Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

UZU6TD3N.jpg

 

Tem sido pedido por vários dirigentes e a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) decidiu aceder ao pedido. Os jogos do campeonato nacional vão contar com vídeo-árbitro (VAR) já na próxima época. Os custos desta medida serão suportados pela FPF, que irá gastar cerca de dois mil euros por jogo.

 

Este será, no entanto, um período de testes. Ao contrário do que aconteceu no Espanha-França, jogo particular em que foram utilizadas as novas tecnologias, a equipa de vídeo-árbitros não estará numa carrinha no exterior do estádio mas sim, num centro criado para o efeito na Cidade de Futebol. Nesta fase de testes, só poderá ser dada uma indicação para dentro de campo quando os técnicos têm a certeza absoluta que a decisão do árbitro principal seja errada.

 

img_FanaticaBig$2017_05_04_09_11_46_1259688.jpg

Serão 306 os jogos que vão contar com as novas tecnologias, que permitem ajudar, com o uso de imagens televisivas, a equipa de arbitragem a decidir bem em situações de dúvida durante o jogo.

 

Como já referi em outros textos, sou totalmente contra a implementação do vídeo-árbitro. Não vale a pena reiterar as minhas razões para o efeito, salvo sublinhar que acredito que vai ter um impacte negativo na fluidez do jogo muito além do que é agora antecipado por todos aqueles que consideram a medida como a solução ideal para todos os males de arbitragem no futebol. Além do mais, especialmente em Portugal, tendo em conta a mentalidade tanto de dirigentes como de adeptos, decisões controversas e a respectiva polémica mediática não irão desaparecer, pelo contrário. Como foi referido num outro texto, no futebol português "um empate ou uma derrota é sempre culpa do árbitro e de uma conspiração”. A partir da próxima época, é só uma questão de adicionar o vídeo-árbitro a esta equação.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:00

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


67 comentários

Sem imagem de perfil

De Angelo a 04.05.2017 às 17:22

Claro, é muito melhor deixar as coisas como estão sob suspeita e com provas dadas em viciação de resultados do que se fazer alguma coisa para melhorar.
Pode não ser no primeiro ano que se consigam resultados, mas que será uma transição para a verdade desportiva isso não há dúvidas. Basta ver o caso de outras modalidades (Ténis, etc...) para cair o mito das interrupções duradoras.

Os Velhos do restelo sempre existirão, principalmente quando beneficiam da não mudança!
Sem imagem de perfil

De João Chaves a 04.05.2017 às 20:02

Pois é, caro Rui Gomes.

Aqui divido-me um pouco: por um lado, será bom haver menos erros nos foras-de-jogo, bolas dentro ou fora da baliza, faltas dentro ou fora da área, etc.

Por outro lado, a análise de alguns lances será sempre subjectiva.
A avançarmos com isto, a palavra final tem de ser sempre do árbitro de campo.

O que me preocupa é um escalar da dependência do vídeo-árbitro, por preguiça dos árbitros e/ou pressões sobre os mesmos;

E espero que não cheguemos a um ponto em que (principalmente nas partidas mais "quentes") se tenha de parar o jogo a cada falta para avaliação porque o capitão x reclama de uma cotovelada que depois não há, ou o banco da equipa y salta aos berros por causa de uma entrada assassina que afinal foi um corte limpo.

Enfim, resumindo:
- o vídeo-árbitro tem a capacidade de reduzir os erros de arbitragem.
- mas tem também o potencial de desvirtuar o jogo tal como o conhecemos.

E uma coisa é certa; desengane-se quem pensa que será o fim das polémicas.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 04.05.2017 às 20:41

Tem razão, não será o fim das polémicas e garanto-lhe que uma vez implementado, a dependência vai aumentar significativamente. Disso, não tenho dúvidas algumas.

Precisamente por isto, eu argumento que quem apoia a medida hoje não está a pensar no futuro.
Sem imagem de perfil

De João Chaves a 05.05.2017 às 00:27



Pois! Esse é sem dúvida o meu maior receio.
Tendo o "preto no branco" que afinal não o será, haverá muito sacudir de responsabilidades por parte dos árbitros de campo.

Isto tem de ser muito bem feito e, não havendo experiência prévia, o mais certo é dar gralha.
Claro que se torna uma questão de "ovo ou a galinha" porque, sem testes, não se ganha experiência, mas...

Se calhar, era melhor (por exemplo) no primeiro ano avaliarem-se foras de jogo, agressões, locais das faltas, bolas dentro ou fora da baliza.
As decisões objectivas e de rápida decisão.

Depois, antes da época seguinte, comunicava-se algo como:
"Com a experiência acumulada este ano, sentimo-nos em condições de avaliar com x de certeza situações de mão na bola ou bola na mão (exemplo); o critério de avaliação será o estipulado pela FIFA, sendo que se aumentar o volume do corpo é falta ou penalty etc etc etc"

E assim sucessivamente, nos casos mais subjetivos.

Ficavam as pessoas todas informadas do que iria (e teria de) acontecer, e acabava-se com a conversa de que "cada árbitro tem um critério, bla bla".

Pelo que vimos até agora, só vai mudar é o destinatário das reclamações.
Quanto mais escrevo, mais concordo consigo.

Parece-me até que se trata de um caso de querer fazer algo só para aparecer, que se lixem as consequências.
Afinal, é "só" o campeonato português, nobody cares.
Sem imagem de perfil

De Angelo Pereira a 04.05.2017 às 20:19

No futebol como em qualquer desporto é bom anular-se a possibilidade de erro mas o futebol tem outra parte importante que a maioria dos outros desportos não tem tanto que é a disciplinar. Qualquer equipa fica manietada e é encostada para trás ficando o campo inclinado quando as suas pedras basilares no jogo levam cartões amarelos, podendo os técnicos das equipas mais protegidas jogarem com esse fator. Vejamos o caso do primeiro classificado Benfica, não há melhor caso para demostrar esta realidade é neste momento o clube menos amarelado da liga e não com uma pequena diferença do nosso clube mas a quase metade dos amarelos do Sporting que por causa disso não pode contar com o Gelson e o Podence na próxima jornada e que nos fazem bastante falta para ajudar o Bas a tentar conquistar a Bota de Ouro. Será que jogadores como Luisão - Fejsa Samaris Pizzi ou Eliseu que fez grande parte da época por lesão de Grimaldo são menos faltosos que os nossos jogadores das mesmas posições para mim não são e quando têm práticamente quase metade dos nossos cartões então nem é melhor falar. Eles (Benfica) sabem que vão continuar com esta preoteção e que vão continuar a usufruir do colinho portanto venha o vídeo árbitro que neste caso não vai ter influencia nenhuma ou porventura ainda vão alargar mais o fosso nesta matéria entre o Glorioso e os outros clubes. Até parece que o Sporting é um clube de jogadores SARRAFEIROS.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 04.05.2017 às 20:43

Nada disto que argumenta tem a ver com o vídeo-árbitro. Ponto !!!
Sem imagem de perfil

De Angelo Pereira a 04.05.2017 às 21:12

Tem a ver Rui pois se houver colinho não interessa o vídeo árbitro, pois os donos do sistema farão a diferença e se não é nos lances polémicos será na vertente disciplinar,que é tão ou mais importante que os lances capitais e aí joga o critério dos juízes que tem sido sempre para o lado dos mesmos, inclinando o campo.
Sem imagem de perfil

De Augusto Matos a 04.05.2017 às 23:07

Já começa com as teorias ? O seu presidente que há muito andava a encomendar esta tecnologia para decisão de jogo é que vai bradar de Buenos Aires a Moscovo que foi devido à sua intervenção que a medida foi tomada.
Mal avaliará se não acreditar que a mesma foi implementada para o calar.

Vai ser uma missa despois passar-mos uma época sem qualquer polémica duradoura como esta que existe nos ultimos 4 anos... Isto se no caso de se manter calado, o que será nesse campo um fracasso completo.

BdC cumpre hoje o seu 39º dia de castigo no qual ficaria suspenso de actividade de funções, mas entre conversas, cumunicados e reuniões na sua função continua em campo "a jogar" mesmo depois de ter visto cartão vermelho.
Sem imagem de perfil

De Angelo a 05.05.2017 às 12:02

Meu caro Sr. Augusto Matos - Dois exemplos para fim de conversa Enzo Perez no Benfica um menino bem comportado que não levava amarelos e vermelhos nem vê-los em Valencia é um fartote. Maxi Pereira vá falar com os homens do Porto que eles dizem-lhe como é, o que os benfiquistas gostam é de colinho e ele vai continuar através da parte disciplinar. Factos são factos o Sporting tem a quase o dobro dos cartões amarelos do Glorioso, somos uma equipa de trauliteiros e os do Benfica são meninos de coro.Vá dar missa para outra freguesia porque aos sportinguistas não enganam.

Comentar post


Pág. 2/2





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo