Carcavelos.

publicado às 03:04

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds